As Feiras de Feira de Santana

Roça Sound

Roça Sound expõe a Feira de Santana clandestina

Saiu o novo clipe do Roça Sound, uma interpretação audiovisual apurada da música “Verde e Cinza”, que compõe o álbum “Tabaréu Moderno”, o mais recente do grupo. A música e o clipe integram uma das mais importantes obras contemporâneas de interpretação de Feira de Santana e sua cultura. “Verde e Cinza”, já no título, denuncia essa cidade contraditória, que vive entre uma tradição rural, feirante, e uma sanha modernizante expressa nas obras cheias de concreto e vazias de humanidade. Mas não para por aí, afinal, Clóvis Ramaiana já notou e denunciou isso há muito. A canção expõe a visceral clandestinidade

Cooperativas em Feira de Santana

Cooperativas com os dias contados em Feira de Santana

O Tribunal de Contas dos Municípios (TCM) e o Ministério Público da Bahia (MP-BA) exigiram que a Prefeitura Municipal de Feira de Santana não faça mais contratações de servidores através de cooperativas. Novas Contratações Colbert Martins disse ao Acorda Cidade que as contratações só poderão ocorrer via Organização Social (OS), seleção pública (Reda) ou concurso público. Ao atender essa recomendação, é provável que aumente o número de processos seletivos para contrações temporárias. Fim das indicações políticas Infelizmente, com o fim das contratações via cooperativas, não é certo de que acabem também as indicações políticas. A contratação de Organização Social permite

Vai ter Feira Noise Festival em 2020

O Feira Coletivo Cultural e a Banana Atômica realizaram no último final de semana, em Feira de Santana (BA), uma edição histórica em comemoração aos 10 anos de existência do Feira Noise Festival. O evento aconteceu entre os dias 22 a 24, no Ária Hall, reforçando sua importância para a consolidação da cena local, além de manter Feira de Santana na rota de circulação de bandas e artistas independentes. Ao todo, 33 atrações se revezaram entre os palcos Banana Atômica e Budweiser, sendo 13 delas de Feira de Santana. Importantes nomes da música brasileira contemporânea como Supercombo, Francisco El Hombre, Black Pantera, Potyguara Bardo,

O fenômeno flamenguista em Feira de Santana

Na manhã dessa segunda-feira, a Praça da Bandeira foi a arena onde se discutiu sobre o mais importante e popular time de futebol brasileiro. — É óbvio que o Bahia é de mais importância. O Brasil nasceu onde? Se é aqui o início do Brasil, o Bahia é o time do nosso povo, defendia Papinho, torcedor patológico do Bahia. — O Flamengo, companheiro, é o time das massas, o time rubro, castanho, caboclo, representando os índios, e negro, quilombola, africano, representando o povo escravizado, proclamava Seu Teófilo, tomando caldo de cana para curar a ressaca da comemoração dos dois títulos

Roça Sound

“Tabaréu Moderno”, o novo álbum do Roça Sound

“Tabaréu Moderno” é o terceiro disco do grupo Roça Sound. Lançado no último dia 15 de novembro, o novo álbum estava sendo esperado pelo público que acompanha o trabalho dos feirenses desde “Você Aguenta Quantos Rounds?”, de 2014. Formado por NickAmaro (DJ/ MC), Paulo Bala (MC), Dom Maths (MC) e o dançarino Edy Murphy, o Roça Sound explora sonoridades que vão desde a Cultura Nordestina, Rap, Dembow, Reggae, e o DanceHall, tendo o suingue como sua marca principal. Em “Tabaréu Moderno”, trazem nove faixas autorais e inéditas, com as participações da Orquestra Reggae de Cachoeira, Quixabeira da Matinha, Bel da

Galerias tradicionais de Feira de Santana – Shopping Jomafa

Localizado entre as ruas de Aurora e Conselheiro Franco, o Shopping Jomafa é uma das maiores galerias comerciais de Feira de Santana. Na década de 90, quando o Boulevard Shopping ainda não existia, o Jomafa era uma sensação na cidade, tido como o principal Shopping de Feira de Santana.

Naquela época, o centro comercial de Feira monopolizava a comercialização de roupas, calçados e artigos de uso pessoal, diferentemente de hoje, quando o Boulevard, o Outlet e lojas espalhadas pela Getúlio Vargas (na região da Santa Mônica) possibilitam a aquisição desses produtos – principalmente para o público de classe média/alta.

Apesar disso, o Jomafa resiste. Embora não possua as dimensões de um grande shopping, a estrutura pode ser considerada bastante avançada para a época em que foi fundado. A escada centralizada, distribuída entre os três pisos do shopping através de uma trajetória circular, é um indício de que a construção tomou como referência os modernos shoppings.

Shopping Jomafa - Feira de Santana

O piso, que hoje tem um brilho cansado, e a largura dos corredores amplos são outras práticas arquitetônicas próprias de algo mais contemporâneo. Os tubos de metal que compõem as escadas, o sistema de ar condicionado e as estruturas do teto dão a mesma impressão.

Shopping Jomafa

Hoje o Shopping Jomafa, sigla do nome do empresário e ex-prefeito de Feira João Marinho Falcão, se divide principalmente entre lojas vazias para alugar e lojas de empréstimos, onde é possível ver um ou outro gato pingado (ou gata pingada) conversando com as atendentes que tentam convencer aposentados, pensionistas, funcionários públicos e outras presas a adquirir “empréstimo fácil e rápido”. Algumas lojas têm mais atendentes do que clientes.

Shopping Jomafa - Feira de Santana

Aqui e ali outros ramos resistem: uma loja de roupas, uma de apliques de cabelo, outra de materiais de caça e pesca e mais umas duas que aproveitam a proximidade com o SAC para tirar Xerox e fazer impressões.

O surpreendente do Jomafa, sem dúvida, está no piso superior; uma praça de alimentação onde dois restaurantes vendem suas refeições a preços populares. Lá é encontrado um grande painel de um dos principais artistas plásticos feirenses, Juraci Dórea.

O painel, de mais de 5 metros de largura, compõe a série “Fantasia Sertaneja”. Produzido em 1987, possui citações do poeta feirense Iderval Miranda ao lo longo de sua extensão. A obra possui algumas avarias, o que aponta para a necessidade de melhor preservação com urgência.

Juraci Dórea

Juraci Dórea

Painel de Juraci Dórea

Shopping Jomafa

Grandes janelas possibilitam boa quantidade de luz para iluminar a pintura de Juraci, e oferecem, ao mesmo tempo, uma imagem panorâmica de parte de Feira de Santana. Esses são resquícios do brilho comercial do Shopping Jomafa, resquícios de quando o Centro de Feira de Santana ainda recepcionava as elites da cidade.


Sobre o (a) autor (a):