Rio Jacuípe

Zé Neto

Zé Neto é pré-candidato a Prefeito de Feira

PT lança pré-candidatura a prefeito de Feira Na tarde do último sábado (13), a executiva, o diretório, a militância, filiados e simpatizantes do Partido dos Trabalhadores (PT) se reuniram em Feira e decidiram por unanimidade lançar a pré-candidatura de Zé Neto para prefeito de Feira de Santana. Prefeito Colbert Martins completa um ano de governo Na quarta-feira (10), Colbert completou um ano no cargo de prefeito, e o líder do governo na Câmara de Vereadores, Marcos Lima, soltou essa: “O povo ainda sente saudade de José Ronaldo”. Ex-prefeito Tarcísio Pimenta é condenado por improbidade administrativa A pedido do Ministério Público

Artistas feirenses levam projeto para a África

O projeto “Circulação da Música Afro-Baiana 2019” levará o produtor cultural Uyatã Rayra e os músicos Bel da Bonita e Ravel Conceição do grupo musical Africania para África do Sul e Moçambique. A circulação internacional teve início na sexta-feira (5), extendendo-se até o dia 22 de abril. Oriundos de Feira de Santana, os integrantes do projeto pretendem estabelecer um intercâmbio entre a cultura musical da Bahia e dos países visitados. Serão ministradas oficinas rítmicas de Samba de Roda do Sertão e de Forró Pé-de-Serra, além de uma palestra sobre as influências do samba nos ritmos de forró. O cronograma conta

Crescimento do Bolsa Família em Feira

Há margem para ampliação do Bolsa Família em Feira

Em março, o número de beneficiários do Programa Bolsa Família (PBF) em Feira de Santana estava aquém do estimado pelo Ministério da Cidadania, o recauchutado Ministério do Desenvolvimento Social de tempos atrás. Segundo o órgão, 31.662 famílias foram contempladas com o benefício no mês passado, o que corresponde a 66,94% da estimativa de famílias pobres no município. Isso significa que, potencialmente, um terço das famílias com perfil para o programa não recebe o benefício. O Ministério da Cidadania constata que o “município está abaixo da meta do programa”. E recomenda a realização de “busca ativa para localizar famílias que estão

Mudança Secretaria da Educação

Mudança à vista na Secretaria de Educação

Vereadores da base governista criticam o Secretário Edson Borges Pablo Roberto, José Carneiro e João Bililiu criticaram publicamente o Secretário de Cultura, Esporte e Lazer, Edson Borges, porque alguns artistas da terra ficaram de fora da Micareta deste ano. É isso que chamamos de fogo amigo! Por falar em festa, comemoraram aniversário… A Guarda Civil Municipal de Feira de Santana, que completou na segunda-feira (25), 126 anos de existência. E um buraco na Rua Visconde do Mauá, no Bairro Caseb, em Feira de Santana, ganhou até um buquê de flores dos moradores para comemorar seu 1º aniversário. E quem não

Nilda Carvalho Cunha

A feirense que foi presa e torturada na Ditadura

O período da Ditadura Militar no Brasil, iniciado a partir do golpe que depôs o Presidente João Goulart em 1964, ficou marcado por práticas autoritárias como a censura, a tortura e o desaparecimento de opositores do Regime. Entre os abusos cometidos pelo Estado naquela época, está a prisão e tortura de Nilda Carvalho Cunha, a feirense que tinha apenas 17 anos quando foi presa e torturada, por suspeita de associação à militante de esquerda Iara Iavelberg. Pouco tempo depois de sua prisão, carregando as sequelas da tortura, Nilda morreu. A seguir, o relato completo da história de Nilda Carvalho, retirado

O retorno do Mercado de Arte de Feira

No último dia 4 de janeiro o Mercado de Arte Popular de Feira de Santana (MAP) voltou às suas atividades no local de origem. Esta foi a quarta reforma por que passou em sua história, do princípio até aqui, já tendo sido mercado de carne, cereais e roupas, parte principal de umas das maiores feiras livres do Brasil – feira que estendia-se até a atual Avenida Maria Quitéria.

Hoje, com o retorno do local original após uma demorada reforma de dois anos, o Mercado tem atraído a população feirense para visitar um dos principais pontos turísticos da cidade. Tive a curiosidade de visitar o MAP e conversar com alguns comerciantes do local, que passaram suas impressões sobre esse novo momento.

Seu Aleucik, relojoeiro, trabalha há trinta anos no Mercado de Arte. Passou, junto com outros colegas, dois anos no anexo do mercado ao lado do Terminal Central. “Sofremos muito ali. Lá não rendia muito por não ser um ponto estratégico, como é aqui no Mercado. Antes da reforma tínhamos um ganho muito bom. Espero que agora melhore depois dessa reforma”.

Há muitos elogios quanto à reforma do Mercado de Arte. Seu Dionísio Souza trabalha ao lado do Mercado há muitos anos, e diz que sentia-se envergonhado ao levar algum amigo ou parente ao lugar antes da reforma. “É com muita alegria que vejo esta transformação. Tem segurança para o caso de haver incêndio, os banheiros estão limpos e vistoriados, a iluminação está perfeita e tem até uma ventilação no teto”, nos disse.

O Mercado de Arte reformado

O Mercado de Arte reformado. Fotos: Silvio Tito/PMFS

Para o stand do cordelista Jurivaldo Alves, a reforma foi um dos melhores acontecimentos. Ele trabalhou durante vinte anos na rua, na feira livre. Com a reforma da praça onde trabalhava, a prefeitura retirou ele com a promessa de colocar no Mercado de Arte já reformado, e cumpriu a promessa. O stand de cordel de Seu Jurivaldo está sendo bem admirado e visitado.

Além de cordelista ele se intitula “folheteiro”. Explica que folheteiro é aquele que vende cordéis de vários autores. E aqui na Bahia, segundo afirma, o único folheteiro em exercício é ele, já que sobrevive exclusivamente do cordel.

“O público está satisfeito. Dois anos de sofrimento e agora estamos recuperando nosso tempo perdido. Aqui é o coração da Princesa do Sertão. O ponto de referência da cidade, onde as pessoas vão ao médico, à igreja e fazer outros tipos de compras. Eu trabalhava no relento, exposto à chuva, ao sol, à poeira e à poluição. E aqui, com uma tranquilidade dessa, melhorou, vamos dizer que cem por cento, à vista do que era meu trabalho lá fora para aqui. Inclusive, a vendagem aqui está correspondendo, está superando a expectativa. Está ótimo!”, diz seu Jurivaldo.

Marcelo, dono de um box no Mercado, reclama do aumento da taxa de manutenção. Cita também que, ao chover, ficam goteiras em boa parte da estrutura do teto e poças d’água no chão do Mercado. Mas elogia muito a reforma, que o deixou muito confortável para vender seus produtos.

Com a normalização das suas atividades, o Mercado de Arte tem recebido uma boa visitação, de feirenses de todos os cantos da cidade e visitantes de outros municípios baianos, e até de fora do estado. Pessoas que vão comprar lembranças típicas da região, admirar os produtos expostos ou simplesmente apreciar um dos pratos típicos servidos no almoço. Vida longa ao Mercado de Arte Popular de Feira de Santana!

OBS: A Prefeitura divulgou nota afirmando serão feitos os reparos no telhado do Mercado.


Abaixo, a programação cultural do Mercado de Arte no mês de janeiro:

Programação do Mercado de Arte


Sobre o (a) autor (a):