As Feiras de Feira de Santana

O pintor feirense Cesar Romero

O pintor feirense Cesar Romero

Quem acompanha o cenário das artes plásticas da Bahia certamente já ouviu falar ou já se deparou com alguma obra do pintor Cesar Romero. O que nem todos sabem é que o artista plástico autor das “Faixas Emblemáticas” é feirense, nascido em 1950. “Dois fatos foram determinados em minha formação de artista plástico: a convivência com as feiras livres, sempre às segundas-feiras, em companhia do meu pai, e a criação do Museu Regional de Feira de Santana. Se eu tivesse nascido em outra cidade, muito provavelmente não haveria o artista que sou, nem esta obstinada escolha de brasilidade. Feira de

Quanto custa a Câmara de Vereadores de Feira de Santana?

Quanto custa a Câmara de Vereadores de Feira?

A Câmara de Vereadores é uma instituição importantíssima para qualquer município. Suas cadeiras são ocupadas pelos representantes políticos mais próximos à comunidade: os vereadores, eleitos principalmente pela capacidade de interlocução e liderança em determinados bairros e comunidades. Além de levar demandas da comunidade ao Poder Executivo, mantendo diálogo permanente com secretários, superintendentes e outros gestores, o vereador deve cumprir o papel fiscalizador das ações e decisões emanadas do Prefeito. Sem falar no papel de legislador e promotor de debates sobre temas de interesse da comunidade, fazendo com que os munícipes tenham participação ativa nas políticas públicas. Quanto mais os vereadores

Colbert proíbe atividades extraescolares

Colbert proíbe atividade extraescolar nas escolas de Feira

O Prefeito Colbert Martins, desde o final de outubro de 2018, resolveu cancelar todas as atividades externas com os alunos da rede municipal de ensino. A medida foi tomada em virtude da morte do estudante que se afogou durante um passeio escolar, em um sítio localizado no bairro Conceição. O passeio fazia parte de uma atividade em comemoração ao Dia das Crianças. Datas importantes Com a medida os estudantes ficaram de fora do Natal Encantado 2018 e do desfile do dia 2 de julho no distrito de Maria Quitéria. E neste segundo semestre não vão participar (se a proibição permanecer), de

Feira na próxima década

A Feira que se deseja para a próxima década (III)

Não é de hoje que a mudança do Terminal Rodoviário da Feira de Santana é tema nas conversas de muitos feirenses. Desde o início do século, nas campanhas eleitorais, candidatos a prefeito anunciam a intenção de transferir o equipamento. Até hoje nenhum passo foi dado. Mas tudo indica que, ano que vem, mais uma vez, nas eleições municipais, a questão vai ser abordada, sobretudo nos debates em emissoras de rádio e tevê, cujo clima é adequado aos anúncios bombásticos. Há um charme transformador, futurista, visionário, ao se tratar do tema. Os candidatos a prefeito em 2020 já devem estar de

João Gilberto

Bar feirense faz homenagem a João Gilberto

No último dia 6 de julho, morreu um dos ícones da Música Popular Brasileira, o baiano e juazeirense João Gilberto. Considerado o “pai da Bossa Nova”, João foi um dos mais reconhecidos artistas brasileiros em todo o mundo. Em 2017, a revista Rolling Stones resumiu bem a inventividade de João Gilberto: “Antes de João Gilberto, o violão era o complemento para o voz. Na música do mestre da bossa, voz e violão se tornam uma única entidade. Aparentemente simples, na verdade a técnica de João exibe uma precisão matemática.”   Em uma das raras entrevistas que concedeu, na década de

Felipe Rocha: um modelo feirense na São Paulo Fashion Week

Um dos momentos de destaque da São Paulo Fashion Week 2016 foi o desfile da LAB, grife dos rappers Emicida e Evandro Fióti. A ação, que contou com a participação majoritária de modelos negros e negras, teve o objetivo de quebrar os diversos padrões estéticos que são tão habituais no mundo da moda.

Entre o casting de modelos convidados para participar da apresentação está Felipe Rocha, um jovem feirense que vem ganhando espaço em várias campanhas e passarelas pelo país.

Feirense do lote de 1997, o rapaz tem 19 anos e acumula uma gama de jobs na sua breve jornada como modelo. Com 8 meses de carreira e quase mil inscritos no seu canal do YouTube, já participou de incontáveis ensaios, uma porção de desfiles, além de campanhas para lojas de departamento e grifes (já trabalhou para marcas como Cavalera, Ellus e C&A).

Entramos em contato com ele para um bate papo sobre carreira, representatividade, moda e o fator feirense de ser. Confira:

O modelo feirense Felipe Rocha na São Paulo Fashion Week, desfilando para a LAB. Foto: Divulgação

O modelo feirense Felipe Rocha na São Paulo Fashion Week, desfilando para a LAB. Foto: Divulgação

Feirenses: Como e quando a moda surgiu em sua vida?

Felipe Rocha: Sempre que eu via revistas, outdoors e campanhas, crescia um desejo enorme de me tornar um modelo. Desejo esse que foi se esfriando com o passar dos anos por não haver como virar realidade. Mas depois que eu vi que sim, era possível, fiz de tudo para dar certo… E olha só aonde eu estou.

Feirenses: Como surgiu o convite para o SPFW?

Felipe Rocha: Na verdade os modelos não recebem convite para desfilar. Nós participamos de um casting, que é quando os modelos são avaliados pelo cliente, e se formos o perfil que se encaixa na história do desfile, aí sim somos selecionados.

Feirenses: De onde surgiu a ideia do seu canal do YouTube e qual a proposta dele?

Felipe Rocha: No começo eu fazia vlogs com temas do cotidiano, mas quando eu cheguei em São Paulo resolvi dar uma repaginada no meu conteúdo e mostrar para a galera como realmente é a vida de modelo. Estou muito feliz com o retorno que estou tendo no canal.

Feirenses: Fala um pouco sobre a vida e a rotina de modelo

Felipe Rocha: Cada dia é completamente diferente um do outro… Casting, desfiles, campanhas, fitting, editorias… cada dia uma correria. Eu sempre posto tudo no history do Instagram, é a melhor forma de acompanhar tudo de pertinho.

Feirenses: Você é de qual bairro aqui de Feira? Você nasceu aqui?

Felipe Rocha: Eu morava na Vila Olímpia. Sou de Feira, rapaz! Nasci na Bahia e a primeira vez que eu saí dela foi para vir a São Paulo.

Feirenses: Como você foi descoberto?

Felipe Rocha: Eu participei do concurso de uma agência em Feira de Santana que queria descobrir new faces, consegui passar por todas as etapas do concurso e fui o campeão.

Felipe Rocha em campanha da C&A

Felipe Rocha em campanha da C&A. Foto: Divulgação

Feirenses: Como aconteceu sua ida para São Paulo?

Felipe Rocha: Depois de alguns meses trabalhando com a agência, vim para São Paulo com o professor do concurso que selecionou alguns modelos para construir uma carreira.

Feirenses: Como você se sente sendo um modelo negro em meio a uma sociedade racista que impõe padrões estéticos próximos do padrão europeu?

Felipe Rocha: Acredito que eu cheguei no mundo da moda num momento em que essa realidade está mudando. Cada vez mais a moda se transforma e exige perfis interessantes e diferentes. E para falar a verdade, eu estou muito feliz em ter aparecido nesse momento.

Feirenses: Quem te inspira no mundo da moda?

Felipe Rocha: Eu gosto muito do modelo Sean O’pry e do estilista João Pimenta. São profissionais incríveis que eu acompanho faz muito tempo. E adoro o trabalho do Vitorino Campos, para quem já desfilei duas vezes. Sem esquecer que ele é nosso conterrâneo.

Feirenses: Racismo, como você lida com ele?

Felipe Rocha: Eu sempre tive um escudo contra o racismo, pouquíssimas vezes sofri racismo diretamente. Atualmente estou numa vibe tão feliz com tudo que está acontecendo na minha vida que eu resolvi fortalecer meu escudo, e depois que fiz isso ficou muito mais fácil viver sem se preocupar com tanto problema. Tenho uma tese de que quanto menos você se vitimiza esses problemas vão perdendo a força.

Feirenses: Quais dicas você daria para uma pessoa que quer ser modelo?

Felipe Rocha: Persistência e muito desejo são palavras chave para começar a se destacar no mundo da moda. Sem elas eu não teria saído do lugar.

Feirenses: Fala de alguns trabalhos de destaque que você já participou…

Felipe Rocha: Eu já fiz várias campanhas para a C&A. Tenho como um job superimportante. Mas já fiz editorias para revista Elle e Lofficiel com profissionais tão incríveis com Paulo Martinez dando Styling e Nicole Heiniger fotografando que me ganharam para sempre. Sou fã deles!


Acompanhe Felipe Rocha através do Facebook, do YouTube ou do Instagram.


Sobre o (a) autor (a):