As Feiras de Feira de Santana

Roça Sound

Roça Sound expõe a Feira de Santana clandestina

Saiu o novo clipe do Roça Sound, uma interpretação audiovisual apurada da música “Verde e Cinza”, que compõe o álbum “Tabaréu Moderno”, o mais recente do grupo. A música e o clipe integram uma das mais importantes obras contemporâneas de interpretação de Feira de Santana e sua cultura. “Verde e Cinza”, já no título, denuncia essa cidade contraditória, que vive entre uma tradição rural, feirante, e uma sanha modernizante expressa nas obras cheias de concreto e vazias de humanidade. Mas não para por aí, afinal, Clóvis Ramaiana já notou e denunciou isso há muito. A canção expõe a visceral clandestinidade

Cooperativas em Feira de Santana

Cooperativas com os dias contados em Feira de Santana

O Tribunal de Contas dos Municípios (TCM) e o Ministério Público da Bahia (MP-BA) exigiram que a Prefeitura Municipal de Feira de Santana não faça mais contratações de servidores através de cooperativas. Novas Contratações Colbert Martins disse ao Acorda Cidade que as contratações só poderão ocorrer via Organização Social (OS), seleção pública (Reda) ou concurso público. Ao atender essa recomendação, é provável que aumente o número de processos seletivos para contrações temporárias. Fim das indicações políticas Infelizmente, com o fim das contratações via cooperativas, não é certo de que acabem também as indicações políticas. A contratação de Organização Social permite

Vai ter Feira Noise Festival em 2020

O Feira Coletivo Cultural e a Banana Atômica realizaram no último final de semana, em Feira de Santana (BA), uma edição histórica em comemoração aos 10 anos de existência do Feira Noise Festival. O evento aconteceu entre os dias 22 a 24, no Ária Hall, reforçando sua importância para a consolidação da cena local, além de manter Feira de Santana na rota de circulação de bandas e artistas independentes. Ao todo, 33 atrações se revezaram entre os palcos Banana Atômica e Budweiser, sendo 13 delas de Feira de Santana. Importantes nomes da música brasileira contemporânea como Supercombo, Francisco El Hombre, Black Pantera, Potyguara Bardo,

O fenômeno flamenguista em Feira de Santana

Na manhã dessa segunda-feira, a Praça da Bandeira foi a arena onde se discutiu sobre o mais importante e popular time de futebol brasileiro. — É óbvio que o Bahia é de mais importância. O Brasil nasceu onde? Se é aqui o início do Brasil, o Bahia é o time do nosso povo, defendia Papinho, torcedor patológico do Bahia. — O Flamengo, companheiro, é o time das massas, o time rubro, castanho, caboclo, representando os índios, e negro, quilombola, africano, representando o povo escravizado, proclamava Seu Teófilo, tomando caldo de cana para curar a ressaca da comemoração dos dois títulos

Roça Sound

“Tabaréu Moderno”, o novo álbum do Roça Sound

“Tabaréu Moderno” é o terceiro disco do grupo Roça Sound. Lançado no último dia 15 de novembro, o novo álbum estava sendo esperado pelo público que acompanha o trabalho dos feirenses desde “Você Aguenta Quantos Rounds?”, de 2014. Formado por NickAmaro (DJ/ MC), Paulo Bala (MC), Dom Maths (MC) e o dançarino Edy Murphy, o Roça Sound explora sonoridades que vão desde a Cultura Nordestina, Rap, Dembow, Reggae, e o DanceHall, tendo o suingue como sua marca principal. Em “Tabaréu Moderno”, trazem nove faixas autorais e inéditas, com as participações da Orquestra Reggae de Cachoeira, Quixabeira da Matinha, Bel da

A morte do ciclista em Feira é um duro convite à reflexão

Quando boa parte da cidade está envolvida com os preparativos para a Micareta que ocorre nos próximos dias, os noticiários dão conta de um trágico evento na Avenida Nóide Cerqueira. Valney Paes de Almeida, 54 anos, foi atropelado e morto enquanto pedalava em uma das principais vias utilizadas por ciclistas na cidade para a prática desportiva. Muito pode ser refletido sobre o episódio.

Primeiro, sentimos um abismo emocional ao perceber a vulnerabilidade da vida humana, que pode destruir-se a qualquer momento, por um erro de cálculo, uma vontade mal empregada ou uma irresponsabilidade que independe da vontade da vítima. No caso de Valney, ele simplesmente saiu para pedalar, e não voltou mais, pois encontrou em seu caminho alguém que, imprudentemente, abusava do veículo que conduzia.

Poderia ter se atrasado. Mas não se atrasou. Poderia ter ficado em casa. Mas não ficou. Falta-nos acuidade para compreender as causas e razões desse “jogo” da vida.

“Ao utilizar as ruas de Feira de Santana, como estamos nos relacionando?”

Também é possível observar o caso na perspectiva da responsabilização de quem gerou o acidente. Os órgãos policiais devem agir para identificar a autoria e dar o prosseguimento legal ao caso. Dar causa a um acidente já é um sinal de desajuste na condução do veículo. Não parar para prestar socorro torna o gesto ainda mais grave.

Dito isso, podemos indagar quais valores fundam fatos assim, conflitos internos tais como a intolerância, egoísmo, autocentramento e distração. “Doenças” que se manifestam em muitos de nós em diversas circunstâncias, mas especialmente no trânsito. Ao utilizar as ruas de Feira de Santana, como estamos nos relacionando?

Um acidente fatal com um ciclista é bastante simbólico. A bicicleta, como meio de transporte, caracteriza-se pela não poluição e ocupação de pouco espaço, um verdadeiro altruísmo social em épocas de engarrafamento e aquecimento global. Sem falar nos benefícios à saúde física e emocional dos próprios ciclistas. Quando esses valores são atropelados, temos um diagnóstico expressivo sobre a sociedade em que estamos vivemos.

Obviamente, nesse conjunto de problematizações entra a parte do Poder Público, que pode pensar num trânsito que dê segurança a pedestres e ciclistas, principalmente, criando condições para que Feira de Santana, uma cidade plana, possa incluir-se no rol de municípios em que ciclovias não são apenas locais de passeio e prática desportiva, mas alternativas reais para o transporte cada vez mais caótico e insustentável das grandes metrópoles, como é o caso de Feira.

De luto, precisamos refletir sobre tudo isso.

Tags:

Sobre o (a) autor (a):