As Feiras de Feira de Santana

Roça Sound

Roça Sound expõe a Feira de Santana clandestina

Saiu o novo clipe do Roça Sound, uma interpretação audiovisual apurada da música “Verde e Cinza”, que compõe o álbum “Tabaréu Moderno”, o mais recente do grupo. A música e o clipe integram uma das mais importantes obras contemporâneas de interpretação de Feira de Santana e sua cultura. “Verde e Cinza”, já no título, denuncia essa cidade contraditória, que vive entre uma tradição rural, feirante, e uma sanha modernizante expressa nas obras cheias de concreto e vazias de humanidade. Mas não para por aí, afinal, Clóvis Ramaiana já notou e denunciou isso há muito. A canção expõe a visceral clandestinidade

Cooperativas em Feira de Santana

Cooperativas com os dias contados em Feira de Santana

O Tribunal de Contas dos Municípios (TCM) e o Ministério Público da Bahia (MP-BA) exigiram que a Prefeitura Municipal de Feira de Santana não faça mais contratações de servidores através de cooperativas. Novas Contratações Colbert Martins disse ao Acorda Cidade que as contratações só poderão ocorrer via Organização Social (OS), seleção pública (Reda) ou concurso público. Ao atender essa recomendação, é provável que aumente o número de processos seletivos para contrações temporárias. Fim das indicações políticas Infelizmente, com o fim das contratações via cooperativas, não é certo de que acabem também as indicações políticas. A contratação de Organização Social permite

Vai ter Feira Noise Festival em 2020

O Feira Coletivo Cultural e a Banana Atômica realizaram no último final de semana, em Feira de Santana (BA), uma edição histórica em comemoração aos 10 anos de existência do Feira Noise Festival. O evento aconteceu entre os dias 22 a 24, no Ária Hall, reforçando sua importância para a consolidação da cena local, além de manter Feira de Santana na rota de circulação de bandas e artistas independentes. Ao todo, 33 atrações se revezaram entre os palcos Banana Atômica e Budweiser, sendo 13 delas de Feira de Santana. Importantes nomes da música brasileira contemporânea como Supercombo, Francisco El Hombre, Black Pantera, Potyguara Bardo,

O fenômeno flamenguista em Feira de Santana

Na manhã dessa segunda-feira, a Praça da Bandeira foi a arena onde se discutiu sobre o mais importante e popular time de futebol brasileiro. — É óbvio que o Bahia é de mais importância. O Brasil nasceu onde? Se é aqui o início do Brasil, o Bahia é o time do nosso povo, defendia Papinho, torcedor patológico do Bahia. — O Flamengo, companheiro, é o time das massas, o time rubro, castanho, caboclo, representando os índios, e negro, quilombola, africano, representando o povo escravizado, proclamava Seu Teófilo, tomando caldo de cana para curar a ressaca da comemoração dos dois títulos

Roça Sound

“Tabaréu Moderno”, o novo álbum do Roça Sound

“Tabaréu Moderno” é o terceiro disco do grupo Roça Sound. Lançado no último dia 15 de novembro, o novo álbum estava sendo esperado pelo público que acompanha o trabalho dos feirenses desde “Você Aguenta Quantos Rounds?”, de 2014. Formado por NickAmaro (DJ/ MC), Paulo Bala (MC), Dom Maths (MC) e o dançarino Edy Murphy, o Roça Sound explora sonoridades que vão desde a Cultura Nordestina, Rap, Dembow, Reggae, e o DanceHall, tendo o suingue como sua marca principal. Em “Tabaréu Moderno”, trazem nove faixas autorais e inéditas, com as participações da Orquestra Reggae de Cachoeira, Quixabeira da Matinha, Bel da

3 peças teatrais imperdíveis que estarão em Feira em setembro

A cena teatral em Feira de Santana é intensa e fértil, com a produção de muitos espetáculos de repercussão e visibilidade nacional, além da recepção de peças de outras partes do país que encontram na cidade acolhimento para suas apresentações. Só para tomar um exemplo, em Feira ocorre um dos maiores festivais de teatro infantil do Brasil – o FENATIFS, que já está organizando sua 12ª edição para 2019.

Nesse mês de setembro de 2019, o feirense terá a oportunidade de preencher sua programação com três espetáculos de muita qualidade, abordando a vida de figuras de relevância histórica: a pintora mexicana Frida Khalo, a heroína feirense Maria Quitéria e o escravo insurgente Lucas Evangelista, o Lucas da Feira.

Confira as informações e programação de cada uma das peças, e prestigie o teatro feirense:

Frida Kahlo

Frida Kahlo

A peça, indicada ao Prêmio Braskem de Teatro 2018, é uma homenagem a essa mulher latino-americana de trajetória resiliente e vitoriosa que, mesmo após gravíssimo acidente, resistiu e existiu sempre à frente do seu tempo, rompendo padrões estéticos e morais, desfrutando ainda mais da vida. A montagem teatral inédita escrita e dirigida pelo baiano Fernando Santana conta a história da pintora mexicana Frida Khalo sem necessariamente uma obrigação biográfica. Traz sim, os grandes atravessamentos da sua história, mas, de forma poética e sensível, busca falar do coração dessa mulher que, mesmo diante de uma vida conturbada e intensa, conquistou reconhecimento artístico pelos quatro cantos do mundo.

Os diversos personagens que atravessaram a vida de Frida são interpretados por um experiente elenco composto por Jane Santa Cruz, Daniel Calibam, Danilo Cairo, Luiz Antônio Sena Júnior, Silara Aguiar e Lorena Porto, atriz e cantora feirense. Na direção e dramaturgia do espetáculo, o ator Fernando Santana que também é figurinista e preparador de elenco. Essa temporada é uma realização do Coletivo Culturasss e do Colectivo Âmbar – rede de artistas e promotores cênicos da latino América.

Magdalena Carmen Frida Kahlo y Calderon é símbolo de superação e alegria para o mundo inteiro, fazendo um paralelo com aspectos relevantes na contemporaneidade, como por exemplo, a força propulsora da arte quebrando preconceitos. Morreu jovem, aos 47 anos, mas continua espalhando inspirações para uma legião de pessoas que não se cansa de resistir a toda opressão masculina enraizada na sociedade contemporânea e que mantém sempre abertas as feridas da mulher.

QUANDO: 14 e 15 de setembro de 2019. Sábado às 20h e domingo às 19h.

ONDE: Centro Cultural SESC Feira de Santana, Praça da Matriz.

QUANTO: R$ 40 (inteira) e R$ 20 (meia) à venda na bilheteria do teatro ou pelo WhatsApp 75-992641507.

Quitéria

Quitéria

O Projeto Feira Tem Teatro receberá, no teatro do CUCA, o espetáculo “Quitéria”, do grupo Cordel. O enredo aborda a trajetória da heroína Maria Quitéria de Jesus, nascida na região de Feira de Santana, um exemplo de pioneirismo nas relações sociais e de gênero. Maria Quitéria marcou a história brasileira através de seus feitos, sua coragem e determinação.

Mas e a vida dessa mulher, você conhece? “Quitéria” é o título do novo espetáculo do Grupo Cordel que foi escrito com a intenção de mostrar as passagens pouco conhecidas dessa mulher: suas perdas e conquistas pessoais, suas angustias, seus amores, etc. No elenco do espetáculo: Julia Lorrana, Léo Sátiro, Cleyton Vidal, Lion Guimarães, Aída Vitória, Carol Acos e Denner Lobo. O texto e a direção é de Geovane Mascarenhas. Trilha sonora e direção musical de Deco Simões.

O Grupo Cordel de Teatro está atuando em Feira de Santana desde 2011, com o objetivo de resgatar a memória cultural local. A linguagem sertaneja, feita em versos, remete à literatura de cordel, à expressividade corporal e agora à música, elementos importantes para a identidade do grupo. Já montou “A Cidade da Rua Direita” um misto de ficção e realidade que conta um pouco da história de Feira.

O Projeto Feira Tem Teatro além de evidenciar a arte produzida na cidade, traz a cada mês um espetáculo e a partir dele uma temática é explorada através de um bate papo (sempre às sextas-feiras). O projeto também possibilita o contato com outras linguagens como a música e a poesia que compõe o Palco aberto, aos sábados. A programação começa sempre às 19h com as atividades extras e o espetáculo sempre é apresentado às 20h.

QUANDO: 20 (sexta) e 21 (sábado) de Setembro, às 19h – Bate papo (Foyer do Teatro) e 20h – Espetáculo “Quitéria”

ONDE: Teatro do CUCA

QUANTO:R$ 30,00 (inteira) e R$ 15,00 (meia)

Lucas da Feira – O sujeito antes do mito

Lucas da Feira

Lucas Evangelista entrou para história da Bahia e do Brasil, como um sujeito que se reinventou dentro do cenário escravista brasileiro. Ficou conhecido como Lucas da Feira, uma referência à sua moradia e cidade de origem. Figura mitológica e lendária regional, gerou inúmeras histórias e estudos a seu respeito.

O espetáculo aborda a história de vida de Lucas para expor uma sociedade da primeira metade do século XIX em Feira de Santana, abrangendo todos os seus sistemas de dominação e mecanismos de poder. Uma reflexão acerca da sociedade patriarcal e da geografia explorada por Lucas e seu bando, refletem marcas que ainda impactam a realidade local. Sem defender ou acusar o famoso escravo fugido, o espetáculo propõe um posicionamento crítico sobre a construção socioeconômica do interior da Bahia.

O espetáculo é fruto de dois anos de pesquisa do grupo Recorte e de Fernando Souza, que assina o texto e direção. O espetáculo conta a história de forma divertida, musicada e interativa com 15 atores em cena e mais de 30 personagens.

QUANDO: 27 e 28 de setembro de 2019 (sexta e sábado), às 20h

ONDE: Teatro do CUCA

QUANTO: R$30 (inteira) R$15 (meia)

 


Sobre o (a) autor (a):