As Feiras de Feira de Santana

3 Peças de Teatro em setembro

3 peças teatrais imperdíveis que estarão em Feira em setembro

A cena teatral em Feira de Santana é intensa e fértil, com a produção de muitos espetáculos de repercussão e visibilidade nacional, além da recepção de peças de outras partes do país que encontram na cidade acolhimento para suas apresentações. Só para tomar um exemplo, em Feira ocorre um dos maiores festivais de teatro infantil do Brasil – o FENATIFS, que já está organizando sua 12ª edição para 2019. Nesse mês de setembro de 2019, o feirense terá a oportunidade de preencher sua programação com três espetáculos de muita qualidade, abordando a vida de figuras de relevância histórica: a pintora

Augusto Aras e Feira de Santana

A relação do Procurador de Bolsonaro com Feira de Santana

Quem acompanha o noticiário político nacional tem visto o debate em torno da indicação de Antônio Augusto Brandão de Aras para o cargo de Procurador Geral da República, feita pelo presidente Jair Bolsonaro. O que poucos feirenses sabem, entretanto, é que Augusto Aras tem íntima relação com Feira de Santana. Augusto é filho do ex-vereador Roque Aras, que exerceu o mandato na Câmara Municipal feirense entre 1971 e 1975 pelo MDB – partido que fazia oposição ao Regime Militar à época. Roque Aras foi também Deputado Estadual (1975-1979) e Deputado Federal (1979-1983). De acordo com o jornalista Dimas Oliveira, Augusto

Podcast para quem merece

O irreverente “Podcast para quem merece”

É crescente a quantidade de pessoas que consome conteúdo em áudio, no Brasil e no exterior. Dos áudiolivros aos podcasts, muitos usuários aproveitam os momentos de ócio em filas, no transporte ou mesmo nas tarefas domésticas para ouvir notícias, debates, aulas etc. A Rede Globo, por exemplo, percebeu a tendência, e lançou recentemente vários podcasts para sua audiência. Um podcast é como se fosse um programa de rádio, mas não é: em vez de ter uma hora certa para ir ao ar, pode ser ouvido quando e onde o usuário quiser. E em vez de sintonizar numa estação de rádio,

Escola Municipal Maria Andiara Silva Souza

A (falta de) estrutura de uma escola em Jaguara

A diretora da APLB/Feira, professora Marlede Oliveira, visitou na última quarta-feira (4), a Escola Municipal Maria Andiara Silva Souza que fica localizada no Povoado da Barra no Distrito de Jaguara. Na escola foi constatado que: A Escola funciona com apenas duas salas de aula e uma professora para lecionar Infantil, 1° ano, 2° ano, 3° ano, 4º ano e o 5° ano; A professora não tem Reserva de 1/3 da Carga Horária; A Escola não tem Internet nem Coordenador Pedagógico. Metas do IDEB Desde 2011, Feira não atinge as metas do Ideb para os anos iniciais do Ensino Fundamental. O

“não é pressa, é saudade dela”

“Não é pressa, é saudade dela”

No auge da minha adolescência – nem faz muito tempo assim – eu tinha uma vontade: viajar por aí de caminhão. Pegar umas caronas com os caminhoneiros e partir sem um rumo certo. Apenas vivendo um momento de cada vez, em cada rodovia e estrada desse nosso tão grande país. Mas a vida adulta chega trazendo responsabilidades e os anseios por aventuras adormecem um pouco. Enquanto lembrava disso, percebi que a figura do caminhoneiro é um tanto fascinante… Observe que todos os meus anseios da adolescência é algo rotineiro para eles. Os caras não param, vivem o momento seja lá

2 grandes artistas feirenses realizam exposição

Há uma natural movimentação no campo do fomento cultural por parte do Museu Regional de Arte (MRA), que integra o Centro Universitário de Cultura e Arte (CUCA), buscando estimular interatividades entre artistas e diferenciados públicos. Nesse intuito que surge a iniciativa de preencher os espaços expositivos do Museu com as obras de Jorge Galeano e Vivaldo Lima, e assim, propor panoramas discursivos sobre as tendências artísticas contemporâneas, a partir de pinturas que compartilham além de cenários (por si só, ricos em histórias), personagens e sonhos, num mergulho visual sobre os paradoxos da sociedade.

São universos particulares que possibilitarão ao público, conhecer e valorizar tanto a história de vida desses artistas, quanto uma apreciação artística que dialoga entre territórios distintos. Amplia-se, assim, a qualidade na formação de público para o museu, a partir de momentos de interação e reflexão sobre as artes locais, a memória e a sociedade na contemporaneidade.

Jorge Galeano

Jorge Galeano

Argentino de Concórdia, o pintor Jorge Galeano estudou na Escola de Belas Artes de Buenos Aires. Desde muito cedo trabalha com o ofício da arte, através da escultura e da elaboração de afrescos. Em Feira de Santana fincou raízes, foi assessor de arte na TV Subaé e atualmente concilia sua produção com o ensino artístico, nas oficinas do CUCA/UEFS. Utiliza cores próprias e vibrantes para evidenciar uma relação profícua com a natureza, através de elementos representativos orgânicos que dialogam, a partir do sertão, com a cultura andina, latino-americana, traçando assim uma abordagem caracteristicamente global. Em seu currículo, acumula um expressivo número de premiações, exposições individuais, coletivas, bienais, obras públicas, publicações e cursos, com destaque para a mostra “Trópico Utópico” exposta no Equador, em 2014.

Vivaldo Lima

Vivaldo Lima

O pintor feirense Vivaldo Lima é professor graduado em letras pela UFBA, com especialização em Desenho e Memória Visual, é mestre em Desenho, Cultura e Interatividade pela UEFS. Participou do Primeiro Salão dos novos Artistas do Nordeste e de exposições individuais e coletivas com destaque para o Salão de Arte Contemporânea do Interior, na cidade de Cachoeira; expôs na Galeria Cavalete em Salvador; em Londrina no Paraná, e em 2007 foi convidado a fazer parte do acervo da pinacoteca do CDL-Feira de Santana. Passou um tempo afastado das pinturas, num processo intenso de pesquisa que resulta no estilo batizado por ele de Neo Fovismo. Nesse trabalho são utilizadas cores vibrantes e um livre tratamento para representar a forma. O Fovismo vem da palavra francesa fauve, surgiu no século XX e quer dizer “fera”. Dizia-se que os pintores daquela época pintavam como feras. Na mostra do Museu Regional de Arte CUCA/UEFS, busca evidenciar a história de pessoas comuns e de personalidades da sociedade feirense como os professores Áureo Filho, Joselito Amorim e Anísio Teixeira, reiterando uma ação com reflexos tanto no campo da memória social, quanto da História da Arte.


A Mostra terá inicio no dia 21 de setembro com abertura cultural com o Concerto Didático Piano a 4 Artes (Projeto de Extensão Grupo de Dança -Teatro da UEFS) coordenado pela Professora Simone Braga (UEFS) e participação da Bolsista PIBID Simone Gonçalves, a partir das 20h. A exposição fica em cartaz até o dia 21 de outubro de 2016 de 8h às 12h; 14h às 18h. O Museu Regional de Arte localiza-se na Rua Conselheiro Franco, 66, Centro, Feira de Santana-BA.


Sobre o (a) autor (a):