As Feiras de Feira de Santana

Centro de Abastecimento de Feira de Santana

O Centro de Abastecimento vai ser privatizado?

De acordo com o líder do governo na Câmara Municipal, vereador Marcos Lima (Patriota), vários empresários querem administrar o Centro de Abastecimento de Feira de Santana. A informação foi repassada durante a sessão desta terça-feira (13), na Casa da Cidadania, ao responder acusações do vereador Roberto Tourinho.   Abandonado Tourinho disse que a situação do Centro de Abastecimento é de abandono, e elencou os seguintes problemas: lixo, mau cheiro, escuridão, tráfico de drogas, prostituição, lama e até homicídios ocorrem no local. Cheiro de Privatização De acordo com Tourinho, o poder público municipal não faz absolutamente nada, diante de tantos problemas:

Cantoras negras feirenses

Cantoras negras são destaque na música de Feira de Santana

Um olhar cuidadoso sobre as expressões musicais em Feira de Santana torna obrigatório reconhecer o fundamental protagonismo das mulheres em nossa música. Para começar, Feira de Santana é uma das poucas cidades do Brasil que tem seu hino composto por uma mulher: Georgina Erismann, no início do século XX, fez o “Hino a Feira”, numa época em que a mulher sequer tinha direito a voto. Uma das mais tradicionais expressões culturais de Feira de Santana, reconhecida internacionalmente, é capitaneada por uma mulher: Dona Chica do Pandeiro é a matriarca da Quixabeira da Matinha, exercendo um papel de liderança que remonta

OzÉbrios

Grupo feirense OzÉbrios estreia no projeto “Samba da Tarde”

Feira de Santana ganha, a partir deste sábado (10) mais um espaço de apreciação do samba: o Container Mall, com o projeto “Samba da Tarde”. Promovido pela Cervejaria Sertões, a iniciativa apresentará o grupo de samba OzÉbrios, comandado pelo cantor e compositor Rafael Damasceno. O projeto visar ocupar as tardes de sábado do Container Mall com o mais puro ritmo do samba raiz. O grupo OzÉbrios receberá convidados celebrando a junção do melhor do samba, dos sabores (dos petiscos) e das cervejas (artesanais), como elementos de entretenimento e opção de lazer na cidade. Além da Cervejaria Sertões, e o Container

Amanda Magalhães - The Voice - Feira

Amanda Magalhães, a feirense que está no The Voice Brasil 2019

Feira de Santana está mais uma vez no The Voice Brasil. Após o sucesso da feirense Paula Sanffer, que participou do programa global em 2015, e hoje é vocalista da Timbalada, é a vez da cantora Amanda Magalhães, que foi selecionada para o time da cantora IZA. Além de cantora, Amanda Magalhães é atriz (atuou no filme feirense “Porque eu te amei“), e desde cedo se dedicou ao serviço na Igreja por meio das artes. Participante do elenco de uma companhia de teatro musical cristã, a jovem de 25 anos se descobriu como cantora através dos personagens que interpretou ao

A Nova Lei feirense sobre apreensão de veículos

A Câmara Municipal de Feira de Santana promulgou nesta terça-feira, 06, a Lei Nº 346/2019, de autoria do vereador  Marcos Antonio dos Santos Lima, que dispõe sobre a apreensão de veículos automotores de duas e quatro rodas nas sextas-feiras, sábados, domingos, feriados e no último dia útil que anteceder a feriados em Feira de Santana. Nestes dias, a diária do pátio terá início no primeiro dia útil subsequente. Retirada de itens pessoais A lei ainda dispõe que ao proprietário(a) do veículo automotor comprovado com documento de identificação oficial com foto será permitido retirar os itens pessoais a qualquer momento após

Alcina Gomes Dantas: a primeira mulher radialista de Feira

É indiscutível a tradição do radiojornalismo em Feira de Santana, que há décadas leva entretenimento, informação e cultura aos feirenses através das diversas emissoras na cidade. Na história do rádio feirense, é fundamental destacar a importância de Alcina Gomes Dutra, a primeira mulher radialista de Feira de Santana.

Nascida em Itaberaba, em 30 de setembro de 1895, Alcina aprendeu música e canto com o pai, Roberto Lídio Dantas. Tocava piano, violino e violão. Com sua veia artística, fundou o programa radiofônico “Brasil de Amanhã”, na Rádio Cultura, que objetivava descobrir talentos musicais adultos e infantis.

Rádio Cultura

Rádio Cultura, onde Alcina apresentava o programa “Brasil de Amanhã”

A escritora Neuza de Brito Carneiro, em crônica recente, lembra dos talentos artísticos de Alcina e suas irmãs, que se mobilizavam bastante pela vida cultural de Feira de Santana nos anos 50:

“Elas ensinavam teatro e montavam espetáculos, levando suas peças teatrais tanto aqui em Feira de Santana, no palco da elegante Rádio Cultura, como também em cidades circunvizinhas […]. Elas mantinham programa de rádio ao vivo, aos domingos, programa de calouros, programas infantis, com cantores mirins bem badalados, concursos de naturezas diversas, nesse mesmo referido palco da Rádio Cultura; concertos com seus alunos de música, mantendo uma plateia de elite satisfeita com aqueles eventos”, diz ela, que conviveu com Alcina.

Multiartista e organizadora de saraus

Cine Teatro Santana, onde Alcina tocava as trilhas dos filmes mudos

Cine Teatro Santana, onde Alcina tocava as trilhas dos filmes mudos

Alcina Dantas era uma das responsáveis por acompanhar ao piano os filmes que passavam no extinto Cine Santana. Naquela época os filmes eram mudos, e o piano de Alcina dava o tom da trilha sonora. Além disso, também era atriz, se apresentando em várias localidades da região: Conceição da Feira, Conceição do Jacuípe, Coração de Maria etc. Escreveu peças de teatro, poemas e contos (muitos deles publicados no jornal Folha do Norte). Como se não bastasse, junto com as irmãs, restaurava e esculpia imagens de madeira.

Em texto de 2013, o advogado Hugo Navarro lembra dos saraus organizados por Alcina em sua casa: “A professora Alcina, entretanto, não ficava apenas no rádio e no piano. Escrevia, fazia poemas e canções. Em sua casa, na esquina da Av. do Senhor dos Passos com a Rua Capitão França (Beco do França) promovia saraus que atraiam literatos, cantores, declamadores e  músicos”.

Neuza de Brito também cita eventos promovidos por Alcina e sua família, mas ligadas à tradição católica: “Elas eram devotas de São Cosme e São Damião e para eles promoviam festas bem animadas com o famoso caruru”.

Homenagem póstuma

Alcina Dantas faleceu em 22 de junho de 1974. Em 1996 foi homenageada tendo seu nome colocado em uma rua no Conjunto Maria Quitéria (na Queimadinha).

Também é patrona da cadeira nº 8 da Academia de Letras e Artes de Feira de Santana. Que essa personagem tão importante para a história das artes em Feira de Santana nunca seja esquecida!


Fontes: PMFS, Blog Santanópolis e livro “Os imortais da Academia de Letras e Artes de Feira de Santana”, de Lélia Vitor Fernandes.


Sobre o (a) autor (a):