Warning: "continue" targeting switch is equivalent to "break". Did you mean to use "continue 2"? in /home/feirenses/www/wp-content/themes/magazine/options/php-po/php-po.php on line 187
Quanto custa a Câmara de Vereadores de Feira? - Feirenses - Feira de Santana aprofundada
As Feiras de Feira de Santana

Roça Sound

Roça Sound expõe a Feira de Santana clandestina

Saiu o novo clipe do Roça Sound, uma interpretação audiovisual apurada da música “Verde e Cinza”, que compõe o álbum “Tabaréu Moderno”, o mais recente do grupo. A música e o clipe integram uma das mais importantes obras contemporâneas de interpretação de Feira de Santana e sua cultura. “Verde e Cinza”, já no título, denuncia essa cidade contraditória, que vive entre uma tradição rural, feirante, e uma sanha modernizante expressa nas obras cheias de concreto e vazias de humanidade. Mas não para por aí, afinal, Clóvis Ramaiana já notou e denunciou isso há muito. A canção expõe a visceral clandestinidade

Cooperativas em Feira de Santana

Cooperativas com os dias contados em Feira de Santana

O Tribunal de Contas dos Municípios (TCM) e o Ministério Público da Bahia (MP-BA) exigiram que a Prefeitura Municipal de Feira de Santana não faça mais contratações de servidores através de cooperativas. Novas Contratações Colbert Martins disse ao Acorda Cidade que as contratações só poderão ocorrer via Organização Social (OS), seleção pública (Reda) ou concurso público. Ao atender essa recomendação, é provável que aumente o número de processos seletivos para contrações temporárias. Fim das indicações políticas Infelizmente, com o fim das contratações via cooperativas, não é certo de que acabem também as indicações políticas. A contratação de Organização Social permite

Vai ter Feira Noise Festival em 2020

O Feira Coletivo Cultural e a Banana Atômica realizaram no último final de semana, em Feira de Santana (BA), uma edição histórica em comemoração aos 10 anos de existência do Feira Noise Festival. O evento aconteceu entre os dias 22 a 24, no Ária Hall, reforçando sua importância para a consolidação da cena local, além de manter Feira de Santana na rota de circulação de bandas e artistas independentes. Ao todo, 33 atrações se revezaram entre os palcos Banana Atômica e Budweiser, sendo 13 delas de Feira de Santana. Importantes nomes da música brasileira contemporânea como Supercombo, Francisco El Hombre, Black Pantera, Potyguara Bardo,

O fenômeno flamenguista em Feira de Santana

Na manhã dessa segunda-feira, a Praça da Bandeira foi a arena onde se discutiu sobre o mais importante e popular time de futebol brasileiro. — É óbvio que o Bahia é de mais importância. O Brasil nasceu onde? Se é aqui o início do Brasil, o Bahia é o time do nosso povo, defendia Papinho, torcedor patológico do Bahia. — O Flamengo, companheiro, é o time das massas, o time rubro, castanho, caboclo, representando os índios, e negro, quilombola, africano, representando o povo escravizado, proclamava Seu Teófilo, tomando caldo de cana para curar a ressaca da comemoração dos dois títulos

Roça Sound

“Tabaréu Moderno”, o novo álbum do Roça Sound

“Tabaréu Moderno” é o terceiro disco do grupo Roça Sound. Lançado no último dia 15 de novembro, o novo álbum estava sendo esperado pelo público que acompanha o trabalho dos feirenses desde “Você Aguenta Quantos Rounds?”, de 2014. Formado por NickAmaro (DJ/ MC), Paulo Bala (MC), Dom Maths (MC) e o dançarino Edy Murphy, o Roça Sound explora sonoridades que vão desde a Cultura Nordestina, Rap, Dembow, Reggae, e o DanceHall, tendo o suingue como sua marca principal. Em “Tabaréu Moderno”, trazem nove faixas autorais e inéditas, com as participações da Orquestra Reggae de Cachoeira, Quixabeira da Matinha, Bel da

Quanto custa a Câmara de Vereadores de Feira?

A Câmara de Vereadores é uma instituição importantíssima para qualquer município. Suas cadeiras são ocupadas pelos representantes políticos mais próximos à comunidade: os vereadores, eleitos principalmente pela capacidade de interlocução e liderança em determinados bairros e comunidades.

Além de levar demandas da comunidade ao Poder Executivo, mantendo diálogo permanente com secretários, superintendentes e outros gestores, o vereador deve cumprir o papel fiscalizador das ações e decisões emanadas do Prefeito. Sem falar no papel de legislador e promotor de debates sobre temas de interesse da comunidade, fazendo com que os munícipes tenham participação ativa nas políticas públicas.

Quanto mais os vereadores cumprem suas atribuições, mais tornam-se importantes para a população, que passa a sentir que efetivamente está sendo representada no legislativo municipal.

Os vereadores em Feira, e os cargos na Prefeitura

Em Feira de Santana, já há alguns anos, a Câmara de Vereadores vem sendo alvo de críticas e objeções por parte da comunidade, justamente por dar demonstrações de distanciamento entre o que espera-se da Casa e o que, de fato, é prioridade entre os vereadores.

Politicamente, a Câmara de Feira vive há várias legislaturas o monopólio do grupo ligado ao ex-prefeito José Ronaldo de Carvalho, formando maioria esmagadora para a bancada situação. Nesse contexto, grande parte dos vereadores não se dispõe a cumprir aquela que é uma das suas principais obrigações: fiscalizar e moderar as ações e decisões do Poder Executivo Municipal. A base dessa lógica está situada, principalmente, nos cargos distribuídos pelos prefeitos aos vereadores.

Em 2016, o atual presidente da Câmara, José Carneiro, afirmou que os vereadores têm, sim, cargos na Prefeitura. Chegando a reivindicar maior quantidade de cargos, para beneficiar-se eleitoralmente: “Gostaria muito, porque aí minha votação sem dúvida seria mais expressiva”.

O assunto surgiu quando o então vereador David Neto não foi reeleito, e disparou: “O município tem mais ou menos 9 mil e poucos cargos. Mais ou menos 3 a 4 mil são concursados. O resto são cooperativas, cargos administrativos de alguns setores. Isso aí são distribuídos. Só que aí alguns vereadores são mais contemplados do que outros. É o pensamento do prefeito, não posso fazer nada. Ele é quem distribui e a gente fica naquela situação. Vim junto com o ex-prefeito Tarcízio Pimenta, tinha uns cargos, na transição de prefeito perdemos uns 30 cargos. E não foi repondo. Mas eu não me queixo. Quando tem que perder perde”.

Importante notar que parte das cooperativas, a fonte de cargos citada em 2016 por David Neto, foram alvo de ação do Ministério Público, Receita Federal e Controladoria Geral da União por conta de irregularidades, em 2018, justamente por conta de irregularidades na contratação e gestão de pessoal.

Mais recentemente, após propor uma CPI para apurar os desvios ligados às tais cooperativas de saúde, o vereador Roberto Tourinho (PV) teve pessoas de sua indicação exoneradas pelo Prefeito Colbert Martins.

O custo da Câmara

Em 2015, o ex-vereador feirense Messias Gonzaga afirmou ao Feirenses que um milhão de reais seria pouco para bancar a candidatura de um vereador na cidade: “E se o candidato tiver um milhão e não souber gastar, os ‘bandidos’ levam tudo, e ele não se elege”, disse. Ao que parece, a legitimidade comunitária e a representatividade republicana não tem sido muito utilizada para eleger-se vereador em Feira.

Para agravar o quadro do questionamento sobre a atuação da Câmara, em junho de 2019 os legisladores concederam a si próprios, e ao primeiro escalão do Executivo Municipal, um aumento salarial acima da inflação – num momento em que a própria Prefeitura alega contenção de gastos em diversas áreas.

Não bastasse isso, o Blog do Velame apurou que, ao voltar do recesso de junino, os vereadores pretendem aumentar a quantidade de parlamentares na casa. Das atuais 21 cadeiras a Câmara passaria a ter 26 vereadores. Embora não haja impedimento legal para tal, as circunstâncias, inclusive econômicas, em que a medida está sendo considerada é bastante controversa.

A Câmara de Vereadores de Feira de Santana possui um orçamento de 30 milhões de reais para 2019 (LDO), valor superior ao que secretarias importantes têm à disposição para executar suas ações:

Quanto custa a Câmara de Vereadores de Feira

 

A Câmara de Vereadores tem seis vezes o orçamento da Secretaria Municipal de Agricultura, por exemplo, num município com extensa área rural em seus distritos. Gasta-se mais com a Câmara do que com a Cultura, ou com a Secretaria de Transportes.

Ainda segundo o Blog do Velame, em 2018 o Legislativo feirense gastou quase de 1,5 milhão de reais com vale alimentação. Quase o mesmo valor destinado a toda a Secretaria do Meio Ambiente em 2019 – que foi 1,7 milhão de reais.

Economicamente fica claro que a Câmara é exageradamente onerosa para o povo feirense. Política e simbolicamente, ainda mais.


Sobre o (a) autor (a):