As Feiras de Feira de Santana

Fluminense de Feira - 1969

Touro era campeão baiano há 50 anos

Está passando meio despercebido, mas outubro marca os 50 anos do último título de campeão baiano do Fluminense de Feira. Poucos que acompanharam – como testemunhas – aquelas memoráveis jornadas ainda estão vivos. Notícias da época apontam o Touro do Sertão como protagonista de uma campanha brilhante, sob a inspirada condução do atacante Freitas, que marcou o gol do título do tricolor feirense. Vice-campeão no ano anterior, o Fluminense atropelou Bahia e Vitória e se sagrou vencedor por antecipação. No dia 5 de outubro de 1969 houve rodada dupla na Fonte Nova: o Touro encarou o Vitória e o Bahia,

Desemprego em Feira de Santana

Desemprego permanece assombrando Feira

Nos oito primeiros meses de 2019 a Feira de Santana continuou perdendo postos formais de trabalho. Isso quando se considera o saldo entre contratações e dispensas. No intervalo entre janeiro e agosto houve 23.221 admissões e 23.573 demissões. No saldo, esfumaçaram-se mais 352 postos. Os dados são oficiais, do Ministério da Economia. Não dá, portanto, para contestarem a veracidade das informações, conforme virou moda nos últimos meses. A construção civil segue reduzindo seu estoque de mão-de-obra. No período, foram dispensados, no saldo, 134 serventes, o popular ajudante de pedreiro. Os pedreiros propriamente ditos foram um pouco menos afetados: perderam, também

Shopping da Cidade, em Teresina

O fulgurante Shopping da Cidade em Teresina

Em Teresina existe um imponente Shopping da Cidade. É um centro de comércio popular no qual se mercadeja, sobretudo, produtos importados da China. Dispõe de três pisos, praças, dezenas de corredores e quase dois mil boxes que abrigam uma variedade ampla de produtos. Fica muito bem localizado, na Praça da Bandeira, que abriga um terminal de ônibus e uma estação de trem. Basta atravessar a avenida Maranhão para se alcançar a orla do rio Parnaíba, encoberto por uma vegetação densa. Caso pretenda visitar o entreposto, o turista desatento não vai enfrentar dificuldade: qualquer cidadão indica – com a amabilidade habitual

4 rodas de samba em Feira

O final de semana do Samba em Feira de Santana

Feira de Santana tem vocação histórica para o samba, seja através das várias quixabeiras na Zona Rural da cidade, seja através das rodas de samba organizadas no espaço urbano do município. O final de semana que vai desta sexta (04 de outubro) até o domingo (06 de outubro) está recheado de eventos onde o samba é protagonista. Selecionamos pelo menos 4 sambas que ocorrerão na cidade neste período, para você se programar e curtir esse gênero musical genuinamente baiano, diretamente ligado às nossas ancestralidades. Confira: Sexta (04) – Samba Anchos O grupo feirense Audácia Pura vai se apresentar no Anchos

PDT - Feira de Santana

PDT feirense recebe três vereadores e um secretário municipal

Os vereadores Ron do Povo, Isaías de Diogo e Neinha Bastos, além do Secretário de Desenvolvimento Social e vereador licenciado, Pablo Roberto, filiaram-se ao PDT (Partido Democrático Trabalhista), na noite do dia 30. Pois é… O perfil do Instagram do PDT/Feira de Santana disponibiliza o link para o abaixo-assinado pela redução do subsídio do prefeito, vice e vereadores de Feira de Santana. A petição conta com 1.242 assinaturas. Será que os novos filiados assinaram ou são contra? Tem que ter serviços prestados! O ex-vereador Marialvo Barreto vai acionar o Ministério Público do Estado (MP-BA) para tentar invalidar a entrega dos

Experiência feirense: um domingo na feira livre do Tomba

A Princesa do Sertão é uma cidade que traz a feira em seu nome e em sua história. Levando em conta a onipresença desse espaço democrático no cotidiano feirense, fomos até a feira livre do bairro Tomba documentar as idas e vindas de uma das maiores feiras livres da cidade.

“Uma cidade dentro de outra cidade”: esse é um dos dizeres mais comuns quando se referem ao Tomba. O bairro se localiza na zona sul da cidade, distante cerca de 2 quilômetros do Centro, sendo o mais populoso do município. Destaca-se pelo alto grau de desenvolvimento, pelo imponente comércio e pela presença de um núcleo do Centro Industrial do Subaé (CIS). O nome é bastante peculiar, e sua origem vem da frase “lugar que o trem tomba”, uma alusão à existência de um trecho da linha férrea que oferecia riscos de tombamento aos trens que vinham de Cachoeira. Com o passar dos anos o lugar ficou conhecido somente como Tomba.

Feira do Tomba

A feira livre do Tomba atrai diversas pessoas, inclusive de cidades circunvizinhas. Acontece todos os sábados e domingos (este último o dia de mais movimento) na praça principal do bairro, e apresenta uma variedade imensa de produtos, que vão desde frutas e verduras até galinhas, vivas ou abatidas. Além de apresentar um alto poder de barganha, a feira livre te oferece uma sociabilidade fora do comum, seja na hora de negociar diretamente com o vendedor ou na hora de reclamar do preço daquele produto com o comprador que está ao seu lado. Uma ótima dica é o pastel com caldo de cana, parada obrigatória para quem gosta de um bom pastel de feira.

Entre as diversas histórias que se relacionam com o cotidiano da feira, conhecemos um pouco sobre a história de três mulheres, Júlia, Altira e Nilda.

Feira do Tomba

Júlia tem 57 anos e comercializa farinha na feira livre há 30, tem três filhos e quatro netos, criados com o suor do comércio de farinha nos finais de semana na praça do Tomba. A profissão foi herdada de sua mãe, uma das primeiras vendedoras da feira.

“O lucro é incerto, tem dia que tem ‘feira’ tem dia que não tem…”

Altira vende tapioca ali desde que a feira surgiu. Sexagenária, a senhora é mãe de três filhos e dois netos. Diz que o movimento de venda às vezes é fraco e que faz aquilo para se distrair, “o lucro é incerto, tem dia que tem ‘feira’ tem dia que não tem…”. Perguntada sobre o que deveria melhorar na feira, ela sugeriu a instalação de uma cobertura, que, segundo ela, melhoraria bastante o local de trabalho dos feirantes.

Nilda é uma das clientes fiéis da feira, mora próximo à praça e diz que compra ali já faz uns dois anos. Entre as coisas que a atraem está a proximidade, os preços baixos e a possibilidade de dar aquela “pechinchada”, que faz toda a diferença no orçamento.

Origens e comprovações

Feira do Tomba

Mal sabia Macário Barreto a importância que teria a sua doação, quando doou dois terrenos e assim fez surgir a praça que carrega seu nome e a paróquia local. De lá para cá a praça passou por diversas mudanças, e mais recentemente a feira sofreu uma requalificação do piso em pedra portuguesa e recebeu algumas melhorias na organização, mas o anseio da população local é que a feira vá para um ambiente mais adequado, já que o espaço se localiza entre as duas principais artérias de tráfego do bairro.

Saímos do Tomba com uma comprovação: a pluralidade da feira livre é o retrato da pluralidade do bairro e da herança cultural de um povo que resiste, se alegra, se diverte e garante seu sustento nas idas e vindas de uma feira.

Fotos: Gabriel de Oliveira


Sobre o (a) autor (a):