Rio Jacuípe

Porque eu te amei

O que ‘Porque eu te amei’ tem a falar sobre Feira?

Já passado alguns meses do lançamento do filme feirense de Tiago Rocha, que gerou assunto durante um bom tempo e lotou praticamente todas as sessões enquanto esteve em exibição, o longa, embora já fora dos cinemas, ainda tem muito que falar. E não me refiro exclusivamente aos temas abordados no enredo. Como violência doméstica, abuso, estupro etc. Mas, também, sobre o nosso olhar sobre Feira. Porque eu te amei é uma espécie de grito da classe artística feirense. Uma produção independente, envolvendo profissionais e entusiastas da cidade, lançada por aqui de maneira honrada e reconhecida – principalmente por quem duvidou.

Irving São Paulo

O ator feirense Irving São Paulo

Provavelmente você conhece o rosto do ator Irving São Paulo, filho de um histórico cineasta brasileiro, Olney São Paulo. Irving, nascido em Feira de Santana, estrelou grandes novelas brasileiras, a exemplo de “Bebê a bordo”, “Mulheres de Areia”, “A Viagem” e “Torre de Babel”. Irving nasceu em 26 de outubro de 1964, em Feira, onde iniciou a atuar em peças de teatro. Faleceu precocemente, aos 41 anos de idade, vítima de pancreatite necro-hemorrágica. Recentemente o Vídeo Show dedicou uma edição do quadro “Memória Nacional” ao ator feirense, mostrando sua trajetória e múltiplos talentos (em especial a música):   A seguir,

Jogo de Nonô

O jogo de Nonô

“Tira a mão do ovo, Nonô!”, protesta Toinho Cabeção quando o coroa de 86 anos chega para almoçar. É assim todo início de mês: Nonô chega na lanchonete do Centro Mandacaru apoiando uma mão na bengala e a outra oscilando entre o bolso e algumas coçadinhas no meio da calça. Ele não terceiriza o saque da aposentadoria, tanto por vigilância orçamentária quanto por deleite ritualístico: após ir ao banco, compra os remédios do mês, apara o cabelo que lhe resta e arrisca tornar-se milionário nos seis números da mega. “Jogar na mega pra onde, Nonô? Vai gastar esse milhão com

Colbert e Targino

Targino e Colbert trocam farpas

Sem informação Após a população do Conjunto Viveiros realizar uma manifestação por conta da falta de médico no Posto de Saúde da localidade, o prefeito Colbert Martins disse o seguinte: “não tinha informação que o posto médico do Viveiros estava tanto tempo (cerca de sete meses) sem médico”. Targino cobra afastamento da Secretária de Saúde e do Procurador do município O Deputado Estadual Targino Machado (DEM), durante pronunciamento na tribuna da Assembleia Legislativa da Bahia, nesta terça-feira, 21, cobrou do prefeito de Feira de Santana, o afastamento da Secretária Municipal de Saúde, Denise Mascarenhas, e do Procurador do município, Cleudson

Roberto Mendes

Roberto Mendes faz show na Cidade da Cultura

Um dos maiores artistas que a Bahia produziu estará em Feira de Santana na próxima quinta-feira: o cantor, compositor e ativista santamarense Roberto Mendes faz show na Cidade da Cultura, um dos principais espaços culturais de Feira de Santana. Mendes apresentará um show com tema caro a Feira de Santana: “A chula do Recôncavo com o Canto do Sertão”. Situada entre o Recôncavo e o Sertão, Feira tem a oportunidade de se reconhecer na apresentação de um notável defensor do Samba da Bahia, e do Samba antes do Samba, como ele diz, se referindo à Chula. Ele caracteriza a Chula

2 grandes artistas feirenses realizam exposição

Há uma natural movimentação no campo do fomento cultural por parte do Museu Regional de Arte (MRA), que integra o Centro Universitário de Cultura e Arte (CUCA), buscando estimular interatividades entre artistas e diferenciados públicos. Nesse intuito que surge a iniciativa de preencher os espaços expositivos do Museu com as obras de Jorge Galeano e Vivaldo Lima, e assim, propor panoramas discursivos sobre as tendências artísticas contemporâneas, a partir de pinturas que compartilham além de cenários (por si só, ricos em histórias), personagens e sonhos, num mergulho visual sobre os paradoxos da sociedade.

São universos particulares que possibilitarão ao público, conhecer e valorizar tanto a história de vida desses artistas, quanto uma apreciação artística que dialoga entre territórios distintos. Amplia-se, assim, a qualidade na formação de público para o museu, a partir de momentos de interação e reflexão sobre as artes locais, a memória e a sociedade na contemporaneidade.

Jorge Galeano

Jorge Galeano

Argentino de Concórdia, o pintor Jorge Galeano estudou na Escola de Belas Artes de Buenos Aires. Desde muito cedo trabalha com o ofício da arte, através da escultura e da elaboração de afrescos. Em Feira de Santana fincou raízes, foi assessor de arte na TV Subaé e atualmente concilia sua produção com o ensino artístico, nas oficinas do CUCA/UEFS. Utiliza cores próprias e vibrantes para evidenciar uma relação profícua com a natureza, através de elementos representativos orgânicos que dialogam, a partir do sertão, com a cultura andina, latino-americana, traçando assim uma abordagem caracteristicamente global. Em seu currículo, acumula um expressivo número de premiações, exposições individuais, coletivas, bienais, obras públicas, publicações e cursos, com destaque para a mostra “Trópico Utópico” exposta no Equador, em 2014.

Vivaldo Lima

Vivaldo Lima

O pintor feirense Vivaldo Lima é professor graduado em letras pela UFBA, com especialização em Desenho e Memória Visual, é mestre em Desenho, Cultura e Interatividade pela UEFS. Participou do Primeiro Salão dos novos Artistas do Nordeste e de exposições individuais e coletivas com destaque para o Salão de Arte Contemporânea do Interior, na cidade de Cachoeira; expôs na Galeria Cavalete em Salvador; em Londrina no Paraná, e em 2007 foi convidado a fazer parte do acervo da pinacoteca do CDL-Feira de Santana. Passou um tempo afastado das pinturas, num processo intenso de pesquisa que resulta no estilo batizado por ele de Neo Fovismo. Nesse trabalho são utilizadas cores vibrantes e um livre tratamento para representar a forma. O Fovismo vem da palavra francesa fauve, surgiu no século XX e quer dizer “fera”. Dizia-se que os pintores daquela época pintavam como feras. Na mostra do Museu Regional de Arte CUCA/UEFS, busca evidenciar a história de pessoas comuns e de personalidades da sociedade feirense como os professores Áureo Filho, Joselito Amorim e Anísio Teixeira, reiterando uma ação com reflexos tanto no campo da memória social, quanto da História da Arte.


A Mostra terá inicio no dia 21 de setembro com abertura cultural com o Concerto Didático Piano a 4 Artes (Projeto de Extensão Grupo de Dança -Teatro da UEFS) coordenado pela Professora Simone Braga (UEFS) e participação da Bolsista PIBID Simone Gonçalves, a partir das 20h. A exposição fica em cartaz até o dia 21 de outubro de 2016 de 8h às 12h; 14h às 18h. O Museu Regional de Arte localiza-se na Rua Conselheiro Franco, 66, Centro, Feira de Santana-BA.


Sobre o (a) autor (a):