As Feiras de Feira de Santana

Feirense no São João

Feirense improvisou para lucrar com festejos juninos

Foi grande a luta do feirense desempregado para garantir uns trocados no aguardado recesso junino. O movimento nos dias que antecederam os festejos foi vertiginoso. Quem prestou atenção viu de tudo: enxames de homens, mulheres, idosos, adolescentes, até crianças – quase todos, invariavelmente, negros ou pardos – se esforçando para vender qualquer coisa em qualquer lugar. As opções foram vastas: o milho assado, vermelho e fumegante nos fogareiros; licores multicoloridos sobre bancas engenhosas; montes imensos de amendoim caprichosamente equilibrados sobre carrinhos de mão; os fogos que fazem a alegria de crianças e adultos e que tornam belas as noites juninas;

Marcas de Feira

Marcas de Feira

Um dia desses, meu colega de faculdade apareceu com uma tatuagem nova lá na sala e a gente começou a viajar no desenho. Os traços eram estranhamente familiares. Mas nada de absurdo uma tattoo ser repetida por aí. A questão é que a tatuagem trazia uma sensação de pertencimento. Como se a visse diariamente em lugares muito próximos. Então percebi de onde vinha a sensação. Do Viaduto da João Durval. Mais especificamente de um grafite feito por um artista da terra: Kbça. O grafiteiro e tatuador reproduziu seus traços expostos nas ruas de Feira na pele do meu colega, e

Santini & Trio

Grupo feirense Santini & Trio se apresentará em Portugal

Os artistas de Feira de Santana continuam viajando pelo mundo para levar nossa música para outros continentes, depois do grupo Quixabeira da Matinha, Africania, Dionorina e da dupla Don Guto e Ícaro Oliveira, agora é a vez do grupo Santini & Trio embarcar para apresentações no exterior. O guitarrista e compositor Rony Santini, o contrabaixista Anderson Silva, o multi-instrumentista Rogério Ferrer e o baterista Flaviano Gallo estarão em Portugal de 30 de junho a 10 de julho mostrando o melhor da nossa música instrumental, juntamente com a produtora cultural Micheline Castro. Vencedores em 2017 do Prêmio Caymmi, um dos mais

Porque eu te amei

O que ‘Porque eu te amei’ tem a falar sobre Feira?

Já passado alguns meses do lançamento do filme feirense de Tiago Rocha, que gerou assunto durante um bom tempo e lotou praticamente todas as sessões enquanto esteve em exibição, o longa, embora já fora dos cinemas, ainda tem muito que falar. E não me refiro exclusivamente aos temas abordados no enredo. Como violência doméstica, abuso, estupro etc. Mas, também, sobre o nosso olhar sobre Feira. Porque eu te amei é uma espécie de grito da classe artística feirense. Uma produção independente, envolvendo profissionais e entusiastas da cidade, lançada por aqui de maneira honrada e reconhecida – principalmente por quem duvidou.

Irving São Paulo

O ator feirense Irving São Paulo

Provavelmente você conhece o rosto do ator Irving São Paulo, filho de um histórico cineasta brasileiro, Olney São Paulo. Irving, nascido em Feira de Santana, estrelou grandes novelas brasileiras, a exemplo de “Bebê a bordo”, “Mulheres de Areia”, “A Viagem” e “Torre de Babel”. Irving nasceu em 26 de outubro de 1964, em Feira, onde iniciou a atuar em peças de teatro. Faleceu precocemente, aos 41 anos de idade, vítima de pancreatite necro-hemorrágica. Recentemente o Vídeo Show dedicou uma edição do quadro “Memória Nacional” ao ator feirense, mostrando sua trajetória e múltiplos talentos (em especial a música):   A seguir,

Artista feirense cria imagens de santos com roupas diferentes

As imagens de santos são representações simbólicas, utilizadas principalmente pela Igreja Católica, que fazem referência a personagens reverenciados historicamente pela mais tradicional religião praticada no Brasil. Tradicionalmente essas imagens exibem os santos com expressões castas e piedosas, e vestimentas simples, típicas de um estilo de vida moderado.

Projetando uma reflexão sobre esse padrão, a artista feirense Nilarah Albuquerque resolveu desconstruir a estética dessas imagens: “Que tal um mundo onde não precisássemos nos levar tão à sério? Onde até mesmo os santos pudessem tirar férias de sua simplicidade e desapego mundano e vestirem-se como adoraríamos vê-los – com todo glamour e requinte que procuramos para nós mesmos?”.

Santo Antônio e Nossa Senhora Aparecida

Santo Antônio e Nossa Senhora Aparecida, por Nilarah Albuquerque.

Um precedente na Itália

Em 2012 algo parecido foi feito pelo artista plástico italiano, mas com intenções e resultado estético bem diferente. Igor Scalisi Palminteri construiu uma série artística de santos católicos usando roupas de super heróis, gerando um grande debate, à época, sobre alguma “falta de respeito” existente na obra:

Os santos vestidos de super-herói

Os santos vestidos de super-herói, do italiano Igor Scalisi

Mais sobre Nilarah

Nilarah Albuquerque é filha do músico Timbaúba, um dos mais tradicionais artistas de Feira de Santana. Ela sempre teve em casa o convívio muito próximo com a arte, já que seu pai além de cantor também é artista plástico, tendo algumas telas pintadas na década de 80. “Design de interiores é minha paixão. Formei-me em arquitetura, mas logo fui seduzida pelos detalhes. Sabe aquele pequeno objeto que faz a diferença entre o óbvio e o magnífico? É esse objeto que procuro. Quando não estou contemplando as obras de arte que herdei da natureza – meus filhos, estou tentando fazer a arte imitar a vida em minhas peças, juntando o que tenho aprendido com meu hobby de infância – brincar de fazer arte”.

Diferentemente do trabalho polêmico do italiano Scalisi, Nilarah diz que sua arte tem sido bastante receptiva. “Com alguma frequência vejo as pessoas se emocionarem ao receber as peças que me encomendaram. É nesse momento que percebo o quanto é importante esse meu trabalho de permitir aos devotos homenagearem suas entidades queridas”.

Exposição

Dois Santo Antônio produzidos por Niralah

Dois Santo Antônio produzidos por Niralah

Com o nome Santos, Encantos e Axé, a artista realiza exposição no próximo dia 7 de janeiro, a partir das 19 horas, na Bahia Marina, em Salvador. A amostra acontecerá na LB Home da Villa CR, como parte do projeto pop-up, e traz várias peças da artista, desde imagens religiosas de santos e orixás, até figuras do nosso cotidiano cultural, como baianas e charmosas gordinhas, todas em uma roupagem moderna e com adornos sofisticados, nas tendências da moda atual.

Vale a pena comparecer!


Sobre o (a) autor (a):