As Feiras de Feira de Santana

Cooperativas em Feira de Santana

Cooperativas com os dias contados em Feira de Santana

O Tribunal de Contas dos Municípios (TCM) e o Ministério Público da Bahia (MP-BA) exigiram que a Prefeitura Municipal de Feira de Santana não faça mais contratações de servidores através de cooperativas. Novas Contratações Colbert Martins disse ao Acorda Cidade que as contratações só poderão ocorrer via Organização Social (OS), seleção pública (Reda) ou concurso público. Ao atender essa recomendação, é provável que aumente o número de processos seletivos para contrações temporárias. Fim das indicações políticas Infelizmente, com o fim das contratações via cooperativas, não é certo de que acabem também as indicações políticas. A contratação de Organização Social permite

Vai ter Feira Noise Festival em 2020

O Feira Coletivo Cultural e a Banana Atômica realizaram no último final de semana, em Feira de Santana (BA), uma edição histórica em comemoração aos 10 anos de existência do Feira Noise Festival. O evento aconteceu entre os dias 22 a 24, no Ária Hall, reforçando sua importância para a consolidação da cena local, além de manter Feira de Santana na rota de circulação de bandas e artistas independentes. Ao todo, 33 atrações se revezaram entre os palcos Banana Atômica e Budweiser, sendo 13 delas de Feira de Santana. Importantes nomes da música brasileira contemporânea como Supercombo, Francisco El Hombre, Black Pantera, Potyguara Bardo,

O fenômeno flamenguista em Feira de Santana

Na manhã dessa segunda-feira, a Praça da Bandeira foi a arena onde se discutiu sobre o mais importante e popular time de futebol brasileiro. — É óbvio que o Bahia é de mais importância. O Brasil nasceu onde? Se é aqui o início do Brasil, o Bahia é o time do nosso povo, defendia Papinho, torcedor patológico do Bahia. — O Flamengo, companheiro, é o time das massas, o time rubro, castanho, caboclo, representando os índios, e negro, quilombola, africano, representando o povo escravizado, proclamava Seu Teófilo, tomando caldo de cana para curar a ressaca da comemoração dos dois títulos

Roça Sound

“Tabaréu Moderno”, o novo álbum do Roça Sound

“Tabaréu Moderno” é o terceiro disco do grupo Roça Sound. Lançado no último dia 15 de novembro, o novo álbum estava sendo esperado pelo público que acompanha o trabalho dos feirenses desde “Você Aguenta Quantos Rounds?”, de 2014. Formado por NickAmaro (DJ/ MC), Paulo Bala (MC), Dom Maths (MC) e o dançarino Edy Murphy, o Roça Sound explora sonoridades que vão desde a Cultura Nordestina, Rap, Dembow, Reggae, e o DanceHall, tendo o suingue como sua marca principal. Em “Tabaréu Moderno”, trazem nove faixas autorais e inéditas, com as participações da Orquestra Reggae de Cachoeira, Quixabeira da Matinha, Bel da

Precisamos louvar o Feira Noise

É preciso louvar com entusiasmo a edição de 10 anos do Feira Noise Festival, que ocorre nesse final de semana em Feira de Santana. Nem precisa gostar de rock ou de qualquer gênero musical, banda ou artista que se apresenta nos palcos do evento para reconhecer a capacidade inacreditável de um grupo de entusiastas de determinada cena cultural em manter de pé, em Feira de Santana, um festival que chama a atenção para além das fronteiras baianas. São mais de 30 atrações, de várias partes do Brasil, distribuídas em três dias no Ária Hall, o mais elegante e bem estruturado

As citações a Feira de Santana na Operação Lava-Jato

A Operação Lava-Jato tem sido a grande definidora do futuro político do país, envolvendo centenas de políticos de diversas siglas partidárias. Com as delações premiadas da maior empreiteira do país, a Odebrecht, ainda mais personagens foram inseridos como suspeitos da Operação, desnudando um esquema complexo de corrupção, que envolvia a manipulação dos entes estatais há cerca de, pelo menos, 30 anos.

Além de estarmos atentos a todo o desencadeamento nacional e estadual da Lava-Jato, trazemos algumas citações diretas a Feira de Santana nos autos da maior operação contra a corrupção que o Brasil já assistiu. Confira:

O codinome “Feira” nas planilhas da Odebrecht

A feirense Mônica Moura

A feirense Mônica Moura

Nas planilhas de pagamento ilegal da Odebrecht, foi encontrado um personagem que usava como codinome a palavra “Feira”. Em um despacho da 13ª Vara Federal, em Curitiba, acerca de uma prorrogação do pedido de prisão (número 5003682-16.2016.4.04.7000/PR) contra o marqueteiro João Santana e sua esposa, Mônica Moura, natural de Feira de Santana, as seguintes informações são encontradas:

  • “Foram apreendidos documentos que indicam que a Odebrecht teria feito pagamentos periódicos a João Santana e a Monica Moura, inclusive relativos a campanhas eleitorais no Brasil, reportando-se nessas ocasiões a eles através do codinome ‘Feira'”.
  • “Há apontamento de 18.000.000 para ‘evento 2008 (eleições municipais) via Feira’, que indica, segundo a autoridade policial, pagamentos a João Santana no referido ano para eleições municipais no Brasil”.
  • Há também apontamento de 5.300.000 para “evento El Salvador via Feira” neste mesmo ano de 2008, o que indica pagamentos a João Santana no referido ano relativamente aquele país. Admitiu João Santana, em seu depoimento, “que no ano de 2009 atuou na campanha presidencial de Maurício Funes (El Salvador)”.

A interpretação inicial da Polícia Federal foi de que “Feira” seria uma referência ao marqueteiro João Santana. Porém, diz o mesmo despacho sobre Mônica Moura: “em análise preliminar do material apreendido na residência dela, foram localizadas planilhas que retratam mais pagamentos suspeitos ao ‘Feira’ e documentos que contêm a identificação do codinome ‘Feira’ como o termo utilizado pela Odebrecht para reportar-se, não propriamente a João Santana, mas a Mônica Moura, já que ela seria a responsável pela parte administrativa e financeira das atividades do casal”.

Leia aqui o despacho completo!

Um presente de Youssef em Feira?

O ex-deputado Luiz Argôlo

O ex-deputado Luiz Argôlo

Um dos denunciados na Operação Lava-Jato, o ex-deputado federal Luiz Argolo, é acusado de ter recebido móveis, gado, cadeira de rodas e até um helicóptero do doleiro Alberto Youssef, com dinheiro do esquema de corrupção e cartel na Petrobrás.

Em um dos depoimentos concedidos pela testemunha de nome Marcos Vinícius, ligado à UTC Engenharia, que geria a concessão do Aeroporto de Feira de Santana, é dito o seguinte sobre o helicóptero que supostamente foi dado a Luiz Argôlo por Youssef:

“Sei que ele podia ser proprietário de helicóptero, quando eu fui a Feira de Santana pra uma, acho que inauguração do aeroporto de Feira de Santana, do qual nós somos concessionários, ele me ofereceu uma carona de helicóptero e eu fui no helicóptero. […] Eu fui de Salvador a Feira de Santana e voltei nesse helicóptero. […] Na companhia de Luiz Argolo. […] Eu não perguntei se era dele, mas me pareceu que era porque o comando do helicóptero era dele”.

Leia aqui a transcrição completa!

Os R$150 mil para o “médico”

Colbert Martins

O Vice-prefeito Colbert Martins

Outro ponto diretamente ligado a Feira de Santana na Operação Lava-Jato diz respeito ao suposto pagamento, no ano de 2010, de R$150.000,00 mil reais ao atual vice-prefeito de Feira de Santana. Nos autos do processo, é dito pelo delator José de Carvalho Filho o seguinte: “Essa ajuda se deu a pedido de Geddel Vieira Lima. Mesmo eu não tendo relação de proximidade, busquei reforçar a liderança que o PMDB da Bahia poderia ter no Congresso”.

Colbert Martins, ao site Acorda Cidade, negou que tenha recebido o valor.

Leia aqui a transcrição da delação!


Sobre o (a) autor (a):