As Feiras de Feira de Santana

Feirense no São João

Feirense improvisou para lucrar com festejos juninos

Foi grande a luta do feirense desempregado para garantir uns trocados no aguardado recesso junino. O movimento nos dias que antecederam os festejos foi vertiginoso. Quem prestou atenção viu de tudo: enxames de homens, mulheres, idosos, adolescentes, até crianças – quase todos, invariavelmente, negros ou pardos – se esforçando para vender qualquer coisa em qualquer lugar. As opções foram vastas: o milho assado, vermelho e fumegante nos fogareiros; licores multicoloridos sobre bancas engenhosas; montes imensos de amendoim caprichosamente equilibrados sobre carrinhos de mão; os fogos que fazem a alegria de crianças e adultos e que tornam belas as noites juninas;

Marcas de Feira

Marcas de Feira

Um dia desses, meu colega de faculdade apareceu com uma tatuagem nova lá na sala e a gente começou a viajar no desenho. Os traços eram estranhamente familiares. Mas nada de absurdo uma tattoo ser repetida por aí. A questão é que a tatuagem trazia uma sensação de pertencimento. Como se a visse diariamente em lugares muito próximos. Então percebi de onde vinha a sensação. Do Viaduto da João Durval. Mais especificamente de um grafite feito por um artista da terra: Kbça. O grafiteiro e tatuador reproduziu seus traços expostos nas ruas de Feira na pele do meu colega, e

Santini & Trio

Grupo feirense Santini & Trio se apresentará em Portugal

Os artistas de Feira de Santana continuam viajando pelo mundo para levar nossa música para outros continentes, depois do grupo Quixabeira da Matinha, Africania, Dionorina e da dupla Don Guto e Ícaro Oliveira, agora é a vez do grupo Santini & Trio embarcar para apresentações no exterior. O guitarrista e compositor Rony Santini, o contrabaixista Anderson Silva, o multi-instrumentista Rogério Ferrer e o baterista Flaviano Gallo estarão em Portugal de 30 de junho a 10 de julho mostrando o melhor da nossa música instrumental, juntamente com a produtora cultural Micheline Castro. Vencedores em 2017 do Prêmio Caymmi, um dos mais

Porque eu te amei

O que ‘Porque eu te amei’ tem a falar sobre Feira?

Já passado alguns meses do lançamento do filme feirense de Tiago Rocha, que gerou assunto durante um bom tempo e lotou praticamente todas as sessões enquanto esteve em exibição, o longa, embora já fora dos cinemas, ainda tem muito que falar. E não me refiro exclusivamente aos temas abordados no enredo. Como violência doméstica, abuso, estupro etc. Mas, também, sobre o nosso olhar sobre Feira. Porque eu te amei é uma espécie de grito da classe artística feirense. Uma produção independente, envolvendo profissionais e entusiastas da cidade, lançada por aqui de maneira honrada e reconhecida – principalmente por quem duvidou.

Irving São Paulo

O ator feirense Irving São Paulo

Provavelmente você conhece o rosto do ator Irving São Paulo, filho de um histórico cineasta brasileiro, Olney São Paulo. Irving, nascido em Feira de Santana, estrelou grandes novelas brasileiras, a exemplo de “Bebê a bordo”, “Mulheres de Areia”, “A Viagem” e “Torre de Babel”. Irving nasceu em 26 de outubro de 1964, em Feira, onde iniciou a atuar em peças de teatro. Faleceu precocemente, aos 41 anos de idade, vítima de pancreatite necro-hemorrágica. Recentemente o Vídeo Show dedicou uma edição do quadro “Memória Nacional” ao ator feirense, mostrando sua trajetória e múltiplos talentos (em especial a música):   A seguir,

Comida de boteco nº 3: Torresmo do Bar do Bigode

Hoje vamos falar do torresminho do Bar do Bigode. O próprio Bigode, apelidado assim pelo mustache peculiar que possui, trabalha com bar desde os 14 anos de idade, e atua há 20 anos em Feira de Santana. O atual bar já funciona há sete anos e abre de terça a domingo, a partir das 09h da manhã, até o horário em que houver movimento. É um dono de bar simpático, daqueles que tem orgulho do que faz e possui prosa pra uma noite inteira de bate papo.

Torresmo do Bar do Bigode

O petisco, servido em porções de dois tamanhos, custando R$3 a menor e R$ 5 a maior, é o carro chefe do bar. Localizado numa região centralizada da cidade, o Bar do Bigode atrai um público que já sai de casa salivando pensando no sabor do torresminho.

Torresmo do Bar do Bigode

A porção, que é frita na hora, chega na mesa barulhenta, dando estalos. É servida com farinha e limão, uma parceira adequada para acompanhar com cerveja. Simplesmente perfeita a combinação. Acompanha também uma espécie de vinagrete com pimenta, que é bem suave, e permite caprichar na quantidade.

Torresmo do Bigode

Além do sabor, vale destacar o quanto o torresmo é crocante e sequinho. Impressiona o barulho que faz ao ser mastigado. Seu aspecto se assemelha a um baconzitos, salgadinho de Elma Chips, com a vantagem de ser natural e sem conservantes. O sabor é mil vezes melhor. No final das contas, chega-se à conclusão que o baconzitos é uma mera tentativa, sem sucesso, de chegar próximo ao torresminho.

Torresmo feirense

O bar, que possui uma mesa de sinuca que não para de funcionar, é um local simples, porém, aconchegante. A cerveja chega sempre bem gelada à mesa, e o bar ainda conta com diversos petiscos como asinha de frango, codorna, calabresa frita, pititinga e caldos. O Bigode ainda aceita encomendas de galinha de quintal e pato cozido. Tudo de própria criação, que faz no quintal de casa, próxima ao seu bar. Fica a dica pra quem curte um boteco tradicional.

O Bar do Bigode fica situado no Cruzamento da Rua Padre de Nóbrega com a Rua Augusto de Estrela Lima, nº 102, próximo à Avenida Cel. José Pinto dos Santos, no fundo do antigo Garrafão, no Bairro São João, Feira de Santana-BA.


Sobre o (a) autor (a):