Rio Jacuípe

A Procissão de Nossa Senhora da Boa Morte em Cachoeira

A Procissão de Nossa Senhora da Boa Morte em Cachoeira

Ontem (14) aconteceu a procissão de Nossa Senhora da Boa Morte, em Cachoeira, um dos pontos altos das celebrações que se estendem por uma semana. Até a sexta-feira (17) o município vai continuar mobilizado pelos festejos seculares, que harmonizam a ancestral cultura religiosa de matriz africana com os ritos católicos legados pelos colonizadores portugueses. Transbordante de cultura, densa em História, palco de memoráveis mobilizações nas jornadas da Independência da Bahia, dotada de rico patrimônio arquitetônico, Cachoeira vive no mês de agosto uma das suas mais intensas semanas. Uma chuva miúda – uma quase imperceptível garoa – ameaçou encorpar, mas se

Cooperativa de Badameiros de Feira de Santana

A Cooperativa de Badameiros feirense, comandada por mulheres

Em 1777, o grande químico francês Antoine Lavoisier enunciou a Lei da Conservação das Massas, que tornou conhecida a célebre frase: “Na Natureza, nada se cria, nada se perde, tudo se transforma”. De fato, o Planeta Terra tem uma capacidade própria (Biocapacidade) de renovar e transformar seus recursos naturais para que sejam novamente reutilizados pelos seres humanos. Dessa forma, a Natureza se torna fonte primária (por isso, o nome matéria prima) de extração de recursos para os seres humanos produzirem seus alimentos, ferramentas, máquinas, carros, casa, móveis, computadores, livros etc. O grande problema ocorre quando os materiais gerados por conta

Dito Leopardo

Dito Leopardo: artista, boêmio e humano

Ao homem, é imperativo decidir o lugar que quer ocupar no mundo. Deixar de escolher não é uma alternativa. Fora da caixa, de riso frouxo e deboche contumaz, Dito Leopardo é um artista feirense que você deveria conhecer. Nascido em 1952, na cidade de Serrinha, Expedito Francisco Rocha, ou melhor, Dito, erradicou-se em Feira de Santana e aqui construiu, junto ao grupo musical Os Leopardos, uma intensa e memorável carreira como cantor. Nos tempos da brilhantina e dos bailes realizados em clubes sociais, era Dito quem orquestrava noites dançantes e proporcionava galanteios desvairados. Fez do Feira Tênis Clube e da

Futebol para cegos em Feira de Santana

Time feirense de futebol para cegos é destaque nacional

O futebol de Feira de Santana não é representado apenas pelo Fluminense de Feira e pelo Bahia de Feira, clubes locais que mobilizam os apaixonados pelo esporte na cidade. Por aqui há uma equipe que disputará o Campeonato Brasileiro da série A na sua categoria – além de ser finalista do Campeonato do Nordeste. O desempenho invejável é da equipe de Futebol de 5 da União Baiana de Cegos, a UBC, de Feira de Santana, que desde 2011 participa de competições oficiais na Bahia e fora do estado. A equipe é composta por pessoas cegas, que se orientam no campo

As feiras de Feira de Santana

As feiras de Feira de Santana

A palavra “organização” vem do grego “organon”, que significa “organismo” ou “instrumento” de trabalho. Assim, o filósofo grego Aristóteles tem o conjunto de suas obras lógicas chamadas de Órganon, já que, para a Filosofia, a Lógica é o instrumento crucial de seu funcionamento. Nesse sentido, as feiras também são o Órganon de Feira de Santana: o instrumento de trabalho e sobrevivência de milhares de feirenses e regionais, que transitam pelas feiras da cidade comercializando seus frutos, verduras, raízes, roupas, sucata e o que mais for possível. Mas, como o leitor deve saber, as feiras desse entroncamento não obedecem ao rigor lógico

Redesign Feira. Uma homenagem às grandes marcas feirenses.

Feira de Santana, 10 de janeiro de 2017… O telefone do publicitário Sergio Magno toca e ele atende. Do outro lado da linha, seu amigo designer, Vinícius Lima, avisa: “Fomos convidados para reestilizar a marca da Earte”. O convite foi aceito e o processo começou rapidamente. “Sempre fomos apaixonados pelo conceito e pela história da Earte. A marca original é carregada de significado, por isso, sempre soube que tínhamos uma grande responsabilidade nas mãos”, conta Magno.

Redesign da marca da Earte

Reestilização de marca é um processo que acontece em todo o mundo, nos mais variados segmentos. Gigantes multinacionais como Coca-Cola, Volkswagen, Fiat, Shell, Burger King, entre outras, já utilizaram esse tipo de recurso para modernizar suas logos. Segundo Vinícius Lima, “o objetivo da reestilização nunca é negar a qualidade da marca original, o processo consiste em manter sua essência, trazendo elementos gráficos e recursos técnicos mais atuais e modernos”.

Durante a experiência para a Earte, os amigos sentiram que o trabalho deveria continuar. Aquela vivência despertou uma grande curiosidade de ver outras marcas feirenses passando também por um processo de reestilização. A intenção era, de alguma forma, homenagear empresas que fazem parte da história de Feira de Santana e construíram, durante as últimas décadas, marcas consolidadas no mercado.

Para tirar uma ideia tão ousada do papel, era preciso contar com um reforço extra. Afinal, o estudo de criação ou reestilização de uma marca exige muito tempo e dedicação. Magno lembra que a proposta inicial sempre foi trabalhar com um número de 10 empresas e isso tornaria o projeto inviável se fosse feito apenas a 4 mãos. “Foi pensando nisso que convocamos outros amigos do mercado para participar do desafio, que foi prontamente atendido”.

Redesign Feira

Foto: Diogo Brasileiro

E, assim, o Redesign Feira foi criado. Jerffeson Feitosa, Raoni Setubal e Caio Augusto foram adicionados ao grupo e os trabalhos foram iniciados. Os profissionais escolheram as marcas a partir de sua relação afetiva com a logo ou a empresa. Todo o processo de reconstrução, desde a tipografia até as cores, foi amplamente discutido por todos em um grande estudo que durou 30 dias.

Redesign Feira

Foto por Diogo Brasileiro | Da esquerda para a direita (em pé) Vinícius lima, Caio Augusto, Jerffeson Feitosa. Da esquerda para a direita (Sentados) Sergio Magno e Raoni Setubal.

Finalizado o processo, os amigos se reuniram para dar os retoques finais e celebrar o sucesso da iniciativa. Para Jerffeson Feitosa, todo o projeto aconteceu como um grande experimento social. “Foi muito valioso reunir profissionais tão brilhantes e com estilos tão diferentes para prestar essa homenagem às marcas que fizeram parte da nossa vida. Como não havia nenhum fim comercial ou financeiro, ficamos livres para colocar a nossa identidade em cada marca”.

Estudo de Marca

À esquerda: estudo de ícone. À direita: estudo de cor.

Agora, o grupo se prepara para um empreendimento ainda mais audacioso. Durante 6 meses, eles vão desenvolver um projeto colaborativo com o objetivo de criar uma identidade visual para Feira de Santana, assim como acontece em outras grandes cidades como Nova York e Amsterdam. A intenção é mostrar como o design é capaz de elevar a autoestima da população e criar uma identidade visual que seja reconhecida em qualquer canto do mundo.

O redesign das marcas

Tchin Yen Bao

Redesign por Jerffeson Feitosa

Pink Floyd

Redesign por Jerffeson Feitosa

Ikebana

Redesign por Sergio Magno

Kamys

Redesign por Sergio Magno

Flor do Maracujá

Redesign por Raoni Setubal

Feira Tênis Clube

Redesign por Raoni Setubal

Rádio Sociedade

Redesign por Caio Augusto

CUCA

Redesign por Caio Augusto

Feira Palace

Redesign por Vinícius Lima

Pererê

Redesign por Vinícius Lima

 

Para conhecer outros trabalhos dos profissionais citados nessa reportagem, acesse:

Jerffeson Feitosa – www.behance.net/feitosa

Sergio Magno – www.behance.net/sergiomagnobrandao

Vinícius Lima – www.behance.net/ViniciusLim

Caio Augusto – www.cargocollective.com/caioaugust

Raoni Setubal – www.facebook.com/teumundo


Sobre o (a) autor (a):