As Feiras de Feira de Santana

Roça Sound

Roça Sound expõe a Feira de Santana clandestina

Saiu o novo clipe do Roça Sound, uma interpretação audiovisual apurada da música “Verde e Cinza”, que compõe o álbum “Tabaréu Moderno”, o mais recente do grupo. A música e o clipe integram uma das mais importantes obras contemporâneas de interpretação de Feira de Santana e sua cultura. “Verde e Cinza”, já no título, denuncia essa cidade contraditória, que vive entre uma tradição rural, feirante, e uma sanha modernizante expressa nas obras cheias de concreto e vazias de humanidade. Mas não para por aí, afinal, Clóvis Ramaiana já notou e denunciou isso há muito. A canção expõe a visceral clandestinidade

Cooperativas em Feira de Santana

Cooperativas com os dias contados em Feira de Santana

O Tribunal de Contas dos Municípios (TCM) e o Ministério Público da Bahia (MP-BA) exigiram que a Prefeitura Municipal de Feira de Santana não faça mais contratações de servidores através de cooperativas. Novas Contratações Colbert Martins disse ao Acorda Cidade que as contratações só poderão ocorrer via Organização Social (OS), seleção pública (Reda) ou concurso público. Ao atender essa recomendação, é provável que aumente o número de processos seletivos para contrações temporárias. Fim das indicações políticas Infelizmente, com o fim das contratações via cooperativas, não é certo de que acabem também as indicações políticas. A contratação de Organização Social permite

Vai ter Feira Noise Festival em 2020

O Feira Coletivo Cultural e a Banana Atômica realizaram no último final de semana, em Feira de Santana (BA), uma edição histórica em comemoração aos 10 anos de existência do Feira Noise Festival. O evento aconteceu entre os dias 22 a 24, no Ária Hall, reforçando sua importância para a consolidação da cena local, além de manter Feira de Santana na rota de circulação de bandas e artistas independentes. Ao todo, 33 atrações se revezaram entre os palcos Banana Atômica e Budweiser, sendo 13 delas de Feira de Santana. Importantes nomes da música brasileira contemporânea como Supercombo, Francisco El Hombre, Black Pantera, Potyguara Bardo,

O fenômeno flamenguista em Feira de Santana

Na manhã dessa segunda-feira, a Praça da Bandeira foi a arena onde se discutiu sobre o mais importante e popular time de futebol brasileiro. — É óbvio que o Bahia é de mais importância. O Brasil nasceu onde? Se é aqui o início do Brasil, o Bahia é o time do nosso povo, defendia Papinho, torcedor patológico do Bahia. — O Flamengo, companheiro, é o time das massas, o time rubro, castanho, caboclo, representando os índios, e negro, quilombola, africano, representando o povo escravizado, proclamava Seu Teófilo, tomando caldo de cana para curar a ressaca da comemoração dos dois títulos

Roça Sound

“Tabaréu Moderno”, o novo álbum do Roça Sound

“Tabaréu Moderno” é o terceiro disco do grupo Roça Sound. Lançado no último dia 15 de novembro, o novo álbum estava sendo esperado pelo público que acompanha o trabalho dos feirenses desde “Você Aguenta Quantos Rounds?”, de 2014. Formado por NickAmaro (DJ/ MC), Paulo Bala (MC), Dom Maths (MC) e o dançarino Edy Murphy, o Roça Sound explora sonoridades que vão desde a Cultura Nordestina, Rap, Dembow, Reggae, e o DanceHall, tendo o suingue como sua marca principal. Em “Tabaréu Moderno”, trazem nove faixas autorais e inéditas, com as participações da Orquestra Reggae de Cachoeira, Quixabeira da Matinha, Bel da

O que tem neste domingo no Feira Noise Festival #FeiraMundo

Hoje é o último dia do maior festival de artes integradas da Bahia. Nos últimos dias os feirenses prestigiarem grandes bandas brasileiras passando pelo palco do Teatro de Arena do Amélio Amorim, como Maglore, Cascadura, Clube de Patifes e I.F.Á. Afrobeat. Neste domingo não será diferente. Veja a seguir a  empolgante lista de atrações:

Domingo, 13h: Roça Sound

Explorando sonoridades entre a Cultura Nordestina, Rap, Dembow, Reggae e Dance Hall, o grupo Roça Sound possui letras que falam do cotidiano variando entre o social e o sentimental. Tendo o suingue como marca, essa equipe vem com referências nordestinas unificadas ao “Sound System” e ao “Bass Line” como forma de execução. Veja um aperitivo:

Domingo, 14h: Expedição Gatos Atômicos

A vertente principal da Expedição Gatos Atômicos remete a sonoridades do denominado indie rock. Eles surgiram com a proposta de fazer som original e que fosse reflexo das experiências passadas dos seus integrantes, sem deixar de estabelecer o foco no trabalho autoral. Confira:

 

Domingo, 14h50: Tabuleiro Musiquim

A Tabuleiro Musiquim é uma banda que possui uma sonoridade diferenciada por arranjos trabalhados com elementos do Rock e do Funk ligados pelos ritmos afro-brasileiros. Muito bom:

 

Domingo, 15h50: Clara Valente

Clara Valente é uma cantora e compositora carioca, e estará se apresentando pela primeira vez em Feira de Santana. A cantora iniciou em janeiro desse ano a turnê de lançamento do disco “Mil Coisas”, seu mais novo trabalho. O repertório autoral de “Mil Coisas” é uma performance musical vibrante, contemporânea e eclética, que vai do afrobeat ao tango, explorando referências nordestinas e eletrônicas. Veja o clipe:

 

Domingo, 16h50: Rapadura

Rapadura, ou mais conhecido como RAPadura Xique-Chico faz uma mescla ousada e inovadora do RAP com a cultura popular brasileira. Cearense de origem, Rapadura transmite a música falada inspirada em ritmos de dança da sua região. Sua obra é conhecida em todo país por carregar junto tradições nordestinas dentro do RAP, que é a sua vertente musical. Mas a embolada, o repente, o maracatu, a capoeira, as cantigas de roda, além do baião e do forró são ritmos que o inspiram a explanar a seca, o agricultor e os processos de urbanização na sua fala. Veja um pouco desse belo trabalho:

 

Domingo, 17h50: Far from Alaska

O quinteto surgido em 2012 nos apresenta riffs poderosos, sintetizadores bem elaborados, um vocal único, original e ainda com o arrojo de compor letras em inglês. A banda surgiu em Natal/RN, mas reside em São Paulo e conseguiu em pouco tempo se destacar ao ponto de tocar em um dos principais festivais do Nordeste (Do Sol), em um dos principais do Brasil (Planeta Terra) e de quebra foi presença destacada no Lollapalooza em 2015, um ano especial para a banda. Confira uma dose da banda:

 

Domingo, 18h50: Calafrio

Banda genuinamente feirense, a Calafrio se consolida por fazer rock sem ter a necessidade de esconder sua versatilidade de também produzir sonoridades que não negam seu potencial pop. Veja o novo clipe da banda:

 

Domingo, 19h50: Vespas Mandarinas

Vespas Mandarinas é uma banda de rock criada na cidade de São Paulo. O nome do grupo é oriundo do inseto homônimo, nativo da Ásia, igualmente conhecido como “Zangão Japonês” ou “Vespa Assassina” e que figura no topo da lista dos insetos mais perigosos do planeta. Conheça o som das Vespas:

 

Domingo, 21h00: Supercombo

Com suas melodias e harmonias imprevisíveis, a banda é um misto de talento e criatividade, capaz de produzir uma variedade de sons com os cuidados técnicos necessários. Guitarras com afinações fora do comum, teclados, sintetizadores e letras que nos passam lições, histórias e sonhos possíveis. A Supercombo é uma banda de rock, original e sem receios em evidenciar seu potencial pop. Divirta-se:


Sobre o (a) autor (a):