Rio Jacuípe

Improbidade Administrativa

Ex-Prefeito, Secretária e Procurador são acionados por Improbidade Administrativa

Ex-prefeito José Ronaldo é acionado pelo MP por improbidade administrativa O ex-prefeito de Feira de Santana, José Ronaldo de Carvalho; a secretária de Saúde, Denise Lima Mascarenhas; o ex-subprocurador do Município, Cleudson Santos Almeida; e o então presidente da comissão de licitação no Município, Antônio Rosa de Assis, foram acionados pelo Ministério Público estadual por dispensa indevida de licitação realizada no ano de 2013, quando José Ronaldo era prefeito. Suspensão dos direitos políticos De acordo com o MP, o ato de improbidade causou ao erário um dano de R$ 6.379.495,62. Na ação, o promotor de Justiça Tiago de Almeida Quadros

Roberto Tourinho

Roberto Tourinho na Oposição

Tourinho na Oposição Em entrevista ao programa Acorda Cidade, nesta terça-feira (05), o prefeito Colbert Martins, comentou que Roberto Tourinho se tornou um vereador de oposição, após cobrança para afastar envolvidos no caso da Coofsaúde e propor uma CPI. A quem responder? Em pronunciamento, na sessão ordinária da última quarta-feira (06), na Câmara Municipal de Feira de Santana, o vereador comentou sobre a entrevista do prefeito e disparou que estava em dúvida a quem deveria responder, se “ao prefeito que governa ou o do Pilão, que despacha na Pousada Acalanto e no Hotel Atmosfera”. “Se ao prefeito ou ao chefe”.

Fila no CADH de Feira

Fila longa para marcar consulta no CADH, em Feira – Feira (A)notada

Fila longa, demora no atendimento e lotação no CADH Uma longa fila foi observada na manhã da última terça-feira, 05, na Rua Boticário Moncorvo, Centro da cidade. Tratava-se de pacientes do Centro de Atendimento ao Diabético e Hipertenso (CADH), esperando a vez para marcar uma consulta com médicos especialistas. O interior da unidade estava completamente lotado e o sistema de marcação toda hora saía do ar, enquanto as pessoas com diabetes e hipertensão permaneciam na fila. Somente quatro vereadores assinaram pedido de CPI O pedido para a formação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que pretende averiguar denúncias de irregularidades na

PSOL pede CPI na Câmara

PSOL protocola pedido de CPI na Câmara – Feira (A)notada

PSOL protocola pedido de CPI na Câmara Na manhã da última sexta-feira, 1º de fevereiro, no retorno das atividades na Câmara Municipal, o PSOL de Feira de Santana protocolou na Casa o pedido de CPI das fraudes na saúde do município, envolvendo contratos com as falsas cooperativas. O pedido foi entregue por Jhonatas Monteiro, ex-candidato a prefeito pelo partido, em mãos ao presidente da Câmara, vereador José Carneiro, que se comprometeu em apreciar o pedido no Plenário já na próxima segunda-feira, dia 4. Aprovados em concurso também querem CPI das cooperativas Trabalhadores da área de saúde, aprovados no concurso de

Novidades na Câmara Municipal

Novidades na Câmara Municipal de Feira de Santana – Feira (A)notada

Câmara reabre trabalhos legislativos A Câmara Municipal de Feira de Santana retomou as atividades na manhã desta sexta-feira (01). Em rito ordinário, foi realizada a leitura da ata da sessão anterior devidamente aprovada pelos edis presentes. O prefeito de Feira de Santana Colbert Martins da Silva Filho fez o pronunciamento e desejou bom retorno aos trabalhos. Estiveram presentes ainda o Procurador Geral do Município, Cleudson Almeida, secretários municipais, autoridades, representantes da sociedade civil e imprensa. Neinha deixa de ser suplente e assume a vaga deixada por Tom A vereadora Neinha (PTB), que estava no mandato como suplente, assume a vaga deixada

O centenário coreto da Praça Bernardino Bahia

O primeiro coreto construído na Feira de Santana é aquele que fica localizado na praça Bernardino Bahia, a arena fervilhante do comércio feirense, mais conhecida como Praça do “Lambe-Lambe”, por causa dos fotógrafos que, ainda hoje, oferecem seus serviços por ali. A construção data de 1915, no mandato do então intendente Coronel Bernardino Bahia, que hoje dá nome à praça. Há outros dois coretos no centro da cidade, nas praças Padre Ovídio e Froes da Motta, todos construídos nas primeiras décadas do século XX.

Há poucas referências às intervenções realizadas no coreto ao longo de mais de um século de existência. O que se sabe – de acordo com registro do Instituto do Patrimônio Artístico e Cultura da Bahia, o IPAC – é que a escada da edificação foi alterada, sem informações exatas sobre quando foi construída.

Coreto - Bernadino Bahia em Feira de Santana

O único registro efetivo refere-se à reforma que foi realizada na praça no já distante ano 2000. Nela, ocorreu a substituição das pedras portuguesas que recobriam a Praça Bernardino Bahia por placas de concreto que permanecem até os dias atuais. Vale ressaltar que diversas artérias das cercanias permanecem calçadas com pedras portuguesas até hoje.

As apresentações das filarmônicas 25 de Março, Vitória e Euterpe Feirense motivaram a construção dos coretos, pelo que se deduz. É que os coretos são “uma espécie de coro, construído ao ar livre, para concertos musicais”.  Naquela época, essas exibições eram muito frequentes – e muito concorridas – o que explica o investimento realizado na construção de coretos.

Características

Coreto da praça Bernadino Bahia

Segundo o IPAC, os coretos são “normalmente posicionados nos centros das praças, em sua maioria apresentam planta em formato octogonal e construção elevada do solo”. Aqueles que foram construídos em Feira de Santana apresentam características comuns: “Os coretos de Feira apresentam ainda em comum a cobertura metálica, aumentada por lambrequins, elementos decorativos originados da Europa”.

O relatório do IPAC descreve mais o coreto da Bernardino Bahia: “Coreto de forma octogonal, prejudicado pela substituição de sua primitiva escada por outra, em concreto armado, modificando a volumetria do monumento”, cuja área construída é de 77,5 metros quadrados. O instituto informa, também, que o tombamento do coreto é de caráter municipal.

“É visível que o equipamento precisa, com urgência, de manutenção.”

Há mais descrição: “Sua construção é elevada do solo, permitindo uma espécie de porão alto. Sua estrutura apoia-se numa estrutura em forma de ‘teia-de-aranha’ que, por sua vez, é sustentada em suportes verticais. Todos os elementos são metálicos, incluindo as bicas e o lambrequim que arrematam o conjunto”.

No porão elevado mencionado no relatório funcionam, desde sempre, bares e restaurantes. Não há a possibilidade, inclusive, do visitante acessar a parte superior do coreto, que permanece fechada, funcionando como depósito. É visível que o equipamento precisa, com urgência, de manutenção. A situação é semelhante àquela do coreto da Praça Froes da Mota. São dois tristes capítulos daquilo que sobrevive como patrimônio arquitetônico da Feira de Santana.


Sobre o (a) autor (a):