As Feiras de Feira de Santana

Cooperativas em Feira de Santana

Cooperativas com os dias contados em Feira de Santana

O Tribunal de Contas dos Municípios (TCM) e o Ministério Público da Bahia (MP-BA) exigiram que a Prefeitura Municipal de Feira de Santana não faça mais contratações de servidores através de cooperativas. Novas Contratações Colbert Martins disse ao Acorda Cidade que as contratações só poderão ocorrer via Organização Social (OS), seleção pública (Reda) ou concurso público. Ao atender essa recomendação, é provável que aumente o número de processos seletivos para contrações temporárias. Fim das indicações políticas Infelizmente, com o fim das contratações via cooperativas, não é certo de que acabem também as indicações políticas. A contratação de Organização Social permite

Vai ter Feira Noise Festival em 2020

O Feira Coletivo Cultural e a Banana Atômica realizaram no último final de semana, em Feira de Santana (BA), uma edição histórica em comemoração aos 10 anos de existência do Feira Noise Festival. O evento aconteceu entre os dias 22 a 24, no Ária Hall, reforçando sua importância para a consolidação da cena local, além de manter Feira de Santana na rota de circulação de bandas e artistas independentes. Ao todo, 33 atrações se revezaram entre os palcos Banana Atômica e Budweiser, sendo 13 delas de Feira de Santana. Importantes nomes da música brasileira contemporânea como Supercombo, Francisco El Hombre, Black Pantera, Potyguara Bardo,

O fenômeno flamenguista em Feira de Santana

Na manhã dessa segunda-feira, a Praça da Bandeira foi a arena onde se discutiu sobre o mais importante e popular time de futebol brasileiro. — É óbvio que o Bahia é de mais importância. O Brasil nasceu onde? Se é aqui o início do Brasil, o Bahia é o time do nosso povo, defendia Papinho, torcedor patológico do Bahia. — O Flamengo, companheiro, é o time das massas, o time rubro, castanho, caboclo, representando os índios, e negro, quilombola, africano, representando o povo escravizado, proclamava Seu Teófilo, tomando caldo de cana para curar a ressaca da comemoração dos dois títulos

Roça Sound

“Tabaréu Moderno”, o novo álbum do Roça Sound

“Tabaréu Moderno” é o terceiro disco do grupo Roça Sound. Lançado no último dia 15 de novembro, o novo álbum estava sendo esperado pelo público que acompanha o trabalho dos feirenses desde “Você Aguenta Quantos Rounds?”, de 2014. Formado por NickAmaro (DJ/ MC), Paulo Bala (MC), Dom Maths (MC) e o dançarino Edy Murphy, o Roça Sound explora sonoridades que vão desde a Cultura Nordestina, Rap, Dembow, Reggae, e o DanceHall, tendo o suingue como sua marca principal. Em “Tabaréu Moderno”, trazem nove faixas autorais e inéditas, com as participações da Orquestra Reggae de Cachoeira, Quixabeira da Matinha, Bel da

Precisamos louvar o Feira Noise

É preciso louvar com entusiasmo a edição de 10 anos do Feira Noise Festival, que ocorre nesse final de semana em Feira de Santana. Nem precisa gostar de rock ou de qualquer gênero musical, banda ou artista que se apresenta nos palcos do evento para reconhecer a capacidade inacreditável de um grupo de entusiastas de determinada cena cultural em manter de pé, em Feira de Santana, um festival que chama a atenção para além das fronteiras baianas. São mais de 30 atrações, de várias partes do Brasil, distribuídas em três dias no Ária Hall, o mais elegante e bem estruturado

A origem dos nomes dos bairros de Feira (parte #1)

Uma das curiosidades pouco esclarecidas entre os feirenses é sobre o nome dos bairros da cidade, que possuem origem diversa e contam um pouco a história e cultura locais. Fizemos uma pesquisa em livros, sites e blogs para tentar desvendar a raiz da nomenclatura de cada localidade, e chegamos aos resultados a seguir.

Caso encontre erros, discordâncias ou queira acrescentar informações para a segunda parte desse levantamento, deixe um comentário. Confira:

Brasília

O bairro se chama assim em homenagem à Capital Federal, que estava sendo construída à época em que o bairro estava sendo estruturado.

Pedra do Descanso

O bairro leva esse nome devido a ter sido o local em que Lucas Evangelista, o Lucas da Feira, utilizava para descansar após suas incursões pela Bahia.

Caseb

O Governo da Bahia tinha nesse bairro um armazém, onde depositava insumos que socorriam a população em tempos difíceis, não permitindo as grandes altas no preço dos produtos e funcionando como regulador de mercado. Na região do entorno da Avenida João Durval, antiga Avenida Anchieta, existiam apenas dois prédios: um deles era da Usina Itapetingui e o outro, onde hoje fica a Cesta do Povo, funcionava o armazém da CASEB (Companhia de Armazéns e Silos do Estado da Bahia), que deu nome ao bairro.

Baraúnas

O bairro Baraúnas recebe essa denominação devido às inúmeras árvores de baraúna que ali se encontravam. Hoje, não é comum ver árvores dessa espécies por lá, que nasceu a partir de uma fazenda de gados, os quais eram vendidos no Campo do Gado Velho e nas feiras livres da cidade.

Com o passar do tempo, a área foi adquirindo importância pelo comércio do gado, atraindo pessoas até mesmo de outros estados, como Sergipe e Pernambuco. Criou-se então currais, matadouros e charqueadas, além das instalações de algumas fábricas.

Tomba

É o elo entre Feira de Santana e São Gonçalo dos Campos. Conta-se que o bairro ganhou esse nome porque o trem passava por ali e, em certo dia, alguns vagões tombaram naquela região. É o bairro mais populoso da cidade.

Gabriela

Uma particularidade do bairro é que a grande maioria de suas ruas, assim como o próprio nome Gabriela, homenageia antigas telenovelas. Alguns nomes de rua do Gabriela: Zazá, Torre de Babel, Indomada e Corpo Dourado.

Sobradinho

Reza a lenda que ali se localizava um sobrado antigo e mal assombrado que assustava toda a população de Feira de Santana. Outra versão contesta a primeira e diz que onde hoje é o bairro do Sobradinho localizava-se um sobrado dos Padres Jesuítas e que servia como depósito de ouro, trazido pelos tropeiros das minas de Mundo Novo e de Jacobina.

SIM

Esse bairro é recente na história do município e ganhou este nome em virtude da instalação do Serviço de Integração do Migrante que surgiu no governo de João Durval Carneiro. O SIM atendia migrantes, possibilitando-lhes alfabetização intensiva, tratamento da saúde, documentação civil e capacitação profissional em até dois cursos, principalmente na área da indústria e da construção civil.

Aviário

O ex-governador Landulfo Alves, a fim de estimular a criação de ave, implantou ali um criatório de galinhas. Diz-se que a idéia era mostrar à população como poderia haver um criatório deste tipo de ave de forma sadia. Atualmente não mais existe esse criatório.

Conceição

Chamou-se Santo Antônio Velho outrora, e foi mais tarde batizado com o nome de Conceição em virtude da construção da Igreja de Nossa Senhora da Conceição (sede da Paróquia Imaculada Conceição).

Asa Branca

O local que hoje é o bairro era uma grande chácara do Sr. Antônio Alves. Nessa chácara vendia-se uma cachaça que tinha por nome Água-ardente Asa Branca. Tempos depois, foi-se loteando esse terreno e assim foi nascendo o bairro.

 


 

Você sabe a origem do nome de outros bairros feirenses, ou tem informações a acrescentar sobre os bairros citados? Deixe um comentário neste post!

Tags:

Sobre o (a) autor (a):