Rio Jacuípe

Zé Neto

Zé Neto é pré-candidato a Prefeito de Feira

PT lança pré-candidatura a prefeito de Feira Na tarde do último sábado (13), a executiva, o diretório, a militância, filiados e simpatizantes do Partido dos Trabalhadores (PT) se reuniram em Feira e decidiram por unanimidade lançar a pré-candidatura de Zé Neto para prefeito de Feira de Santana. Prefeito Colbert Martins completa um ano de governo Na quarta-feira (10), Colbert completou um ano no cargo de prefeito, e o líder do governo na Câmara de Vereadores, Marcos Lima, soltou essa: “O povo ainda sente saudade de José Ronaldo”. Ex-prefeito Tarcísio Pimenta é condenado por improbidade administrativa A pedido do Ministério Público

Artistas feirenses levam projeto para a África

O projeto “Circulação da Música Afro-Baiana 2019” levará o produtor cultural Uyatã Rayra e os músicos Bel da Bonita e Ravel Conceição do grupo musical Africania para África do Sul e Moçambique. A circulação internacional teve início na sexta-feira (5), extendendo-se até o dia 22 de abril. Oriundos de Feira de Santana, os integrantes do projeto pretendem estabelecer um intercâmbio entre a cultura musical da Bahia e dos países visitados. Serão ministradas oficinas rítmicas de Samba de Roda do Sertão e de Forró Pé-de-Serra, além de uma palestra sobre as influências do samba nos ritmos de forró. O cronograma conta

Crescimento do Bolsa Família em Feira

Há margem para ampliação do Bolsa Família em Feira

Em março, o número de beneficiários do Programa Bolsa Família (PBF) em Feira de Santana estava aquém do estimado pelo Ministério da Cidadania, o recauchutado Ministério do Desenvolvimento Social de tempos atrás. Segundo o órgão, 31.662 famílias foram contempladas com o benefício no mês passado, o que corresponde a 66,94% da estimativa de famílias pobres no município. Isso significa que, potencialmente, um terço das famílias com perfil para o programa não recebe o benefício. O Ministério da Cidadania constata que o “município está abaixo da meta do programa”. E recomenda a realização de “busca ativa para localizar famílias que estão

Mudança Secretaria da Educação

Mudança à vista na Secretaria de Educação

Vereadores da base governista criticam o Secretário Edson Borges Pablo Roberto, José Carneiro e João Bililiu criticaram publicamente o Secretário de Cultura, Esporte e Lazer, Edson Borges, porque alguns artistas da terra ficaram de fora da Micareta deste ano. É isso que chamamos de fogo amigo! Por falar em festa, comemoraram aniversário… A Guarda Civil Municipal de Feira de Santana, que completou na segunda-feira (25), 126 anos de existência. E um buraco na Rua Visconde do Mauá, no Bairro Caseb, em Feira de Santana, ganhou até um buquê de flores dos moradores para comemorar seu 1º aniversário. E quem não

Nilda Carvalho Cunha

A feirense que foi presa e torturada na Ditadura

O período da Ditadura Militar no Brasil, iniciado a partir do golpe que depôs o Presidente João Goulart em 1964, ficou marcado por práticas autoritárias como a censura, a tortura e o desaparecimento de opositores do Regime. Entre os abusos cometidos pelo Estado naquela época, está a prisão e tortura de Nilda Carvalho Cunha, a feirense que tinha apenas 17 anos quando foi presa e torturada, por suspeita de associação à militante de esquerda Iara Iavelberg. Pouco tempo depois de sua prisão, carregando as sequelas da tortura, Nilda morreu. A seguir, o relato completo da história de Nilda Carvalho, retirado

Um pouco da História da Catedral de Senhora Santana

No dia 26 de julho os católicos feirenses celebram o dia consagrado a Senhora Santana. A devoção é antiga e, no passado, mobilizava toda a cidade, embora, ainda hoje, siga revestida de importância e represente uma das datas mais significativas no calendário do município. A Catedral de Senhora Santana – que fica na antiga Praça da Matriz – abriga parte importante dos festejos, inclusive a novena que antecede a festa. O monumento integra o patrimônio arquitetônico da Feira de Santana e também se destaca como um dos mais bem conservados.

O Instituto do Patrimônio Artístico e Cultura da Bahia – o IPAC – registra que, em 1732, o tenente Domingos Barbosa de Araújo e sua esposa, Ana Brandão, doaram “cem braças em quadra”, no terreno no Alto da Boa Vista, para que se erguesse uma capela a Santana e a São Domingos. A escritura pública foi lavrada em 28 de setembro daquele ano, em cartório do atual município de Cachoeira.

Em 1833 uma nova igreja tinha sido erguida ao lado da então “igreja velha”. Já estava, segundo registros em atas da Câmara, “na altura de receber madeira”. Treze anos depois a própria Câmara investiu na ampliação da capela, para que se pudesse conquistar a sede paroquial. Isso foi garantido pela Lei Provincial 234, com data de 18 de março de 1846.

As mudanças prosseguiram: em 1882, anotação em ata da Câmara aponta para a doação de um terreno para a construção da sacristia. Em 1946 a igreja foi elevada à condição de Matriz e, em 1962, houve nova elevação, à dignidade de Catedral, pelo Papa João XXIII.

Intervenções

Catedral de Santana - Feira de Santana

A Catedral de Santana seguiu o padrão das igrejas matrizes surgidas no século XVIII, com corredores laterais. “Posteriormente, foi transformada em igreja de três naves, à semelhança de numerosos exemplos ocorridos no interior do estado”. Templos semelhantes foram construídos em Ouriçangas, Elísio Medrado, Castro Alves e, também, na igreja Nossa Senhora dos Remédios, no distrito feirense de Ipuaçu.

As janelas rasgadas no andar superior – observáveis nas igrejas de São José das Itapororocas e de Nossa Senhora dos Remédios – têm inspiração na arquitetura religiosa de Minas Gerais. Já a “torre sineira com terminação piramidal é relativamente rara na região, sendo encontrada apenas em Irará, na capela de Nossa Senhora da Conceição, distrito de Bento Simões e na Igreja de Nossa Senhora dos Remédios, já citada”, conforme o IPAC.

A partir da construção da igreja nova houve uma série de intervenções. A mais remota aconteceu em 1864, quando o padre Ovídio Boaventura determinou a construção das naves laterais. Em 1913, as torres foram erguidas com orientação do cônego Tertuliano Carneiro. Na década de 1930 houve duas intervenções: em 1932 a construção do altar do Coração de Jesus e, em 1939, houve a construção do coro e a recuperação da cobertura.

Algumas obras mais recentes contaram com a supervisão de Monsenhor Renato Galvão, entre 1965 e 1985: nesse período, houve substituição de piso, revestimento de azulejos nas paredes, reforma de altar, pintura e aquisição de mobiliário.

Caracterização

Catedral de Santana

O templo possui área construída de 944 metros quadrados. Tombada em nível estadual, a Catedral de Senhora Santana possui “relevante interesse arquitetônico”, apesar das “intervenções sofridas na primeira metade do século XX”. Há, além, mais descrição: “Apresenta três naves separadas por arcos ogivais que também separam a capela-mor das antigas sacristias. (…) Recobre o edifício, telhados em duas e meia águas, arrematados por platibandas vazadas que eliminaram os antigos beirais”.

Há mais detalhes: “O pano central da fachada possui três portas no térreo, com vãos em arco pleno e três janelas rasgadas no nível do coro, com vãos em arcos ogivais. (…) Coroa o conjunto um frontão recortado encimado por um cruzeiro. (…) O interior apresenta piso em mármore e marmorite nas naves e em cerâmica nas antigas sacristias e capela-mor”.

Na descrição, destacam-se as referências às imagens de Senhora Santana, São Joaquim, Senhor Morto, Nossa Senhora das Dores (em Roca) e Nosso Senhor dos Passos. Há, também, descrição da área externa: o documento registra que a praça Monsenhor Mário Pessoa é bem arborizada, cercada por um gradil de ferro e calçada com pedras portuguesas.

Nas homenagens a Senhora Santana, fé e devoção se misturam na mais importante festa católica do município. O andor, o espocar dos fogos, a maciça presença popular e de autoridades, tudo recende a tradição e crença. Como palco secular, o templo impregnado da História religiosa da Feira de Santana.


Sobre o (a) autor (a):