Rio Jacuípe

Zé Neto

Zé Neto é pré-candidato a Prefeito de Feira

PT lança pré-candidatura a prefeito de Feira Na tarde do último sábado (13), a executiva, o diretório, a militância, filiados e simpatizantes do Partido dos Trabalhadores (PT) se reuniram em Feira e decidiram por unanimidade lançar a pré-candidatura de Zé Neto para prefeito de Feira de Santana. Prefeito Colbert Martins completa um ano de governo Na quarta-feira (10), Colbert completou um ano no cargo de prefeito, e o líder do governo na Câmara de Vereadores, Marcos Lima, soltou essa: “O povo ainda sente saudade de José Ronaldo”. Ex-prefeito Tarcísio Pimenta é condenado por improbidade administrativa A pedido do Ministério Público

Artistas feirenses levam projeto para a África

O projeto “Circulação da Música Afro-Baiana 2019” levará o produtor cultural Uyatã Rayra e os músicos Bel da Bonita e Ravel Conceição do grupo musical Africania para África do Sul e Moçambique. A circulação internacional teve início na sexta-feira (5), extendendo-se até o dia 22 de abril. Oriundos de Feira de Santana, os integrantes do projeto pretendem estabelecer um intercâmbio entre a cultura musical da Bahia e dos países visitados. Serão ministradas oficinas rítmicas de Samba de Roda do Sertão e de Forró Pé-de-Serra, além de uma palestra sobre as influências do samba nos ritmos de forró. O cronograma conta

Crescimento do Bolsa Família em Feira

Há margem para ampliação do Bolsa Família em Feira

Em março, o número de beneficiários do Programa Bolsa Família (PBF) em Feira de Santana estava aquém do estimado pelo Ministério da Cidadania, o recauchutado Ministério do Desenvolvimento Social de tempos atrás. Segundo o órgão, 31.662 famílias foram contempladas com o benefício no mês passado, o que corresponde a 66,94% da estimativa de famílias pobres no município. Isso significa que, potencialmente, um terço das famílias com perfil para o programa não recebe o benefício. O Ministério da Cidadania constata que o “município está abaixo da meta do programa”. E recomenda a realização de “busca ativa para localizar famílias que estão

Mudança Secretaria da Educação

Mudança à vista na Secretaria de Educação

Vereadores da base governista criticam o Secretário Edson Borges Pablo Roberto, José Carneiro e João Bililiu criticaram publicamente o Secretário de Cultura, Esporte e Lazer, Edson Borges, porque alguns artistas da terra ficaram de fora da Micareta deste ano. É isso que chamamos de fogo amigo! Por falar em festa, comemoraram aniversário… A Guarda Civil Municipal de Feira de Santana, que completou na segunda-feira (25), 126 anos de existência. E um buraco na Rua Visconde do Mauá, no Bairro Caseb, em Feira de Santana, ganhou até um buquê de flores dos moradores para comemorar seu 1º aniversário. E quem não

Nilda Carvalho Cunha

A feirense que foi presa e torturada na Ditadura

O período da Ditadura Militar no Brasil, iniciado a partir do golpe que depôs o Presidente João Goulart em 1964, ficou marcado por práticas autoritárias como a censura, a tortura e o desaparecimento de opositores do Regime. Entre os abusos cometidos pelo Estado naquela época, está a prisão e tortura de Nilda Carvalho Cunha, a feirense que tinha apenas 17 anos quando foi presa e torturada, por suspeita de associação à militante de esquerda Iara Iavelberg. Pouco tempo depois de sua prisão, carregando as sequelas da tortura, Nilda morreu. A seguir, o relato completo da história de Nilda Carvalho, retirado

Experiência feirense: o show da Legião Urbana

Era uma sexta-feira. Para ser mais exato, era dia 1 de julho. Foi nesse dia que uma das coisas mais legais me aconteceu. Naquela noite o frio permeava minha barriga de uma forma absurda – creio eu que o fato de ser uma noite de inverno agravava mais ainda a situação.

Grandes filas se formavam nas entradas da casa de shows, pessoas de diferentes idades, credos, raças e ideologias estavam ali, todas com o mesmo intuito, o de participar da celebração de trinta anos do primeiro disco da Legião Urbana. Confesso que a ansiedade havia se tornado presente desde o dia que havia comprado o tal ingresso, meses antes.

Uma atração local foi a primeira a se apresentar no palco principal. Guymeo Jumonji estava magnífico com seu violão, sua pluralidade musical representava de forma louvável os artistas locais que animam a noite feirense.

Legião Urbana

Legião Urbana em Feira de Santana. Foto: Ária/Divulgação

Eram quase onze da noite quando a Legião Urbana subiu ao palco, pela primeira vez estavam se apresentando na cidade. A euforia tomou conta do público de forma unânime, a casa de shows estava lotada, os ingressos haviam esgotado. No palco, os Renatos não estavam, nem o Russo, nem o Rocha – ambos já falecidos, abençoavam a noite que prometia e muito. André Frateschi, Dado Vila-Lobos, Marcelo Bonfá e convidados revezavam para cumprir a difícil tarefa de assumir os vocais do insubstituível Russo.

“Sim, caro leitor, eu fui em um show da Legião Urbana!”

O público acompanhava cada música, suas vozes ecoavam em uníssono e por diversas vezes assumiam o protagonismo, isso fez com que o arrepio se tornasse coletivo, e assim se fez durante todo o repertório. “Será”, “Geração Coca-Cola”, “Por Enquanto”, “O Reggae”, “Pais e Filhos”, “Tempo Perdido” e “Faroeste Caboclo” foram alguns dos sucessos, que compostos há décadas, descrevem facilmente a atualidade, o momento político que vivemos, os sentimentos e as desilusões intrínsecas na vivência humana, além de toda a problemática e a beleza do caos urbano, em especial do Distrito Federal.

Legião Urbana em Feira de Santana

Legião Urbana em Feira de Santana. Foto: Ária/Divulgação

Um túnel no tempo havia sido aberto desde o início do show, os meninos de Brasília que movimentaram e influenciaram multidões na década de 80, faziam isso novamente. Dessa vez para um público não unicamente jovem, mas para um misto de gerações que ao decorrer de mais de trinta anos acompanham as poesias contemporâneas do grupo.

Qualquer tentativa de resumir tal ocasião seria um fracasso, pois aquele foi um momento único que vai ficar na história de cada pessoa que o presenciou, uma oportunidade que no imaginário de alguns parecia impossível. Por isso eu digo: sim, caro leitor, eu fui em um show da Legião Urbana!

A Legião Urbana

Legião Urbana

A banda foi formada em 1982, em Brasília, após uma discussão de Renato Russo com sua antiga banda, Aborto Elétrico. O surgimento do grupo se deu na capital nacional, em um momento onde a efervescência política e social era extremamente evidente.

Lançaram diversos álbuns entre 1985 e 2001, somando mais de 25 milhões de discos vendidos. A banda foi desfeita após a morte do seu vocalista e líder, Renato Russo, em 11 de outubro de 1996 e retornou em 2015, com a turnê comemorativa “Legião Urbana XXX anos”.

Turnê XXX anos

Legião Urbana 30 anos

A turnê XXX anos está na estrada desde outubro de 2015, celebrando os trinta anos do primeiro disco da banda ícone da cultura pop brasileira. O início da turnê é uma vitória, tanto para os fãs, quanto para os últimos integrantes da formação original, Marcelo Bonfá e Dado Vila-Lobos. Os dois lutavam na justiça desde 2013 pela causa contra Giuliano Manfredini, filho de Renato Russo e proprietário da LU Produções Artísticas, que detinha a propriedade da marca e que tentava proibi-los de usufruir dos direitos do uso do nome da banda.

Hoje já são mais de cinquenta cidades que receberam a turnê e em todas elas as apresentações foram um verdadeiro sucesso, tanto em público, quanto em crítica.


Sobre o (a) autor (a):