As Feiras de Feira de Santana

Roça Sound

Roça Sound expõe a Feira de Santana clandestina

Saiu o novo clipe do Roça Sound, uma interpretação audiovisual apurada da música “Verde e Cinza”, que compõe o álbum “Tabaréu Moderno”, o mais recente do grupo. A música e o clipe integram uma das mais importantes obras contemporâneas de interpretação de Feira de Santana e sua cultura. “Verde e Cinza”, já no título, denuncia essa cidade contraditória, que vive entre uma tradição rural, feirante, e uma sanha modernizante expressa nas obras cheias de concreto e vazias de humanidade. Mas não para por aí, afinal, Clóvis Ramaiana já notou e denunciou isso há muito. A canção expõe a visceral clandestinidade

Cooperativas em Feira de Santana

Cooperativas com os dias contados em Feira de Santana

O Tribunal de Contas dos Municípios (TCM) e o Ministério Público da Bahia (MP-BA) exigiram que a Prefeitura Municipal de Feira de Santana não faça mais contratações de servidores através de cooperativas. Novas Contratações Colbert Martins disse ao Acorda Cidade que as contratações só poderão ocorrer via Organização Social (OS), seleção pública (Reda) ou concurso público. Ao atender essa recomendação, é provável que aumente o número de processos seletivos para contrações temporárias. Fim das indicações políticas Infelizmente, com o fim das contratações via cooperativas, não é certo de que acabem também as indicações políticas. A contratação de Organização Social permite

Vai ter Feira Noise Festival em 2020

O Feira Coletivo Cultural e a Banana Atômica realizaram no último final de semana, em Feira de Santana (BA), uma edição histórica em comemoração aos 10 anos de existência do Feira Noise Festival. O evento aconteceu entre os dias 22 a 24, no Ária Hall, reforçando sua importância para a consolidação da cena local, além de manter Feira de Santana na rota de circulação de bandas e artistas independentes. Ao todo, 33 atrações se revezaram entre os palcos Banana Atômica e Budweiser, sendo 13 delas de Feira de Santana. Importantes nomes da música brasileira contemporânea como Supercombo, Francisco El Hombre, Black Pantera, Potyguara Bardo,

O fenômeno flamenguista em Feira de Santana

Na manhã dessa segunda-feira, a Praça da Bandeira foi a arena onde se discutiu sobre o mais importante e popular time de futebol brasileiro. — É óbvio que o Bahia é de mais importância. O Brasil nasceu onde? Se é aqui o início do Brasil, o Bahia é o time do nosso povo, defendia Papinho, torcedor patológico do Bahia. — O Flamengo, companheiro, é o time das massas, o time rubro, castanho, caboclo, representando os índios, e negro, quilombola, africano, representando o povo escravizado, proclamava Seu Teófilo, tomando caldo de cana para curar a ressaca da comemoração dos dois títulos

Roça Sound

“Tabaréu Moderno”, o novo álbum do Roça Sound

“Tabaréu Moderno” é o terceiro disco do grupo Roça Sound. Lançado no último dia 15 de novembro, o novo álbum estava sendo esperado pelo público que acompanha o trabalho dos feirenses desde “Você Aguenta Quantos Rounds?”, de 2014. Formado por NickAmaro (DJ/ MC), Paulo Bala (MC), Dom Maths (MC) e o dançarino Edy Murphy, o Roça Sound explora sonoridades que vão desde a Cultura Nordestina, Rap, Dembow, Reggae, e o DanceHall, tendo o suingue como sua marca principal. Em “Tabaréu Moderno”, trazem nove faixas autorais e inéditas, com as participações da Orquestra Reggae de Cachoeira, Quixabeira da Matinha, Bel da

Moda na Sales Barbosa: encontrando tendências do Inverno 2016

Começo este meu primeiro post citando um poema de um acadêmico, advogado, jornalista, abolicionista e poeta romântico:

“Na sala das refeições

Junto ao pápá; cuidadosas

Lindas yáyás cor das rosas

Fazem crochet; dão lições…”

Eu vos apresento esse feirense multifacetado com nome de Francisco de Sales Barbosa, nascido em 1862. E foi por causa deste “meigo filósofo”, como era chamado pelo seu amigo Visconde de Taunay, que a antiga “rua do meio” passou a ser chamada de Sales Barbosa, mais conhecida como Calçadão da Sales (para quem ainda não se situou, é aquela rua que tem de “um tudo” e liga a praça Fróes da Motta ao centro comercial da cidade, na altura do Mercado de Arte Popular).

O calçadão, de uma ponta a outra, é uma verdadeira miscelânea. E, muitas vezes, o divertido é se perder para encontrar o que se quer. De camelôs a shopping popular, passando por armarinhos, lanchonetes, farmácias e por aí vai… Mas o seu forte mesmo é a moda. Ah, a moda… Peças industrializadas e handmade, marcas conhecidas, estilistas anônimos, infinitos estilos e possibilidades.

Nas minhas andanças pelo universo da moda, participei do seminário Senac SP Moda Informação/Inverno 2016. Em meio a tantas informações, palestras, vídeos, estilos, cores, materiais, tecidos e estampas, me deparei com a interessante exposição da coleção que seria a tendência deste inverno, este que sentimos agora. Instantaneamente, liguei essas produções à minha querida e diversificada Sales, me senti como no emaranhado do crochet das lindas yáyás.

Então resolvi lançar-me o desafio: fazer produções de moda na Sales Barbosa, tendo como referências algumas tendências nacionais e internacionais vistas naquele importante evento de moda, a fim de inspirar vocês, queridas leitoras, a fazerem os seus próprios looks.

Basta colocar em prática a criatividade e arrasar nas produções.

Boa sorte!

Sessentinha

Uma tendência de muita alfaiataria com inspiração na modelagem dos anos 60. Casacos, gola alta, detalhes em pele sintética colorida, materiais iridescentes e metalizados são o forte dessa tendência.

Cartela de cores: Violeta, azul, ultramar, bordô, mel, vermelho, blush e tons adocicados.

Sessentinha

Obs.: A estampa da saia chama-se poá. E quando as bolinhas são pequenas, petit poá (ou, em francês, petit-pois).

Decor Mix

Inspirada na ornamentação, tem como referência os anos 70 e o mundo folk. Muitas peças ricas em detalhes e de aspecto artesanal. Estamparias e cores são inspiradas os elementos da natureza que dá equilíbrio aos casacos de pele mais estruturados e em alguns casos casacos mais pesados.

Cartela de cores: Preto, verde garrafa, abóbora, caramelo, beterraba, cereja e cacau.

Decor Mix

Zona de Conforto

Não existe nome mais apropriado para esta tendência. Tecidos, formas e texturas aconchegantes como um abraço. Peças confortáveis, casamento perfeito de sobreposições são os agasalhos oversized, muitas vezes em tricô com saias e calças. Tudo muito prático e minimalista, o luxo dessa tendência está na simplicidade.

Cartela de cores: Nude, leite, rosê, cogumelo, marinho, violeta e verde militar.

Zona de Conforto

 

Modelo: Ruth Cerqueira Maia

Fotos: Ena Lélis

Maquiagem: Jane Bispo


Sobre o (a) autor (a):