Rio Jacuípe

Jogo de Nonô

O jogo de Nonô

“Tira a mão do ovo, Nonô!”, protesta Toinho Cabeção quando o coroa de 86 anos chega para almoçar. É assim todo início de mês: Nonô chega na lanchonete do Centro Mandacaru apoiando uma mão na bengala e a outra oscilando entre o bolso e algumas coçadinhas no meio da calça. Ele não terceiriza o saque da aposentadoria, tanto por vigilância orçamentária quanto por deleite ritualístico: após ir ao banco, compra os remédios do mês, apara o cabelo que lhe resta e arrisca tornar-se milionário nos seis números da mega. “Jogar na mega pra onde, Nonô? Vai gastar esse milhão com

Colbert e Targino

Targino e Colbert trocam farpas

Sem informação Após a população do Conjunto Viveiros realizar uma manifestação por conta da falta de médico no Posto de Saúde da localidade, o prefeito Colbert Martins disse o seguinte: “não tinha informação que o posto médico do Viveiros estava tanto tempo (cerca de sete meses) sem médico”. Targino cobra afastamento da Secretária de Saúde e do Procurador do município O Deputado Estadual Targino Machado (DEM), durante pronunciamento na tribuna da Assembleia Legislativa da Bahia, nesta terça-feira, 21, cobrou do prefeito de Feira de Santana, o afastamento da Secretária Municipal de Saúde, Denise Mascarenhas, e do Procurador do município, Cleudson

Roberto Mendes

Roberto Mendes faz show na Cidade da Cultura

Um dos maiores artistas que a Bahia produziu estará em Feira de Santana na próxima quinta-feira: o cantor, compositor e ativista santamarense Roberto Mendes faz show na Cidade da Cultura, um dos principais espaços culturais de Feira de Santana. Mendes apresentará um show com tema caro a Feira de Santana: “A chula do Recôncavo com o Canto do Sertão”. Situada entre o Recôncavo e o Sertão, Feira tem a oportunidade de se reconhecer na apresentação de um notável defensor do Samba da Bahia, e do Samba antes do Samba, como ele diz, se referindo à Chula. Ele caracteriza a Chula

Os protestos em Feira de Santana

Os protestos em Feira de Santana

Os protestos em Feira de Santana Milhares de manifestantes foram às ruas do centro de Feira de Santana, protestar contra os cortes de verbas da educação, anunciados pelo MEC. Bolsonaro, Rui Costa e Colbert também foram alvos das críticas. Os três chefes do executivo estavam em viagem oficial Bolsonaro nos Estados Unidos, Rui, na China e Colbert, novamente, em Brasília, para tratar de diversos assuntos, dentre os quais o Hospital da Mulher, onde em menos de uma semana 03 bebês morreram devido à grande demanda e a falta de leitos nas maternidades do município. Professores da UEFS contra os cortes

Desemprego em Feira

Emprego formal se reduz no primeiro trimestre em Feira

No primeiro trimestre de 2019 o desemprego voltou a mostrar as suas garras aqui na Feira de Santana. Foram, no saldo, 480 empregos a menos, no saldo entre admissões (8,7 mil) e demissões (9,1 mil). Os mais penalizados foram os comerciários: no saldo, enxugaram-se 162 oportunidades para esses profissionais. Alguém mais otimista pode enxergar, aí, aquele movimento natural de dispensa do excedente que foi contratado para as festas de final de ano. O preocupante, porém, é que a redução de empregos alcançou atividades que não se relacionam diretamente ao vaivém natural do comércio. É o caso da construção civil, que

Transporte público em Feira: aprofundando o debate

Ônibus parados, protestos contra a instalação do BRT, projeto de passe livre sendo debatido na Câmara de Vereadores. Não há dúvida que o debate sobre o transporte público é um tema central para a realidade feirense neste momento. Mais do que o embate político-partidário que sempre aflora circunstâncias assim, é preciso qualificar o entendimento sobre o que está em jogo.

Para entender um pouco a importância do transporte enquanto direito, seguem algumas palavras prévias a qualquer intenção de debate:

O direito ao transporte é de enorme importância em uma sociedade e deve ser cotidianamente garantido e aperfeiçoado pelo Estado. O acesso ao transporte é fundamental em nossa configuração social, pois se relaciona aos mais diversos direitos que são assegurados pela Declaração Universal dos Direitos Humanos e pela Constituição Federal de 1988. Por esta razão, sua existência e qualidade devem ser cobradas por todos os cidadãos, sejam usuários de transporte público ou não. 

O direito ao transporte é chamado de direito-meio porque ele influencia e condiciona o acesso aos demais direitos, se constituindo em um elemento de vital importância para assegurar as condições necessárias para uma vida digna. Para um cidadão ter acesso à rede pública de saúde, por exemplo, ele precisará utilizar algum meio de transporte. O mesmo se aplica ao acesso à educação, centros culturais e de lazer, liberdade de ir e vir, local de trabalho, e tantos outros direitos que necessitam de deslocamento para serem exercidos e usufruídos.

Posto isso, é possível classificar o acesso ao transporte como um direito essencial: ele não deve ser visto como um favor ou como um bem particular, todos devem ter acesso a ele e o governo tem obrigação de proporcionar seu serviço com qualidade. No Brasil, as diretrizes básicas e pontuais relacionadas à urbanização são responsabilidade do Governo Municipal e isto se aplica também à dinâmica de locomoção local. O Governo Municipal é o principal responsável por garantir um sistema de transporte adequado dentro de uma cidade. Todavia, o Governo Estadual e Federal não estão isentos desse dever e além atuar para garantir a qualidade de trajetos entre municípios e entre estados, eles também podem auxiliar os governos municipais, principalmente nos casos de obras muito caras e que o município não tem condições de realizar sozinho, como é o caso do metrô, por exemplo.

A vida em sociedade requer que o interesse de muitos prevaleça sobre os interesses individuais e particulares. É partindo dessa premissa que é possível afirmar que na elaboração de políticas públicas, o transporte coletivo deve ter prioridade sobre o transporte individual, assim como em uma grande cidade, o transporte público deve ter prioridade sobre o transporte particular. A prestação deste serviço deve abarcar com qualidade diversas questões, especialmente as relacionadas a conforto, tempo e custo. O direito ao transporte é influenciado pelo modelo de ocupação do território, pela especulação imobiliária e tem forte impacto em questões como segregação social, uso dos espaços coletivos, localização de equipamentos públicos. Dessa forma, toda política pública e todo projeto de urbanização deve levar em consideração o que fazer para interferir da melhor forma possível nos meios de locomoção e deslocamento da população.

Leia mais aqui.

Um dos grandes problemas do transporte público enfrentado na maioria das cidades brasileiras é a relação entre o poder municipal, que tem o dever de garantir transporte público de qualidade, e as empresas de ônibus, que possuem interesses mercadológicos, muitas vezes na contramão do que serve ao interesse da comunidade.

“Existe muito mais do que o simples interesse social no tabuleiro do transporte público.”

No vídeo a seguir, produzido para a discussão do Projeto de Lei Tarifa Zero, em São Paulo, essas contradições são expostas didaticamente:

 

Como se vê, existe muito mais do que o simples interesse social no tabuleiro do transporte público. Para fazer algumas comparações conceituais, veja como funciona o transporte público em Berlim, na Alemanha:

 

Em Toronto, no Canadá:

 

Em Londres, Inglaterra:

 

Em Perth, na Austrália (transporte gratuito):

 

É importante considerarmos tanto o poder de compra de quem usa o transporte público quanto a capacidade de investimento do Poder Público em modelos como os vistos no vídeo a cima. Em 2013, na época da discussão sobre o passe livre em todo o Brasil, uma comparação interessante foi feita, mostrando que o brasileiro paga proporcionalmente muito caro pelo transporte público:

Transporte Público em Feira

Uma tendência comum a toda grande cidade desenvolvida é a adoção de várias alternativas viáveis de transporte. Uma boa possibilidade, ainda pouco explorada em Feira de Santana, é a viabilização de ciclovias, não apenas com o foco na prática esportiva, mas como meio de transporte, efetivamente.

Veja como ocorreu o processo de transformação de Amsterdam, na Holanda, na cidade mais “ciclística” do mundo:

 

A tirinha abaixo explica bem a importância da adoção de múltiplas formas de transporte público:

Tranporte público em Feira

Finalizo esta publicação indicando esta lista com 30 documentários sobre Mobilidade Urbana feita pela rede Mobilizo. Se inteirar das possibilidades e se aprofundar nos conceitos em questão no cenário do transporte público feirense é um exercício de cidadania essencial, e isso vai muito além do domínio das manchetes e das disputas eleitoreiras.


Sobre o (a) autor (a):