As Feiras de Feira de Santana

Fartura & Ossos

“Fartura & Ossos” – O novo livro do poeta Silvério Duque

O músico, professor, crítico literário e poeta feirense Silvério Duque acaba de lançar seu novo livro: “Fartura & Ossos”, obra que o autor descreve como sua “lira dos quarent’anos”. O livro, que traz 25 sonetos compostos entre 31 de março de 2018 e 31 de março de 2019, é uma auto-homenagem aos 40 anos de vida do autor. Com desenho de capa do artista plástico Gabriel Ferreira, posfácio de Elpídio Dantas Fonseca e prefácio do próprio autor, com efeito, “Fartura e Ossos”, segundo Elpídio Fonseca, “remete a várias situações descritas em seus sonetos: a superabundância da vida vivida, da qual só

BRT de Feira cada vez mais longe

BRT cada vez mais longe

Com queda no número de passageiros, BRT fica mais longe de ser implantado em Feira Cerca de 10% da frota do transporte público de Feira de Santana deixou de circular, devido à queda no número de passageiros. Trabalhadores do setor também foram demitidos. Associação alertou a pouca demanda de passageiros para a implantação do BRT Em agosto de 2015, a Associação Feirense de Engenheiros (AFENG), apresentou parecer técnico sobre o resultado da análise do “Sistema BRT Feira de Santana” e alertou sobre o volume de passageiros no momento mais crítico do dia, cerca de 5 mil passageiros por hora/sentido. Mas

Banda Calafrio

“Hiato”, o novo single da banda feirense Calafrio

“Um estado de ceticismo quase que total, ausência de sentidos e porquês, um momento de niilismo. O pensamento vagueia pela morte mas em busca de vida”, descreve o guitarrista Pedro Patrocínio, se referindo à letra de “Hiato”, o segundo single de seu novo EP. “A existência dessa canção se dá num momento de reclusão, numa jornada solitária com um pouco de autodestruição e muito de autoconhecimento”, explica o músico. “Hiato” é uma das cinco faixas do EP homônimo que a banda irá lançar até o final deste ano. Em setembro, eles apresentaram ao público o single “Primitivos”, que também ganhou um videoclipe, disponível no

Ícaro Irvin

O novo Procurador do Município

Colbert indica o novo Procurador do Município Ícaro Ivvin, atual superintendente do Procon, foi indicado pelo prefeito Colbert Martins, para ocupar a Procuradoria Geral do Município, no lugar de Cleudson Almeida. O nome de Ícaro foi aprovado na última quarta-feira (23), em votação unânime, pela Câmara Municipal de Feira de Santana. E quem vai assumir o Procon? O prefeito informou que vai convidar Cleudson Almeida para assumir o Procon, quando retornar de Brasília. Vereadores criticam o presidente Jair Bolsonaro Em pronunciamento, na sessão ordinária da última quarta-feira (23), na Câmara Municipal de Feira de Santana, o edil Carlito do Peixe

A “meia década” perdida da Saúde em Feira

A “meia década” perdida da Saúde em Feira

Os repasses para a Saúde em Feira de Santana tiveram leve elevação em relação aos anos anteriores, nos primeiros nove meses de 2019. O problema é que a base anterior é modesta, decorrente da prolongada crise econômica que abalroou o País – e as contas públicas – a partir de meados de 2014. Desde janeiro, foram aportados R$ 144,5 milhões em transferências obrigatórias e voluntárias. Os dados são do Portal da Transparência e referem-se, em toda a análise, aos nove primeiros meses de cada ano. A correção ocorreu com base no Índice de Preço ao Consumidor Amplo, o IPCA. Ano

Marcas de Feira

Um dia desses, meu colega de faculdade apareceu com uma tatuagem nova lá na sala e a gente começou a viajar no desenho. Os traços eram estranhamente familiares. Mas nada de absurdo uma tattoo ser repetida por aí. A questão é que a tatuagem trazia uma sensação de pertencimento. Como se a visse diariamente em lugares muito próximos. Então percebi de onde vinha a sensação. Do Viaduto da João Durval. Mais especificamente de um grafite feito por um artista da terra: Kbça.

O grafiteiro e tatuador reproduziu seus traços expostos nas ruas de Feira na pele do meu colega, e isso me levou a uma reflexão aleatória do que isso pode significar. Perguntei a Luan – o colega tatuado – se ele conhecia o tal grafite e se tinha escolhido os traços com base nisso. Ele me respondeu que não. Se foi algo proposital ou se foi apenas mais um traço característico da linguagem do artista, não faço ideia. Mas só pude pensar em uma coisa: de certa forma Feira está, literalmente, marcada em meu colega. E Feira está marcada em todos nós, de alguma forma.

Tatuagem de Kbça

Tatuagem feita pelo grafiteiro Kbça. Foto: Luan Alves

Aqui é onde estamos por agora. Onde vivemos, sonhamos, trabalhamos, estudamos, aproveitamos os momentos e nos estressamos em outros, também. Mas estamos e somos em Feira. Seja por nascimento ou de passagem até se formar na faculdade, esta cidade do centro-norte baiano é nosso lugar. Esta cidade nos marca todos os dias e nós a marcamos do mesmo jeito.

Kbça marcou Feira e Feira marcou Luan. Mesmo não aparentando ser totalmente intencional. Talvez quando meu colega for embora para, sei lá, São Paulo, ele vai olhar para sua perna e lembrar do grafite exposto no viaduto. A marca da cidade está nele e ele marcado na cidade. Assim como eu, como cada um de nós que cruzamos por Feira em algum momento da vida. Deixaremos aqui muitos rastros, e a Princesinha muitas outras marcas que nos moldaram pela vivência.

Enfim, não sei se eu, Luan ou Kbça passaremos o resto da vida por aqui ou se seguiremos rumos ainda não imaginados. O fato é que estou plenamente convicto de que essa cidade permanecerá em nós e nós nela. As coisas mudam, mas marcas sempre permanecem.


Sobre o (a) autor (a):