Rio Jacuípe

História e arquitetura da Prefeitura de Feira

Um dos prédios mais imponentes da Feira de Santana é aquele que abriga a Prefeitura Municipal. Fica num dos mais emblemáticos cruzamentos da cidade, entre as avenidas Getúlio Vargas e Senhor dos Passos. Naquele trecho muito da vida política e cultural da cidade ganha expressão: feiras – de livros, de saúde -, apresentações musicais, atividades de lazer e, sobretudo, manifestações políticas acontecem defronte à prefeitura, no estacionamento encoberto pelas sombras generosas das árvores. O prédio começou a ser erguido há quase 100 anos: no dia 11 de setembro de 1920 o Conselho – a versão da época da Câmara Municipal

Baile Surrealista 2018

Baile Surrealista em Feira – Edição Especial

Feira de Santana receberá mais uma edição do Baile Surrealista, uma releitura de um baile que aconteceu na Europa na década de 1970, envolvendo artistas e membros de sociedades secretas. O evento pretende discutir as relações entre Arte e Esoterismo através da Música, Artes Plásticas, Dança e Oficinas. Nesta edição, ocorrerá o relançamento do livro “Sob o véu de Sírius”, que reúne autores de várias cidades baianas numa série de poemas inspirados na Heptarquia e no simbolismo mágico do número 7. Além disso, o Baile fará um tributo ao poeta e bruxo britânico Kenneth Grant, um dos nomes mais influentes do ocultismo contemporâneo.

Avenida Presidente Dutra - Feira de Santana

Avenida Presidente Dutra em Feira: origens e modificações históricas

Existe um argumento de autoridade nas cidades brasileiras que sempre é evocado por pessoas que foram as primeiras a povoar determinada localidade. É comum encontrarmos pessoas que normalmente soltam um bom: “quando eu cheguei aqui era tudo mato!”. A frase mais do que nos mostrar que estamos diante de uma pessoa que acompanhou o desenvolvimento daquela rua, avenida, bairro, cidade desde os primórdios. Serve também para nos lembrar que o espaço urbano está em constante modificação: seja pela construção de novas edificações ou pela derrubada de prédios antigos, instalação de iluminação pública, construção de túneis, passarelas, viadutos etc. Sob qualquer

Casarão Froes da Mota

Casarão da Fróes da Motta tem inspiração alemã

Daquilo que ainda resta do rico patrimônio arquitetônico da Feira de Santana se destaca o casarão do intendente Eduardo Fróes da Motta. O imóvel fica na rua General Câmara, aquela que liga as praças Fróes da Motta e Nordestino, no centro da cidade. A construção é antiga e imponente: quem transita ali, pela rua estreita, não deixa de se impressionar com o porte, com os detalhes caprichados, com o padrão difícil de se ver no município, mesmo na primeira metade do século passado. Não é para menos: quem teve a iniciativa da construção foi Agostinho Fróes da Motta, em 1902.

Larissa Rodrigues

Entrevista com Larissa Rodrigues [Feirenses TV]

O debate sobre a representatividade das mulheres vem crescendo em diversos setores da sociedade, principalmente naqueles onde o homem manteve-se hegemônico ao longo da história (notadamente lugares de poder). Na política, por exemplo, o Brasil ostenta a marca de ter apenas 10,5% de mulheres no Congresso Nacional, mesmo tendo uma população 51% feminina. Nas artes o cenário não é diferente: segundo a professora de literatura e feminista feirense Larissa Rodrigues, de um total de publicações no mercado editorial brasileiro, apenas 30% obras são de autoras mulheres. É nesse contexto que surge o projeto “Leia Mulheres”, um projeto que tem como

7 atrações tocam no último Veraneio Fora do Eixo de 2016

O Feira Coletivo Cultural encerra as atividades de 2016 em grande estilo. Nesta sexta-feira (16), a partir das 20 horas, no Jhonnie Club, em Feira de Santana, será realizada mais uma edição do Veraneio Fora do Eixo. Sete atrações vão movimentar a noite, que promete ser inesquecível.

Presença confirmada do grupo Roça Sound, o quarteto é garantia de festa, com muito dub, ragga, reggae e sound system. Com quase duas décadas de história, o Clube de Patifes levará ao palco energia mística e batidas espirituais, numa mistura de guitarras bluseiras e percussão dos terreiros.

Também na line up do Veraneio, em Feira pela primeira vez, a banda paulista Alaska, que é apontada como uma das mais promissoras da cena indie nacional. Juntos há seis, lançaram o primeiro disco, intitulado “Onda”, em 2015. Rola ainda o som dos sergipanos da Sarina, power-trio em que todos compõem e tocam os instrumentos. O grupo vai apresentar o show de recém-lançado disco “Ela”.

 

Com um trabalho que se vale de ícones que vão do axé music ao pagode, samba-reggae e ijexá, a banda Suinga brinca com todas as possibilidades dos ritmos populares baianos, culminando em um som autoral com uma pegada despojada e espontânea. E essa galera também vai colar conosco.

Para arrematar a programação, dois parceiros de longa da data. Arrastando fãs por todo o Brasil, Vivendo do Ócio é um dos grupos mais expressivas no atual cenário do rock brasileiro e depois da apresentação empolgante no Feira Noise 2015, VDO vai pintar novamente por aqui.

 

E o palco do Jhonnie Clube receberá ainda a banda Maglore, retornando à nossa cidade, onde mantém um grandioso número de fãs, para mais uma apresentação, que certamente vai arrebatar o público que curte o som de um das mais reconhecidas e respeitadas bandas do nosso país na atualidade.

Recapitulando…

O que: Feira Coletivo apresenta Veraneio Fora do Eixo
Quem: Maglore, Vivendo do Ócio, Suinga, Clube de Patifes, Roça Sound, Alaska e Sarina
Onde: Jhonnie Clube, na rua São Domingos, nº 486 – Bairro Capuchinhos, Feira de Santana – Bahia
Quando: Sexta-feira, dia 16 de dezembro, a partir das 20 horas
Quanto: R$ 30,00 (segundo lote)
Pra saber mais: www.facebook.com/feiracoletivo

Veraneio Fora do Eixo


Sobre o (a) autor (a):