Rio Jacuípe

Rua Marechal em mão única

Feira (A)notada: Marechal em mão única e novidade na Câmara

Lulinha entrega o cargo de Líder do Governo Após alguns colegas vereadores manifestarem a insatisfação com o líder do governo na Câmara Municipal de Feira de Santana, o vereador Luís Augusto (Lulinha), do DEM, entregou o cargo durante discurso na Sessão desta terça-feira (11). 10 anos do Museu Parque do Saber No próximo dia 15 de dezembro, o Museu Parque do Saber Dival da Silva Pitombo estará completando uma década de existência. E, para comemorar, foi realizada na terça-feira (11) uma homenagem especial a todos os envolvidos com o projeto inicial. O evento contou com as presenças do prefeito Colbert

Tourinho Candidato

Tourinho candidato, cubanização de assessores e toma lá da cá

Tourinho Candidato Surgiu mais um nome interessado no Paço Municipal em 2020. O vereador Roberto Tourinho, atualmente filiado ao PV, confirmou ao site Acorda Cidade que tem discutido o assunto.  Com sete mandatos, Tourinho é um dos políticos mais respeitados de Feira de Santana e filho de um ex-prefeito, o advogado José Falcão da Silva, que morreu durante o exercício do mandato. Ele se junta a nomes como Fernando Torres, Zé Neto, Zé Chico, Colbert Filho, Angelo Almeida, Carlos Geilson e Targino Machado que também se movimentam para disputar a prefeitura feirense. Toma lá dá cá Ao colocar o cargo

O Rural Feirense

O rural feirense, segundo o último Censo Agropecuário (parte 1)

Foram divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) os números referentes ao Censo Agropecuário realizado em 2017. Os dados são essenciais para que os governos das três esferas – Federal, Estadual e Municipal – elaborem suas políticas, mas são também muito importantes para acadêmicos, estudiosos do tema, para a imprensa especializada e até mesmo para o cidadão que deseja se manter informado sobre o seu município. Uma leva de informações sobre a Feira de Santana já está disponível e pode ser consultada. Os pesquisadores, em suas andanças pelo rural feirense apuraram, por exemplo, que existem exatos 9.191 estabelecimentos

O sonho de Lucas

Escritor feirense publica romance “O sonho de Lucas”

O escritor feirense Marcelo Vinicius acaba de publicar o romance “O sonho de Lucas”, pela editora carioca Multifoco. Marcelo é pesquisador, cursa Psicologia e estuda Filosofia da Arte e Filosofia Contemporânea na UEFS. Além de escritor, é fotógrafo. A história do romance divide-se em duas partes. A primeira é uma narrativa em terceira pessoa; e a segunda é em primeira pessoa, na qual esta se passa por meio do olhar de um jovem chamado Lucas, estudante que sonha em cursar a faculdade de Medicina e cuja vida familiar está em decadência. Lucas fica arrasado quando sua mãe, Kátia Fernandes, separa-se de

Antiga Intendência de Feira de Santana

Antiga Intendência é impregnada de História

Poucas edificações em Feira de Santana são tão impregnadas de História quanto o prédio da Antiga Intendência. Ele se localiza na esquina da Avenida Senhor dos Passos com a Praça Joaquim Pedreira, a antiga Praça da Bandeira. O imóvel também fica nas cercanias de três construções emblemáticas do município: a Igreja Senhor dos Passos, que se localiza defronte e os tombados prédios da Prefeitura Municipal – que fica na esquina transversal – e do Mercado de Arte Popular, situado no quarteirão contíguo, na própria antiga Praça da Bandeira. Originalmente, o imóvel funcionou como fórum, abrigando a sede do Poder Judiciário

Entrevista com a Vereadora Eremita Mota

A vereadora Eremita Mota, reeleita no último pleito eleitoral (2016) para o seu quarto mandato consecutivo, é a mulher feirense que mais tempo passou em mandato eletivo na história de Feira de Santana. Natural de Castro Alves-BA, veio para Feira de Santana no final da adolescência, com o intuito de cursar a Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS) no início da década de 80, morando com duas primas.

À época, Eremita tinha conseguido uma carta do prefeito de Castro Alves indicando-a ao prefeito de Feira para ocupação de algum cargo no município. Ao tempo em que conseguiu ser indicada para trabalhar como professora no Governo do Estado, Eremita passou a se dedicar a angariar apoio político ao prefeito, iniciando assim seu contato com o mundo da política partidária.

Eremita considera a vocação para lidar com pessoas um dos principais traços do seu talento político: “Desde cedo vi as pessoas me procurando… ‘Procura Eremita, ela é professora, ela tem uma facilidade de conseguir votos’… E fui!”.

Inicialmente, Eremita teve limitações familiares para tornar-se política com mandato: “Eu já estava casada, já tinha dois filhos pequenos, e eu não podia sair candidata porque meu esposo não deixou. Tive a vontade de sair vereadora, mas sempre o machismo pairou na família. Então eu tive esse problema”.

A solução foi sugerir ao marido, funcionário público, que fosse candidato apenas com o intuito de obter uma licença maior no trabalho, já que na época eles trabalhavam com um curso de inglês que precisava de maior atenção. “Fui buscar os votos escondida dele, e deu certo. Ele ganhou, foi o terceiro da coligação em 1992!”. O marido de Eremita se reelegeu em 1996, mas o casamento deles acabou em 1998.

“Em 2000 eu já estava separada, tentei sozinha e fiquei como primeira suplente. Em 2004 fui candidata e fui eleita: fiquei com 4 mil votos”. Daí em diante Eremita não perdeu mais uma eleição, tendo ficado com 5.253 votos no último pleito. Em todas as candidaturas, inclusive a atual, fez/faz parte da base do Governo Municipal na Câmara (8 anos do Prefeito José Ronaldo e 4 anos do Prefeito Tarcízio Pimenta).

A Câmara de Vereadores

Segundo Eremita, um dos desafios para o novo mandato é trazer ao cidadão a crença na política, já que os escândalos que tomam conta dos noticiários têm feito as pessoas a se afastarem até mesmo das decisões que afetam suas vidas. “As pessoas precisam abrir os olhos pra não votar em uma pessoa por causa de dinheiro, por causa de uma cesta básica”, diz ela, considerando que o problema passa pelo não reconhecimento da importância da política.  Além disso, ela pontua a necessidade de atenção às mulheres: “as mulheres são muito maltratadas e discriminadas. Eu pretendo agora discutir muito isso!”.

Perguntada sobre a frequente crítica em relação à qualidade da última legislatura na Câmara de Vereadores (crítica que já vem sendo estendida à atual), ela diz: “acho que isso se deve, principalmente, pela maneira de escolher os candidatos, essa maneira por partido e coligação. O correto seria mudar essa legislação e colocar os 21 vereadores mais votados. Teve candidatos com mais de 4 mil votos e não entraram! Não desconsiderando individualmente a qualidade de quem teve menos votos e se elegeu, que pode fazer um bom mandato, mas essa questão muitas vezes conta muito”.

Recentemente, Eremita, junto com o vereador Roberto Tourinho, foram destaque nos noticiários por não votarem a favor do atual presidente da Câmara, o vereador Ronny Miranda, para manter-se na presidência da Casa. Eremita comentou essa e outras questões na entrevista exclusiva concedida ao Feirenses:

 

 

 


Sobre o (a) autor (a):