As Feiras de Feira de Santana

O pintor feirense Cesar Romero

O pintor feirense Cesar Romero

Quem acompanha o cenário das artes plásticas da Bahia certamente já ouviu falar ou já se deparou com alguma obra do pintor Cesar Romero. O que nem todos sabem é que o artista plástico autor das “Faixas Emblemáticas” é feirense, nascido em 1950. “Dois fatos foram determinados em minha formação de artista plástico: a convivência com as feiras livres, sempre às segundas-feiras, em companhia do meu pai, e a criação do Museu Regional de Feira de Santana. Se eu tivesse nascido em outra cidade, muito provavelmente não haveria o artista que sou, nem esta obstinada escolha de brasilidade. Feira de

Quanto custa a Câmara de Vereadores de Feira de Santana?

Quanto custa a Câmara de Vereadores de Feira?

A Câmara de Vereadores é uma instituição importantíssima para qualquer município. Suas cadeiras são ocupadas pelos representantes políticos mais próximos à comunidade: os vereadores, eleitos principalmente pela capacidade de interlocução e liderança em determinados bairros e comunidades. Além de levar demandas da comunidade ao Poder Executivo, mantendo diálogo permanente com secretários, superintendentes e outros gestores, o vereador deve cumprir o papel fiscalizador das ações e decisões emanadas do Prefeito. Sem falar no papel de legislador e promotor de debates sobre temas de interesse da comunidade, fazendo com que os munícipes tenham participação ativa nas políticas públicas. Quanto mais os vereadores

Colbert proíbe atividades extraescolares

Colbert proíbe atividade extraescolar nas escolas de Feira

O Prefeito Colbert Martins, desde o final de outubro de 2018, resolveu cancelar todas as atividades externas com os alunos da rede municipal de ensino. A medida foi tomada em virtude da morte do estudante que se afogou durante um passeio escolar, em um sítio localizado no bairro Conceição. O passeio fazia parte de uma atividade em comemoração ao Dia das Crianças. Datas importantes Com a medida os estudantes ficaram de fora do Natal Encantado 2018 e do desfile do dia 2 de julho no distrito de Maria Quitéria. E neste segundo semestre não vão participar (se a proibição permanecer), de

Feira na próxima década

A Feira que se deseja para a próxima década (III)

Não é de hoje que a mudança do Terminal Rodoviário da Feira de Santana é tema nas conversas de muitos feirenses. Desde o início do século, nas campanhas eleitorais, candidatos a prefeito anunciam a intenção de transferir o equipamento. Até hoje nenhum passo foi dado. Mas tudo indica que, ano que vem, mais uma vez, nas eleições municipais, a questão vai ser abordada, sobretudo nos debates em emissoras de rádio e tevê, cujo clima é adequado aos anúncios bombásticos. Há um charme transformador, futurista, visionário, ao se tratar do tema. Os candidatos a prefeito em 2020 já devem estar de

João Gilberto

Bar feirense faz homenagem a João Gilberto

No último dia 6 de julho, morreu um dos ícones da Música Popular Brasileira, o baiano e juazeirense João Gilberto. Considerado o “pai da Bossa Nova”, João foi um dos mais reconhecidos artistas brasileiros em todo o mundo. Em 2017, a revista Rolling Stones resumiu bem a inventividade de João Gilberto: “Antes de João Gilberto, o violão era o complemento para o voz. Na música do mestre da bossa, voz e violão se tornam uma única entidade. Aparentemente simples, na verdade a técnica de João exibe uma precisão matemática.”   Em uma das raras entrevistas que concedeu, na década de

Feira Noise Festival é no próximo final de semana!

A partir desta sexta-feira (23), o Centro de Cultura Amélio Amorim, em Feira de Santana (BA), recebe a oitava edição do Feira Noise Festival. O evento acontece até o domingo (25), com dois palcos, cerca de 30 shows, graffiti ao vivo, gastronomia e a feirinha de artesanato local Feira Camelô.

Com o tema “Somos Tudo Isso Mesmo”, o evento celebra a diversidade de cores, credos, identidades e gêneros, auto afirmando-se como um dos principais festivais de artes integradas do Nordeste. O Feira Noise é realizado desde 2009, colocando a cidade na rota da música independente brasileira e marcando seu território como um importante ponto de circulação musical no interior da Bahia.

Este ano, dentre os nomes se apresentam estão Attoxxa, Boogarins, Duda Beat, Drik Barbosa, Letrux e Scalene. Da cena local, se destacam atrações como Iorigun, Lerry, A Vez das Minas, Roça Sound e Clube de Patifes. “O festival surgiu com esse intuito de colocar no mesmo palco artistas e bandas que fazem a música brasileira contemporânea acontecer no Brasil inteiro e os artistas locais que estão investindo numa carreira autoral. De lá pra cá o festival tem crescido gradativamente, temos conseguido ganhar mais espaço na cidade e torná-lo mais conhecido, assim como os artistas que estão envolvidos”, explica Joilson Santos, do Feira Coletivo.

Produtores e artesãos locais também estão ansiosos para o evento. De acordo com Heloisa Lima, coordenadora do Feira Camelô, o festival também tem como objetivo incentivar empreendedores locais. “Temos um leque de opções – cosméticos feitos a mão, personalizados, crochê, dreads, ateliê de beleza, tatuagem e brechó”, conta. “Ao realizar a curadoria observamos a relevância artística, originalidade e processo criativo da proposta – inovação e trabalhos feitos a mão foram priorizados”.

Os ingressos antecipados estão à venda no site Sympla, com valores entre R$25,00 e R$120,00.

Confira a programação:

SEXTA 23/11/18

  • Tito Pereira
  • Sofie Jell
  • Duo Finlandia
  • Drik Barbosa
  • A vez das minas
  • Attooxxa
  • Lupa
  • Letrux

SÁBADO 24/11/2018

  • Sangue Real
  • Navelha
  • Casapronta
  • Stephen Ulrich Band
  • Marsa
  • Tuyo
  • Seu Pereira e Coletivo 401
  • Erasy
  • Ponto Nulo no Céu
  • Drenna
  • Nervosa
  • Lammia
  • Scalene

DOMINGO 25/11/2018

  • Lerry
  • P1 Rappers
  • Hiran
  • Dona Iracema
  • Roça Sound
  • Sons de Mercurio
  • Clube de Patifes
  • Zuhri
  • Zimbra
  • Iorigun
  • Boogarins
  • Duda Beat

Sobre o (a) autor (a):