Rio Jacuípe

Feira Noise Festival 2018

A programação completa do Feira Noise Festival 2018

O Feira Noise Festival divulgou as atrações que se apresentarão em sua oitava edição. O evento acontece entre os dias 23 a 25 de novembro, no Centro de Cultura Amélio Amorim, em Feira de Santana (BA). Mais de 30 bandas e artistas estão confirmados, entre eles importantes nomes da música brasileira contemporânea como Attoxxa, Boogarins, Drik Barbosa, Eddie, Letrux e Scalene. Da cena local, se destacam nomes como Iorigun, Roça Sound e Clube de Patifes. “O Feira Noise é um sonho que a gente realiza por etapas, ano a ano vamos trazendo atrações que tem uma história mais longa na

Quixabeira da Matinha em Portugal

Quixabeira da Matinha realizará apresentação em Lisboa

O grupo cultural Quixabeira da Matinha estará entre os dias 25 e 27 de outubro, em Oeiras, divisão administrativa de Lisboa, Portugal, realizando apresentações no evento “Semana Cultural da Bahia”, organizado pela Associação Luso Afro Cultural Brasileira Muxima. Dentre as atividades previstas estão o show temático “Quilombo, luta e resistência”, a ser apresentado com cerca de 2 horas de duração, com repertório próprio e homenageando outros artistas da cultura popular. Além disso, os integrantes também realizarão oficinas de samba de roda e de percussão a fim de popularizar ao público português a identidade musical do samba rural. A Quixabeira da

O golpista da Kalilândia

O golpista da Kalilândia

Era noite de 8 de maio de 1964 em Feira de Santana, sexta-feira. Num dia comum, àquela hora, quase meia-noite, Raimundo já teria vestido o pijama listrado e colocado cuidadosamente os chinelos no centro da lateral direita da cama – parte do rigoroso método que cumpria antes de dormir. Naquela sexta, o entusiasmo permitia-lhe descumprir o costume e sentir o fervor da vitória, um passo veemente de Feira rumo à civilização. A comemoração de Raimundo consistia em limpar cuidadosamente o Smith & Wesson herdado do avô. Um ato fora de hora, extraordinário, já que o fazia diariamente pela manhã, antes do

Coreto da Praça Froes da Motta

Coreto da Froes da Motta vai completar 100 anos

Depois de construir o casarão que hoje abriga a Fundação Cultural Egberto Costa, em 1902, o intendente Agostinho Froes da Motta determinou, em 1919, a construção do coreto na atual praça Froes da Motta. Até hoje a construção subsiste, contracenando com as palmeiras imperiais que vão, aos poucos, morrendo, e com os oitizeiros frondosos que abrigam incontáveis pardais que chilreiam de maneira incessante nos inícios de manhã e fins de tarde. Ano que vem – vale ressaltar – o coreto completa um século. A descrição do equipamento está em publicação do Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia, o

Eleições 2018 em Feira de Santana

Eleições 2018: quem ganhou em Feira de Santana [infográfico]

Na noite do último domingo (7) o Brasil deu um passo histórico em sua trajetória política: os candidatos Jair Bolsonaro (PSL) e Fernando Haddad (PT) se credenciaram ao segundo turno das eleições presidenciais, no mesmo pleito em que se elegeram governadores, senadores, deputados estaduais e federais de todo o Brasil. De maneira geral, chama a atenção o surgimento de uma nova força política ligada ao capitão do Exército: o PSL, partido de Bolsonaro, elegeu apenas um deputado federal em 2014, mas saltou para 51 cadeiras nas eleições 2018. Partidos tradicionais, como o MDB e o PSDB, tiveram reduções drásticas. O

Povo da Feira #7: Egídio, do Galpão de Farinha do Centro

— Qual a farinha boa que tu tem aí, Egídio?

— Tem uma copioba aqui da boa, torradinha. Quer quantos quilos?

Seu Egídio responde aos muitos clientes que aparecem, buscando farinha, feijão e outros insumos que vende no galpão de cereais do Centro de Abastecimento. Com voz grave e brilhante, demonstra ter muita disposição para o trabalho, mesmo estando aos 73 anos de idade.

Egídio

 

Natural de Candeal, encontrou em Feira de Santana a oportunidade de se desenvolver comercialmente, através da venda de farinha, trabalho que faz há cinquenta anos, ainda quando o atual Mercado de Arte Popular era um mercado comum. Também chegou a atuar na Marechal Deodoro, até que o Centro de Abastecimento foi fundado, e Egídio esteve entre os primeiros comerciantes do lugar: “Foi José Falcão que trouxe agente pra cá, isso lá em 1977!”, diz ele relembrando o início do Centro.

Perguntado sobre aposentadoria, responde imediatamente: “Não penso em parar não. Parado a gente fica muito amofinado depois de velho. E aqui não, você fica ligado!”. Logo após ele dá uma grande gargalhada, como quem brinca as necessidades da velhice.

Seu Egídio

 

Seu Egídio tem oito netos e cinco filhos, o mais velho com mais de 40 anos. A esposa tem 68, e também é natural de Candeal. Frequentador da Igreja Internacional da Graça, ele faz questão de exaltar o cuidado com a saúde e a vida ortodoxa que segue: “Nunca fui de bebida. Nunca fumei na minha vida… Graças a Deus. Ontem mesmo, peguei o resultado dos exames de próstata, que faço todo ano. Tem exame que faço de seis em seis meses… Tudo em cima. Eu me cuido bem! Não sinto nada!”.

Além da prevenção médica, faz exercícios físicos regulares. Como mora no bairro Jardim Cruzeiro, caminha e corre na Rua Andaraí.

Ao ser perguntado sobre como se diverte, Seu Egídio não sabe bem o que responder. Parece não fazer sentido para ele a existência de atividades feitas para a diversão, já que sorri, gargalha e descontrai ali, no cotidiano, orgulhoso de portar seus mais de 70 anos saudáveis, sem qualquer indício de vulnerabilidade.

Peço dois quilos de copioba e saio com a grande lição: o sorriso foi feito para o dia-a-dia.


Sobre o (a) autor (a):