As Feiras de Feira de Santana

Roça Sound

“Tabaréu Moderno”, o novo álbum do Roça Sound

“Tabaréu Moderno” é o terceiro disco do grupo Roça Sound. Lançado no último dia 15 de novembro, o novo álbum estava sendo esperado pelo público que acompanha o trabalho dos feirenses desde “Você Aguenta Quantos Rounds?”, de 2014. Formado por NickAmaro (DJ/ MC), Paulo Bala (MC), Dom Maths (MC) e o dançarino Edy Murphy, o Roça Sound explora sonoridades que vão desde a Cultura Nordestina, Rap, Dembow, Reggae, e o DanceHall, tendo o suingue como sua marca principal. Em “Tabaréu Moderno”, trazem nove faixas autorais e inéditas, com as participações da Orquestra Reggae de Cachoeira, Quixabeira da Matinha, Bel da

Precisamos louvar o Feira Noise

É preciso louvar com entusiasmo a edição de 10 anos do Feira Noise Festival, que ocorre nesse final de semana em Feira de Santana. Nem precisa gostar de rock ou de qualquer gênero musical, banda ou artista que se apresenta nos palcos do evento para reconhecer a capacidade inacreditável de um grupo de entusiastas de determinada cena cultural em manter de pé, em Feira de Santana, um festival que chama a atenção para além das fronteiras baianas. São mais de 30 atrações, de várias partes do Brasil, distribuídas em três dias no Ária Hall, o mais elegante e bem estruturado

Fartura & Ossos

“Fartura & Ossos” – O novo livro do poeta Silvério Duque

O músico, professor, crítico literário e poeta feirense Silvério Duque acaba de lançar seu novo livro: “Fartura & Ossos”, obra que o autor descreve como sua “lira dos quarent’anos”. O livro, que traz 25 sonetos compostos entre 31 de março de 2018 e 31 de março de 2019, é uma auto-homenagem aos 40 anos de vida do autor. Com desenho de capa do artista plástico Gabriel Ferreira, posfácio de Elpídio Dantas Fonseca e prefácio do próprio autor, com efeito, “Fartura e Ossos”, segundo Elpídio Fonseca, “remete a várias situações descritas em seus sonetos: a superabundância da vida vivida, da qual só

BRT de Feira cada vez mais longe

BRT cada vez mais longe

Com queda no número de passageiros, BRT fica mais longe de ser implantado em Feira Cerca de 10% da frota do transporte público de Feira de Santana deixou de circular, devido à queda no número de passageiros. Trabalhadores do setor também foram demitidos. Associação alertou a pouca demanda de passageiros para a implantação do BRT Em agosto de 2015, a Associação Feirense de Engenheiros (AFENG), apresentou parecer técnico sobre o resultado da análise do “Sistema BRT Feira de Santana” e alertou sobre o volume de passageiros no momento mais crítico do dia, cerca de 5 mil passageiros por hora/sentido. Mas

Banda Calafrio

“Hiato”, o novo single da banda feirense Calafrio

“Um estado de ceticismo quase que total, ausência de sentidos e porquês, um momento de niilismo. O pensamento vagueia pela morte mas em busca de vida”, descreve o guitarrista Pedro Patrocínio, se referindo à letra de “Hiato”, o segundo single de seu novo EP. “A existência dessa canção se dá num momento de reclusão, numa jornada solitária com um pouco de autodestruição e muito de autoconhecimento”, explica o músico. “Hiato” é uma das cinco faixas do EP homônimo que a banda irá lançar até o final deste ano. Em setembro, eles apresentaram ao público o single “Primitivos”, que também ganhou um videoclipe, disponível no

A prática do Rugby em Feira de Santana

Uma lenda bem difundida diz que o Rugby surgiu de uma jogada irregular do futebol, na qual um jogador do colégio de Rugby (situado na cidade inglesa com o mesmo nome), de nome William Webb Ellis, teria pego a bola do jogo com as mãos e seguido com ela até a linha de fundo adversária, em 1823. Além disso, sabe-se que várias formas de jogo com bola existiram pela Europa no século XIX, e que tanto o Rugby Football (o rugby atual) quanto o Football Association (o futebol atual) tiveram caminhos correlatos, sendo, portanto, dissidências de uma mesma forma de jogar futebol.

Segundo estudiosos do esporte, o inglês Charles Miller, ao trazer o futebol para o Brasil, também trouxe o Rugby, embora este último não tenha se popularizado no país como o futebol. Em 2016, o Rugby voltou a ser modalidade olímpica, para alegria dos mais de 300 equipes existentes no Brasil (na Bahia, são 8 equipes).

Veja a seguir um vídeo bem didático sobre o funcionamento do Rugby:

 

O Feira de Santana Rugby

Feira de Santana Rugby

Serginho Braz, natural de Santo André-SP, é o responsável por trazer o Rugby a Feira de Santana. Ele fundou a Associação Feira de Santana Rugby, que desde 2015 vem realizando atividades que relacionam a prática do Rugby a elementos sociais e ambientais.

“Mediante as pesquisas que fiz, vi que em Feira de Santana caberia muito bem uma equipe de Rugby, por ter faculdades, que tem a facilidade de conhecer o esporte. O Rugby universitário é muito forte no Brasil”. Ele lembra que o Rugby é o segundo esporte coletivo mais praticado em todo o mundo (ficando atrás apenas do futebol), e que uma equipe está sendo formada no município: “Vamos pensar em participar de competições estaduais e nacionais lá para 2018”, diz ele.

O Feira de Santana Rugby atua a partir de parcerias com organizações privadas, que colaboram com as atividades do projeto, como palestras e workshops com crianças de escolas públicas e privadas. Segundo Serginho, o esporte desenvolve os valores do trabalho em equipe, integração social, desenvolvimento de habilidades cognitivas e não cognitivas.

Como treinar Rugby em Feira de Santana

Feira de Santana Rugby

As atividades do Feira de Santana Rugby são completamente gratuitas, e tem como local de treinos a Arena Cecilhão (antigo campo do Boca Juniors), no Bairro Papagaio.

Veja a tabela de horários:

Terças – 16h30 às 18h30

Quintas – 22h às 00h

Sábados – 7h às 9h

São admitidos meninos e meninas de 5 a 15 anos e adultos, homens e mulheres, de qualquer idade (a partir dos 16 anos).

Para mais informações, basta enviar email para contato@feiradesantanarugby.com.br ou acessar a página do Feira de Santana Rugby no Facebook.


Sobre o (a) autor (a):