Rio Jacuípe

São José das Itapororocas (Maria Quitéria): passado e presente

Os mitos fundacionais de uma cidade/civilização são sempre cercados de muitos personagens, estórias, acontecimentos, perseguições, guerras e muitas reviravoltas. No caso dos mitos fundacionais das cidades brasileiras quase todos são contados levando como ponto de partida a chegada do colonizador, a expulsão dos povos indígenas nativos e a construção de igrejas, estradas, fortes e pequenas povoações. O mito fundacional comumente conhecido da cidade de Feira de Santana é aquele ligado à história da doação das terras para a construção da capela em devoção à Sant’Ana no Alto da Boa Vista, por Domingos Barbosa de Araújo e sua esposa Ana Brandão,

Pá Rua?

Pá Rua?

Outro dia, peguei Robson. Não exatamente “peguei”, no sentido em que vossas consagradas cabeças maliciosas estão pensando. Eu não botei minha língua na boca dele. Robson é ligeirinho. Eu usufrui de seus serviços clandestinos de transporte alternativo. É sempre uma viagem andar com Robson. Porque ele é o mais atípico dos ligeirinhos. É o mais lento, mas o mais organizado. Ele transforma um Fox em minivan e leva 70 pessoas — confortavelmente. Para honra e glória de Oxalá, eu fui na frente. Sozinho. Uma raridade, às 7 da manhã no Parque Lagoa Subaé. Meu bairro não é dos mais populosos,

Rua Marechal em mão única

Feira (A)notada: Marechal em mão única e novidade na Câmara

Lulinha entrega o cargo de Líder do Governo Após alguns colegas vereadores manifestarem a insatisfação com o líder do governo na Câmara Municipal de Feira de Santana, o vereador Luís Augusto (Lulinha), do DEM, entregou o cargo durante discurso na Sessão desta terça-feira (11). 10 anos do Museu Parque do Saber No próximo dia 15 de dezembro, o Museu Parque do Saber Dival da Silva Pitombo estará completando uma década de existência. E, para comemorar, foi realizada na terça-feira (11) uma homenagem especial a todos os envolvidos com o projeto inicial. O evento contou com as presenças do prefeito Colbert

Tourinho Candidato

Tourinho candidato, cubanização de assessores e toma lá da cá

Tourinho Candidato Surgiu mais um nome interessado no Paço Municipal em 2020. O vereador Roberto Tourinho, atualmente filiado ao PV, confirmou ao site Acorda Cidade que tem discutido o assunto.  Com sete mandatos, Tourinho é um dos políticos mais respeitados de Feira de Santana e filho de um ex-prefeito, o advogado José Falcão da Silva, que morreu durante o exercício do mandato. Ele se junta a nomes como Fernando Torres, Zé Neto, Zé Chico, Colbert Filho, Angelo Almeida, Carlos Geilson e Targino Machado que também se movimentam para disputar a prefeitura feirense. Toma lá dá cá Ao colocar o cargo

O Rural Feirense

O rural feirense, segundo o último Censo Agropecuário (parte 1)

Foram divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) os números referentes ao Censo Agropecuário realizado em 2017. Os dados são essenciais para que os governos das três esferas – Federal, Estadual e Municipal – elaborem suas políticas, mas são também muito importantes para acadêmicos, estudiosos do tema, para a imprensa especializada e até mesmo para o cidadão que deseja se manter informado sobre o seu município. Uma leva de informações sobre a Feira de Santana já está disponível e pode ser consultada. Os pesquisadores, em suas andanças pelo rural feirense apuraram, por exemplo, que existem exatos 9.191 estabelecimentos

Conhecendo 8 monumentos de Feira de Santana

Preservados ou esquecidos, chamativos ou discretos, os monumentos de Feira de Santana dizem muito sobre a história, o povo, a cultura e outros diversos aspectos de uma cidade que por si só já é monumental. Espalhados pela mancha urbana, cada um carrega consigo um significado e certo apreço por parte da população

Enquanto feirenses, é válido que saibamos da importância e da preservação das criações artísticas que assumem um caráter identitário. Com isso mapeamos alguns dos monumentos mais icônicos da cidade de Feira de Santana, confira:

Monumento Todos os Caminhos

Monumento Todos os Caminhos

 

Encravado no canteiro central da Avenida Getúlio Vargas – uma das principais avenidas do município – o “Monumento Todos os Caminhos” é de autoria do arquiteto e artista plástico Juraci Dória. Foi construído em 1991, e se faz muito atual.

Sua concepção se deu com a tentativa de retratar, através das curvas metálicas, a ideia de que “todos os caminhos levam à Feira de Santana”.

Recentemente, o monumento foi inteiramente restaurado, dando uma aparência mais jovial para esta que talvez seja a obra mais característica da Feira globalizada.

Caixa D’Água do Tomba

Caixa D'Água do Tomba

Foto: Rafael Santos

Audaciosa, moderna e agora iluminada. A Caixa D’Água do Tomba é uma interessante estrutura de arquitetura arrojada em concreto armado localizada na Zona Sul da cidade.

Emblemática desde a sua construção, no início da década de 80, foi idealizada como parte do Sistema Integrado de Abastecimento de Água de Feira de Santana, para servir de reservatório para as águas vindas da Barragem Pedra do Cavalo.

Monumento ao Caminhoneiro

Monumento ao Caminhoneiro

“O Brasil passa por aqui. Dos tropeiros aos caminhoneiros que fizeram e fazem de Feira de Santana uma grande cidade”, isto está escrito em letras garrafais na placa inaugural da obra de arte abstrata do artista Gil Mário, instalada desde 2007 na Praça Jackson do Amauri, no Centro.

Forjada em metal e concreto, através de traços modernos em que se assemelham à silhueta de um caminhão, a obra tem a finalidade de homenagear a classe profissional que atravessa o país de Norte a Sul numa boleia, e que exerce grande influência no contexto econômico e cultural de Feira, os caminhoneiros.

Relógio Rotary

Relógio Rotary

Foto: Washington Nery

Quem costuma passar pela Avenida Getúlio Vargas e dar uma conferida no horário através do “Relógio Rotary” talvez não saiba da história daquele cartão-postal.

O relógio feito em fibra de vidro tem 16 metros e foi projetado pelo arquiteto feirense Amélio Amorim. Fruto da doação do Rotary Club ao município, foi inaugurado em 1997.

Monumento a Maria Quitéria

Monumento Maria Quitéria

Maria Quitéria de Jesus Medeiros, heroína da Guerra da Independência e primeira mulher a entrar em combate pelo Brasil, era feirense – apesar de alguns historiadores afirmarem que, por razões óbvias, a mesma era cidadã cachoeirana. Com isso, nada mais digno seria que uma homenagem vinda da sua terra, e foi assim que se idealizou o “Monumento a Maria Quitéria”.

Instalado no cruzamento das Avenidas Getúlio Vargas e Maria Quitéria, foi desenhado pelo arquiteto Luiz Humberto de Carvalho, doado pelo Rotary Club em 2001 e inaugurado em 2002.

Atualmente o monumento está sendo reconstruído por conta da sua remoção temporária para a construção da passagem de nível do projeto de mobilidade urbana do Bus Rapid Transit Feira (BRT FEIRA).

Monumento ao Tropeiro

Monumento ao Tropeiro

Foto: Washington Nery

De fronte ao Centro de Abastecimento fica a Praça do Tropeiro, point que durante a semana reúne pessoas vindas de toda a região e que abriga o “Monumento ao Tropeiro”. Escultura que homenageia o personagem do imaginário sertanejo – importantíssimo no desenvolvimento da cidade -, que em um passado onde não havia estradas, conduzia as tropas de cavalos e mulas, transportando mercadorias e insumos pelo interior do Brasil.

Monumento a Gorgina Erismann

Monumento a Georgina Erismann

Foto: SECOM/Feira

“Bem nascida entre verdes colinas”, “formosa e bendita” e “descuidosa de sua beleza” são alguns dos versos que Georgina de Mello Erismann utilizou para definir Feira de Santana na composição de seu Hino. Georgina nasceu em 1893 e durante sua vida acumulou incontáveis ocupações: foi professora, musicista, poetisa, pianista e declamadora.

Em 2008 foi homenageada através dos traços de Gil Mário na obra “Liberdade de uma poetisa”. O monumento que tem formas de asas alçando vôo fica na avenida João Durval, próximo ao Shopping Boulevard.

Monumento a Padre Ovídio

Padre Ovídio

O monumento em questão é o mais antigo da cidade, foi forjado em Paris e erguido aqui no ano de 1982. A estátua foi adquirida pelo primeiro intendente, o coronel português Joaquim de Melo Sampaio.

O homenageado, Padre Ovídio Alves de São Boaventura, sempre dedicou sua vida na caridade aos necessitados, principalmente as crianças órfãs. Fundou diversas instituições, reconstruiu a Matriz, planejou a construção de um aprendizado agrícola e libertou escravos.

Preservação

A Lei Municipal Nº 3355, de 21 de Fevereiro de 2013, traz em seu primeiro capítulo os seguintes dizeres:

Art. 1º – O patrimônio cultural é constituído pelos bens de natureza material e imaterial existentes no município, tomados individualmente ou em conjunto, portadores de referência à identidade, à ação, à memória dos diferentes grupos formadores da sociedade local, dentre os quais se incluem:

I – as formas de expressão;

II – os modos de criar, fazer e viver;

III – as criações cientificas, artísticas e tecnológicas;

IV – as obras, objetos, documentos, edificações e demais espaços destinados as manifestações artístico-culturais;

V – os conjuntos urbanos e sítios de valor histórico, paisagístico, artístico, arqueológico, paleontológico, ecológico e cientifico.

De acordo com a lei, os monumentos feirenses fazem parte do patrimônio cultural do município e para tanto precisam ser preservados.

Tags:

Sobre o (a) autor (a):