Rio Jacuípe

Zé Neto

Zé Neto é pré-candidato a Prefeito de Feira

PT lança pré-candidatura a prefeito de Feira Na tarde do último sábado (13), a executiva, o diretório, a militância, filiados e simpatizantes do Partido dos Trabalhadores (PT) se reuniram em Feira e decidiram por unanimidade lançar a pré-candidatura de Zé Neto para prefeito de Feira de Santana. Prefeito Colbert Martins completa um ano de governo Na quarta-feira (10), Colbert completou um ano no cargo de prefeito, e o líder do governo na Câmara de Vereadores, Marcos Lima, soltou essa: “O povo ainda sente saudade de José Ronaldo”. Ex-prefeito Tarcísio Pimenta é condenado por improbidade administrativa A pedido do Ministério Público

Artistas feirenses levam projeto para a África

O projeto “Circulação da Música Afro-Baiana 2019” levará o produtor cultural Uyatã Rayra e os músicos Bel da Bonita e Ravel Conceição do grupo musical Africania para África do Sul e Moçambique. A circulação internacional teve início na sexta-feira (5), extendendo-se até o dia 22 de abril. Oriundos de Feira de Santana, os integrantes do projeto pretendem estabelecer um intercâmbio entre a cultura musical da Bahia e dos países visitados. Serão ministradas oficinas rítmicas de Samba de Roda do Sertão e de Forró Pé-de-Serra, além de uma palestra sobre as influências do samba nos ritmos de forró. O cronograma conta

Crescimento do Bolsa Família em Feira

Há margem para ampliação do Bolsa Família em Feira

Em março, o número de beneficiários do Programa Bolsa Família (PBF) em Feira de Santana estava aquém do estimado pelo Ministério da Cidadania, o recauchutado Ministério do Desenvolvimento Social de tempos atrás. Segundo o órgão, 31.662 famílias foram contempladas com o benefício no mês passado, o que corresponde a 66,94% da estimativa de famílias pobres no município. Isso significa que, potencialmente, um terço das famílias com perfil para o programa não recebe o benefício. O Ministério da Cidadania constata que o “município está abaixo da meta do programa”. E recomenda a realização de “busca ativa para localizar famílias que estão

Mudança Secretaria da Educação

Mudança à vista na Secretaria de Educação

Vereadores da base governista criticam o Secretário Edson Borges Pablo Roberto, José Carneiro e João Bililiu criticaram publicamente o Secretário de Cultura, Esporte e Lazer, Edson Borges, porque alguns artistas da terra ficaram de fora da Micareta deste ano. É isso que chamamos de fogo amigo! Por falar em festa, comemoraram aniversário… A Guarda Civil Municipal de Feira de Santana, que completou na segunda-feira (25), 126 anos de existência. E um buraco na Rua Visconde do Mauá, no Bairro Caseb, em Feira de Santana, ganhou até um buquê de flores dos moradores para comemorar seu 1º aniversário. E quem não

Nilda Carvalho Cunha

A feirense que foi presa e torturada na Ditadura

O período da Ditadura Militar no Brasil, iniciado a partir do golpe que depôs o Presidente João Goulart em 1964, ficou marcado por práticas autoritárias como a censura, a tortura e o desaparecimento de opositores do Regime. Entre os abusos cometidos pelo Estado naquela época, está a prisão e tortura de Nilda Carvalho Cunha, a feirense que tinha apenas 17 anos quando foi presa e torturada, por suspeita de associação à militante de esquerda Iara Iavelberg. Pouco tempo depois de sua prisão, carregando as sequelas da tortura, Nilda morreu. A seguir, o relato completo da história de Nilda Carvalho, retirado

O colégio que formou 8 prefeitos de Feira

Em boa parte dos levantamentos históricos sobre Feira de Santana, o Colégio Santanópolis aparece como um grande marco na educação do município. Localizado no quarteirão por onde passam a Avenida Getúlio Vargas e a Rua JJ Seabra, na região do atual Estacionamento do Karoá, o Santanópolis nasceu em agosto de 1932, e funcionou até o ano de 1985.

O Santanópolis foi o primeiro colégio ginasial do interior da Bahia, dando a Feira de Santana o status de referência educacional. Para receber alunos de outras regiões do estado, tinha um internato localizado na Avenida Senhor dos Passos. O vídeo abaixo mostra algumas imagens do colégio:

 

O fundador do Santanópolis

Quem fundou o colégio Santanópolis foi Áureo de Oliveira Filho (que aparece no vídeo acima). Áureo era dentista e político, sendo vereador e depois deputado estadual por três legislaturas.

Na biografia resumida de Áureo Filho no site da Academia de Educação de Feira de Santana, é apontado não só como fundador do Santanópolis, mas também como participante do processo de criação da Universidade Estadual de Feira de Santana e do Observatório Astronômico Antares. A tão conhecida praça do bairro Tomba recebe o nome dele.

Quem estudou no Santanópolis

Um dos alunos do Colégio Santanópolis foi ninguém menos que Joselito Falcão de Amorim, que assumiu a prefeitura no lugar de Francisco Pinto, deposto pela Ditadura Militar em 1964 (em 2014 a Câmara de Vereadores devolveu simbolicamente o mandato de Chico Pinto). Veja o histórico escolar de Joselito Amorim no Santanópolis (que à época ensinava latim e francês a seus alunos):

GInásio Santanópolis

Mas Joselito Amorim não foi o único ex-prefeito de Feira de Santana estudou no Colégio Santanópolis. Outros 7 governantes da cidade passaram pelo colégio: João Durval Carneiro, Newton da Costa Falcão, José Falcão da Silva, Colbert Martins da Silva, José Raimundo Pereira de Azevedo, e o atual prefeito, José Ronaldo de Carvalho.

Um colégio das elites

Alunos do Colégio Santanópolis

Alunos do Colégio Santanópolis. Foto: Blog Santanópolis

Em sua tese de Doutorado, a pesquisadora Sandra Nivia Soares de Oliveira aponta o Colégio Santanópolis como o reduto escolar das elites de Feira de Santana:

“Atingindo as elites de Feira, através do Secundário e da Escola Técnica de Comércio; às moças de família, através do Curso Pedagógico e outras camadas da sociedade – por meio de Cursos profissionalizantes de curta duração e dos aqui intitulados de cursos livres –, o Colégio Santanópolis garantiu durante anos uma capilaridade em diversos setores da sociedade feirense que impacta Feira de Santana ainda hoje, uma vez que muitos dos seus egressos ocupam lugares de prestígio em vários setores da sociedade”.

No estudo, Sandra mostra que o Santanópolis tinha como proposta “um ensino para as elites de caráter propedêutico, que formaria os futuros dirigentes da nação”. Ela destaca como os egressos do Santanópolis tiveram protagonismo no ensino superior que seria instalado em Feira de Santana:

“Quando da implantação do ensino superior em Feira de Santana, a presença de egressos do Santanópolis, professores e estudantes, foi significativa a começar pelo Dr. Áureo Filho que fazia parte de um grupo juntamente com João Durval Carneiro, Geraldo Leite e Hugo Navarro (SANTOS, 2011) quando iniciaram a discussão e as articulações em torno do projeto que objetivava, inicialmente, a implantação de uma faculdade de medicina, o que não ocorreu. Maria Cristina Oliveira de Menezes – a Marinita, filha de Dr. Áureo – foi a primeira coordenadora do Curso de Ciências de Feira de Santana”.

O Estado Santanópolis

Mesa com "autoridades" do Estado Santanópolis

Mesa com “autoridades” do Estado Santanópolis. Foto: Blog Ginásio Santanópolis

O blog dos ex-alunos do Colégio Santanópolis narra uma interessante experiência realizada pelo colégio, que atesta a orientação educacional do estabelecimento de ensino. Trata-se do “Estado Santanópolis”, que era composto de um governo eleito pelo voto direto de todos os estudantes para os seguintes cargos:

  • Governador;
  • Deputados;
  • Prefeito do Curso Noturno;
  • Vereadores do Curso Noturno;
  • Prefeito do Curso Diurno;
  • Vereadores do Curso Diurno.

A campanha eleitoral, a eleição e a apuração era semelhante à vigente na época. Havia título de eleitor e até urnas cedidas pelos juízes eleitorais da cidade.

O Estado Santanópolis tinha secretarias: Econômico/Financeira, Indústria e Comércio, Justiça e Segurança, Esporte e Lazer. Também havia o Banco Santanópolis: “crianças de infantil pagavam despesas na cantina com cheques”.

A Memória do Santanópolis

Ainda hoje ex-alunos do Colégio Santanópolis se encontram, chegando a reunir mais de 500 pessoas entre ex-funcionários, ex-professores e ex-alunos.

Quem quiser mais detalhes sobre a memória do Colégio, é imprescindível ler a tese de Sandra Nivia Soares (UFBA), “Um modelar estabelecimento de ensino: o Colégio Santanópolis na cidade de Feira de Santana“. Além disso, muitas imagens, histórias e informações são encontradas nos blog Santanópolis e Ginásio Santanópolis.

 


Sobre o (a) autor (a):