Rio Jacuípe

Alcina Dantas

Alcina Gomes Dantas: a primeira mulher radialista de Feira

É indiscutível a tradição do radiojornalismo em Feira de Santana, que há décadas leva entretenimento, informação e cultura aos feirenses através das diversas emissoras na cidade. Na história do rádio feirense, é fundamental destacar a importância de Alcina Gomes Dutra, a primeira mulher radialista de Feira de Santana. Nascida em Itaberaba, em 30 de setembro de 1895, Alcina aprendeu música e canto com o pai, Roberto Lídio Dantas. Tocava piano, violino e violão. Com sua veia artística, fundou o programa radiofônico “Brasil de Amanhã”, na Rádio Cultura, que objetivava descobrir talentos musicais adultos e infantis. A escritora Neuza de Brito

Feira Noise Festival 2018

A programação completa do Feira Noise Festival 2018

O Feira Noise Festival divulgou as atrações que se apresentarão em sua oitava edição. O evento acontece entre os dias 23 a 25 de novembro, no Centro de Cultura Amélio Amorim, em Feira de Santana (BA). Mais de 30 bandas e artistas estão confirmados, entre eles importantes nomes da música brasileira contemporânea como Attoxxa, Boogarins, Drik Barbosa, Eddie, Letrux e Scalene. Da cena local, se destacam nomes como Iorigun, Roça Sound e Clube de Patifes. “O Feira Noise é um sonho que a gente realiza por etapas, ano a ano vamos trazendo atrações que tem uma história mais longa na

Quixabeira da Matinha em Portugal

Quixabeira da Matinha realizará apresentação em Lisboa

O grupo cultural Quixabeira da Matinha estará entre os dias 25 e 27 de outubro, em Oeiras, divisão administrativa de Lisboa, Portugal, realizando apresentações no evento “Semana Cultural da Bahia”, organizado pela Associação Luso Afro Cultural Brasileira Muxima. Dentre as atividades previstas estão o show temático “Quilombo, luta e resistência”, a ser apresentado com cerca de 2 horas de duração, com repertório próprio e homenageando outros artistas da cultura popular. Além disso, os integrantes também realizarão oficinas de samba de roda e de percussão a fim de popularizar ao público português a identidade musical do samba rural. A Quixabeira da

O golpista da Kalilândia

O golpista da Kalilândia

Era noite de 8 de maio de 1964 em Feira de Santana, sexta-feira. Num dia comum, àquela hora, quase meia-noite, Raimundo já teria vestido o pijama listrado e colocado cuidadosamente os chinelos no centro da lateral direita da cama – parte do rigoroso método que cumpria antes de dormir. Naquela sexta, o entusiasmo permitia-lhe descumprir o costume e sentir o fervor da vitória, um passo veemente de Feira rumo à civilização. A comemoração de Raimundo consistia em limpar cuidadosamente o Smith & Wesson herdado do avô. Um ato fora de hora, extraordinário, já que o fazia diariamente pela manhã, antes do

Coreto da Praça Froes da Motta

Coreto da Froes da Motta vai completar 100 anos

Depois de construir o casarão que hoje abriga a Fundação Cultural Egberto Costa, em 1902, o intendente Agostinho Froes da Motta determinou, em 1919, a construção do coreto na atual praça Froes da Motta. Até hoje a construção subsiste, contracenando com as palmeiras imperiais que vão, aos poucos, morrendo, e com os oitizeiros frondosos que abrigam incontáveis pardais que chilreiam de maneira incessante nos inícios de manhã e fins de tarde. Ano que vem – vale ressaltar – o coreto completa um século. A descrição do equipamento está em publicação do Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia, o

3 lugares para comprar móveis artesanais em Feira de Santana

O setor moveleiro vive uma nova tendência nos últimos anos, trazendo versões de móveis mais arrojados, com características personalizadas e com a confecção das peças feita pelas mãos de artesãos que produzem em baixíssima escala. Estamos falando dos móveis feitos artesanalmente, muitas vezes produzidos com materiais reciclados, como paletes, madeiras de demolição e outras fontes não-convencionais de matéria prima.

Embora a busca por esses materiais tenha se popularizado mais recentemente (hoje é bastante comum ver ambientes requintados, frequentados e formulados pelo público de classe média-alta, utilizando móveis rústicos), grande parte dos construtores de móveis artesanais produzem suas peças há mais de 50 anos.

Em substituição aos móveis em MDF (sigla de Medium-Density Fiberboard), bastante vendidos pelas grandes distribuidoras, os móveis artesanais possuem como diferencial a durabilidade, o conforto, a personalização e o preço cobrado. Com a demanda do mercado, os artesãos se dedicam a, cada vez mais, produzir peças mais trabalhadas, às vezes sem o auxílio de nenhuma máquina, como foi observado na maioria das casas de móveis que visitamos para esta reportagem.

É bom lembrar que as movelarias a seguir são apenas uma pequena demonstração de um mercado com diversas opções para quem quer móveis personalizados e estilosos. Vamos lá!

Inoque móveis de Paletes

Móveis Artesanais - Inoque móveis em palete

Inoque da Silva Pereira possui uma loja de móveis feitos de paletes, no bairro Ponto Cental. Ele diz que as pessoas passaram a aderir aos móveis feitos desse material por causa, principalmente, da durabilidade. “Sem sombra de dúvidas, a durabilidade desses móveis é o principal fator para a adesão dessa nova tendência no mercado”.

“Outro ponto importante é a variedade de preços. Temos movéis a partir de R$10,00 reais, e isso faz com que pessoas de qualquer classe social possam ter em sua casa um móvel da ‘moda’. Além de todos esses pontos o que mais chama atenção é a renda do artesão, que sem sombra de dúvidas melhorou consideravelmente. As pessoas gostariam e procuram ter um produto desse em algum cômodo da casa, isso valoriza a casa do cliente e nosso trabalho também”, diz Inoque ao Feirenses.

ENDEREÇO: Rua Sabino Silva – Ponto Central.

FAIXA DE PREÇO: Móveis de R$10,00 a 200 reais.

Loja Móveis de Madeira

Móveis de madeira em Feira de Santana

Já o artesão Clauderimo Almeida Souza conta que desde os oito anos produz móveis feitos de madeira, profissão que aprendeu com seu pai, e tem muito orgulho de manter: “eu comecei fazendo móveis de bonecas e brinquedos, daí em diante fui me aperfeiçoando, e hoje fabrico todos os tipos de móveis. Vale lembrar que os móveis de madeira sempre foram mais resistentes que os de aglomerado e MDF, e por isso as pessoas estão preferindo os de madeira de lei que os de indústria propriamente dita”, contou.

Segundo Claudemiro, outro fator importante para o consumidor preferir pagar até mais caro em um produto de madeira e trabalhado à mão é a durabilidade. “Uma cadeira de madeira dura a vida inteira, e essas de hoje em dia, comprada nas grandes lojas provavelmente duram apenas um ano. Então é um dinheiro bem pago”.

ENDEREÇO: Rua Juvêncio Erudilho – Tanque na Nação

FAIXA DE PREÇO: Móveis a partir de R$ 70,00

Vime Decorações

Vime Decorações

Confeccionando móveis usando vime há mais de quarenta anos, Manoel da Silva fala que o maior motivo para as pessoas utilizarem cada vez mais os móveis artesanais, em geral, especialmente o vime, é a durabilidade do produto. “Trabalho com isso há quarenta anos, e além de viver com meu trabalho, ajudo as crianças e jovens da localidade a aprender a profissão.

“Hoje trabalho aqui com seis pessoas, pois a demanda vem aumentando consideravelmente, e posso dizer com certeza que a procura se dá em relação à durabilidade do móvel. Hoje em dia é muito difícil uma peça industrial durar mais de um ano. Esse material aqui, se for bem cuidado, chego a dizer que dura uma vida”, diz ele confirmando a mesma visão dos demais fabricantes de móveis artesanais na cidade.

ENDEREÇO: Rua Senador Quintino, Bairro Jardim Acácia.

FAIXA DE PREÇO: Móveis a partir de R$ 50,00.


Sobre o (a) autor (a):