As Feiras de Feira de Santana

Cooperativas em Feira de Santana

Cooperativas com os dias contados em Feira de Santana

O Tribunal de Contas dos Municípios (TCM) e o Ministério Público da Bahia (MP-BA) exigiram que a Prefeitura Municipal de Feira de Santana não faça mais contratações de servidores através de cooperativas. Novas Contratações Colbert Martins disse ao Acorda Cidade que as contratações só poderão ocorrer via Organização Social (OS), seleção pública (Reda) ou concurso público. Ao atender essa recomendação, é provável que aumente o número de processos seletivos para contrações temporárias. Fim das indicações políticas Infelizmente, com o fim das contratações via cooperativas, não é certo de que acabem também as indicações políticas. A contratação de Organização Social permite

Vai ter Feira Noise Festival em 2020

O Feira Coletivo Cultural e a Banana Atômica realizaram no último final de semana, em Feira de Santana (BA), uma edição histórica em comemoração aos 10 anos de existência do Feira Noise Festival. O evento aconteceu entre os dias 22 a 24, no Ária Hall, reforçando sua importância para a consolidação da cena local, além de manter Feira de Santana na rota de circulação de bandas e artistas independentes. Ao todo, 33 atrações se revezaram entre os palcos Banana Atômica e Budweiser, sendo 13 delas de Feira de Santana. Importantes nomes da música brasileira contemporânea como Supercombo, Francisco El Hombre, Black Pantera, Potyguara Bardo,

O fenômeno flamenguista em Feira de Santana

Na manhã dessa segunda-feira, a Praça da Bandeira foi a arena onde se discutiu sobre o mais importante e popular time de futebol brasileiro. — É óbvio que o Bahia é de mais importância. O Brasil nasceu onde? Se é aqui o início do Brasil, o Bahia é o time do nosso povo, defendia Papinho, torcedor patológico do Bahia. — O Flamengo, companheiro, é o time das massas, o time rubro, castanho, caboclo, representando os índios, e negro, quilombola, africano, representando o povo escravizado, proclamava Seu Teófilo, tomando caldo de cana para curar a ressaca da comemoração dos dois títulos

Roça Sound

“Tabaréu Moderno”, o novo álbum do Roça Sound

“Tabaréu Moderno” é o terceiro disco do grupo Roça Sound. Lançado no último dia 15 de novembro, o novo álbum estava sendo esperado pelo público que acompanha o trabalho dos feirenses desde “Você Aguenta Quantos Rounds?”, de 2014. Formado por NickAmaro (DJ/ MC), Paulo Bala (MC), Dom Maths (MC) e o dançarino Edy Murphy, o Roça Sound explora sonoridades que vão desde a Cultura Nordestina, Rap, Dembow, Reggae, e o DanceHall, tendo o suingue como sua marca principal. Em “Tabaréu Moderno”, trazem nove faixas autorais e inéditas, com as participações da Orquestra Reggae de Cachoeira, Quixabeira da Matinha, Bel da

Precisamos louvar o Feira Noise

É preciso louvar com entusiasmo a edição de 10 anos do Feira Noise Festival, que ocorre nesse final de semana em Feira de Santana. Nem precisa gostar de rock ou de qualquer gênero musical, banda ou artista que se apresenta nos palcos do evento para reconhecer a capacidade inacreditável de um grupo de entusiastas de determinada cena cultural em manter de pé, em Feira de Santana, um festival que chama a atenção para além das fronteiras baianas. São mais de 30 atrações, de várias partes do Brasil, distribuídas em três dias no Ária Hall, o mais elegante e bem estruturado

Feira Noise Festival é no próximo final de semana!

A partir desta sexta-feira (23), o Centro de Cultura Amélio Amorim, em Feira de Santana (BA), recebe a oitava edição do Feira Noise Festival. O evento acontece até o domingo (25), com dois palcos, cerca de 30 shows, graffiti ao vivo, gastronomia e a feirinha de artesanato local Feira Camelô.

Com o tema “Somos Tudo Isso Mesmo”, o evento celebra a diversidade de cores, credos, identidades e gêneros, auto afirmando-se como um dos principais festivais de artes integradas do Nordeste. O Feira Noise é realizado desde 2009, colocando a cidade na rota da música independente brasileira e marcando seu território como um importante ponto de circulação musical no interior da Bahia.

Este ano, dentre os nomes se apresentam estão Attoxxa, Boogarins, Duda Beat, Drik Barbosa, Letrux e Scalene. Da cena local, se destacam atrações como Iorigun, Lerry, A Vez das Minas, Roça Sound e Clube de Patifes. “O festival surgiu com esse intuito de colocar no mesmo palco artistas e bandas que fazem a música brasileira contemporânea acontecer no Brasil inteiro e os artistas locais que estão investindo numa carreira autoral. De lá pra cá o festival tem crescido gradativamente, temos conseguido ganhar mais espaço na cidade e torná-lo mais conhecido, assim como os artistas que estão envolvidos”, explica Joilson Santos, do Feira Coletivo.

Produtores e artesãos locais também estão ansiosos para o evento. De acordo com Heloisa Lima, coordenadora do Feira Camelô, o festival também tem como objetivo incentivar empreendedores locais. “Temos um leque de opções – cosméticos feitos a mão, personalizados, crochê, dreads, ateliê de beleza, tatuagem e brechó”, conta. “Ao realizar a curadoria observamos a relevância artística, originalidade e processo criativo da proposta – inovação e trabalhos feitos a mão foram priorizados”.

Os ingressos antecipados estão à venda no site Sympla, com valores entre R$25,00 e R$120,00.

Confira a programação:

SEXTA 23/11/18

  • Tito Pereira
  • Sofie Jell
  • Duo Finlandia
  • Drik Barbosa
  • A vez das minas
  • Attooxxa
  • Lupa
  • Letrux

SÁBADO 24/11/2018

  • Sangue Real
  • Navelha
  • Casapronta
  • Stephen Ulrich Band
  • Marsa
  • Tuyo
  • Seu Pereira e Coletivo 401
  • Erasy
  • Ponto Nulo no Céu
  • Drenna
  • Nervosa
  • Lammia
  • Scalene

DOMINGO 25/11/2018

  • Lerry
  • P1 Rappers
  • Hiran
  • Dona Iracema
  • Roça Sound
  • Sons de Mercurio
  • Clube de Patifes
  • Zuhri
  • Zimbra
  • Iorigun
  • Boogarins
  • Duda Beat

Sobre o (a) autor (a):