As Feiras de Feira de Santana

Venezuelanos em Feira de Santana

A história de dois Venezuelanos em Feira de Santana

Quem tem andado pelas ruas de Feira de Santana nos últimos anos nota o aumento da quantidade de pedintes e vendedores informais nas sinaleiras da cidade – consequência óbvia do deserto econômico por que passa o país. Peregrinando entre os carros, na esperança de que um vidro se abra e uma mão se estenda, essas pessoas buscam o sustento básico da família, a ajuda para a compra de um remédio ou a fralda para um filho. Na cidade-entroncamento, não é de espantar que muitos desses habitantes das encruzilhadas sejam de fora do município, do estado e do país. É o

Casarão dos Olhos D'Água

Casarão Olhos D’Água será reformado

A Prefeitura Municipal de Feira de Santana irá reformar o Casarão Olhos D’Água, situado na Rua Dr. Araújo Pinho. O valor da reforma foi orçado em R$ 331.657,38 e a empresa contratada, através de dispensa de licitação, foi a CLAP Construtora Ltda (Diário Oficial de 17 de julho). Recomendação do MP-BA O Ministério Público Estadual, por meio da promotora de Justiça Luciana Machado dos Santos Maia, expediu em dezembro do ano passado, recomendação ao diretor-presidente da Fundação Municipal de Tecnologia, Telecomunicações e Cultura Egberto Tavares Costa (Funtitec), Antonio Carlos Daltro Coelho, para que promovesse as medidas emergenciais necessárias à manutenção,

Feira Hippie dos Olhos D'Água

UEFS receberá a II Feira Hippie dos Olhos D’Água

Criada em 2016, a Feira Hippie dos Olhos D’Água aconteceu pela primeira vez durante a Semana Nacional do Livro e da Biblioteca, realizada anualmente no mês outubro, na Biblioteca Central Julieta Carteado, no Campus da UEFS. Na ocasião, o evento principal tinha como tema Sustentabilidade e Meio Ambiente, e a Feira Hippie, idealizada por Paulo Fabrício Reis e Raquel Kuwer, surgiu como um adendo, estabelecendo uma relação direta com a temática, uma vez que foram priorizados expositores com trabalhos artesanais, ou que trabalhavam com esse enfoque. O nome da Feira Hippie é uma homenagem à cidade de Feira de Santana,

O pintor feirense Cesar Romero

O pintor feirense Cesar Romero

Quem acompanha o cenário das artes plásticas da Bahia certamente já ouviu falar ou já se deparou com alguma obra do pintor Cesar Romero. O que nem todos sabem é que o artista plástico autor das “Faixas Emblemáticas” é feirense, nascido em 1950. “Dois fatos foram determinados em minha formação de artista plástico: a convivência com as feiras livres, sempre às segundas-feiras, em companhia do meu pai, e a criação do Museu Regional de Feira de Santana. Se eu tivesse nascido em outra cidade, muito provavelmente não haveria o artista que sou, nem esta obstinada escolha de brasilidade. Feira de

Quanto custa a Câmara de Vereadores de Feira de Santana?

Quanto custa a Câmara de Vereadores de Feira?

A Câmara de Vereadores é uma instituição importantíssima para qualquer município. Suas cadeiras são ocupadas pelos representantes políticos mais próximos à comunidade: os vereadores, eleitos principalmente pela capacidade de interlocução e liderança em determinados bairros e comunidades. Além de levar demandas da comunidade ao Poder Executivo, mantendo diálogo permanente com secretários, superintendentes e outros gestores, o vereador deve cumprir o papel fiscalizador das ações e decisões emanadas do Prefeito. Sem falar no papel de legislador e promotor de debates sobre temas de interesse da comunidade, fazendo com que os munícipes tenham participação ativa nas políticas públicas. Quanto mais os vereadores

Vitorino Campos: o estilista feirense reconhecido internacionalmente

As famosas Flávia Alessandra e Fernanda Paes Leme são apenas duas das famosas que aderiram ao trabalho do estilista feirense Vitorino Campos, de 30 anos, considerado um dos grandes talentos jovens da moda brasileira. Aos 25 anos ele fez seu primeiro desfile na São Paulo Fashion Week, em 2012, e de lá pra cá vem assumindo destaque progressivo no mundo da moda.

“Morei em Feira até meus 18 anos, quando fui estudar moda em Salvador. Lembro dos bons amigos que tinha no colégio e sinto muita saudade dessa época”, disse ele em entrevista ao Feirenses. Vitorino graduou-se em Design de Moda pela Universidade Salvador (UNIFACS) e criou sua marca homônima já em 2008. Mas foi em Feira que surgiu sua grande inspiração para trabalhar com moda: “fui criado entre o ateliê da minha tia e a fábrica de fardamentos da minha mãe, cresci rodeado por tecidos e aviamentos”.

Fernanda Paes Leme

Fernanda Paes Leme vestindo Vitorino Campos no Festival de Cannes

Em 2016, Vitorino recebeu prêmio de estilista do ano pela Associação Paulista dos Críticos de Arte (APCA), na primeira vez em que a Associação passou a incluir Moda como em suas premiações. Perguntado sobre o que considera destaque em seu trabalho, Vitorino considera “o acabamento das peças e a qualidade da matéria-prima. Gosto do bom corte e da roupa bem feita. Uma base que se integra à peça para que haja uma conexão com quem veste e o que se está vestindo”.

Veja o desfile de Vitorino Campos na última São Paulo Fashion Week (coleção outono/inverno):

 

No vídeo a seguir, gravado em 2015, ele fala para a Vogue Brasil sobre a inspiração para uma de suas coleções:

Parte da família de Vitorino Campos ainda reside em Feira de Santana, mas já faz alguns anos que ele não visita a cidade: “por conta do tempo corrido, já fazem 5 anos que não visito a cidade. Hoje meus pais e parte da família moram em Salvador, por isso acabo indo com mais frequência para lá”.

Aos feirenses que desejam seguir a trajetória de Vitorino, ele dá alguns alertas: “é uma carreira que exige muito estudo e esforço. Tem que realmente gostar do que faz, pois a dedicação precisa ser integral”.

Vitorino Campos está no Facebook e no Instagram!


Sobre o (a) autor (a):