As Feiras de Feira de Santana

Roça Sound

Roça Sound expõe a Feira de Santana clandestina

Saiu o novo clipe do Roça Sound, uma interpretação audiovisual apurada da música “Verde e Cinza”, que compõe o álbum “Tabaréu Moderno”, o mais recente do grupo. A música e o clipe integram uma das mais importantes obras contemporâneas de interpretação de Feira de Santana e sua cultura. “Verde e Cinza”, já no título, denuncia essa cidade contraditória, que vive entre uma tradição rural, feirante, e uma sanha modernizante expressa nas obras cheias de concreto e vazias de humanidade. Mas não para por aí, afinal, Clóvis Ramaiana já notou e denunciou isso há muito. A canção expõe a visceral clandestinidade

Cooperativas em Feira de Santana

Cooperativas com os dias contados em Feira de Santana

O Tribunal de Contas dos Municípios (TCM) e o Ministério Público da Bahia (MP-BA) exigiram que a Prefeitura Municipal de Feira de Santana não faça mais contratações de servidores através de cooperativas. Novas Contratações Colbert Martins disse ao Acorda Cidade que as contratações só poderão ocorrer via Organização Social (OS), seleção pública (Reda) ou concurso público. Ao atender essa recomendação, é provável que aumente o número de processos seletivos para contrações temporárias. Fim das indicações políticas Infelizmente, com o fim das contratações via cooperativas, não é certo de que acabem também as indicações políticas. A contratação de Organização Social permite

Vai ter Feira Noise Festival em 2020

O Feira Coletivo Cultural e a Banana Atômica realizaram no último final de semana, em Feira de Santana (BA), uma edição histórica em comemoração aos 10 anos de existência do Feira Noise Festival. O evento aconteceu entre os dias 22 a 24, no Ária Hall, reforçando sua importância para a consolidação da cena local, além de manter Feira de Santana na rota de circulação de bandas e artistas independentes. Ao todo, 33 atrações se revezaram entre os palcos Banana Atômica e Budweiser, sendo 13 delas de Feira de Santana. Importantes nomes da música brasileira contemporânea como Supercombo, Francisco El Hombre, Black Pantera, Potyguara Bardo,

O fenômeno flamenguista em Feira de Santana

Na manhã dessa segunda-feira, a Praça da Bandeira foi a arena onde se discutiu sobre o mais importante e popular time de futebol brasileiro. — É óbvio que o Bahia é de mais importância. O Brasil nasceu onde? Se é aqui o início do Brasil, o Bahia é o time do nosso povo, defendia Papinho, torcedor patológico do Bahia. — O Flamengo, companheiro, é o time das massas, o time rubro, castanho, caboclo, representando os índios, e negro, quilombola, africano, representando o povo escravizado, proclamava Seu Teófilo, tomando caldo de cana para curar a ressaca da comemoração dos dois títulos

Roça Sound

“Tabaréu Moderno”, o novo álbum do Roça Sound

“Tabaréu Moderno” é o terceiro disco do grupo Roça Sound. Lançado no último dia 15 de novembro, o novo álbum estava sendo esperado pelo público que acompanha o trabalho dos feirenses desde “Você Aguenta Quantos Rounds?”, de 2014. Formado por NickAmaro (DJ/ MC), Paulo Bala (MC), Dom Maths (MC) e o dançarino Edy Murphy, o Roça Sound explora sonoridades que vão desde a Cultura Nordestina, Rap, Dembow, Reggae, e o DanceHall, tendo o suingue como sua marca principal. Em “Tabaréu Moderno”, trazem nove faixas autorais e inéditas, com as participações da Orquestra Reggae de Cachoeira, Quixabeira da Matinha, Bel da

5 projetos culturais feirenses são selecionados em edital estadual

O Diário Oficial do Estado trouxe boas notícias para o setor cultural de Feira de Santana nesta quarta-feira (28): 5 projetos culturais feirenses foram selecionados no Edital Agitação Cultural: Dinamização em Espaços Culturais, promovido pela Secretaria de Cultura da Bahia.

O edital tem como objetivo apoiar eventos culturais em espaços públicos e privados, contemplando ações de qualquer segmento cultural que aconteçam com frequência mínima de uma vez por mês, em um período de três a seis meses, sendo o teto de apoio por proposta de R$ 150 mil. As inscrições ocorreram entre 02/09/2015  e 01/10/2015. Veja os projetos feirenses contemplados:

Música no Museu Raimundo de Oliveira

Apresentação musical no Museu de Arte Contemporânea de Feira

Apresentação musical no Museu de Arte Contemporânea de Feira. Foto: Divulgação/MAC

Proponente: Vinicius Melo de Britto

Recurso que será destinado ao projeto: R$ 97.260,00

O projeto Música no Museu Raimundo de Oliveira caracteriza-se pela realização de 12 shows autorais de 12 artistas do Território/ Identidade Portal do Sertão, que acontecerão em um domingo de cada mês ,de janeiro a junho de 2016 no MAC- Museu de Arte Contemporânea Raimundo de Oliveira, em Feira de Santana-BA. Essas mostras resultarão na composição de um DVD com os mais variados estilos musicais, que vão do instrumental ao regional, documentando, assim, a identidade artística do povo dessa região.

Veja o cronograma e outros detalhes do projeto!

 

Do lixo a arte: Oficinas de Pulverografia no Centro de Cultura Amélio Amorim

Proponente: Marcelo Venicio da Silva

Recurso que será destinado ao projeto: R$ 53.700,00

O projeto pretende realizar oficinas continuadas na área de Artes Visuais, a partir da pulverografia: técnica criada pelo artista feirense Marcio Punk, cujo objetivo é derivar objetos artísticos a partir da reciclagem. As oficinas ocorrerão no Centro de Cultura Amélio Amorim, em Feira de Santana, de forma gratuita, preferencialmente para jovens estudantes de escolas públicas e que estão em vulnerabilidade social. A execução do projeto está prevista para janeiro até junho de 2016.

Veja o cronograma e outros detalhes do projeto!

 

O Beco é Nosso

Projeto "O Beco é Nosso"

Projeto “O Beco é Nosso”. Foto: SECULT/BA

Proponente: Marcio Antonio Silva dos Santos

Recurso que será destinado ao projeto: R$ 108.880,00

A intervenção artística no Beco da Energia, intitulada “O Beco é Nosso”, tem prosseguido com boa vontade, empenho e comprometimento de ativistas, fazedores e agitadores culturais de Feira de Santana desde 5 de julho de 2014. O trabalho é reconhecido em toda cidade e região como iniciativa de ocupação do espaço público de grande relevância por potencializar o processo de integração de linguagens artísticas variadas e pela inclusão da comunidade local.

Veja o cronograma e outros detalhes do projeto!

 

Oficinas de formação musical básica para o público do Portal do Sertão

Proponente: Barboza Machado e Lima Produções de Eventos

Recurso que será destinado ao projeto: R$ 147.248,80

Realização de 22 (vinte e duas) oficinas coletivas gratuitas, de aprendizagem e formação musical básica, instrumental e vocal, distribuídas em até 104 (cento e quatro) turmas, para o público infantojuvenil e adulto, no território de identidade do Portal do Sertão, por três meses, com apresentação de resultados do trabalho desenvolvido à comunidade, em audições (apresentações musicais) didáticas, ao fim das oficinas.

Veja o cronograma e outros detalhes do projeto!

 

Orí – Africania em Circulação

Grupo Africania

Grupo Africania. Foto: Divulgação

Proponente: Uyatã Rayra Lopes Ribeiro

Recurso que será destinado ao projeto: R$ 93.372,53

Este projeto consiste na integração de linguagens culturais/artísticas (música, audiovisual e dança) que percorrerão três cidades do interior da Bahia – Feira de Santana, Cachoeira e Santo Amaro -, com programação prevista entre março e maio de 2016. A proposta se direciona a uma faixa etária de 15-30 anos, e tem como finalidade o fortalecimento da identidade negra a partir de um diálogo entre aspectos da ancestralidade (os tambores e a dança) e as novas tecnologias (experimentação audiovisual).

Veja o cronograma e outros detalhes do projeto!

 

Causos da Minha Terra

Proponente: Adauto José da Silva

Recurso que será destinado ao projeto: R$ 118.000,00

O projeto propõe a contação de histórias das tradições de três municípios situados no Portal do Sertão: São Gonçalo dos Campos, Coração de Maria e Conceição do Jacuípe, culminando na produção de um livro e CD confeccionados posteriormente à realização de pesquisas, oficinas e apresentações teatrais, visando o resgate da memória e a valorização das manifestações populares locais; tendo uma duração de seis meses e como público alvo: estudantes, professores da rede pública de ensino e escritores.

Veja o cronograma e outros detalhes do projeto!


Sobre o (a) autor (a):