As Feiras de Feira de Santana

Feirense no São João

Feirense improvisou para lucrar com festejos juninos

Foi grande a luta do feirense desempregado para garantir uns trocados no aguardado recesso junino. O movimento nos dias que antecederam os festejos foi vertiginoso. Quem prestou atenção viu de tudo: enxames de homens, mulheres, idosos, adolescentes, até crianças – quase todos, invariavelmente, negros ou pardos – se esforçando para vender qualquer coisa em qualquer lugar. As opções foram vastas: o milho assado, vermelho e fumegante nos fogareiros; licores multicoloridos sobre bancas engenhosas; montes imensos de amendoim caprichosamente equilibrados sobre carrinhos de mão; os fogos que fazem a alegria de crianças e adultos e que tornam belas as noites juninas;

Marcas de Feira

Marcas de Feira

Um dia desses, meu colega de faculdade apareceu com uma tatuagem nova lá na sala e a gente começou a viajar no desenho. Os traços eram estranhamente familiares. Mas nada de absurdo uma tattoo ser repetida por aí. A questão é que a tatuagem trazia uma sensação de pertencimento. Como se a visse diariamente em lugares muito próximos. Então percebi de onde vinha a sensação. Do Viaduto da João Durval. Mais especificamente de um grafite feito por um artista da terra: Kbça. O grafiteiro e tatuador reproduziu seus traços expostos nas ruas de Feira na pele do meu colega, e

Santini & Trio

Grupo feirense Santini & Trio se apresentará em Portugal

Os artistas de Feira de Santana continuam viajando pelo mundo para levar nossa música para outros continentes, depois do grupo Quixabeira da Matinha, Africania, Dionorina e da dupla Don Guto e Ícaro Oliveira, agora é a vez do grupo Santini & Trio embarcar para apresentações no exterior. O guitarrista e compositor Rony Santini, o contrabaixista Anderson Silva, o multi-instrumentista Rogério Ferrer e o baterista Flaviano Gallo estarão em Portugal de 30 de junho a 10 de julho mostrando o melhor da nossa música instrumental, juntamente com a produtora cultural Micheline Castro. Vencedores em 2017 do Prêmio Caymmi, um dos mais

Porque eu te amei

O que ‘Porque eu te amei’ tem a falar sobre Feira?

Já passado alguns meses do lançamento do filme feirense de Tiago Rocha, que gerou assunto durante um bom tempo e lotou praticamente todas as sessões enquanto esteve em exibição, o longa, embora já fora dos cinemas, ainda tem muito que falar. E não me refiro exclusivamente aos temas abordados no enredo. Como violência doméstica, abuso, estupro etc. Mas, também, sobre o nosso olhar sobre Feira. Porque eu te amei é uma espécie de grito da classe artística feirense. Uma produção independente, envolvendo profissionais e entusiastas da cidade, lançada por aqui de maneira honrada e reconhecida – principalmente por quem duvidou.

Irving São Paulo

O ator feirense Irving São Paulo

Provavelmente você conhece o rosto do ator Irving São Paulo, filho de um histórico cineasta brasileiro, Olney São Paulo. Irving, nascido em Feira de Santana, estrelou grandes novelas brasileiras, a exemplo de “Bebê a bordo”, “Mulheres de Areia”, “A Viagem” e “Torre de Babel”. Irving nasceu em 26 de outubro de 1964, em Feira, onde iniciou a atuar em peças de teatro. Faleceu precocemente, aos 41 anos de idade, vítima de pancreatite necro-hemorrágica. Recentemente o Vídeo Show dedicou uma edição do quadro “Memória Nacional” ao ator feirense, mostrando sua trajetória e múltiplos talentos (em especial a música):   A seguir,

Passeio Feirense: Cachoeira – Barra do Paraguaçu

Situada às margens do Rio Paraguaçu, a cidade de Cachoeira é um destino frequente dos feirenses, seja pela identidade cultural histórica, pela arquitetura barroca ou pela quantidade de eventos culturais que lá acontecem. Dentre as opções de lazer oferecidas pela cidade há um passeio pouco conhecido, porém, muito interessante. É um passeio de barco, percorrendo a extensão do Rio com algumas paradas estratégicas em belos lugares. Uma dica diferente para que os feirenses aproveitem.

O horário do de ida e volta do passeio é definido de acordo com a variação da maré. Existem opções de embarcação, entre elas a lancha, que leva até doze pessoas com conforto. A duração do passeio é de seis horas e o ponto de partida e de chegada é o cais de cachoeira.

Passeio em cachoeira

Visita-se vários pontos ao longo do Rio Paraguaçu, inclusive alguns locais que são somente acessíveis via água. Na lancha, há um cooler, disponível para colocar bebidas e consumir ao longo do trajeto. Como na maioria dos pontos de parada não há restaurantes, é necessário levar lanches também, para fazer pequenas refeições, no estilo piquenique, antes do almoço.

Passeio Feira de Santana

A parada para o almoço é realizada em Coqueiros, um povoado da cidade de Maragogipe, à margem direita do Rio Paraguaçu. Os restaurantes são simples, no entanto, possuem cardápio bem diversificado, com preços bastante acessíveis. Como a região sofre influência marítima, o carro chefe dos restaurantes são os frutos do mar. Destaque para a moqueca de peixe e a mariscada.

Durante o passeio é possível contemplar a beleza da natureza da forma mais pura possível, inclusive com o charme das garças, que enfeitam as margens do rio.

Barra do Paraguaçu - FeiraBarra do Paraguaçu - Feira

Dentre as paradas, há um local chamado Praia do Francês, lugar bem tranqüilo, com diversas árvores fazendo sombra, o ambiente ideal para banhistas, onde a água sofre influência diretamente do mar e do rio, tornando-a, assim, ora morna, ora fria, dando uma sensação bem peculiar e agradável.

Praia do Francês

No trajeto é possível observar algumas construções de arquitetura antiga, a exemplo do Engenho da Vitória, casarões abandonados e até mesmo uma plataforma da Petrobras.

Plataforma Petrobras

 

Engenho

 

Cachoeira Barra

Passa-se também pela igreja do povoado de São Francisco do Paraguaçu, que impressiona pela imponência. Esse povoado é a terra natal do Forrozeiro Virgílio, figura ilustre na Bahia.

Igreja no Paraguaçu

No caminho de volta a embarcação passa por baixo da Imperial Ponte Dom Pedro II, e retorna ao cais de Cachoeira, momento em que é possível contemplar o belíssimo pôr do sol e a vista para São Félix.

Ponte em Cachoeira

São Félix

 

Veja mais informações sobre esse passeio com Petrúcio Santana (Facebook) ou (75) 9-9138-3676.


Sobre o (a) autor (a):