Rio Jacuípe

Rua Marechal em mão única

Feira (A)notada: Marechal em mão única e novidade na Câmara

Lulinha entrega o cargo de Líder do Governo Após alguns colegas vereadores manifestarem a insatisfação com o líder do governo na Câmara Municipal de Feira de Santana, o vereador Luís Augusto (Lulinha), do DEM, entregou o cargo durante discurso na Sessão desta terça-feira (11). 10 anos do Museu Parque do Saber No próximo dia 15 de dezembro, o Museu Parque do Saber Dival da Silva Pitombo estará completando uma década de existência. E, para comemorar, foi realizada na terça-feira (11) uma homenagem especial a todos os envolvidos com o projeto inicial. O evento contou com as presenças do prefeito Colbert

Tourinho Candidato

Tourinho candidato, cubanização de assessores e toma lá da cá

Tourinho Candidato Surgiu mais um nome interessado no Paço Municipal em 2020. O vereador Roberto Tourinho, atualmente filiado ao PV, confirmou ao site Acorda Cidade que tem discutido o assunto.  Com sete mandatos, Tourinho é um dos políticos mais respeitados de Feira de Santana e filho de um ex-prefeito, o advogado José Falcão da Silva, que morreu durante o exercício do mandato. Ele se junta a nomes como Fernando Torres, Zé Neto, Zé Chico, Colbert Filho, Angelo Almeida, Carlos Geilson e Targino Machado que também se movimentam para disputar a prefeitura feirense. Toma lá dá cá Ao colocar o cargo

O Rural Feirense

O rural feirense, segundo o último Censo Agropecuário (parte 1)

Foram divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) os números referentes ao Censo Agropecuário realizado em 2017. Os dados são essenciais para que os governos das três esferas – Federal, Estadual e Municipal – elaborem suas políticas, mas são também muito importantes para acadêmicos, estudiosos do tema, para a imprensa especializada e até mesmo para o cidadão que deseja se manter informado sobre o seu município. Uma leva de informações sobre a Feira de Santana já está disponível e pode ser consultada. Os pesquisadores, em suas andanças pelo rural feirense apuraram, por exemplo, que existem exatos 9.191 estabelecimentos

O sonho de Lucas

Escritor feirense publica romance “O sonho de Lucas”

O escritor feirense Marcelo Vinicius acaba de publicar o romance “O sonho de Lucas”, pela editora carioca Multifoco. Marcelo é pesquisador, cursa Psicologia e estuda Filosofia da Arte e Filosofia Contemporânea na UEFS. Além de escritor, é fotógrafo. A história do romance divide-se em duas partes. A primeira é uma narrativa em terceira pessoa; e a segunda é em primeira pessoa, na qual esta se passa por meio do olhar de um jovem chamado Lucas, estudante que sonha em cursar a faculdade de Medicina e cuja vida familiar está em decadência. Lucas fica arrasado quando sua mãe, Kátia Fernandes, separa-se de

Antiga Intendência de Feira de Santana

Antiga Intendência é impregnada de História

Poucas edificações em Feira de Santana são tão impregnadas de História quanto o prédio da Antiga Intendência. Ele se localiza na esquina da Avenida Senhor dos Passos com a Praça Joaquim Pedreira, a antiga Praça da Bandeira. O imóvel também fica nas cercanias de três construções emblemáticas do município: a Igreja Senhor dos Passos, que se localiza defronte e os tombados prédios da Prefeitura Municipal – que fica na esquina transversal – e do Mercado de Arte Popular, situado no quarteirão contíguo, na própria antiga Praça da Bandeira. Originalmente, o imóvel funcionou como fórum, abrigando a sede do Poder Judiciário

Um pouco da História da Catedral de Senhora Santana

No dia 26 de julho os católicos feirenses celebram o dia consagrado a Senhora Santana. A devoção é antiga e, no passado, mobilizava toda a cidade, embora, ainda hoje, siga revestida de importância e represente uma das datas mais significativas no calendário do município. A Catedral de Senhora Santana – que fica na antiga Praça da Matriz – abriga parte importante dos festejos, inclusive a novena que antecede a festa. O monumento integra o patrimônio arquitetônico da Feira de Santana e também se destaca como um dos mais bem conservados.

O Instituto do Patrimônio Artístico e Cultura da Bahia – o IPAC – registra que, em 1732, o tenente Domingos Barbosa de Araújo e sua esposa, Ana Brandão, doaram “cem braças em quadra”, no terreno no Alto da Boa Vista, para que se erguesse uma capela a Santana e a São Domingos. A escritura pública foi lavrada em 28 de setembro daquele ano, em cartório do atual município de Cachoeira.

Em 1833 uma nova igreja tinha sido erguida ao lado da então “igreja velha”. Já estava, segundo registros em atas da Câmara, “na altura de receber madeira”. Treze anos depois a própria Câmara investiu na ampliação da capela, para que se pudesse conquistar a sede paroquial. Isso foi garantido pela Lei Provincial 234, com data de 18 de março de 1846.

As mudanças prosseguiram: em 1882, anotação em ata da Câmara aponta para a doação de um terreno para a construção da sacristia. Em 1946 a igreja foi elevada à condição de Matriz e, em 1962, houve nova elevação, à dignidade de Catedral, pelo Papa João XXIII.

Intervenções

Catedral de Santana - Feira de Santana

A Catedral de Santana seguiu o padrão das igrejas matrizes surgidas no século XVIII, com corredores laterais. “Posteriormente, foi transformada em igreja de três naves, à semelhança de numerosos exemplos ocorridos no interior do estado”. Templos semelhantes foram construídos em Ouriçangas, Elísio Medrado, Castro Alves e, também, na igreja Nossa Senhora dos Remédios, no distrito feirense de Ipuaçu.

As janelas rasgadas no andar superior – observáveis nas igrejas de São José das Itapororocas e de Nossa Senhora dos Remédios – têm inspiração na arquitetura religiosa de Minas Gerais. Já a “torre sineira com terminação piramidal é relativamente rara na região, sendo encontrada apenas em Irará, na capela de Nossa Senhora da Conceição, distrito de Bento Simões e na Igreja de Nossa Senhora dos Remédios, já citada”, conforme o IPAC.

A partir da construção da igreja nova houve uma série de intervenções. A mais remota aconteceu em 1864, quando o padre Ovídio Boaventura determinou a construção das naves laterais. Em 1913, as torres foram erguidas com orientação do cônego Tertuliano Carneiro. Na década de 1930 houve duas intervenções: em 1932 a construção do altar do Coração de Jesus e, em 1939, houve a construção do coro e a recuperação da cobertura.

Algumas obras mais recentes contaram com a supervisão de Monsenhor Renato Galvão, entre 1965 e 1985: nesse período, houve substituição de piso, revestimento de azulejos nas paredes, reforma de altar, pintura e aquisição de mobiliário.

Caracterização

Catedral de Santana

O templo possui área construída de 944 metros quadrados. Tombada em nível estadual, a Catedral de Senhora Santana possui “relevante interesse arquitetônico”, apesar das “intervenções sofridas na primeira metade do século XX”. Há, além, mais descrição: “Apresenta três naves separadas por arcos ogivais que também separam a capela-mor das antigas sacristias. (…) Recobre o edifício, telhados em duas e meia águas, arrematados por platibandas vazadas que eliminaram os antigos beirais”.

Há mais detalhes: “O pano central da fachada possui três portas no térreo, com vãos em arco pleno e três janelas rasgadas no nível do coro, com vãos em arcos ogivais. (…) Coroa o conjunto um frontão recortado encimado por um cruzeiro. (…) O interior apresenta piso em mármore e marmorite nas naves e em cerâmica nas antigas sacristias e capela-mor”.

Na descrição, destacam-se as referências às imagens de Senhora Santana, São Joaquim, Senhor Morto, Nossa Senhora das Dores (em Roca) e Nosso Senhor dos Passos. Há, também, descrição da área externa: o documento registra que a praça Monsenhor Mário Pessoa é bem arborizada, cercada por um gradil de ferro e calçada com pedras portuguesas.

Nas homenagens a Senhora Santana, fé e devoção se misturam na mais importante festa católica do município. O andor, o espocar dos fogos, a maciça presença popular e de autoridades, tudo recende a tradição e crença. Como palco secular, o templo impregnado da História religiosa da Feira de Santana.


Sobre o (a) autor (a):