As Feiras de Feira de Santana

Fluminense de Feira - 1969

Touro era campeão baiano há 50 anos

Está passando meio despercebido, mas outubro marca os 50 anos do último título de campeão baiano do Fluminense de Feira. Poucos que acompanharam – como testemunhas – aquelas memoráveis jornadas ainda estão vivos. Notícias da época apontam o Touro do Sertão como protagonista de uma campanha brilhante, sob a inspirada condução do atacante Freitas, que marcou o gol do título do tricolor feirense. Vice-campeão no ano anterior, o Fluminense atropelou Bahia e Vitória e se sagrou vencedor por antecipação. No dia 5 de outubro de 1969 houve rodada dupla na Fonte Nova: o Touro encarou o Vitória e o Bahia,

Desemprego em Feira de Santana

Desemprego permanece assombrando Feira

Nos oito primeiros meses de 2019 a Feira de Santana continuou perdendo postos formais de trabalho. Isso quando se considera o saldo entre contratações e dispensas. No intervalo entre janeiro e agosto houve 23.221 admissões e 23.573 demissões. No saldo, esfumaçaram-se mais 352 postos. Os dados são oficiais, do Ministério da Economia. Não dá, portanto, para contestarem a veracidade das informações, conforme virou moda nos últimos meses. A construção civil segue reduzindo seu estoque de mão-de-obra. No período, foram dispensados, no saldo, 134 serventes, o popular ajudante de pedreiro. Os pedreiros propriamente ditos foram um pouco menos afetados: perderam, também

Shopping da Cidade, em Teresina

O fulgurante Shopping da Cidade em Teresina

Em Teresina existe um imponente Shopping da Cidade. É um centro de comércio popular no qual se mercadeja, sobretudo, produtos importados da China. Dispõe de três pisos, praças, dezenas de corredores e quase dois mil boxes que abrigam uma variedade ampla de produtos. Fica muito bem localizado, na Praça da Bandeira, que abriga um terminal de ônibus e uma estação de trem. Basta atravessar a avenida Maranhão para se alcançar a orla do rio Parnaíba, encoberto por uma vegetação densa. Caso pretenda visitar o entreposto, o turista desatento não vai enfrentar dificuldade: qualquer cidadão indica – com a amabilidade habitual

4 rodas de samba em Feira

O final de semana do Samba em Feira de Santana

Feira de Santana tem vocação histórica para o samba, seja através das várias quixabeiras na Zona Rural da cidade, seja através das rodas de samba organizadas no espaço urbano do município. O final de semana que vai desta sexta (04 de outubro) até o domingo (06 de outubro) está recheado de eventos onde o samba é protagonista. Selecionamos pelo menos 4 sambas que ocorrerão na cidade neste período, para você se programar e curtir esse gênero musical genuinamente baiano, diretamente ligado às nossas ancestralidades. Confira: Sexta (04) – Samba Anchos O grupo feirense Audácia Pura vai se apresentar no Anchos

PDT - Feira de Santana

PDT feirense recebe três vereadores e um secretário municipal

Os vereadores Ron do Povo, Isaías de Diogo e Neinha Bastos, além do Secretário de Desenvolvimento Social e vereador licenciado, Pablo Roberto, filiaram-se ao PDT (Partido Democrático Trabalhista), na noite do dia 30. Pois é… O perfil do Instagram do PDT/Feira de Santana disponibiliza o link para o abaixo-assinado pela redução do subsídio do prefeito, vice e vereadores de Feira de Santana. A petição conta com 1.242 assinaturas. Será que os novos filiados assinaram ou são contra? Tem que ter serviços prestados! O ex-vereador Marialvo Barreto vai acionar o Ministério Público do Estado (MP-BA) para tentar invalidar a entrega dos

A atriz e artista plástica feirense Edelweiss Dias

É surpreendente a quantidade de feirenses que exerceram grande papel e influência no cenário artístico nacional, mas que são ignorados pela cidade. Um exemplo importante desse esquecimento é a trajetória da atriz e pintora feirense Edelweiss de Almeida Dias.

Nascida em 1917, Edelweiss participou de clássicos do cinema nacional, a exemplo de Astros em Desfile (1942), Moleque Tião (1943) e Caminho do Céu (1943), estrelados por artistas como Grande Otelo e Emilinha Borba. Ambos foram dirigidos por José Carlos Burle, e produzidos pela Companhia Atlântida Cinematográfica, que àquela época era a maior produtora de filmes do Brasil.

No Teatro, fez parte de um momento histórico, integrando espetáculos como Pelleas e Melisanda (1943), com texto de Maurice Maeterlinck, traduzido por Cecília Meireles, e Vestido de Noiva (1943-5), com texto de Nelson Rodrigues, considerada uma obra de referência do teatro brasileiro.

Edelweiss Dias

A carreira como pintora

Em 1954, com 37 anos, abandonou a carreira de atriz para dedicar-se à pintura. Realizou exposições em várias partes do Brasil, como São Paulo, Florianópolis, Rio de Janeiro e Salvador.

Em 1960 realizou uma exposição em Feira de Santana, sobre a qual disse o seguinte, em entrevista para o jornal Correio da Manhã: “Foi a melhor e mais emocionante de todas: ver meu povo, minha gente, minhas antigas colegas – eu eu celebridade local!”.

Edeweiss

Na mesma matéria (no 5º caderno do Correio da Manhã) , Edelweiss comenta sobre sua obra, permeada por elementos católicos:

Correio da Manhã: Bom dia, Edelweiss. Como é que você pinta seus santos?

Edelweiss: Escutando os seus diálogos com os anjos e com Deus. Rezando. Eu pinto santos como quem reza.

Correio da Manhã: Como é que você pinta suas lendas?

Edelweiss: As lendas ouço da infância. Tiro dos livros, convivo com elas e elas penetram em mim e passam para o pincel.

Correio da Manhã: Como é que você pinta suas gentes?

Edelweiss: Ah! Os tipos populares são impacto de emoção, numa calçada qualquer. Os amigos, menos o físico que a atmosfera que os cerca, que fazem deles os amigos…

A pintora feirense foi casada com o jornalista, escritor, tradutor e arqueólogo austríaco Fred Madersbacher, que imigrou para o Brasil em 1948. Ao Correio da Manhã ele contou uma história curiosa sobre o início da esposa nas artes plásticas:

“Tudo começou no dia que, chegando em casa, o seu marido Fred notou que haviam retirado a porta de um armário.

— Onde está a porta? Indagou.

Edelweiss mostrou-lhe o óleo (retrato de São Jorge em azul, vermelho, roxo e verde, numa bonita composição) suspenso da parede principal da sala de visitas:

— Está ali, querido — respondeu Edelweiss.

Fred não perdeu tempo: no dia seguinte apareceu em casa com uma dúzia de telas.

— Afinal de contas — comenta ele — alguém da casa tem que cuidar dos armários.”

Nessa época morava no Rio de Janeiro, onde tinha o hábito de receber os amigos para servir vatapá e ouvir jazz: “é música que gostou, que me chega ao coração, é música primitiva, e sou absolutamente primitiva”, diz, ainda ao Correio.

A seguir, algumas obras de Edelweiss de Almeida Dias:

Pintura de Edelweiss

Pintura de Edelweiss

Pintura de Edelweiss

Pintura de Edelweiss

Pintura de Edelweiss

 

Os quadros sobre o São Francisco

Edelweiss pintou uma série de quadros tendo as lendas do Rio São Francisco como tema, um sucesso de crítica à época (década de 1960). A seguir, trecho do texto publicado pelo editor da revista “O Cruzeiro”, Accioly Neto, em ampla matéria sobre a obra da artista plástica feirense:

“Essa é Edelweiss, que faz parte de uma curiosa estirpe de artistas plásticas brasileiras modernas, que começa com Tarsila e Noêmia e continua com Djanira. Natural de Feira de Santana, a mais baiana das cidades, que guardou intacta sua tradição sertaneja, mesmo aproximada do litoral irresistível, pelas estradas do progresso.

Edelweiss é um temperamento artístico que se formou na erudição, e, paradoxalmente conservou ao receber a revelação um pouco tardia da pintura, pureza e simplicidade primitivista, indispensável para captar integralmente toda a misteriosa força poética existe nas lendas do São Francisco.

Iniciando sua carreira de pintora no encantamento dos motivos sacros – da maneira direta como sente a presença dos santos, a alma simples do povo – fácil foi o caminho que a levou, irresistivelmente para o clima do São Francisco, para fixar com seu pincel, numa maravilhosa corporificação, a doce presença das Três-Marias, as assombrações de Romãozinho, do Caboclo D’Água e do Mão-Pelada”.

Edelweiss na revista "O Cruzeiro"

Nas pesquisas que fizemos para a publicação deste artigo encontramos referências a um filho e um neto de Edeweiss, mas nada sobre as circunstâncias e data do seu falecimento.

Tags:

Sobre o (a) autor (a):