Rio Jacuípe

Porque eu te amei

O que ‘Porque eu te amei’ tem a falar sobre Feira?

Já passado alguns meses do lançamento do filme feirense de Tiago Rocha, que gerou assunto durante um bom tempo e lotou praticamente todas as sessões enquanto esteve em exibição, o longa, embora já fora dos cinemas, ainda tem muito que falar. E não me refiro exclusivamente aos temas abordados no enredo. Como violência doméstica, abuso, estupro etc. Mas, também, sobre o nosso olhar sobre Feira. Porque eu te amei é uma espécie de grito da classe artística feirense. Uma produção independente, envolvendo profissionais e entusiastas da cidade, lançada por aqui de maneira honrada e reconhecida – principalmente por quem duvidou.

Irving São Paulo

O ator feirense Irving São Paulo

Provavelmente você conhece o rosto do ator Irving São Paulo, filho de um histórico cineasta brasileiro, Olney São Paulo. Irving, nascido em Feira de Santana, estrelou grandes novelas brasileiras, a exemplo de “Bebê a bordo”, “Mulheres de Areia”, “A Viagem” e “Torre de Babel”. Irving nasceu em 26 de outubro de 1964, em Feira, onde iniciou a atuar em peças de teatro. Faleceu precocemente, aos 41 anos de idade, vítima de pancreatite necro-hemorrágica. Recentemente o Vídeo Show dedicou uma edição do quadro “Memória Nacional” ao ator feirense, mostrando sua trajetória e múltiplos talentos (em especial a música):   A seguir,

Jogo de Nonô

O jogo de Nonô

“Tira a mão do ovo, Nonô!”, protesta Toinho Cabeção quando o coroa de 86 anos chega para almoçar. É assim todo início de mês: Nonô chega na lanchonete do Centro Mandacaru apoiando uma mão na bengala e a outra oscilando entre o bolso e algumas coçadinhas no meio da calça. Ele não terceiriza o saque da aposentadoria, tanto por vigilância orçamentária quanto por deleite ritualístico: após ir ao banco, compra os remédios do mês, apara o cabelo que lhe resta e arrisca tornar-se milionário nos seis números da mega. “Jogar na mega pra onde, Nonô? Vai gastar esse milhão com

Colbert e Targino

Targino e Colbert trocam farpas

Sem informação Após a população do Conjunto Viveiros realizar uma manifestação por conta da falta de médico no Posto de Saúde da localidade, o prefeito Colbert Martins disse o seguinte: “não tinha informação que o posto médico do Viveiros estava tanto tempo (cerca de sete meses) sem médico”. Targino cobra afastamento da Secretária de Saúde e do Procurador do município O Deputado Estadual Targino Machado (DEM), durante pronunciamento na tribuna da Assembleia Legislativa da Bahia, nesta terça-feira, 21, cobrou do prefeito de Feira de Santana, o afastamento da Secretária Municipal de Saúde, Denise Mascarenhas, e do Procurador do município, Cleudson

Roberto Mendes

Roberto Mendes faz show na Cidade da Cultura

Um dos maiores artistas que a Bahia produziu estará em Feira de Santana na próxima quinta-feira: o cantor, compositor e ativista santamarense Roberto Mendes faz show na Cidade da Cultura, um dos principais espaços culturais de Feira de Santana. Mendes apresentará um show com tema caro a Feira de Santana: “A chula do Recôncavo com o Canto do Sertão”. Situada entre o Recôncavo e o Sertão, Feira tem a oportunidade de se reconhecer na apresentação de um notável defensor do Samba da Bahia, e do Samba antes do Samba, como ele diz, se referindo à Chula. Ele caracteriza a Chula

Nasce o coletivo Unidos pelo Samba em Feira

Como já disse aqui no Feirenses em outra oportunidade, o samba em Feira de Santana é um dos fenômenos musicais mais intensos na cidade. Arrisco dizer que Feira tem entre 100 e 200 músicos profissionais que tocam samba, embora quase ninguém viva exclusivamente desse trabalho artístico.

São trabalhadores que tocam samba por paixão, e pouco são valorizados pela arte que produzem. A boa notícia é que os sambistas de Feira de Santana resolveram se unir, criando um coletivo para militar por suas causas, que não são poucas. Como apoiador desse movimento, o Feirenses publica abaixo a carta de fundação do coletivo Unidos pelo Samba:

“Feira de Santana é uma cidade caracterizada pela pluralidade e multiplicidade. Como grande entroncamento rodoviário, terra por onde passam viajantes de todo o Brasil, somos um povo que convive com diversas influências e referências artísticas e culturais. Entre elas, o samba, ou os sambas, estão entre uma das mais relevantes formas de expressão do feirense.

Como disse Vinícius de Moraes, ‘o samba nasceu na Bahia’, e nós, baianos-feirenses, o temos em nossas raízes. Basta observar o cotidiano de Feira de Santana, que faz o samba acontecer quase diariamente por aqui, em vários espaços que sobrevivem muito mais por amor ao próprio samba do que por sustentabilidade comercial.

A dimensão cultural protagonizada pelos nossos sambistas (músicos ou não) deve ser reconhecida, respeitada e estimulada. Por isso, integrando artistas, empresários, ativistas e outros admiradores do samba em nossa cidade, criamos o Coletivo Unidos pelo Samba, que propõe à sociedade feirense o seguinte:

  • Valorizar os compositores de Samba de Feira de Santana, buscando espaços viáveis para apreciação do samba de raiz feirense;
  • Discutir formas viáveis de produção, divulgação e apresentação do samba feirense;
  • Fomentar eventos e espaços onde possa haver a apreciação do samba na cidade;
  • Promover a interlocução entre sambistas feirenses e de outras localidades, visando o fortalecimento do Samba como movimento cultural em Feira de Santana;
  • Garantir espaço proporcional e justo do Samba nos investimentos dos poderes públicos (municipal, estadual e federal) com cultura em Feira de Santana;
  • Incluir o Samba como elemento cultural digno de atenção da opinião pública;
  • Qualificar a produção do samba feirense.

O Samba em Feira de Santana nada mais é do que as pessoas que se dedicam a esse gênero musical e forma de expressão na cidade. Ao relegar o Samba a uma condição marginal, o que se faz, na prática, é relegar os artistas, empreendedores e o público do Samba Feirense, grande parte das periferias da cidade, a um papel menor na movimentação cultural de Feira.

Não se trata de minimizar qualquer manifestação artístico-cultural aqui existente, mas de buscar justiça e atenção proporcional ao que representamos para a população de Feira de Santana.

Convidamos você a estar atento a esse movimento. E, junto conosco, fortalecer o Samba de Feira de Santana.

Unidos pelo Samba!

Escola de Samba Nativos de Santana

Grupo Sem mais nem menos

Grupo Simplicidade a mais

Grupo Sambatuk

Grupo Rarhydade

Grupo Acelerou

Grupo Trio quase preto

Cantor Richard Nout

Bar Point Universitário

Espaço Resenha House

Espaço Quintal dos bambas


Caminhada do Folclore

O coletivo Unidos pelo Samba participará da Caminhada do Folclore, no próximo domingo, com a presença de vários sambistas feirenses tocando e cantando em todo o percurso. Veja o vídeo de divulgação:

 

Foram confeccionadas camisas para os participantes da caminhada na “ala do samba”. Para adquirir a sua, basta se dirigir ao bar Point Universitário, Rua Juracy Magalhães, ao lado da FAT (Faculdade Anísio Teixeira).

Contato

Para entrar em contato com o coletivo Unidos pelo Samba basta acessar a fanpage no Facebook ou mandar email para unidossamba@gmail.com. Vida longa ao samba de Feira!


Sobre o (a) autor (a):