Rio Jacuípe

Porque eu te amei

O que ‘Porque eu te amei’ tem a falar sobre Feira?

Já passado alguns meses do lançamento do filme feirense de Tiago Rocha, que gerou assunto durante um bom tempo e lotou praticamente todas as sessões enquanto esteve em exibição, o longa, embora já fora dos cinemas, ainda tem muito que falar. E não me refiro exclusivamente aos temas abordados no enredo. Como violência doméstica, abuso, estupro etc. Mas, também, sobre o nosso olhar sobre Feira. Porque eu te amei é uma espécie de grito da classe artística feirense. Uma produção independente, envolvendo profissionais e entusiastas da cidade, lançada por aqui de maneira honrada e reconhecida – principalmente por quem duvidou.

Irving São Paulo

O ator feirense Irving São Paulo

Provavelmente você conhece o rosto do ator Irving São Paulo, filho de um histórico cineasta brasileiro, Olney São Paulo. Irving, nascido em Feira de Santana, estrelou grandes novelas brasileiras, a exemplo de “Bebê a bordo”, “Mulheres de Areia”, “A Viagem” e “Torre de Babel”. Irving nasceu em 26 de outubro de 1964, em Feira, onde iniciou a atuar em peças de teatro. Faleceu precocemente, aos 41 anos de idade, vítima de pancreatite necro-hemorrágica. Recentemente o Vídeo Show dedicou uma edição do quadro “Memória Nacional” ao ator feirense, mostrando sua trajetória e múltiplos talentos (em especial a música):   A seguir,

Jogo de Nonô

O jogo de Nonô

“Tira a mão do ovo, Nonô!”, protesta Toinho Cabeção quando o coroa de 86 anos chega para almoçar. É assim todo início de mês: Nonô chega na lanchonete do Centro Mandacaru apoiando uma mão na bengala e a outra oscilando entre o bolso e algumas coçadinhas no meio da calça. Ele não terceiriza o saque da aposentadoria, tanto por vigilância orçamentária quanto por deleite ritualístico: após ir ao banco, compra os remédios do mês, apara o cabelo que lhe resta e arrisca tornar-se milionário nos seis números da mega. “Jogar na mega pra onde, Nonô? Vai gastar esse milhão com

Colbert e Targino

Targino e Colbert trocam farpas

Sem informação Após a população do Conjunto Viveiros realizar uma manifestação por conta da falta de médico no Posto de Saúde da localidade, o prefeito Colbert Martins disse o seguinte: “não tinha informação que o posto médico do Viveiros estava tanto tempo (cerca de sete meses) sem médico”. Targino cobra afastamento da Secretária de Saúde e do Procurador do município O Deputado Estadual Targino Machado (DEM), durante pronunciamento na tribuna da Assembleia Legislativa da Bahia, nesta terça-feira, 21, cobrou do prefeito de Feira de Santana, o afastamento da Secretária Municipal de Saúde, Denise Mascarenhas, e do Procurador do município, Cleudson

Roberto Mendes

Roberto Mendes faz show na Cidade da Cultura

Um dos maiores artistas que a Bahia produziu estará em Feira de Santana na próxima quinta-feira: o cantor, compositor e ativista santamarense Roberto Mendes faz show na Cidade da Cultura, um dos principais espaços culturais de Feira de Santana. Mendes apresentará um show com tema caro a Feira de Santana: “A chula do Recôncavo com o Canto do Sertão”. Situada entre o Recôncavo e o Sertão, Feira tem a oportunidade de se reconhecer na apresentação de um notável defensor do Samba da Bahia, e do Samba antes do Samba, como ele diz, se referindo à Chula. Ele caracteriza a Chula

O que tem neste sábado no Feira Noise Festival #FeiraMundo

O primeiro dia de shows do Feira Noise Festival no Teatro de Arena do Centro de Cultura Amélio Amorim já aconteceu, e os feirenses tiveram a oportunidade de curtir atrações como as bandas Maglore, Clube de Patifes e Retrofoguetes, entre outros. Se você perdeu os espetáculos desta sexta, ou quer repetir a dose, veja alguns bons motivos para comparecer ao Amélio Amorim neste sábado, a partir das 14 horas (pegue logo seu ingresso!):

Sábado, 14h: Rock Navelha

Surgidos em 2011, esses jovens desajustados tiveram a ideia de reunir seus gostos musicais e produzir sonoridades baseadas em estilos clássicos do rock. A banda foi batizada de Navelha e seu trabalho autoral passou a ser inspirado no blues, no country e paralelo a isso utilizam do regionalismo para dar o ar e o gingado que era necessário para tornar a suas canções mais originais. Confira um aperitivo:

 

Sábado, 15h: Dionorina e Jorge de Angélica

Dionorina é nascido em Jussarí – Bahia, mas logo se mudou para Feira de Santana, onde criou suas raízes. Embora seja um admirador e divulgador do reggae tradicional, ele se mantém atento às novas influências e não deixa de fazer experimentações, por isso sua música é uma fusão de estilos sem deixar de prevalecer a qualidade em suas composições. Ele estará fazendo um dueto com Jorge de Angélica, outro tradicional nome do reggae baiano e feirense (junto com Gilsam, ambos compõem a “trilogia do reggae”). Entenda melhor ouvindo:

 

Sábado, 15h40: Declinium

Com influência do pós-punk que definiu boa parte do rock alternativo do fim dos anos 90, a Declinium já completou sua primeira década de história no underground baiano. O rock melancólico e de pouca distorção tem um tom levemente sombrio nas canções do quarteto de Camaçari. Veja:

 

Sábado, 16h30: Plático Lunar

Eles se definem como uma “banda de rock que impressiona por fabricar uma música rica, que já beijou o blues e abraçou o progressivo, oscila entre a psicodelia e a Black music e vem se destacando em Aracaju por produzir um som sem afetação dos ritmos regionalistas, mas sim, antes de qualquer rótulo, é autenticamente uma banda de Rock’n Roll”. Confira:

 

Sábado, 17h20: Marcionílio Prado

O cantor, compositor, multi-instrumentista e arranjador Marcionílio Prado é um dos pioneiros do Axé Music. Ex-integrante da Banda Eva (quando Daniela Mercury era backing vocal), Marcionílio tem vasta carreira internacional, e traz sua experiência e talento musical para o Feira Noise. Confira um pouco do trabalho desse grande artista:

 

Sábado, 18h20: Cascadura

Uma das principais bandas de rock da Bahia realizará seu último show no próximo dia 06 de dezembro. Antes disso, eles tocarão no Feira Noise, e você pode assistir. Veja o clipe “O Delator” e se convença da importância de ver o Cascadura hoje:

 

Sábado, 19h10: I.F.Á. Afrobeat e Okwei V Odili

Atração internacional no Feira Noise! A orquestra I.F.Á. Afrobeat traz ao Amélio Amorim a cantora nigeriana Okwei Veronny Odilli, levando o público a uma viagem ao Atlântico Negro com Ijexá, Funk, Afrobeat e ingredientes da música Black. Um dos pontos altos do Festival. Veja o I.F.Á. em atuação:

 

Sábado, 20h10: Tássia Reis

Natural de Jacareí-SP, Tássia Reis transita entre o Hip Hop, Blues, Pop e Jazz. Com uma doce e inconfundível voz, vem mostrando seu talento desde 2011 com participações em diversos trabalhos ao lado de cantores conhecidos principalmente no rap nacional, como: Marcelo D2, Rashid, AXL, o grupo Mental Abstrato, além de ter sido foi backing vocal da cantora Clawdia Ejara. Ouça:

 

Sábado, 21h10: Novelta

A proposta musical da banda feirense Novelta é basicamente influenciada pelo Stoner Rock. São músicas carregadas de FUZZ, que fazem cama para as letras que versam a região nordeste. Com tais elementos, a banda encontra uma maneira própria de fazer Stoner.
 Ouça uma prévia abaixo:

 

Sábado, 22h10: Vivendo do Ócio

Vivendo do Ócio é uma banda baiana atualmente instalada em São Paulo. Com muita atitude e apostando nas raízes do rock brasileiro a Vivendo do Ócio já possui espaço entre as grandes bandas do país. Imperdível:

 

Sábado, 23h50: Project 46

Fechando com chave de ouro os shows do sábado de Feira Noise Festival, vem a banda Project46, uma das principais de Metal/Hardcore do país, já com significativa visibilidade no exterior. Sinta o som:

 

Feira Noise Festival


Sobre o (a) autor (a):