O julgamento de Lucas da Feira

Dia 25 de setembro de 2019, 170 anos depois de ser enforcado, Lucas Evangelista dos Santos, o Lucas da Feira, foi a julgamento no teatro do Cuca — diga-se de passagem, a cerca de 250 metros da Igreja Matriz, onde está sepultado. Era um júri simulado, claro, mas devo dizer que às vezes eu perdia a consciência de que ali havia encenação e aquele homem negro e descalço, posicionado ao lado direito do palco, era um ator e não o próprio Lucas. O sentimento se devia não só às atuações mas também à reação do público.

Revisitando a história, é dito que o filho de Maria e Inácio, ambos escravizados, se libertou lá pelos seus 20 anos. Mas como gozar da liberdade plena, em meados do século XIX, quem não era letrado, não tinha réis no bolso e já na barriga da mãe nasceu condenado? Lucas, no corpo do ator Jailton Nascimento, sem hesitar confessou os seus crimes no júri de hoje — de roubo de colheres de prata a homicídio, mas foi incisivo ao dizer que os fez por sobrevivência.

A acusação se manifestou na sequência. O ponto alto, para mim, foi quando ela usou a clássica onomatopeia de lamúria, o “mimimi”, para dizer que ali não era espaço para falar de cor. O júri, explicava, deveria se apegar à Constituição e nela todos são iguais. Lucas Evangelista, portanto, deveria ser julgado imparcialmente pelos crimes que cometeu e confessou. “Simples”, disse ela. E simplista, penso eu.

Lucas da Feira

A defesa, por outro lado, veio com um discurso mais elaborado, fazendo referências a Georgina Erismann, Euclides da Cunha e Nina Rodrigues. Um dos argumentos era que a escravidão não havia acabado, apenas havia se “sofisticado”. As novas chicoteadas são os tiros de bala; as senzalas, as prisões insalubres. Tentava aproximar o personagem de Lucas da Feira do júri, dizendo que aquele réu era personificado na pele de outras pessoas que hoje também entram para o crime por falta de oportunidade.

Ao fim da sua fala, a defesa recebeu muitos aplausos e gritos de comemoração da plateia.

Não era o caso, porém, do meu vizinho de cadeira que logo constatou: “Olha os esquerdistas, esquerdopatas…”. O incômodo dele, expressado verbalmente, não demorou a se repetir.

Após a votação secreta do júri — sete pessoas escolhidas por sorteio, entre aqueles que estavam na plateia, a juíza abriu o envelope com o resultado.

Lucas deve ser absolvido dos crimes?

Sim.
Sim.
Sim.
Sim.
Não.
Não.
Sim.

Na plateia, uma mulher gritou “Racistas”, em referência aos votos condenatórios. O meu vizinho entrou mais uma vez em ação: “Isso aí é a sua opinião…”, como se a mulher o escutasse, embora estivessem em áreas diferentes do teatro. Ela, curiosamente, no andar inferior, bradando para todo o teatro ouvir, dando a cara a tapas à la Lucas da Feira; ele, no andar superior, olhando-a de cima, enquanto monologava o quanto considerava aquela reação dilacerante um tanto ilegítima.

Curioso.

 

[Texto originalmente publicado no Blog do Velame].

Crescem críticas contra secretarias municipais

No uso da tribuna, na sessão ordinária da última segunda-feira (23), na Casa da Cidadania, o presidente da Câmara, vereador José Carneiro Rocha (PSDB), teceu críticas ao secretário Municipal de Cultura, Esporte e Lazer, Edson Borges. “Ontem, estive numa festa popular na comunidade de Alecrim Miúdo e, se Edson Borges continuar na Secretaria de Cultura, as festas populares vão acabar. Não estamos pedindo sua exoneração, mas que ele cumpra as determinações do chefe do Executivo e aja com comprometimento. Pelo que vejo, ele não atende nem ao prefeito, imagine como age com a população”, relatou o edil.

Exoneração

A Festa do Vaqueiro do Povoado de Alecrim Miúdo, Distrito de Matinha, acabou com o pedido de exoneração do Agente Distrital durante o evento. Ubiratan Fonseca de Jesus, explicou que o governo municipal, através do Prefeito e do Secretário de Cultura, deixou muito a desejar na organização do evento. Ubiratan contou que ele não pode continuar no governo, que não dá condição para os agentes trabalharem. O Prefeito Colbert o exonerou na terça-feira, 24.

Secretaria de Desenvolvimento Urbano

Visivelmente chateado, o vereador José Marques – Zé Curuca (DEM) fez um desabafo na sessão ordinária desta quarta-feira (25), na Câmara de Vereadores, sobre as péssimas condições das estradas dos distritos de Feira de Santana. O parlamentar criticou o trabalho realizado pelo secretário José Pinheiro, na pasta de Desenvolvimento Urbano. Segundo Zé Curuca, as estradas estão completamente esburacadas e, apesar dos constantes apelos feitos por ele, suas solicitações não são atendidas por José Pinheiro. “Eu sou Governo, eu defendo o Governo, mas não estou aguentando mais do jeito que está”, concluiu.

Postes no meio da rua

Poste no meio da rua

Já que citei situação de estradas e a comunidade do Alecrim Miúdo, não poderia deixar de mencionar a reclamação dos moradores desta comunidade, que há meses tentam conseguir, junto à Prefeitura, a retirada de postes no meio da rua. Situação comum em Feira de Santana. A reclamação foi exibida no Bahia Meio Dia (TV Subaé), da última terça-feira, 24.

Secretaria de Educação

Na última quarta-feira, 25, um grupo de estagiários que atuam nas escolas da rede municipal divulgou uma nota pública. Eles informaram que a Secretaria de Educação descumpre a lei em que estudantes são regentes em sala de aula. A carga horária não é reduzida em período de avaliações (dos estagiários na faculdade) e muito menos o recesso é remunerado. Pagamentos atrasados, contratos que nunca são devolvidos e afirmam ter atendimento de péssima qualidade na SEDUC.

Gestores e coordenadores escolares na bronca

Diretores, vice-diretores e coordenadores pedagógicos estão na bronca com o Secretário Municipal de Educação. Motivo: é que esse ano o secretário Marcelo José Almeida das Neves resolveu não distribuir vale-livros para os profissionais utilizarem na 12ª Feira do Livro.

Feira Noise Festival fará edição histórica de 10 anos

Os feirenses já estão se preparando para mais uma edição do Feira Noise Festival, um dos mais respeitados e conceituados festivais de artes integradas do Nordeste, colocando Feira de Santana na rota da música independente brasileira. Atualmente a cidade é um importante ponto de circulação de artistas e bandas no interior da Bahia, além de possuir uma cena musical interessante e ativa.

Segundo um dos organizadores do evento nesses 10 anos de trajetória, Joilson Santos, do Feira Coletivo Cultural, a realização do festival em 2019 é um ato de resistência. “Esse ano foi bem difícil a decisão de fazer o festival pois tem sido um ano difícil pra todo mundo. A cultura foi duramente atacada com fim do Ministério da Cultura, com essas questões políticas referentes ao atual governo. Fora que a crise econômica também tem interferido, diversos festivais estão enfrentando dificuldades para ser realizados”, detalhou.

Feira Noise Festival 2019

“Estamos completando 10 anos de existência e resistência e isso tinha que ser celebrado. A cultura não pode recuar, temos que ocupar os espaços, garantir as vozes que acreditam num país melhor, mais diverso, com mais cultura. O Feira Noise 10 anos vem com esse intuito de celebração de nossa história de posicionamento diante de toda essa dificuldade que enfrentamos atualmente”, destacou o produtor do Feira Noise.

Em 2019, o Feira Noise Festival contará com 20 atrações, que se apresentarão em dois dias. Outro destaque é a mudança do local do evento para a casa de shows Aria Hall, oferecendo mais estrutura e conforto para o público.

Os passaportes NO ESCURO já estão à venda e podem ser adquiridos no site Sympla, com valores entre R$40,00 (meia-entrada) e R$80,00 (inteira).

Recapitulando…

O quê: Feira Noise Festival – 10 anos

Quando: 23 e 24 de novembro, 14h

Onde: Aria Hall – Av. Pres. Dutra, 1226 – Centro, Feira de Santana (BA)

Ingressos: https://www.sympla.com.br/feira-noise-festival—10-anos__643180

A programação completa da Feira do Livro (FLIFS) 2019

Está ocorrendo mais uma edição da FLIFS – Feira do Livro/ Festival Literário e Cultural de Feira de Santana. Originariamente gestada pelo desejo de educadores em promover discussões e ações voltadas para políticas públicas, garantindo, dessa forma, o acesso de pessoas excluídas do universo literário, esta ação socioeducativa oferece à população feirense uma diversidade de atividades culturais que tem o livro como protagonista.

A FLIFS reúne crianças, jovens e adultos, propondo entretenimento, lazer e (in)formação em torno da construção de leituras do mundo, a partir da democratização de acesso às diversas linguagens artísticas, garantindo a pluralidade de público e de manifestações culturais no seu espaço.

Instalada na Praça Padre Ovídio, durante seis dias, a Feira promove em torno desta celebração, o encontro da sociedade com o universo literário, mediado por contação de histórias, em suas diversas formas. Assim faz desabrochar nas crianças, nos adolescentes e jovens a curiosidade pela leitura e configura-se como porta de entrada para o mundo dos livros; aproxima autores com o leitor, fomentando o conhecimento acerca do trabalho criativo da escrita; estabelece conexão afetuosa e comunicação integrativa entre alunos, professores e livros pelo intermédio da leitura; além de permitir, também, a percepção e construção de valores, representação e identidade cultural a partir do cinema, música, teatro, circo, literatura de cordel, dentre outros.

Em sua 12ª edição, ocorrendo entre 24 a 29 de setembro de 2019, o evento é um convite às pessoas a lerem mais e reconhecerem a potencialidade da leitura em transformar vidas. Confira a programação completa:

 

 

Isa Roth volta à cena com o single “Segunda à Tarde”

A cantora feirense Isa Roth está lançou seu novo single. A canção, denominada “Segunda à Tarde”, marca o recomeço da sua carreira como cantora e compositora, após o lançamento do EP “Abstrato Pessoal”, em 2014.

“É o meu primeiro lançamento nesta nova fase. É bastante diferente, pois em 2014 não existia tanto streaming e agora lidamos com uma nova visão do fazer arte, fazer música”, explica a cantora, que destaca as mudanças que estão por vir. “Esse projeto tem muito mais a ver comigo do que o que eu lancei em 2014, que foi um apanhado de músicas que eu fiz ao longo da minha adolescência e que eu resolvi compilar em um EP”.

Isa Roth já é conhecida pelo público da cena independente de Feira de Santana, tanto por sua presença nos palcos alternativos, quanto por seu trabalho como cantora profissional em casamentos e eventos privados. Licenciada em Música pela Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS), iniciou sua trajetória no Centro Universitário de Cultura e Arte (Cuca) em 2007, quando começou a estudar piano e, posteriormente, participando de corais.

Durante o curso, realizou um intercâmbio de sete meses na cidade de Évora, Portugal, onde teve a oportunidade de estudar e cantar, despertando a vontade de trabalhar exclusivamente com a Música.

Sobre o processo criativo que resultou no novo single, Isa Roth fala sobre as diversas situações do cotidiano que servem de inspiração para compor. “Minhas composições estão pautadas em como eu lido ou como pessoas ao meu redor lidam com os problemas da nossa geração. Essa música em especial foi pautada com base em uma crise de ansiedade, enquanto eu tentava expressar angústias que eu sentia num certo momento da minha vida. No final ela tem um anseio, que é quando você olha pra frente e percebe que ainda dá tempo de ser feliz”, explica.

Ouça “Segunda à Tarde”:

 

 

Prefeitura contrata empresa sem licitação por quase R$ 16 milhões

A Prefeitura Municipal de Feira de Santana contratou a IMAP (Associação de Proteção à Maternidade e à Infância de Mutuípe), para prestar serviços profissionais na área de saúde para atender as unidades da rede própria do município.

Dispensa de licitação

A  IMAP foi contratada de forma emergencial por R$ 15.950.673,16 (quinze milhões, novecentos e cinquenta mil, seiscentos e setenta e três reais e dezesseis centavos). A assinatura do contrato ocorreu no dia 29 de agosto e seu extrato foi publicado no Diário Oficial Eletrônico do Município nesta quinta-feira, 12.

Dispensa de Licitação

Justiça determinou a contratação de concursados

Em janeiro de 2019, o Juiz Gustavo Hungria, titular da 2ª Vara da Fazenda Pública de Feira de Santana, julgou procedente o pedido formulado pelo Ministério Público e determinou que o Município de Feira de Santana nomeasse os aprovados remanescentes em concurso público realizado para o provimento de cargos (enfermeiro, técnico de enfermagem, assistente social e médico) do quadro da Prefeitura de Feira de Santana. Mas o prefeito preferiu substituir cooperativa por associação.

3 peças teatrais imperdíveis que estarão em Feira em setembro

A cena teatral em Feira de Santana é intensa e fértil, com a produção de muitos espetáculos de repercussão e visibilidade nacional, além da recepção de peças de outras partes do país que encontram na cidade acolhimento para suas apresentações. Só para tomar um exemplo, em Feira ocorre um dos maiores festivais de teatro infantil do Brasil – o FENATIFS, que já está organizando sua 12ª edição para 2019.

Nesse mês de setembro de 2019, o feirense terá a oportunidade de preencher sua programação com três espetáculos de muita qualidade, abordando a vida de figuras de relevância histórica: a pintora mexicana Frida Khalo, a heroína feirense Maria Quitéria e o escravo insurgente Lucas Evangelista, o Lucas da Feira.

Confira as informações e programação de cada uma das peças, e prestigie o teatro feirense:

Frida Kahlo

Frida Kahlo

A peça, indicada ao Prêmio Braskem de Teatro 2018, é uma homenagem a essa mulher latino-americana de trajetória resiliente e vitoriosa que, mesmo após gravíssimo acidente, resistiu e existiu sempre à frente do seu tempo, rompendo padrões estéticos e morais, desfrutando ainda mais da vida. A montagem teatral inédita escrita e dirigida pelo baiano Fernando Santana conta a história da pintora mexicana Frida Khalo sem necessariamente uma obrigação biográfica. Traz sim, os grandes atravessamentos da sua história, mas, de forma poética e sensível, busca falar do coração dessa mulher que, mesmo diante de uma vida conturbada e intensa, conquistou reconhecimento artístico pelos quatro cantos do mundo.

Os diversos personagens que atravessaram a vida de Frida são interpretados por um experiente elenco composto por Jane Santa Cruz, Daniel Calibam, Danilo Cairo, Luiz Antônio Sena Júnior, Silara Aguiar e Lorena Porto, atriz e cantora feirense. Na direção e dramaturgia do espetáculo, o ator Fernando Santana que também é figurinista e preparador de elenco. Essa temporada é uma realização do Coletivo Culturasss e do Colectivo Âmbar – rede de artistas e promotores cênicos da latino América.

Magdalena Carmen Frida Kahlo y Calderon é símbolo de superação e alegria para o mundo inteiro, fazendo um paralelo com aspectos relevantes na contemporaneidade, como por exemplo, a força propulsora da arte quebrando preconceitos. Morreu jovem, aos 47 anos, mas continua espalhando inspirações para uma legião de pessoas que não se cansa de resistir a toda opressão masculina enraizada na sociedade contemporânea e que mantém sempre abertas as feridas da mulher.

QUANDO: 14 e 15 de setembro de 2019. Sábado às 20h e domingo às 19h.

ONDE: Centro Cultural SESC Feira de Santana, Praça da Matriz.

QUANTO: R$ 40 (inteira) e R$ 20 (meia) à venda na bilheteria do teatro ou pelo WhatsApp 75-992641507.

Quitéria

Quitéria

O Projeto Feira Tem Teatro receberá, no teatro do CUCA, o espetáculo “Quitéria”, do grupo Cordel. O enredo aborda a trajetória da heroína Maria Quitéria de Jesus, nascida na região de Feira de Santana, um exemplo de pioneirismo nas relações sociais e de gênero. Maria Quitéria marcou a história brasileira através de seus feitos, sua coragem e determinação.

Mas e a vida dessa mulher, você conhece? “Quitéria” é o título do novo espetáculo do Grupo Cordel que foi escrito com a intenção de mostrar as passagens pouco conhecidas dessa mulher: suas perdas e conquistas pessoais, suas angustias, seus amores, etc. No elenco do espetáculo: Julia Lorrana, Léo Sátiro, Cleyton Vidal, Lion Guimarães, Aída Vitória, Carol Acos e Denner Lobo. O texto e a direção é de Geovane Mascarenhas. Trilha sonora e direção musical de Deco Simões.

O Grupo Cordel de Teatro está atuando em Feira de Santana desde 2011, com o objetivo de resgatar a memória cultural local. A linguagem sertaneja, feita em versos, remete à literatura de cordel, à expressividade corporal e agora à música, elementos importantes para a identidade do grupo. Já montou “A Cidade da Rua Direita” um misto de ficção e realidade que conta um pouco da história de Feira.

O Projeto Feira Tem Teatro além de evidenciar a arte produzida na cidade, traz a cada mês um espetáculo e a partir dele uma temática é explorada através de um bate papo (sempre às sextas-feiras). O projeto também possibilita o contato com outras linguagens como a música e a poesia que compõe o Palco aberto, aos sábados. A programação começa sempre às 19h com as atividades extras e o espetáculo sempre é apresentado às 20h.

QUANDO: 20 (sexta) e 21 (sábado) de Setembro, às 19h – Bate papo (Foyer do Teatro) e 20h – Espetáculo “Quitéria”

ONDE: Teatro do CUCA

QUANTO:R$ 30,00 (inteira) e R$ 15,00 (meia)

Lucas da Feira – O sujeito antes do mito

Lucas da Feira

Lucas Evangelista entrou para história da Bahia e do Brasil, como um sujeito que se reinventou dentro do cenário escravista brasileiro. Ficou conhecido como Lucas da Feira, uma referência à sua moradia e cidade de origem. Figura mitológica e lendária regional, gerou inúmeras histórias e estudos a seu respeito.

O espetáculo aborda a história de vida de Lucas para expor uma sociedade da primeira metade do século XIX em Feira de Santana, abrangendo todos os seus sistemas de dominação e mecanismos de poder. Uma reflexão acerca da sociedade patriarcal e da geografia explorada por Lucas e seu bando, refletem marcas que ainda impactam a realidade local. Sem defender ou acusar o famoso escravo fugido, o espetáculo propõe um posicionamento crítico sobre a construção socioeconômica do interior da Bahia.

O espetáculo é fruto de dois anos de pesquisa do grupo Recorte e de Fernando Souza, que assina o texto e direção. O espetáculo conta a história de forma divertida, musicada e interativa com 15 atores em cena e mais de 30 personagens.

QUANDO: 27 e 28 de setembro de 2019 (sexta e sábado), às 20h

ONDE: Teatro do CUCA

QUANTO: R$30 (inteira) R$15 (meia)

 

A relação do Procurador de Bolsonaro com Feira de Santana

Quem acompanha o noticiário político nacional tem visto o debate em torno da indicação de Antônio Augusto Brandão de Aras para o cargo de Procurador Geral da República, feita pelo presidente Jair Bolsonaro. O que poucos feirenses sabem, entretanto, é que Augusto Aras tem íntima relação com Feira de Santana.

Augusto é filho do ex-vereador Roque Aras, que exerceu o mandato na Câmara Municipal feirense entre 1971 e 1975 pelo MDB – partido que fazia oposição ao Regime Militar à época. Roque Aras foi também Deputado Estadual (1975-1979) e Deputado Federal (1979-1983).

De acordo com o jornalista Dimas Oliveira, Augusto Aras “viveu 80 por cento dos seus 60 anos de vida em Feira de Santana”, tendo estudado no Colégio Santo Antônio e no Colégio Nobre, permanecendo aqui até voltar para a capital e se formar em Direito na Universidade Católica de Salvador, em 1981.

Ligação com a esquerda

Augusto Aras e Zé Neto
Da direita para a esquerda: Augusto Aras e a mulher, Maria das Mercês, uma mulher não identificada, o ex-deputado federal Emiliano José (PT-BA), a ex-ministra da Casa Civil Eva Chiavon (Governo Dilma) e o deputado federal Zé Neto (PT-BA)

Além de não ter sido um dos nomes na lista tríplice do MPF, uma das críticas que a indicação de Jair Bolsonaro vem sofrendo é pela ligação de Augusto Aras com políticos do Partido dos Trabalhadores. De acordo com o UOL, Aras chegou a dar uma festa para a cúpula do PT em agosto de 2013, com a presença de figuras como o ex-ministro José Dirceu e o ex-presidente do partido, Rui Falcão.

A foto acima tem sido utilizada para relacionar o Augusto Aras ao PT. Nela aparecem, da direita para a esquerda, Augusto Aras e a mulher, Maria das Mercês, uma mulher não identificada, o ex-deputado federal Emiliano José (PT-BA), a ex-ministra da Casa Civil Eva Chiavon (Governo Dilma) e o deputado federal feirense Zé Neto (PT-BA).

Augusto Aras ainda precisa ser sabatinado e aprovado pelo Senado Federal para assumir a PGR.

O irreverente “Podcast para quem merece”

É crescente a quantidade de pessoas que consome conteúdo em áudio, no Brasil e no exterior. Dos áudiolivros aos podcasts, muitos usuários aproveitam os momentos de ócio em filas, no transporte ou mesmo nas tarefas domésticas para ouvir notícias, debates, aulas etc. A Rede Globo, por exemplo, percebeu a tendência, e lançou recentemente vários podcasts para sua audiência.

Um podcast é como se fosse um programa de rádio, mas não é: em vez de ter uma hora certa para ir ao ar, pode ser ouvido quando e onde o usuário quiser. E em vez de sintonizar numa estação de rádio, o conteúdo está disponível na internet. De graça.

A boa notícia é que Feira de Santana começa a se inserir no mundo dos podcasts. Um destaque é o recém-lançado “Podcast para quem merece”, do jornalista e radialista Rafael Velame, âncora da Rádio Globo em Feira e autor do Blog do Velame.

Em sua primeira edição, o tema é a Câmara de Vereadores, analisada numa perspectiva cômico-histórica bastante irreverente. Ouça:

https://soundcloud.com/paraquemmerece/01-o-primeiro-podcast-para-quem-merece

 

Ouça o “Podcast para quem merece” também no Spotify.

A (falta de) estrutura de uma escola em Jaguara

A diretora da APLB/Feira, professora Marlede Oliveira, visitou na última quarta-feira (4), a Escola Municipal Maria Andiara Silva Souza que fica localizada no Povoado da Barra no Distrito de Jaguara.

Na escola foi constatado que:

  • A Escola funciona com apenas duas salas de aula e uma professora para lecionar Infantil, 1° ano, 2° ano, 3° ano, 4º ano e o 5° ano;
  • A professora não tem Reserva de 1/3 da Carga Horária;
  • A Escola não tem Internet nem Coordenador Pedagógico.

Escola Municipal Maria Andiara Silva Souza

Metas do IDEB

Desde 2011, Feira não atinge as metas do Ideb para os anos iniciais do Ensino Fundamental. O assunto foi capa do Jornal A Tarde, edição de 14 de julho de 2019. O jornal analisou que nem o fato de ser a segunda maior cidade baiana e o terceiro maior Produto Interno Bruto (PIB) do estado fizeram Feira de Santana escapar de ter um dos piores índices de educação entre os dez maiores municípios da Bahia.

Mau Exemplo

Está circulando no aplicativo WhatsApp a imagem de uma viatura da Superintendência Municipal de Trânsito (SMT) parada em cima da faixa de pedestre na Rua Dr. Sabino Silva, 397, Kalilândia. Não se sabe a data do fato. De qualquer forma é um mau exemplo do órgão que fiscaliza e pune os condutores que param na faixa de pedestre.

SMT

Faixa apagada

A faixa de pedestres localizada na Av. Getúlio Vargas, próximo à Praça de Alimentação, está apagada. Com isso, a travessia dos pedestres se torna mais difícil.

Faixa de Pedestre