Rio Jacuípe

Rua Marechal em mão única

Feira (A)notada: Marechal em mão única e novidade na Câmara

Lulinha entrega o cargo de Líder do Governo Após alguns colegas vereadores manifestarem a insatisfação com o líder do governo na Câmara Municipal de Feira de Santana, o vereador Luís Augusto (Lulinha), do DEM, entregou o cargo durante discurso na Sessão desta terça-feira (11). 10 anos do Museu Parque do Saber No próximo dia 15 de dezembro, o Museu Parque do Saber Dival da Silva Pitombo estará completando uma década de existência. E, para comemorar, foi realizada na terça-feira (11) uma homenagem especial a todos os envolvidos com o projeto inicial. O evento contou com as presenças do prefeito Colbert

Tourinho Candidato

Tourinho candidato, cubanização de assessores e toma lá da cá

Tourinho Candidato Surgiu mais um nome interessado no Paço Municipal em 2020. O vereador Roberto Tourinho, atualmente filiado ao PV, confirmou ao site Acorda Cidade que tem discutido o assunto.  Com sete mandatos, Tourinho é um dos políticos mais respeitados de Feira de Santana e filho de um ex-prefeito, o advogado José Falcão da Silva, que morreu durante o exercício do mandato. Ele se junta a nomes como Fernando Torres, Zé Neto, Zé Chico, Colbert Filho, Angelo Almeida, Carlos Geilson e Targino Machado que também se movimentam para disputar a prefeitura feirense. Toma lá dá cá Ao colocar o cargo

O Rural Feirense

O rural feirense, segundo o último Censo Agropecuário (parte 1)

Foram divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) os números referentes ao Censo Agropecuário realizado em 2017. Os dados são essenciais para que os governos das três esferas – Federal, Estadual e Municipal – elaborem suas políticas, mas são também muito importantes para acadêmicos, estudiosos do tema, para a imprensa especializada e até mesmo para o cidadão que deseja se manter informado sobre o seu município. Uma leva de informações sobre a Feira de Santana já está disponível e pode ser consultada. Os pesquisadores, em suas andanças pelo rural feirense apuraram, por exemplo, que existem exatos 9.191 estabelecimentos

O sonho de Lucas

Escritor feirense publica romance “O sonho de Lucas”

O escritor feirense Marcelo Vinicius acaba de publicar o romance “O sonho de Lucas”, pela editora carioca Multifoco. Marcelo é pesquisador, cursa Psicologia e estuda Filosofia da Arte e Filosofia Contemporânea na UEFS. Além de escritor, é fotógrafo. A história do romance divide-se em duas partes. A primeira é uma narrativa em terceira pessoa; e a segunda é em primeira pessoa, na qual esta se passa por meio do olhar de um jovem chamado Lucas, estudante que sonha em cursar a faculdade de Medicina e cuja vida familiar está em decadência. Lucas fica arrasado quando sua mãe, Kátia Fernandes, separa-se de

Antiga Intendência de Feira de Santana

Antiga Intendência é impregnada de História

Poucas edificações em Feira de Santana são tão impregnadas de História quanto o prédio da Antiga Intendência. Ele se localiza na esquina da Avenida Senhor dos Passos com a Praça Joaquim Pedreira, a antiga Praça da Bandeira. O imóvel também fica nas cercanias de três construções emblemáticas do município: a Igreja Senhor dos Passos, que se localiza defronte e os tombados prédios da Prefeitura Municipal – que fica na esquina transversal – e do Mercado de Arte Popular, situado no quarteirão contíguo, na própria antiga Praça da Bandeira. Originalmente, o imóvel funcionou como fórum, abrigando a sede do Poder Judiciário

História e arquitetura da Prefeitura de Feira

Um dos prédios mais imponentes da Feira de Santana é aquele que abriga a Prefeitura Municipal. Fica num dos mais emblemáticos cruzamentos da cidade, entre as avenidas Getúlio Vargas e Senhor dos Passos. Naquele trecho muito da vida política e cultural da cidade ganha expressão: feiras – de livros, de saúde -, apresentações musicais, atividades de lazer e, sobretudo, manifestações políticas acontecem defronte à prefeitura, no estacionamento encoberto pelas sombras generosas das árvores.

O prédio começou a ser erguido há quase 100 anos: no dia 11 de setembro de 1920 o Conselho – a versão da época da Câmara Municipal – autorizou a construção da nova sede da prefeitura. Não demorou para a pedra fundamental ser lançada, já no ano seguinte. Foi sob a gestão do intendente Bernardino Bahia, com o engenheiro Acciolly Ferreira da Silva assumindo a responsabilidade técnica.

Foto antiga do Paço Municipal

Foto antiga do Salão Nobre da Prefeitura de Feira.

 

Salão Nobre - Prefeitura de Feira de Santana

Salão Nobre da Prefeitura com a galeria de ex-prefeitos ao fundo. Foto: Antonio Carlos Bastos Magalhães

Demorou seis anos para a obra ser concluída: em 1926, já sob a intendência de Arnold Ferreira da Silva – cargo equivalente ao de prefeito nos dias de hoje – aconteceu a conclusão formal, no mês de abril. Na construção, foram desembolsados 400 contos de réis. É o que informa o historiador Rollie Poppino, no clássico “Feira de Santana”.

O prédio da Prefeitura Municipal é patrimônio e tombado pelo Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia, o IPAC. Em um interessantíssimo catálogo da instituição, descreve-se a edificação: “Construída no primeiro quartel do século XX apresentando planta regular, desenvolvida em dois pavimentos e recoberta por telhado de quatro águas”.

A afamada galeria dos ex-prefeitos também é objeto de referência: “O salão conta, ainda, com uma coleção dos quadros dos ex-prefeitos, com destaque para o 1º mandatário, pintado em tamanho natural”. Por fim, há a alusão à famosa escada: “Merece também menção uma das escadas em madeira, em formato de “S”, com balaústres do guarda-corpo no mesmo material”.

Interesse Arquitetônico

Prefeitura de Feira de Santana

O documento define o prédio como de “relevante interesse arquitetônico” e descreve sua estrutura externa: “Em suas fachadas, com um dos cantos arredondados e de rica modenatura (…) destaca-se, no primeiro andar, uma sacada corrida em toda a sua extensão, além da platibanda cega, com motivos neoclássicos”. No interior, há referência ao Salão Nobre: “destaca-se a decoração com escaiola nas paredes, medalhões em estuque sobre o vão das portas”.

Pelo que revela o IPAC, a construção segue o modelo simplificado do padrão colonial, aplicado pela primeira vez em Jaguaripe, em 1697. Posteriormente, o modelo foi sendo replicado em lugares diversos da Bahia: São Francisco do Conde, Rio de Contas, Porto Seguro, Caetité, Inhambupe, Condeúba e Paratinga. Já o “vestíbulo central de distribuição do 2º piso pode ser observado também nas sedes municipais de Serrinha e Senhor do Bonfim”, conforme descreve a obra.

Houve reforma recente na sede da prefeitura, mas o catálogo do IPAC registra intervenções anteriores: rebaixamento do forro em algumas salas, mas mantendo-se o original; construção de um mezanino em madeira, no andar térreo; instalação de divisórias e aplicação de carpete e paviflex em várias salas, sobre o assoalho. No documento, atualizado em 2001, não se soube precisar quando aconteceram essas intervenções.

Há, também, uma cuidadosa descrição das cercanias da prefeitura: “A Getúlio Vargas é uma ampla avenida, com canteiro central, onde se encontram algumas árvores de médio e pequeno porte”. Nas imediações, há “uma igreja recente, de estilo neogótico tardio” e, logo à frente, “o sobrado da antiga intendência, com o andar térreo já descaracterizado pelo uso comercial”.

A Prefeitura Municipal é prédio tombado em nível estadual. Pode ser considerado, no leque das edificações erguidas na Feira de Santana nas primeiras décadas do século passado, como um dos mais bem preservados até os dias atuais.

 

[Foto de Capa: Reginaldo Pereira]


Sobre o (a) autor (a):