Rio Jacuípe

Zé Neto

Zé Neto é pré-candidato a Prefeito de Feira

PT lança pré-candidatura a prefeito de Feira Na tarde do último sábado (13), a executiva, o diretório, a militância, filiados e simpatizantes do Partido dos Trabalhadores (PT) se reuniram em Feira e decidiram por unanimidade lançar a pré-candidatura de Zé Neto para prefeito de Feira de Santana. Prefeito Colbert Martins completa um ano de governo Na quarta-feira (10), Colbert completou um ano no cargo de prefeito, e o líder do governo na Câmara de Vereadores, Marcos Lima, soltou essa: “O povo ainda sente saudade de José Ronaldo”. Ex-prefeito Tarcísio Pimenta é condenado por improbidade administrativa A pedido do Ministério Público

Artistas feirenses levam projeto para a África

O projeto “Circulação da Música Afro-Baiana 2019” levará o produtor cultural Uyatã Rayra e os músicos Bel da Bonita e Ravel Conceição do grupo musical Africania para África do Sul e Moçambique. A circulação internacional teve início na sexta-feira (5), extendendo-se até o dia 22 de abril. Oriundos de Feira de Santana, os integrantes do projeto pretendem estabelecer um intercâmbio entre a cultura musical da Bahia e dos países visitados. Serão ministradas oficinas rítmicas de Samba de Roda do Sertão e de Forró Pé-de-Serra, além de uma palestra sobre as influências do samba nos ritmos de forró. O cronograma conta

Crescimento do Bolsa Família em Feira

Há margem para ampliação do Bolsa Família em Feira

Em março, o número de beneficiários do Programa Bolsa Família (PBF) em Feira de Santana estava aquém do estimado pelo Ministério da Cidadania, o recauchutado Ministério do Desenvolvimento Social de tempos atrás. Segundo o órgão, 31.662 famílias foram contempladas com o benefício no mês passado, o que corresponde a 66,94% da estimativa de famílias pobres no município. Isso significa que, potencialmente, um terço das famílias com perfil para o programa não recebe o benefício. O Ministério da Cidadania constata que o “município está abaixo da meta do programa”. E recomenda a realização de “busca ativa para localizar famílias que estão

Mudança Secretaria da Educação

Mudança à vista na Secretaria de Educação

Vereadores da base governista criticam o Secretário Edson Borges Pablo Roberto, José Carneiro e João Bililiu criticaram publicamente o Secretário de Cultura, Esporte e Lazer, Edson Borges, porque alguns artistas da terra ficaram de fora da Micareta deste ano. É isso que chamamos de fogo amigo! Por falar em festa, comemoraram aniversário… A Guarda Civil Municipal de Feira de Santana, que completou na segunda-feira (25), 126 anos de existência. E um buraco na Rua Visconde do Mauá, no Bairro Caseb, em Feira de Santana, ganhou até um buquê de flores dos moradores para comemorar seu 1º aniversário. E quem não

Nilda Carvalho Cunha

A feirense que foi presa e torturada na Ditadura

O período da Ditadura Militar no Brasil, iniciado a partir do golpe que depôs o Presidente João Goulart em 1964, ficou marcado por práticas autoritárias como a censura, a tortura e o desaparecimento de opositores do Regime. Entre os abusos cometidos pelo Estado naquela época, está a prisão e tortura de Nilda Carvalho Cunha, a feirense que tinha apenas 17 anos quando foi presa e torturada, por suspeita de associação à militante de esquerda Iara Iavelberg. Pouco tempo depois de sua prisão, carregando as sequelas da tortura, Nilda morreu. A seguir, o relato completo da história de Nilda Carvalho, retirado

O centenário coreto da Praça Bernardino Bahia

O primeiro coreto construído na Feira de Santana é aquele que fica localizado na praça Bernardino Bahia, a arena fervilhante do comércio feirense, mais conhecida como Praça do “Lambe-Lambe”, por causa dos fotógrafos que, ainda hoje, oferecem seus serviços por ali. A construção data de 1915, no mandato do então intendente Coronel Bernardino Bahia, que hoje dá nome à praça. Há outros dois coretos no centro da cidade, nas praças Padre Ovídio e Froes da Motta, todos construídos nas primeiras décadas do século XX.

Há poucas referências às intervenções realizadas no coreto ao longo de mais de um século de existência. O que se sabe – de acordo com registro do Instituto do Patrimônio Artístico e Cultura da Bahia, o IPAC – é que a escada da edificação foi alterada, sem informações exatas sobre quando foi construída.

Coreto - Bernadino Bahia em Feira de Santana

O único registro efetivo refere-se à reforma que foi realizada na praça no já distante ano 2000. Nela, ocorreu a substituição das pedras portuguesas que recobriam a Praça Bernardino Bahia por placas de concreto que permanecem até os dias atuais. Vale ressaltar que diversas artérias das cercanias permanecem calçadas com pedras portuguesas até hoje.

As apresentações das filarmônicas 25 de Março, Vitória e Euterpe Feirense motivaram a construção dos coretos, pelo que se deduz. É que os coretos são “uma espécie de coro, construído ao ar livre, para concertos musicais”.  Naquela época, essas exibições eram muito frequentes – e muito concorridas – o que explica o investimento realizado na construção de coretos.

Características

Coreto da praça Bernadino Bahia

Segundo o IPAC, os coretos são “normalmente posicionados nos centros das praças, em sua maioria apresentam planta em formato octogonal e construção elevada do solo”. Aqueles que foram construídos em Feira de Santana apresentam características comuns: “Os coretos de Feira apresentam ainda em comum a cobertura metálica, aumentada por lambrequins, elementos decorativos originados da Europa”.

O relatório do IPAC descreve mais o coreto da Bernardino Bahia: “Coreto de forma octogonal, prejudicado pela substituição de sua primitiva escada por outra, em concreto armado, modificando a volumetria do monumento”, cuja área construída é de 77,5 metros quadrados. O instituto informa, também, que o tombamento do coreto é de caráter municipal.

“É visível que o equipamento precisa, com urgência, de manutenção.”

Há mais descrição: “Sua construção é elevada do solo, permitindo uma espécie de porão alto. Sua estrutura apoia-se numa estrutura em forma de ‘teia-de-aranha’ que, por sua vez, é sustentada em suportes verticais. Todos os elementos são metálicos, incluindo as bicas e o lambrequim que arrematam o conjunto”.

No porão elevado mencionado no relatório funcionam, desde sempre, bares e restaurantes. Não há a possibilidade, inclusive, do visitante acessar a parte superior do coreto, que permanece fechada, funcionando como depósito. É visível que o equipamento precisa, com urgência, de manutenção. A situação é semelhante àquela do coreto da Praça Froes da Mota. São dois tristes capítulos daquilo que sobrevive como patrimônio arquitetônico da Feira de Santana.


Sobre o (a) autor (a):