As Feiras de Feira de Santana

Roça Sound

Roça Sound expõe a Feira de Santana clandestina

Saiu o novo clipe do Roça Sound, uma interpretação audiovisual apurada da música “Verde e Cinza”, que compõe o álbum “Tabaréu Moderno”, o mais recente do grupo. A música e o clipe integram uma das mais importantes obras contemporâneas de interpretação de Feira de Santana e sua cultura. “Verde e Cinza”, já no título, denuncia essa cidade contraditória, que vive entre uma tradição rural, feirante, e uma sanha modernizante expressa nas obras cheias de concreto e vazias de humanidade. Mas não para por aí, afinal, Clóvis Ramaiana já notou e denunciou isso há muito. A canção expõe a visceral clandestinidade

Cooperativas em Feira de Santana

Cooperativas com os dias contados em Feira de Santana

O Tribunal de Contas dos Municípios (TCM) e o Ministério Público da Bahia (MP-BA) exigiram que a Prefeitura Municipal de Feira de Santana não faça mais contratações de servidores através de cooperativas. Novas Contratações Colbert Martins disse ao Acorda Cidade que as contratações só poderão ocorrer via Organização Social (OS), seleção pública (Reda) ou concurso público. Ao atender essa recomendação, é provável que aumente o número de processos seletivos para contrações temporárias. Fim das indicações políticas Infelizmente, com o fim das contratações via cooperativas, não é certo de que acabem também as indicações políticas. A contratação de Organização Social permite

Vai ter Feira Noise Festival em 2020

O Feira Coletivo Cultural e a Banana Atômica realizaram no último final de semana, em Feira de Santana (BA), uma edição histórica em comemoração aos 10 anos de existência do Feira Noise Festival. O evento aconteceu entre os dias 22 a 24, no Ária Hall, reforçando sua importância para a consolidação da cena local, além de manter Feira de Santana na rota de circulação de bandas e artistas independentes. Ao todo, 33 atrações se revezaram entre os palcos Banana Atômica e Budweiser, sendo 13 delas de Feira de Santana. Importantes nomes da música brasileira contemporânea como Supercombo, Francisco El Hombre, Black Pantera, Potyguara Bardo,

O fenômeno flamenguista em Feira de Santana

Na manhã dessa segunda-feira, a Praça da Bandeira foi a arena onde se discutiu sobre o mais importante e popular time de futebol brasileiro. — É óbvio que o Bahia é de mais importância. O Brasil nasceu onde? Se é aqui o início do Brasil, o Bahia é o time do nosso povo, defendia Papinho, torcedor patológico do Bahia. — O Flamengo, companheiro, é o time das massas, o time rubro, castanho, caboclo, representando os índios, e negro, quilombola, africano, representando o povo escravizado, proclamava Seu Teófilo, tomando caldo de cana para curar a ressaca da comemoração dos dois títulos

Roça Sound

“Tabaréu Moderno”, o novo álbum do Roça Sound

“Tabaréu Moderno” é o terceiro disco do grupo Roça Sound. Lançado no último dia 15 de novembro, o novo álbum estava sendo esperado pelo público que acompanha o trabalho dos feirenses desde “Você Aguenta Quantos Rounds?”, de 2014. Formado por NickAmaro (DJ/ MC), Paulo Bala (MC), Dom Maths (MC) e o dançarino Edy Murphy, o Roça Sound explora sonoridades que vão desde a Cultura Nordestina, Rap, Dembow, Reggae, e o DanceHall, tendo o suingue como sua marca principal. Em “Tabaréu Moderno”, trazem nove faixas autorais e inéditas, com as participações da Orquestra Reggae de Cachoeira, Quixabeira da Matinha, Bel da

Jovem feirense é eleita presidente da UNE

Candidata da chapa “Frente Brasil Popular: A unidade é a bandeira da esperança”, a feirense Marianna Dias obteve 3.788 votos (79%) no Congresso da União Nacional dos Estudantes (UNE), ocorrido no último domingo (18) em Belo Horizonte-MG, e assumirá a presidência da UNE pelos próximos dois anos.

Marianna tem 25 anos e é estudante de pedagogia da Universidade do Estado da Bahia (UNEB). Na gestão anterior, Marianna esteve responsável por representar os estudantes brasileiros na Frente Brasil Popular, união de movimentos sociais como o MST e a CUT.

De acordo com a assessoria de imprensa da UNE, “a luta pela saída do presidente ilegítimo e pelas Diretas Já é a grande urgência da nova presidenta. Marianna preocupa-se com o sucateamento da educação e os efeitos da emenda constitucional de congelamento de gastos públicos, que fere gravemente a universidade pública. Alerta para o risco do Congresso Nacional aprovar a cobrança de mensalidades nas públicas e do fim de programas de inclusão como o ProUni e o FIES nas particulares onde encontra-se a maioria da população pobre do país”.

Nascida em Feira

Marianna Dias - UNE

Marianna nasceu em Feira de Santana. Os pais tiveram origem pobre. Mudou-se para Salvador aos 11 anos, pouco antes de perder o pai, vítima de um acidente de carro. A personalidade forte já aflorava desde os cinco, quando se maquiava com as coisas da mãe, atiçada exatamente pela proibição do ato. “Quanto mais ela dizia que não podia, mais eu me pintava”, lembra.

Hoje, não usa tanta maquiagem e nem salto alto, por opção pessoal. Feminista, reclama de ser cobrada por isso e pelos padrões impostos cansativamente às mulheres. Apaixonada pelo sertão baiano, forrozeira e também carnavalesca, aproveita tanto o São João como a festa de Momo na terra natal, sempre que possível. Hoje radicada na capital paulista e envolvida grande parte do tempo com as funções da UNE, reclama do frio e da solidão em alguns momentos, remediada com a amizade dos colegas de torcida de futebol. Vai ao estádio nas duas cidades e arruma no peito espaço tanto para o Bahia como para o Corinthians.

A escolha da pedagogia, ainda na Bahia, veio acompanhada do prazer pela prática da alfabetização e da educação infantil. Adepta de Paulo Freire e de um modelo de educação libertadora, ingressou no movimento estudantil em um encontro de estudantes baianos na cidade de Paulo Afonso. Participou logo depois da 7ª Bienal da UNE, no Rio de Janeiro, em 2011, e logo já estava atuando como diretora de cultura da União dos Estudantes da Bahia (UEB).

A UNE é a entidade máxima dos estudantes brasileiros e representa cerca de seis milhões de universitários de todos os 26 Estados e do Distrito Federal.

 

Com informações de Artênius Daniel/UNE. Foto: Francisco Proner/UNE.


Sobre o (a) autor (a):