Rio Jacuípe

Cooperativa de Badameiros de Feira de Santana

A Cooperativa de Badameiros feirense, comandada por mulheres

Em 1777, o grande químico francês Antoine Lavoisier enunciou a Lei da Conservação das Massas, que tornou conhecida a célebre frase: “Na Natureza, nada se cria, nada se perde, tudo se transforma”. De fato, o Planeta Terra tem uma capacidade própria (Biocapacidade) de renovar e transformar seus recursos naturais para que sejam novamente reutilizados pelos seres humanos. Dessa forma, a Natureza se torna fonte primária (por isso, o nome matéria prima) de extração de recursos para os seres humanos produzirem seus alimentos, ferramentas, máquinas, carros, casa, móveis, computadores, livros etc. O grande problema ocorre quando os materiais gerados por conta

Dito Leopardo

Dito Leopardo: artista, boêmio e humano

Ao homem, é imperativo decidir o lugar que quer ocupar no mundo. Deixar de escolher não é uma alternativa. Fora da caixa, de riso frouxo e deboche contumaz, Dito Leopardo é um artista feirense que você deveria conhecer. Nascido em 1952, na cidade de Serrinha, Expedito Francisco Rocha, ou melhor, Dito, erradicou-se em Feira de Santana e aqui construiu, junto ao grupo musical Os Leopardos, uma intensa e memorável carreira como cantor. Nos tempos da brilhantina e dos bailes realizados em clubes sociais, era Dito quem orquestrava noites dançantes e proporcionava galanteios desvairados. Fez do Feira Tênis Clube e da

Futebol para cegos em Feira de Santana

Time feirense de futebol para cegos é destaque nacional

O futebol de Feira de Santana não é representado apenas pelo Fluminense de Feira e pelo Bahia de Feira, clubes locais que mobilizam os apaixonados pelo esporte na cidade. Por aqui há uma equipe que disputará o Campeonato Brasileiro da série A na sua categoria – além de ser finalista do Campeonato do Nordeste. O desempenho invejável é da equipe de Futebol de 5 da União Baiana de Cegos, a UBC, de Feira de Santana, que desde 2011 participa de competições oficiais na Bahia e fora do estado. A equipe é composta por pessoas cegas, que se orientam no campo

As feiras de Feira de Santana

As feiras de Feira de Santana

A palavra “organização” vem do grego “organon”, que significa “organismo” ou “instrumento” de trabalho. Assim, o filósofo grego Aristóteles tem o conjunto de suas obras lógicas chamadas de Órganon, já que, para a Filosofia, a Lógica é o instrumento crucial de seu funcionamento. Nesse sentido, as feiras também são o Órganon de Feira de Santana: o instrumento de trabalho e sobrevivência de milhares de feirenses e regionais, que transitam pelas feiras da cidade comercializando seus frutos, verduras, raízes, roupas, sucata e o que mais for possível. Mas, como o leitor deve saber, as feiras desse entroncamento não obedecem ao rigor lógico

O Feirenses vai voltar!

O Feirenses vai voltar!

Desde quando iniciamos, em maio de 2015, sabíamos que fazer o Feirenses seria desafiador. Uma iniciativa completamente independente, sem vínculos com quaisquer organizações (públicas ou privadas) e ambiciosa: criatividade, inovação, profundidade, originalidade, democracia e coletividade foram algumas palavras-chave que os/as fundadores/as entusiasticamente pronunciavam em cada conversa pré e pós-produção dos conteúdos. Três anos após a primeira publicação, podemos dizer com orgulho que contribuímos para o ambiente de publicações em Feira de Santana, e que tudo estaria bem se continuássemos hibernando – como ocorre há quase um ano. Importante dizer que essa suspensão das atividades do Feirenses deu-se pela própria natureza

O que tem nesta sexta no Feira Noise Festival #FeiraMundo

O Feira Noise Festival está chegando ao fim, mas de modo intenso e com muita qualidade. A partir de hoje, sexta-feira, inicia a jornada do Festival no Teatro de Arena do Centro de Cultura Amélio Amorim – uma das partes mais esperadas do maior Festival de artes integradas da Bahia.

Nesta postagem você confere todas as informações sobre os shows que ocorrerão e seus respectivos horários (garanta seu ingresso online agora!):

Sexta-Feira, 18h: Roça Sound

Explorando sonoridades entre a Cultura Nordestina, Rap, Dembow, Reggae e Dance Hall, o grupo Roça Sound possui letras que falam do cotidiano variando entre o social e o sentimental. Tendo o suingue como marca, essa equipe vem com referências nordestinas unificadas ao “Sound System” e ao “Bass Line” como forma de execução. Veja um aperitivo:

 

Sexta-Feira, 19h: Sincronia Primordial

O Sincronia Primordial é um grupo de RAP de Feira de Santana formado por Dimme Roots MC, Dois As, Robert Beats DJ e BeatMaker. O grupo se conheceu há algum tempo, mas sua formação é recente. Eles carregam consigo uma história já antiga dentro das batidas da vertente. Veja o clipe “Nas ruas do nordeste”, do Sincronia Primordial:

 

Sexta-Feira, 19h50: Pastel de Miolos

Pastel de Miolos é uma lendária banda baiana de punk rock, com mais de vinte anos de rodagem. O punk rock cru e visceral transpira nesse power trio, lotado de feeling e sinceridade em cada pancada soltada no ritmo do chamado ‘três acordes’. O punk ainda segue vivo, forte e a prova disso é a resistência da Pastel de Miolos, que vem produzindo trabalhos desde os velhos K7’s até os tempos atuais. Assista ao clipe “Desobediência Civil”:

 

Sexta-Feira, 20h40: Inventura

O Inventura pratica um rock simples e cativante, com arranjos que passeiam por diferentes texturas musicais e letras com temáticas que envolvem facetas do cotidiano e do comportamento humano. Confira o som do Inventura no clipe “O Prego no Chinelo do Anão”:

 

Sexta-Feira, 21h30: Retrofoguetes

Conhecidos em todo o Brasil como um dos mais virtuosos e conceituados grupos de música instrumental do cenário independente, os Retrofoguetes surgiram em Salvador, em 2002, da dissolução dos Dead Billies. Em seus temas, misturam elementos da surf music, rockabilly, jazz, polca e música latina, com uma ambientação na literatura, cinema e HQs de ficção científica. O resultado é uma música pop bem-humorada e extremamente visual, como trilha sonora de um filme imaginário. Veja uma pequena demonstração:

 

Sexta-Feira, 22h30: Marcella Bellas

A cantora e compositora Marcela Bellas faz parte da nova geração da música pop brasileira, sendo reconhecida pelo público e crítica por sua voz doce e singular, além de canções pop, românticas e dançantes. Confira:

 

Sexta-Feira, 23h20: Clube de Patifes

O Clube de Patifes é uma banda feirense com mais de 15 anos de carreira, praticando uma linguagem musical que transita entre o blues e o rock. Trata-se de uma das referências de criatividade e inventividade no atual cenário da música baiana. Confira uma bela demonstração do que eles fazem:

 

Sexta-Feira, 00h10: Maglore

Maglore é uma banda baiana de MPB e rock formada em meados de 2009, com uma trajetória significativa até aqui. Já dividiu o palco com nomes como Frejat, Marcelo Jeneci, Móveis Coloniais de Acaju, Wilson das Neves, Do Amor, BNegão, Teatro Mágico, Deadfish, Eddie, Mombojó, Vanguart, Cascadura e outros. Quer entender esse sucesso? Veja abaixo um aperitivo:

 

Feira Noise Festival


Sobre o (a) autor (a):