As Feiras de Feira de Santana

3 Peças de Teatro em setembro

3 peças teatrais imperdíveis que estarão em Feira em setembro

A cena teatral em Feira de Santana é intensa e fértil, com a produção de muitos espetáculos de repercussão e visibilidade nacional, além da recepção de peças de outras partes do país que encontram na cidade acolhimento para suas apresentações. Só para tomar um exemplo, em Feira ocorre um dos maiores festivais de teatro infantil do Brasil – o FENATIFS, que já está organizando sua 12ª edição para 2019. Nesse mês de setembro de 2019, o feirense terá a oportunidade de preencher sua programação com três espetáculos de muita qualidade, abordando a vida de figuras de relevância histórica: a pintora

Augusto Aras e Feira de Santana

A relação do Procurador de Bolsonaro com Feira de Santana

Quem acompanha o noticiário político nacional tem visto o debate em torno da indicação de Antônio Augusto Brandão de Aras para o cargo de Procurador Geral da República, feita pelo presidente Jair Bolsonaro. O que poucos feirenses sabem, entretanto, é que Augusto Aras tem íntima relação com Feira de Santana. Augusto é filho do ex-vereador Roque Aras, que exerceu o mandato na Câmara Municipal feirense entre 1971 e 1975 pelo MDB – partido que fazia oposição ao Regime Militar à época. Roque Aras foi também Deputado Estadual (1975-1979) e Deputado Federal (1979-1983). De acordo com o jornalista Dimas Oliveira, Augusto

Podcast para quem merece

O irreverente “Podcast para quem merece”

É crescente a quantidade de pessoas que consome conteúdo em áudio, no Brasil e no exterior. Dos áudiolivros aos podcasts, muitos usuários aproveitam os momentos de ócio em filas, no transporte ou mesmo nas tarefas domésticas para ouvir notícias, debates, aulas etc. A Rede Globo, por exemplo, percebeu a tendência, e lançou recentemente vários podcasts para sua audiência. Um podcast é como se fosse um programa de rádio, mas não é: em vez de ter uma hora certa para ir ao ar, pode ser ouvido quando e onde o usuário quiser. E em vez de sintonizar numa estação de rádio,

Escola Municipal Maria Andiara Silva Souza

A (falta de) estrutura de uma escola em Jaguara

A diretora da APLB/Feira, professora Marlede Oliveira, visitou na última quarta-feira (4), a Escola Municipal Maria Andiara Silva Souza que fica localizada no Povoado da Barra no Distrito de Jaguara. Na escola foi constatado que: A Escola funciona com apenas duas salas de aula e uma professora para lecionar Infantil, 1° ano, 2° ano, 3° ano, 4º ano e o 5° ano; A professora não tem Reserva de 1/3 da Carga Horária; A Escola não tem Internet nem Coordenador Pedagógico. Metas do IDEB Desde 2011, Feira não atinge as metas do Ideb para os anos iniciais do Ensino Fundamental. O

“não é pressa, é saudade dela”

“Não é pressa, é saudade dela”

No auge da minha adolescência – nem faz muito tempo assim – eu tinha uma vontade: viajar por aí de caminhão. Pegar umas caronas com os caminhoneiros e partir sem um rumo certo. Apenas vivendo um momento de cada vez, em cada rodovia e estrada desse nosso tão grande país. Mas a vida adulta chega trazendo responsabilidades e os anseios por aventuras adormecem um pouco. Enquanto lembrava disso, percebi que a figura do caminhoneiro é um tanto fascinante… Observe que todos os meus anseios da adolescência é algo rotineiro para eles. Os caras não param, vivem o momento seja lá

Duas destacadas cervejarias artesanais feirenses

Em outras cidades brasileiras já é bastante comum encontrar em bares e restaurantes alternativas às populares cervejas pilsen, conhecidas no Brasil através de marcas como Brahma, Skol, Schin, Itaipava e semelhantes. Em Feira, sabem os frequentadores da “boêmia” feirense, esse é um fenômeno recente, onde ainda poucos lugares oferecem alternativas às líderes de mercado.

A boa notícia é que há cervejeiros feirenses dedicados a expandir a produção, comercialização e consequente degustação de cervejas artesanais/especiais. Há espaço não só para aquelas que despontam no cenário nacional e internacional, mas também para brejas com a certidão de nascimento de Feira de Santana.

Nesse sentido, duas cervejarias artesanais se destacam, semeando em Feira de Santana uma cultura ascendente de apreciação de boas cervejas: a Cervejaria Sméra e a Cervejaria Sertões. Vamos conhecer um pouco mais sobre ambas neste artigo.

Cervejaria Sméra

Cervejaria Sméra

A Cervejaria Sméra foi fundada por Luiz Sméra, feirense de 25 anos, que conta como teve seu primeiro contato com cervejas especiais: “Um dia fui fazer um risoto e no mercado só tinham vinhos brancos secos muito caros (bastante mesmo), e eu só precisava de uma xícara. Comecei a procurar na internet alguma bebida seca, e vi que cervejas do tipo Witbier tem essa característica. Resultado: comprei uma Hoegardden. Quando cheguei em casa, fiz o risoto, não ficou nada bom, assumo, mas provei a cerveja, natural mesmo, e vi que era muito diferente das comerciais que tinha o costume de consumir. Digo consumir pois só comecei a beber cervejas a partir daí, dia que vi que existiam sabores diferentes”.

A partir dessa experiência Luiz passou a ler sobre cervejas, até descobrir que era possível criar sua própria bebida. “Corri atrás de cursos online, vídeos na internet, livros, e fiz a Pequenina, a primeira cerveja que ‘deu certo'”, diz ele. Daí em diante buscou mais aprofundamento, até realizar um curso na Cervejaria Bodebrown, em Curitiba. “Comecei a produzir minhas cervejas e criar receitas baseadas nos meus estudos sobre os insumos (água, malte, lúpulo e levedura), mas logo de cara fiz a Pancada, minha Pale Ale com rapadura que foi muito bem aceita por quem provou, o que me incentivou a comercializar e ir atrás de mais conhecimento”.

Luiz Sméra

Luiz Sméra: 19 rótulos produzidos.

Desde então Luiz Sméra produziu diversas cervejas – “contadas e registradas, são 19” – com destaque para a Pancada, a Uí Révi, Bode Véio e Nuclear (que já recebeu até maturação em barril de cachaça). Luiz voltou à Bodebrown com algumas cervejas produzidas, e recebeu elogios de Samuel Cavalcanti, mestre cervejeiro curitibano, e um dos maiores nomes no Brasil e no mundo.

Sméra lembra que a cena cervejeira em Feira de Santana ainda é muito jovem, e ainda tem muito a crescer: “desconheço algum feirense que faz cerveja há mais de 2 anos”.

Para entrar em contato com a Cervejaria Sméra, acesse a página do Facebook, Instagram ou ligue para (75) 9-9131-9184.

Cervejaria Sertões

Cervejaria Sertões

Matheus Barros é um dos fundadores da Cervejaria Sertões, que, junto com a Sméra, tem ganhado destaque entre os apreciadores de cervejas especiais em Feira de Santana. “Quando tomei a iniciativa de produzir cervejas artesanais, já conhecia um pouco do universo cervejeiro como degustador. Nos papos informais, e nos momentos etílicos, fomos amadurecendo a ideia. Diante dessa realidade, a brincadeira foi ficando mais séria. Eu, Thiago e Rico decidimos produzir com mais freqüência, alugamos um local mais apropriado e investimos em materiais que pudessem dar maior eficiência para o processo. Hoje temos a capacidade mensal de produzir 400 litros de cerveja”, diz Matheus.

Sociólogo, Matheus diz que no período de nascimento da Cervejaria estava lendo “Grande Sertão: Veredas”, de Guimarães Rosa: “Fiquei apaixonado! Paralelamente a esse processo, estava concentrado, também, na historiografia feirense. O nome Cassino Irajá, nossa primeira cerveja, foi pensado a partir da leitura do texto de Clóvis Ramaiana. Queria associar o nova forma de consumo – de cervejas especiais – com um elemento histórico que remetesse a um hábito ‘moderno’. Por conta disso, associei o nome da cerveja ao antigo cassino da cidade”.

Matheus, Tiago e Rico, os fundadores da Cervejaria Sertões

Matheus, Tiago e Rico, os fundadores da Cervejaria Sertões

Ele afirma a conexão entre a cervejaria e os elemento culturais da cidade: “Conforme toda essa perspectiva, a Sertões abre veredas por essas bandas. Mexendo com a memória do nosso povo, pretendemos, mesmo que de forma “amistosa”, continuar brincando com signos de nossa cidade. Tudo isso, é claro, regado de muita cerveja”.

Para entrar em contato com a Cervejaria Sertões acesse o Facebook, Instagram ou ligue para (75)9-8172-7999.


Sobre o (a) autor (a):