As Feiras de Feira de Santana

3 Peças de Teatro em setembro

3 peças teatrais imperdíveis que estarão em Feira em setembro

A cena teatral em Feira de Santana é intensa e fértil, com a produção de muitos espetáculos de repercussão e visibilidade nacional, além da recepção de peças de outras partes do país que encontram na cidade acolhimento para suas apresentações. Só para tomar um exemplo, em Feira ocorre um dos maiores festivais de teatro infantil do Brasil – o FENATIFS, que já está organizando sua 12ª edição para 2019. Nesse mês de setembro de 2019, o feirense terá a oportunidade de preencher sua programação com três espetáculos de muita qualidade, abordando a vida de figuras de relevância histórica: a pintora

Augusto Aras e Feira de Santana

A relação do Procurador de Bolsonaro com Feira de Santana

Quem acompanha o noticiário político nacional tem visto o debate em torno da indicação de Antônio Augusto Brandão de Aras para o cargo de Procurador Geral da República, feita pelo presidente Jair Bolsonaro. O que poucos feirenses sabem, entretanto, é que Augusto Aras tem íntima relação com Feira de Santana. Augusto é filho do ex-vereador Roque Aras, que exerceu o mandato na Câmara Municipal feirense entre 1971 e 1975 pelo MDB – partido que fazia oposição ao Regime Militar à época. Roque Aras foi também Deputado Estadual (1975-1979) e Deputado Federal (1979-1983). De acordo com o jornalista Dimas Oliveira, Augusto

Podcast para quem merece

O irreverente “Podcast para quem merece”

É crescente a quantidade de pessoas que consome conteúdo em áudio, no Brasil e no exterior. Dos áudiolivros aos podcasts, muitos usuários aproveitam os momentos de ócio em filas, no transporte ou mesmo nas tarefas domésticas para ouvir notícias, debates, aulas etc. A Rede Globo, por exemplo, percebeu a tendência, e lançou recentemente vários podcasts para sua audiência. Um podcast é como se fosse um programa de rádio, mas não é: em vez de ter uma hora certa para ir ao ar, pode ser ouvido quando e onde o usuário quiser. E em vez de sintonizar numa estação de rádio,

Escola Municipal Maria Andiara Silva Souza

A (falta de) estrutura de uma escola em Jaguara

A diretora da APLB/Feira, professora Marlede Oliveira, visitou na última quarta-feira (4), a Escola Municipal Maria Andiara Silva Souza que fica localizada no Povoado da Barra no Distrito de Jaguara. Na escola foi constatado que: A Escola funciona com apenas duas salas de aula e uma professora para lecionar Infantil, 1° ano, 2° ano, 3° ano, 4º ano e o 5° ano; A professora não tem Reserva de 1/3 da Carga Horária; A Escola não tem Internet nem Coordenador Pedagógico. Metas do IDEB Desde 2011, Feira não atinge as metas do Ideb para os anos iniciais do Ensino Fundamental. O

“não é pressa, é saudade dela”

“Não é pressa, é saudade dela”

No auge da minha adolescência – nem faz muito tempo assim – eu tinha uma vontade: viajar por aí de caminhão. Pegar umas caronas com os caminhoneiros e partir sem um rumo certo. Apenas vivendo um momento de cada vez, em cada rodovia e estrada desse nosso tão grande país. Mas a vida adulta chega trazendo responsabilidades e os anseios por aventuras adormecem um pouco. Enquanto lembrava disso, percebi que a figura do caminhoneiro é um tanto fascinante… Observe que todos os meus anseios da adolescência é algo rotineiro para eles. Os caras não param, vivem o momento seja lá

Conhecendo 8 monumentos de Feira de Santana

Preservados ou esquecidos, chamativos ou discretos, os monumentos de Feira de Santana dizem muito sobre a história, o povo, a cultura e outros diversos aspectos de uma cidade que por si só já é monumental. Espalhados pela mancha urbana, cada um carrega consigo um significado e certo apreço por parte da população

Enquanto feirenses, é válido que saibamos da importância e da preservação das criações artísticas que assumem um caráter identitário. Com isso mapeamos alguns dos monumentos mais icônicos da cidade de Feira de Santana, confira:

Monumento Todos os Caminhos

Monumento Todos os Caminhos

 

Encravado no canteiro central da Avenida Getúlio Vargas – uma das principais avenidas do município – o “Monumento Todos os Caminhos” é de autoria do arquiteto e artista plástico Juraci Dória. Foi construído em 1991, e se faz muito atual.

Sua concepção se deu com a tentativa de retratar, através das curvas metálicas, a ideia de que “todos os caminhos levam à Feira de Santana”.

Recentemente, o monumento foi inteiramente restaurado, dando uma aparência mais jovial para esta que talvez seja a obra mais característica da Feira globalizada.

Caixa D’Água do Tomba

Caixa D'Água do Tomba

Foto: Rafael Santos

Audaciosa, moderna e agora iluminada. A Caixa D’Água do Tomba é uma interessante estrutura de arquitetura arrojada em concreto armado localizada na Zona Sul da cidade.

Emblemática desde a sua construção, no início da década de 80, foi idealizada como parte do Sistema Integrado de Abastecimento de Água de Feira de Santana, para servir de reservatório para as águas vindas da Barragem Pedra do Cavalo.

Monumento ao Caminhoneiro

Monumento ao Caminhoneiro

“O Brasil passa por aqui. Dos tropeiros aos caminhoneiros que fizeram e fazem de Feira de Santana uma grande cidade”, isto está escrito em letras garrafais na placa inaugural da obra de arte abstrata do artista Gil Mário, instalada desde 2007 na Praça Jackson do Amauri, no Centro.

Forjada em metal e concreto, através de traços modernos em que se assemelham à silhueta de um caminhão, a obra tem a finalidade de homenagear a classe profissional que atravessa o país de Norte a Sul numa boleia, e que exerce grande influência no contexto econômico e cultural de Feira, os caminhoneiros.

Relógio Rotary

Relógio Rotary

Foto: Washington Nery

Quem costuma passar pela Avenida Getúlio Vargas e dar uma conferida no horário através do “Relógio Rotary” talvez não saiba da história daquele cartão-postal.

O relógio feito em fibra de vidro tem 16 metros e foi projetado pelo arquiteto feirense Amélio Amorim. Fruto da doação do Rotary Club ao município, foi inaugurado em 1997.

Monumento a Maria Quitéria

Monumento Maria Quitéria

Maria Quitéria de Jesus Medeiros, heroína da Guerra da Independência e primeira mulher a entrar em combate pelo Brasil, era feirense – apesar de alguns historiadores afirmarem que, por razões óbvias, a mesma era cidadã cachoeirana. Com isso, nada mais digno seria que uma homenagem vinda da sua terra, e foi assim que se idealizou o “Monumento a Maria Quitéria”.

Instalado no cruzamento das Avenidas Getúlio Vargas e Maria Quitéria, foi desenhado pelo arquiteto Luiz Humberto de Carvalho, doado pelo Rotary Club em 2001 e inaugurado em 2002.

Atualmente o monumento está sendo reconstruído por conta da sua remoção temporária para a construção da passagem de nível do projeto de mobilidade urbana do Bus Rapid Transit Feira (BRT FEIRA).

Monumento ao Tropeiro

Monumento ao Tropeiro

Foto: Washington Nery

De fronte ao Centro de Abastecimento fica a Praça do Tropeiro, point que durante a semana reúne pessoas vindas de toda a região e que abriga o “Monumento ao Tropeiro”. Escultura que homenageia o personagem do imaginário sertanejo – importantíssimo no desenvolvimento da cidade -, que em um passado onde não havia estradas, conduzia as tropas de cavalos e mulas, transportando mercadorias e insumos pelo interior do Brasil.

Monumento a Gorgina Erismann

Monumento a Georgina Erismann

Foto: SECOM/Feira

“Bem nascida entre verdes colinas”, “formosa e bendita” e “descuidosa de sua beleza” são alguns dos versos que Georgina de Mello Erismann utilizou para definir Feira de Santana na composição de seu Hino. Georgina nasceu em 1893 e durante sua vida acumulou incontáveis ocupações: foi professora, musicista, poetisa, pianista e declamadora.

Em 2008 foi homenageada através dos traços de Gil Mário na obra “Liberdade de uma poetisa”. O monumento que tem formas de asas alçando vôo fica na avenida João Durval, próximo ao Shopping Boulevard.

Monumento a Padre Ovídio

Padre Ovídio

O monumento em questão é o mais antigo da cidade, foi forjado em Paris e erguido aqui no ano de 1982. A estátua foi adquirida pelo primeiro intendente, o coronel português Joaquim de Melo Sampaio.

O homenageado, Padre Ovídio Alves de São Boaventura, sempre dedicou sua vida na caridade aos necessitados, principalmente as crianças órfãs. Fundou diversas instituições, reconstruiu a Matriz, planejou a construção de um aprendizado agrícola e libertou escravos.

Preservação

A Lei Municipal Nº 3355, de 21 de Fevereiro de 2013, traz em seu primeiro capítulo os seguintes dizeres:

Art. 1º – O patrimônio cultural é constituído pelos bens de natureza material e imaterial existentes no município, tomados individualmente ou em conjunto, portadores de referência à identidade, à ação, à memória dos diferentes grupos formadores da sociedade local, dentre os quais se incluem:

I – as formas de expressão;

II – os modos de criar, fazer e viver;

III – as criações cientificas, artísticas e tecnológicas;

IV – as obras, objetos, documentos, edificações e demais espaços destinados as manifestações artístico-culturais;

V – os conjuntos urbanos e sítios de valor histórico, paisagístico, artístico, arqueológico, paleontológico, ecológico e cientifico.

De acordo com a lei, os monumentos feirenses fazem parte do patrimônio cultural do município e para tanto precisam ser preservados.

Tags:

Sobre o (a) autor (a):