Rio Jacuípe

Jogo de Nonô

O jogo de Nonô

“Tira a mão do ovo, Nonô!”, protesta Toinho Cabeção quando o coroa de 86 anos chega para almoçar. É assim todo início de mês: Nonô chega na lanchonete do Centro Mandacaru apoiando uma mão na bengala e a outra oscilando entre o bolso e algumas coçadinhas no meio da calça. Ele não terceiriza o saque da aposentadoria, tanto por vigilância orçamentária quanto por deleite ritualístico: após ir ao banco, compra os remédios do mês, apara o cabelo que lhe resta e arrisca tornar-se milionário nos seis números da mega. “Jogar na mega pra onde, Nonô? Vai gastar esse milhão com

Colbert e Targino

Targino e Colbert trocam farpas

Sem informação Após a população do Conjunto Viveiros realizar uma manifestação por conta da falta de médico no Posto de Saúde da localidade, o prefeito Colbert Martins disse o seguinte: “não tinha informação que o posto médico do Viveiros estava tanto tempo (cerca de sete meses) sem médico”. Targino cobra afastamento da Secretária de Saúde e do Procurador do município O Deputado Estadual Targino Machado (DEM), durante pronunciamento na tribuna da Assembleia Legislativa da Bahia, nesta terça-feira, 21, cobrou do prefeito de Feira de Santana, o afastamento da Secretária Municipal de Saúde, Denise Mascarenhas, e do Procurador do município, Cleudson

Roberto Mendes

Roberto Mendes faz show na Cidade da Cultura

Um dos maiores artistas que a Bahia produziu estará em Feira de Santana na próxima quinta-feira: o cantor, compositor e ativista santamarense Roberto Mendes faz show na Cidade da Cultura, um dos principais espaços culturais de Feira de Santana. Mendes apresentará um show com tema caro a Feira de Santana: “A chula do Recôncavo com o Canto do Sertão”. Situada entre o Recôncavo e o Sertão, Feira tem a oportunidade de se reconhecer na apresentação de um notável defensor do Samba da Bahia, e do Samba antes do Samba, como ele diz, se referindo à Chula. Ele caracteriza a Chula

Os protestos em Feira de Santana

Os protestos em Feira de Santana

Os protestos em Feira de Santana Milhares de manifestantes foram às ruas do centro de Feira de Santana, protestar contra os cortes de verbas da educação, anunciados pelo MEC. Bolsonaro, Rui Costa e Colbert também foram alvos das críticas. Os três chefes do executivo estavam em viagem oficial Bolsonaro nos Estados Unidos, Rui, na China e Colbert, novamente, em Brasília, para tratar de diversos assuntos, dentre os quais o Hospital da Mulher, onde em menos de uma semana 03 bebês morreram devido à grande demanda e a falta de leitos nas maternidades do município. Professores da UEFS contra os cortes

Desemprego em Feira

Emprego formal se reduz no primeiro trimestre em Feira

No primeiro trimestre de 2019 o desemprego voltou a mostrar as suas garras aqui na Feira de Santana. Foram, no saldo, 480 empregos a menos, no saldo entre admissões (8,7 mil) e demissões (9,1 mil). Os mais penalizados foram os comerciários: no saldo, enxugaram-se 162 oportunidades para esses profissionais. Alguém mais otimista pode enxergar, aí, aquele movimento natural de dispensa do excedente que foi contratado para as festas de final de ano. O preocupante, porém, é que a redução de empregos alcançou atividades que não se relacionam diretamente ao vaivém natural do comércio. É o caso da construção civil, que

O pai de santo feirense “Painho da Bahia”

Embora nascido em Conceição do Jacuípe, o babalorixá Osias Alves Amorim se notabilizou em Feira de Santana como uma das figuras de relevância simbólica popular na década de 80 e 90. Ficou conhecido pelas premonições que fazia, como lembra Adilson Simas:

“Em  1990, por exemplo, depois de realizar o Ifá (jogo de búzios), Painho declarou para a edição de sábado, 22 de dezembro da Folha do Norte:

– O deputado José Ronaldo será um dos mais prestigiados do governo ACM (a posse do governador aconteceu em março) e terá destacado desempenho na Assembleia Legislativa.

– O prefeito Colbert Martins, mesmo sem o apoio da câmara, continuará realizando um dos governos mais produtivos e honestos do Brasil.”

Em discurso na Câmara dos Deputados, em 2005, o então Deputado Federal Fernando de Fabinho citou Painho da Bahia, apontando-o como responsável pelo apelido de “Tracajá” atribuído ao fotojornalista e ativista cultural Reginaldo Pereira. Segundo Fabinho, “foi Osias Alves Amorim, o conhecido Painho da Bahia, recentemente falecido, foi quem deu lhe o mote. Numa tarde de sábado, numa mesa do tradicional Bar do Vital, no bairro Kalilândia, onde estavam reunidos, além de Reginaldo, Antônio Conceição (Pé de Pato), o fotógrafo Valdenir Lima e outros amigos, Painho da Bahia, que residiu em Manaus quando jogava futebol na equipe do São Raimundo, contou que encontrara algumas amigas feirenses durante uma caminhada cívica na capital Amazônica e, ao avistar as amigas, teria exclamado: ‘O que essas tracajás estão fazendo aqui?’.

“Tracajá é uma tartaruga existente em grande quantidade nos rios da Amazônia. Foi então que Reginaldo começou a utilizar o termo de forma pejorativa na coluna Foto & Grafia (no Jornal Folha do Norte). Com o passar do tempo, porém, ele resolveu reverter essa história e passou a valorizar mais a tartaruga, hoje em vias de extinção, passando a chamar de tracajás aquelas pessoas que se destacavam por alguma ação desenvolvida nos vários segmentos da sociedade”.

Painho da Bahia

Edson Felloni Borges, atual Secretário de Cultura de Feira de Santana, fez um relato significativo sobre Painho da Bahia, no seu extinto blog “Farinha no Saco”:

“Natural de Conceição Jacuípe, Berimbau, Osias Alves Amorim jogava um bolão. Entrava nos babas, esculhambava com a agilidade e os dribles rápidos e precisos. Chegou a atuar em alguns pequenos clubes profissionais, mas nunca levou a sério a possibilidade de ser um grande jogador.

Comunista convicto, ardoroso fã do ex-deputado Francisco Pinto, Osias estava com o destino traçado: se tornar pai-de-santo.

Inicialmente, ele ralou na profissão, mas apareceram três padrinhos que fizeram com que a carreira espiritual de Osias disparasse: os jornalistas Zadir Marques Porto e Sérgio Mattos e o fotojornalista Reginaldo Pereira Tracajá.

Reginaldo Pereira produziu uma bela foto (acima) de Osias Alves Amorim, tendo como cenário a sala da casa de Chico Pinto. Zadir Porto se encarregou de produzir matérias sobre o pai-de-santo e

Sérgio Mattos, editor de A tarde Municípios, abriu espaço no poderoso diário.
O pai-de-santo Osias Alves Amorim ganhou, assim, notoriedade nacional. Passava uma semana em Feira ou Berimbau e o restante do ano viajando por todo o Brasil, conquistando “paz espiritual” para políticos e outras pessoas bem aquinhoadas. Não fazia trabalho pra pobre. Ele costumava dizer: “Não faço feitiço pra pobre, pobre já é um feitiço”.

A partir do sucesso de Osias Alves Amorim, começou a controvérsia, ainda nos anos 80: teria Chico Anísio se inspirado no pai-de-santo de Berimbau para criar o Painho da Bahia?”

Painho da Bahia

Painho da Bahia na sala da casa de Chico Pinto. Foto: Reginaldo Pereira

 

Edson Borges

Edson Borges ao lado de Osias Alves Amorim, o “Painho da Bahia”

A Polêmica do personagem de Chico Anysio

Coincidência ou não, o humorista Chico Anysio criou um personagem, que fez sucesso nacional, com o nome “Painho da Bahia”. Relembre:

 

O jornalista e radialista soteropolitano Marcos Niemeyer (com passagem pela CBN, Rádio Globo, Sociedade e Excelcior) confirma a suspeita, lamentando a morte de Osias: “Vejam o caso de Osias Alves Amorim – o ‘Painho’, que inspirou, inclusive, o humorista Chico Anysio na criação do personagem ‘Painho da Bahia’. Em seus últimos anos de vida, Amorim morava em uma pensão de quinta categoria na região central de Governador Valadares, no Leste de Minas. Doente e sem dinheiro, sucumbiu praticamente na miséria”.

Seja como for, fica o registro e a memória dessa figura simbólica para a cultura de Feira de Santana.


Sobre o (a) autor (a):