As Feiras de Feira de Santana

3 Peças de Teatro em setembro

3 peças teatrais imperdíveis que estarão em Feira em setembro

A cena teatral em Feira de Santana é intensa e fértil, com a produção de muitos espetáculos de repercussão e visibilidade nacional, além da recepção de peças de outras partes do país que encontram na cidade acolhimento para suas apresentações. Só para tomar um exemplo, em Feira ocorre um dos maiores festivais de teatro infantil do Brasil – o FENATIFS, que já está organizando sua 12ª edição para 2019. Nesse mês de setembro de 2019, o feirense terá a oportunidade de preencher sua programação com três espetáculos de muita qualidade, abordando a vida de figuras de relevância histórica: a pintora

Augusto Aras e Feira de Santana

A relação do Procurador de Bolsonaro com Feira de Santana

Quem acompanha o noticiário político nacional tem visto o debate em torno da indicação de Antônio Augusto Brandão de Aras para o cargo de Procurador Geral da República, feita pelo presidente Jair Bolsonaro. O que poucos feirenses sabem, entretanto, é que Augusto Aras tem íntima relação com Feira de Santana. Augusto é filho do ex-vereador Roque Aras, que exerceu o mandato na Câmara Municipal feirense entre 1971 e 1975 pelo MDB – partido que fazia oposição ao Regime Militar à época. Roque Aras foi também Deputado Estadual (1975-1979) e Deputado Federal (1979-1983). De acordo com o jornalista Dimas Oliveira, Augusto

Podcast para quem merece

O irreverente “Podcast para quem merece”

É crescente a quantidade de pessoas que consome conteúdo em áudio, no Brasil e no exterior. Dos áudiolivros aos podcasts, muitos usuários aproveitam os momentos de ócio em filas, no transporte ou mesmo nas tarefas domésticas para ouvir notícias, debates, aulas etc. A Rede Globo, por exemplo, percebeu a tendência, e lançou recentemente vários podcasts para sua audiência. Um podcast é como se fosse um programa de rádio, mas não é: em vez de ter uma hora certa para ir ao ar, pode ser ouvido quando e onde o usuário quiser. E em vez de sintonizar numa estação de rádio,

Escola Municipal Maria Andiara Silva Souza

A (falta de) estrutura de uma escola em Jaguara

A diretora da APLB/Feira, professora Marlede Oliveira, visitou na última quarta-feira (4), a Escola Municipal Maria Andiara Silva Souza que fica localizada no Povoado da Barra no Distrito de Jaguara. Na escola foi constatado que: A Escola funciona com apenas duas salas de aula e uma professora para lecionar Infantil, 1° ano, 2° ano, 3° ano, 4º ano e o 5° ano; A professora não tem Reserva de 1/3 da Carga Horária; A Escola não tem Internet nem Coordenador Pedagógico. Metas do IDEB Desde 2011, Feira não atinge as metas do Ideb para os anos iniciais do Ensino Fundamental. O

“não é pressa, é saudade dela”

“Não é pressa, é saudade dela”

No auge da minha adolescência – nem faz muito tempo assim – eu tinha uma vontade: viajar por aí de caminhão. Pegar umas caronas com os caminhoneiros e partir sem um rumo certo. Apenas vivendo um momento de cada vez, em cada rodovia e estrada desse nosso tão grande país. Mas a vida adulta chega trazendo responsabilidades e os anseios por aventuras adormecem um pouco. Enquanto lembrava disso, percebi que a figura do caminhoneiro é um tanto fascinante… Observe que todos os meus anseios da adolescência é algo rotineiro para eles. Os caras não param, vivem o momento seja lá

Quanto tempo os feirenses esperam no ponto de ônibus?

Uma das formas de aferir a qualidade do transporte público coletivo é verificar a quantidade de tempo que os usuários precisam aguardar para o embarque. No caso dos ônibus em Feira de Santana essa sempre foi uma questão alvo de reclamações, mas nunca houve divulgação de dados objetivos para atestar, ou não, a sensação dos usuários.

Com a criação do aplicativo Tamse, por parte de alunos da Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS), essa questão começa a ser esclarecida. O aplicativo tem como objetivo facilitar a vida de quem utiliza o transporte público, utilizando informações de intinerários e horários dos ônibus para que o usuário possa se programar para a utilização do transporte público.

Conversamos com um dos criadores do Tamse, Igor Pereira, que esclareceu algumas dúvidas sobre o aplicativo:

Feirenses: Houve algum diálogo com o poder público municipal para realizar o trabalho?

Tamse: Para essa primeira versão tivemos que entrar em contato com a SMTT para conseguirmos as planilhas de horários e itinerários, que nos foi fornecido. Mas apenas para isso.

Feirenses: Quantos usuários o aplicativo já possui?

Tamse: Ainda estamos aguardando a atualização da Google Play, mas no dia de ontem (18 de outubro) quando lançamos o aplicativo já estávamos com mais de 800 downloads. Estimamos que hoje (19) o número passe de 1500.

Feirenses: Há margem para erros, já que o aplicativo não usa dados oficiais?

Tamse: Sim, até o momento temos registrado uma média de erro de 2 a 5 minutos nas estimativas. Mas na maioria dos casos as estimativas estão sendo praticamente exatas.

Telas do aplicativo Tamse

Telas do aplicativo Tamse

 

Feirenses: Já é possível ter uma média de quanto tempo os feirenses precisam esperar no ponto de ônibus?

Tamse: Ainda não temos dados suficientes para dar um diagnóstico preciso. Mas até onde podemos notar, a espera está em torno de 10 a 20 minutos.

Feirenses: Por que esse nome?

Tamse: O nome é uma das coisas mais difíceis de se escolher. Pensamos em vários nomes, até que o Heitor, um dos fundadores, sugeriu TAMSE. É uma sigla para Take Me Somewhere Else, que traduzindo é algo como “Leve-me para algum lugar”. Deixamos como provisório, mas acabou pegando.

Feirenses: Há intenção de expansão para outros municípios?

Tamse: Sim. Na verdade nós já começamos com esse intuito. Começamos em Feira de Santana por ser nossa cidade e pela necessidade que identificamos aqui. Mas o intuito é aperfeiçoarmos o aplicativo a cada nova versão lançada, aprendendo com as pessoas que o utilizam. Criando uma plataforma totalmente colaborativa que não dependa de prefeituras ou empresas de ônibus. Queremos ser uma espécie de Waze para o transporte público. A partir daí estaremos preparados para expandir para novas cidades.

***

O Tamse é uma iniciativa inovadora destacável, criada por Diego Leite, desenvolvedor de software, Heitor Rodrigues, desenvolvedor backend, Pedro Neri, desenvolvedor Android, Jones Dias: designer/frontend e Igor Pereira, administrador, responsável pela comunicação e publicidade. Todos cursam Engenharia da Computação na UEFS, exceto Igor.

Baixe no Google Play o aplicativo Tamse!


Sobre o (a) autor (a):