Rio Jacuípe

Jogo de Nonô

O jogo de Nonô

“Tira a mão do ovo, Nonô!”, protesta Toinho Cabeção quando o coroa de 86 anos chega para almoçar. É assim todo início de mês: Nonô chega na lanchonete do Centro Mandacaru apoiando uma mão na bengala e a outra oscilando entre o bolso e algumas coçadinhas no meio da calça. Ele não terceiriza o saque da aposentadoria, tanto por vigilância orçamentária quanto por deleite ritualístico: após ir ao banco, compra os remédios do mês, apara o cabelo que lhe resta e arrisca tornar-se milionário nos seis números da mega. “Jogar na mega pra onde, Nonô? Vai gastar esse milhão com

Colbert e Targino

Targino e Colbert trocam farpas

Sem informação Após a população do Conjunto Viveiros realizar uma manifestação por conta da falta de médico no Posto de Saúde da localidade, o prefeito Colbert Martins disse o seguinte: “não tinha informação que o posto médico do Viveiros estava tanto tempo (cerca de sete meses) sem médico”. Targino cobra afastamento da Secretária de Saúde e do Procurador do município O Deputado Estadual Targino Machado (DEM), durante pronunciamento na tribuna da Assembleia Legislativa da Bahia, nesta terça-feira, 21, cobrou do prefeito de Feira de Santana, o afastamento da Secretária Municipal de Saúde, Denise Mascarenhas, e do Procurador do município, Cleudson

Roberto Mendes

Roberto Mendes faz show na Cidade da Cultura

Um dos maiores artistas que a Bahia produziu estará em Feira de Santana na próxima quinta-feira: o cantor, compositor e ativista santamarense Roberto Mendes faz show na Cidade da Cultura, um dos principais espaços culturais de Feira de Santana. Mendes apresentará um show com tema caro a Feira de Santana: “A chula do Recôncavo com o Canto do Sertão”. Situada entre o Recôncavo e o Sertão, Feira tem a oportunidade de se reconhecer na apresentação de um notável defensor do Samba da Bahia, e do Samba antes do Samba, como ele diz, se referindo à Chula. Ele caracteriza a Chula

Os protestos em Feira de Santana

Os protestos em Feira de Santana

Os protestos em Feira de Santana Milhares de manifestantes foram às ruas do centro de Feira de Santana, protestar contra os cortes de verbas da educação, anunciados pelo MEC. Bolsonaro, Rui Costa e Colbert também foram alvos das críticas. Os três chefes do executivo estavam em viagem oficial Bolsonaro nos Estados Unidos, Rui, na China e Colbert, novamente, em Brasília, para tratar de diversos assuntos, dentre os quais o Hospital da Mulher, onde em menos de uma semana 03 bebês morreram devido à grande demanda e a falta de leitos nas maternidades do município. Professores da UEFS contra os cortes

Desemprego em Feira

Emprego formal se reduz no primeiro trimestre em Feira

No primeiro trimestre de 2019 o desemprego voltou a mostrar as suas garras aqui na Feira de Santana. Foram, no saldo, 480 empregos a menos, no saldo entre admissões (8,7 mil) e demissões (9,1 mil). Os mais penalizados foram os comerciários: no saldo, enxugaram-se 162 oportunidades para esses profissionais. Alguém mais otimista pode enxergar, aí, aquele movimento natural de dispensa do excedente que foi contratado para as festas de final de ano. O preocupante, porém, é que a redução de empregos alcançou atividades que não se relacionam diretamente ao vaivém natural do comércio. É o caso da construção civil, que

Os laranjas de Feira de Santana

Um dos assuntos mais discutidos atualmente são as manobras feitas pelos políticos da nossa República com os chamados “laranjas”, pessoas designadas para assumir a responsabilidade de algum ato que se configure ilegal, caso o verdadeiro responsável pelo ato seja identificado. A pauta está gerando intrigas, desavenças e rancores, já que, tão pouco tempo há de eleitos nossos representantes, e já se vê imbróglios frutíferos de tanta repercussão. Mas nada que possa ser considerado grande catástrofe nacional, pois, como disse nosso representante em Davos, “pela primeira vez no Brasil um presidente montou uma equipe de ministros qualificados”, inspirando-nos confiança e serenidade com o futuro da Pátria Amada.

Em Feira, o furor em torno dessa estória de laranjas é grande, a ponto de deixar alguns cidadãos extremamente desconfortáveis, e até raivosos. Luís Bagaço, vendedor de laranjas no Centro de Abastecimento, é um dos que não aguenta mais ser chamado de “Queiroz” pelos colegas de ofício – vendedores de outras frutas e verduras, naturalmente. Em um desses dias, rumou um murro à cara de Pelezinho da Melancia, que teve a sorte de desviar a tempo. Tudo porque Pelezinho descobriu um cliente de Bagaço chamado Flávio, reagindo com uma gargalhada à coincidência e dizendo que “agora tinha entendido a laranjada”.

Há também o caso de seu Patusco, tradicional bodegueiro do Centro, vendedor de infusões, cachaças e raízes. Um dos seus clientes, após três doses de cassutinga, fez grave denúncia contra o comerciante, segundo a qual tinha contratado laranjas para a aquisição de alguns produtos na farmácia da ladeira. Quem presenciou a cena viu o velho Patusco ficar vermelho e ofegante, indignado com a acusação irresponsável, sem provas, criando uma mácula na reputação de quem sempre se comportou com probidade e retidão.

Após alguns interrogatórios e picuinhas, porém, ficou claro do que se tratava. Seu Patusco, depois de 70 anos bem vividos, viúvo duas vezes, continuava bom namorador e galanteador, mas, acima de tudo, prevenido. Para não ser flagrado comprando preservativos na farmácia, semanalmente mandava jovens emissários cumprirem a tarefa, sob propina de 30% do valor total dos preservativos adquiridos – diz-se a boca pequena que a quantidade variava entre cinco e oito camisinhas por semana.

Há investigações no sentido de comprovar a aquisição de medicamentos estimulantes e fortalecedores de tamanha libido, mas nada que tenha sido confirmado, nem descartado. Outros acham exagerada a acusação, e atribuem tal disposição à combinação de algumas fôia pôde vendidas na própria bodega.

O fato é que, no fim das contas, a utilização de laranjas beneficia quem esconde certas espertezas, porque, até que tudo seja comprovado o disse-me-disse vai permitindo diluir a responsabilidade, criando uma cortina de fumaça que ilude pelo menos os mais benevolentes. No caso específico de Seu Patusco, perguntado por amigos íntimos sobre a veracidade da denúncia, obtém-se como resposta o seguinte aforismo: “a reputação de um homem é construída com base naquilo que não sabem dele”.

Mas isso sou eu quem está dizendo. Prova, mesmo, não foi encontrada nenhuma.


Sobre o (a) autor (a):