As Feiras de Feira de Santana

Fluminense de Feira - 1969

Touro era campeão baiano há 50 anos

Está passando meio despercebido, mas outubro marca os 50 anos do último título de campeão baiano do Fluminense de Feira. Poucos que acompanharam – como testemunhas – aquelas memoráveis jornadas ainda estão vivos. Notícias da época apontam o Touro do Sertão como protagonista de uma campanha brilhante, sob a inspirada condução do atacante Freitas, que marcou o gol do título do tricolor feirense. Vice-campeão no ano anterior, o Fluminense atropelou Bahia e Vitória e se sagrou vencedor por antecipação. No dia 5 de outubro de 1969 houve rodada dupla na Fonte Nova: o Touro encarou o Vitória e o Bahia,

Desemprego em Feira de Santana

Desemprego permanece assombrando Feira

Nos oito primeiros meses de 2019 a Feira de Santana continuou perdendo postos formais de trabalho. Isso quando se considera o saldo entre contratações e dispensas. No intervalo entre janeiro e agosto houve 23.221 admissões e 23.573 demissões. No saldo, esfumaçaram-se mais 352 postos. Os dados são oficiais, do Ministério da Economia. Não dá, portanto, para contestarem a veracidade das informações, conforme virou moda nos últimos meses. A construção civil segue reduzindo seu estoque de mão-de-obra. No período, foram dispensados, no saldo, 134 serventes, o popular ajudante de pedreiro. Os pedreiros propriamente ditos foram um pouco menos afetados: perderam, também

Shopping da Cidade, em Teresina

O fulgurante Shopping da Cidade em Teresina

Em Teresina existe um imponente Shopping da Cidade. É um centro de comércio popular no qual se mercadeja, sobretudo, produtos importados da China. Dispõe de três pisos, praças, dezenas de corredores e quase dois mil boxes que abrigam uma variedade ampla de produtos. Fica muito bem localizado, na Praça da Bandeira, que abriga um terminal de ônibus e uma estação de trem. Basta atravessar a avenida Maranhão para se alcançar a orla do rio Parnaíba, encoberto por uma vegetação densa. Caso pretenda visitar o entreposto, o turista desatento não vai enfrentar dificuldade: qualquer cidadão indica – com a amabilidade habitual

4 rodas de samba em Feira

O final de semana do Samba em Feira de Santana

Feira de Santana tem vocação histórica para o samba, seja através das várias quixabeiras na Zona Rural da cidade, seja através das rodas de samba organizadas no espaço urbano do município. O final de semana que vai desta sexta (04 de outubro) até o domingo (06 de outubro) está recheado de eventos onde o samba é protagonista. Selecionamos pelo menos 4 sambas que ocorrerão na cidade neste período, para você se programar e curtir esse gênero musical genuinamente baiano, diretamente ligado às nossas ancestralidades. Confira: Sexta (04) – Samba Anchos O grupo feirense Audácia Pura vai se apresentar no Anchos

PDT - Feira de Santana

PDT feirense recebe três vereadores e um secretário municipal

Os vereadores Ron do Povo, Isaías de Diogo e Neinha Bastos, além do Secretário de Desenvolvimento Social e vereador licenciado, Pablo Roberto, filiaram-se ao PDT (Partido Democrático Trabalhista), na noite do dia 30. Pois é… O perfil do Instagram do PDT/Feira de Santana disponibiliza o link para o abaixo-assinado pela redução do subsídio do prefeito, vice e vereadores de Feira de Santana. A petição conta com 1.242 assinaturas. Será que os novos filiados assinaram ou são contra? Tem que ter serviços prestados! O ex-vereador Marialvo Barreto vai acionar o Ministério Público do Estado (MP-BA) para tentar invalidar a entrega dos

4 grupos feirenses de samba para você curtir

Um dos fenômenos musicais mais intensos em Feira de Santana é conduzido pelos sambistas da cidade. Quem se aproximar do que ocorre nas periferias verá que quase diariamente tem algum samba acontecendo em Feira. Em uma conta despretensiosa, é possível verificar a existência de mais de 10 grupos de samba ativos por aqui, tocando em estacionamentos, bares, garagens e restaurantes.

A música que estou fazendo referência tem nítida influência do samba carioca, feito por artistas como Zeca Pagodinho, Arlindo Cruz, Jorge Aragão e Martinho da Vila. Assumem também a linguagem dos grupos de samba românticos do sudeste, que tem no Exaltasamba a principal referência. Mas o grande diferencial do samba produzido em Feira de Santana é a influência do samba de roda nascido no recôncavo baiano e do samba-reggae (aquele do Olodum).

O samba “real” de Feira de Santana, o que faz o povo dançar no dia-a-dia, acaba refletindo a própria dinâmica multifacetada da cidade, apresentando fusões de diversas tradições de sambistas brasileiros.

Selecionei 4 grupos importantes para explicar o samba em Feira (existem muitos outros), para que o leitor do Feirenses, se for o caso, possa começar a ter contato com esse universo musical que venho observando ultimamente. Além de sambistas, a esmagadora maioria deles são trabalhadores em outras atividades, e fazem samba por muita paixão à música. É preciso olhar com seriedade para esse movimento:

Sem Mais nem Menos

André Lopes e Mumuzinho

André Lopes, cantor e fundador do Sem Mais nem Menos com o sambista Mumuzinho. Foto: Divulgação

Com 15 anos de estrada, o grupo Sem Mais nem Menos é o mais antigo entre os grupo de samba ativos de Feira de Santana. Fundado por André Lopes (cantor) e seu irmão Déo (cavaquinho), o grupo tem raízes no bairro Rua Nova, e tem seus shows bastante disputados pelo público cativo admirador do estilo “puxador” de André.

“Eu cantava em grupos de pagodão. Quando decidi passar para o samba as pessoas me chamavam de louco. Diziam que que não ia dar certo”, diz André, que percebeu que, no início da banda, muitas pessoas em Feira de Santana passaram a conhecer grandes sambistas do cenário nacional através dos shows do Sem Mais nem Menos.

Ele cita como inspiração da banda os grupos Pique Novo, Exaltasamba e Zeca Pagodinho. Para quem quiser curtir o som do Sem Mais nem Menos, pode ir às segundas-feiras no bar “Voz de Ouro”, antigo Gogó de Ouro. Veja uma pequena demonstração Sem Mais nem Menos:

 

O Sem Mais nem Menos está no Facebook!

Maryzélia

Maryzélia

Maryzélia e Rodrigo Pirikito (bandolim), no Rio de Janeiro. Foto: Divulgação.

No cenário do samba de Feira de Santana Maryzélia é a artista com maior projeção. Após cantar 2 anos e meio no grupo Chorinho entre Amigos, Maryzélia criou seu próprio grupo, que está prestes a fazer 6 anos de estrada. Atualmente, Maryzélia está sendo produzida por ninguém menos que Paulo Debétio, compositor e produtor que tem na carreira trabalhos com grandes nomes da música popular brasileira, a exemplo de Alcione, Agepê, Chitãozinho & Chororó, Emílio Santiago, Margareth Menezes, entre outros.

Maryzélia quando criança ia nos reisados roubados, em Santo Estevão, onde teve contato com o samba de roda, que hoje é um dos grandes atrativos do seu show. Em casa, seus pais também ouviam muito samba, de artistas como Agepê e Benito di Paula.

Após fazer sucesso em Feira de Santana, hoje Maryzélia está participando de tradicionais rodas de samba no Rio de Janeiro junto com o também feirense Rodrigo Pirikito (cavaquinho). Eles estão gravando músicas com a produção de Debétio, como essa versão de “Pelo Amor de Deus” no vídeo abaixo:

 

Maryzélia irá tocar na Feira do Livro, dia 27 de setembro e, posteriormente, no bar Botekim (Av. João Durval), às sextas-feiras.

Acompanhe o samba de Maryzélia no Facebook!

Simplicidade a Mais

Simplicidade a Mais

Grupo Simplicidade a Mais: 200 sambas próprios. Foto: Divulgação.

Tudo começou com quatro apaixonados por samba que trabalhavam em uma fábrica de calçados em Terra Nova, Bahia. Assim nasceu, há 13 anos, o grupo Simplicidade a Mais, que se tornou referência para quem gosta de samba em Feira de Santana. O grupo, liderado pelos vocalistas Denys e Valdir, se inspira em referências como o Grupo Revelação, Fundo de Quintal e o sambista Zeca Pagodinho.

Denys e Valdir também são compositores, e já criaram mais de 200 sambas, muitos dos quais tocam em seus shows e participações em vários espaços de Feira e até fora do estado, já que foram finalistas do Exposamba, evento que ocorre em São Paulo e premia compositores de samba de todo o Brasil. A propósito, uma das músicas que a sambista Maryzélia está gravando no Rio de Janeiro foi composta por eles.

Atualmente o Simplicidade a Mais está se apresentando no Pagode do Comércio, em frente ao supermercado Tend Tudo, na rua Barão de Cotegipe, a partir das 14h. Veja uma pequena demonstração do samba do Simplicidade:

 

O Simplicidade a Mais está no Facebook!

 Sambatuk

Sambatuk Feira de Santana

Grupo Sambatuk na TV Subaé. Foto: Divulgação

O Sambatuk é um grupo de samba feirense que valoriza muito o samba tradicional: Zeca Pagodinho, Arlindo Cruz e Fundo de Quintal são influências assumidas por Luizão, cantor do grupo. Além dos artistas de fora, Luizão lembra do sambista Binho Pagodinho, que lhe levou para as rodas de samba em Feira de Santana há cerca de 23 anos atrás, quando tocavam no extinto grupo Magia.

O Sambatuk tem 9 anos de criado, e seus integrantes são quase todos moradores do bairro Irmã Dulce. Veja uma palhinha do grupo:

 

O Sambatuk está tocando no Quintal dos Bambas (Avenida João Durval) aos sábados, e no Bar Sob Nova Direção (Senador Quintino), às quintas.

Entre em contato com o Sambatuk pelo Facebook!


Sobre o (a) autor (a):