As Feiras de Feira de Santana

Feirense no São João

Feirense improvisou para lucrar com festejos juninos

Foi grande a luta do feirense desempregado para garantir uns trocados no aguardado recesso junino. O movimento nos dias que antecederam os festejos foi vertiginoso. Quem prestou atenção viu de tudo: enxames de homens, mulheres, idosos, adolescentes, até crianças – quase todos, invariavelmente, negros ou pardos – se esforçando para vender qualquer coisa em qualquer lugar. As opções foram vastas: o milho assado, vermelho e fumegante nos fogareiros; licores multicoloridos sobre bancas engenhosas; montes imensos de amendoim caprichosamente equilibrados sobre carrinhos de mão; os fogos que fazem a alegria de crianças e adultos e que tornam belas as noites juninas;

Marcas de Feira

Marcas de Feira

Um dia desses, meu colega de faculdade apareceu com uma tatuagem nova lá na sala e a gente começou a viajar no desenho. Os traços eram estranhamente familiares. Mas nada de absurdo uma tattoo ser repetida por aí. A questão é que a tatuagem trazia uma sensação de pertencimento. Como se a visse diariamente em lugares muito próximos. Então percebi de onde vinha a sensação. Do Viaduto da João Durval. Mais especificamente de um grafite feito por um artista da terra: Kbça. O grafiteiro e tatuador reproduziu seus traços expostos nas ruas de Feira na pele do meu colega, e

Santini & Trio

Grupo feirense Santini & Trio se apresentará em Portugal

Os artistas de Feira de Santana continuam viajando pelo mundo para levar nossa música para outros continentes, depois do grupo Quixabeira da Matinha, Africania, Dionorina e da dupla Don Guto e Ícaro Oliveira, agora é a vez do grupo Santini & Trio embarcar para apresentações no exterior. O guitarrista e compositor Rony Santini, o contrabaixista Anderson Silva, o multi-instrumentista Rogério Ferrer e o baterista Flaviano Gallo estarão em Portugal de 30 de junho a 10 de julho mostrando o melhor da nossa música instrumental, juntamente com a produtora cultural Micheline Castro. Vencedores em 2017 do Prêmio Caymmi, um dos mais

Porque eu te amei

O que ‘Porque eu te amei’ tem a falar sobre Feira?

Já passado alguns meses do lançamento do filme feirense de Tiago Rocha, que gerou assunto durante um bom tempo e lotou praticamente todas as sessões enquanto esteve em exibição, o longa, embora já fora dos cinemas, ainda tem muito que falar. E não me refiro exclusivamente aos temas abordados no enredo. Como violência doméstica, abuso, estupro etc. Mas, também, sobre o nosso olhar sobre Feira. Porque eu te amei é uma espécie de grito da classe artística feirense. Uma produção independente, envolvendo profissionais e entusiastas da cidade, lançada por aqui de maneira honrada e reconhecida – principalmente por quem duvidou.

Irving São Paulo

O ator feirense Irving São Paulo

Provavelmente você conhece o rosto do ator Irving São Paulo, filho de um histórico cineasta brasileiro, Olney São Paulo. Irving, nascido em Feira de Santana, estrelou grandes novelas brasileiras, a exemplo de “Bebê a bordo”, “Mulheres de Areia”, “A Viagem” e “Torre de Babel”. Irving nasceu em 26 de outubro de 1964, em Feira, onde iniciou a atuar em peças de teatro. Faleceu precocemente, aos 41 anos de idade, vítima de pancreatite necro-hemorrágica. Recentemente o Vídeo Show dedicou uma edição do quadro “Memória Nacional” ao ator feirense, mostrando sua trajetória e múltiplos talentos (em especial a música):   A seguir,

Transformando o lixo em diversão – Políticas para Feira se inspirar #6

Um dos grandes problemas da contemporaneidade, ainda pouco internalizado pela maioria das pessoas, é a inadequada destinação do lixo, que tem sérias consequências para a vida do ser humano e demais seres. O acúmulo do lixo no meio ambiente causa poluição, degradação ambiental e prejudica todo o ecossistema terrestre. Por isso falar de reciclagem é tão importante, pois também evita o esgotamento de matérias-primas, uma vez que reaproveita o material para outros fins, em vez de simplesmente descartá-lo e retirar um novo material da natureza.

Pensando nessa questão, e na necessidade da ocupação saudável e sociável do espaço urbano, foi fundada na Espanha, a Associação “Basurama“, um grupo dedicado à pesquisa, gestão e produção cultural desde 2001, utilizando possibilidades criativas para a redução de resíduos sólidos.

Embora tenha nascido na Espanha, em 2001, a Basurama atua há alguns anos no Brasil, desenvolvendo projetos que transformam o lixo em suporte para espaços de diversão, brincadeiras e interação comunitária. A ideia, também, é fazer com que a comunidade pense sobre temas como direito à cidade, mobilidade urbana, espaços para crianças e a mentalidade de consumo. A seguir, o projeto “Cidade Para Crianças de 0 a 99 anos“, em São Paulo, feito com tambores industriais de metal reutilizados:

"Cidade Para Crianças de 0 a 99 anos"

“Cidade Para Crianças de 0 a 99 anos”. Foto: Divulgação

 

"Cidade Para Crianças de 0 a 99 anos"

“”Cidade Para Crianças de 0 a 99 anos”. Foto: Divulgação

 

"Cidade Para Crianças de 0 a 99 anos"

“Cidade Para Crianças de 0 a 99 anos”. Foto: Divulgação

 

"Cidade Para Crianças de 0 a 99 anos"

“Cidade Para Crianças de 0 a 99 anos”. Foto: Divulgação

O trabalho é realizado em parceria com empresas, organizações não governamentais, e com o Poder Público. Abaixo, um “parque de diversões” feito no Minhocão, simbólico túnel da capital paulista:

Parque de diversões no Minhocão

Projeto “Parque de diversões do Minhocão”. Foto: Divulgação

 

Projeto "Parque de diversões do Minhocão"

Projeto “Parque de diversões do Minhocão”. Foto: Divulgação

 

Excelente iniciativa para organizações governamentais, ou não, se inspirarem e promoverem uma mudança de mentalidade ambiental e a ocupação criativa do espaço urbano de Feira de Santana.


Sobre o (a) autor (a):