As Feiras de Feira de Santana

Roça Sound

Roça Sound expõe a Feira de Santana clandestina

Saiu o novo clipe do Roça Sound, uma interpretação audiovisual apurada da música “Verde e Cinza”, que compõe o álbum “Tabaréu Moderno”, o mais recente do grupo. A música e o clipe integram uma das mais importantes obras contemporâneas de interpretação de Feira de Santana e sua cultura. “Verde e Cinza”, já no título, denuncia essa cidade contraditória, que vive entre uma tradição rural, feirante, e uma sanha modernizante expressa nas obras cheias de concreto e vazias de humanidade. Mas não para por aí, afinal, Clóvis Ramaiana já notou e denunciou isso há muito. A canção expõe a visceral clandestinidade

Cooperativas em Feira de Santana

Cooperativas com os dias contados em Feira de Santana

O Tribunal de Contas dos Municípios (TCM) e o Ministério Público da Bahia (MP-BA) exigiram que a Prefeitura Municipal de Feira de Santana não faça mais contratações de servidores através de cooperativas. Novas Contratações Colbert Martins disse ao Acorda Cidade que as contratações só poderão ocorrer via Organização Social (OS), seleção pública (Reda) ou concurso público. Ao atender essa recomendação, é provável que aumente o número de processos seletivos para contrações temporárias. Fim das indicações políticas Infelizmente, com o fim das contratações via cooperativas, não é certo de que acabem também as indicações políticas. A contratação de Organização Social permite

Vai ter Feira Noise Festival em 2020

O Feira Coletivo Cultural e a Banana Atômica realizaram no último final de semana, em Feira de Santana (BA), uma edição histórica em comemoração aos 10 anos de existência do Feira Noise Festival. O evento aconteceu entre os dias 22 a 24, no Ária Hall, reforçando sua importância para a consolidação da cena local, além de manter Feira de Santana na rota de circulação de bandas e artistas independentes. Ao todo, 33 atrações se revezaram entre os palcos Banana Atômica e Budweiser, sendo 13 delas de Feira de Santana. Importantes nomes da música brasileira contemporânea como Supercombo, Francisco El Hombre, Black Pantera, Potyguara Bardo,

O fenômeno flamenguista em Feira de Santana

Na manhã dessa segunda-feira, a Praça da Bandeira foi a arena onde se discutiu sobre o mais importante e popular time de futebol brasileiro. — É óbvio que o Bahia é de mais importância. O Brasil nasceu onde? Se é aqui o início do Brasil, o Bahia é o time do nosso povo, defendia Papinho, torcedor patológico do Bahia. — O Flamengo, companheiro, é o time das massas, o time rubro, castanho, caboclo, representando os índios, e negro, quilombola, africano, representando o povo escravizado, proclamava Seu Teófilo, tomando caldo de cana para curar a ressaca da comemoração dos dois títulos

Roça Sound

“Tabaréu Moderno”, o novo álbum do Roça Sound

“Tabaréu Moderno” é o terceiro disco do grupo Roça Sound. Lançado no último dia 15 de novembro, o novo álbum estava sendo esperado pelo público que acompanha o trabalho dos feirenses desde “Você Aguenta Quantos Rounds?”, de 2014. Formado por NickAmaro (DJ/ MC), Paulo Bala (MC), Dom Maths (MC) e o dançarino Edy Murphy, o Roça Sound explora sonoridades que vão desde a Cultura Nordestina, Rap, Dembow, Reggae, e o DanceHall, tendo o suingue como sua marca principal. Em “Tabaréu Moderno”, trazem nove faixas autorais e inéditas, com as participações da Orquestra Reggae de Cachoeira, Quixabeira da Matinha, Bel da

Galeria Caribé – Galerias tradicionais de Feira de Santana

Nos dias de hoje quem passa pelo Calçadão Sales Barbosa (na altura do Mercado de Arte) ou pela Avenida Getúlio Vargas (na altura da Praça da Bandeira) não desconfia que exista uma artéria de estabelecimentos comerciais ligando as duas vias, até por conta da intensa movimentação e ocupação informal do espaço naquela região. Mas ali está a primeira galeria de Feira de Santana, a Galeria Caribé, fundada no ano de 1960.

De acordo com o jornalista e memorialista Adilson Simas, em 28 de maio de 1960 o comerciante Francisco Barbosa Caribé, conhecido como Chiquinho Caribé, trouxe para a cidade a novidade. Além de comerciante, Francisco foi o último prefeito nomeado entre o fim do Estado Novo e as novas eleições pós-redemocratização (em 1947).

Francisco Caribé - Galeria Caribé

Hoje a Galeria Caribé é um desses espaços feirenses que preserva o espírito empoeirado do passado, com estabelecimentos quase nada conectados com a modernidade.

São poucos estabelecimentos, pois a própria galeria tem extensão curta, comparada com os shoppings contemporâneos. A maioria dos espaços é ocupada por relojoarias, que vendem principalmente relógios usados, além de realizar consertos e reparos. Entre lupas, engrenagens e pinos, os relojoeiros trabalham minuciosamente para fazer o tempo girar. Testemunhar esses profissionais da Galeria Caribé é uma experiência estética que remete à Invenção de Hugo Cabret, o filme de Scorsese.

Senhoras criteriosas escolhem as linhas e agulhas de crochê num armarinho ali instalado. As prateleiras e estantes denunciam a longevidade do local: muitos casacos, xales e outras peças de lã feirenses brotaram daquela fonte. O nome do armarinho está escrito em letra medieval, outro indício de uma época que saiu da moda.

Armarinho na Galeria Caribé

A Galeria Caribé também abriga, em sua única esquina, um verdadeiro antiquário de CDs, DVDs e fitas K7. Discos clássicos são encontrados nos mais diversos gêneros: Cartola, Janis Joplin, Bee Gees, Elymar Santos, Roberto Carlos e muito mais. O lugar é um quilombo de resistência ao digital.

Galeria Caribé

Galeria Caribé

Já no corredor que desemboca na Avenida Getúlio Vargas, imagens de santos católicos estão dispostas em toda a parede. É o mostruário de uma loja de artigos católicos, que vende livros, suprimentos para altares, roupas e artigos de decoração com temas cristãos. Santo Antônio, São Jorge, São Francisco, as diversas Nossas Senhoras… várias expressões do sagrado imantando o corredor antigo da primogênita galeria de Feira de Santana.


Sobre o (a) autor (a):