Novas regras para utilizar som

As novas regras para utilização de som em Feira de Santana

Foi publicada no Diário Oficial de Feira de Santana uma nova Lei tratando sobre a emissão de sons urbanos, fixando níveis e horários em que será permitida a emissão, além de possibilitar doação, leilão e destruição de equipamentos sonoros apreendidos. De acordo com a Lei 3.736, os níveis máximos de sons e ruídos, de qualquer fonte emissora e natureza, em empreendimentos ou atividades residenciais, comerciais de serviços, institucionais, industriais ou especiais, públicas ou privadas, sons e ruídos causados por máquinas, motores, compressores ou geradores estacionários, assim como em veículos automotores são de: 60 db (sessenta decibéis), no período compreendido entre

Cadastramento Biométrico

A interminável espera para o recadastramento biométrico

Tenho visto, com frequência, reclamações de eleitores sobre a dificuldade de fazer o cadastramento biométrico no Tribunal Regional Eleitoral (TRE) aqui na Feira de Santana. O serviço, pelo que percebo, é péssimo nas duas modalidades: seja tentando agendar horário pela Internet, seja comparecendo ao posto para enfrentar filas monumentais e ficar, horas intermináveis, aguardando atendimento, exposto ao sol, à chuva e a uma humilhação injustificável. Adepto moderado das novas tecnologias – e de um mínimo de comodidade – tento, há semanas, agendar o bendito atendimento, sem sucesso. Invariavelmente, as vagas são todas preenchidas em alguns poucos minutos: nunca consegui, sequer,

Superlotado, Conjunto Penal segue esquecido no noticiário

O Conjunto Penal de Feira de Santana abriga, no total, quase dois mil internos. São, precisamente, 1.912 pessoas encarceradas na unidade prisional. Há muito mais gente do que vaga: oficialmente, existe capacidade para abrigar 1.356 internos. A quantidade de presos excedentes, portanto, está em exatos 556. É gente suficiente para lotar um desses presídios modernos, nos quais se alojam menos internos. Note-se que, recentemente, a unidade penal feirense passou por uma ampliação. Os números acima são oficiais e integram um balanço recente, referente ao mês de julho, divulgado pela Secretaria Estadual de Administração Penitenciária e Ressocialização, a SEAP. No interior,

Por que as motos de baixa cilindrada inundam o trânsito de Feira

Em São Paulo-SP, existe uma motocicleta para cada 15 habitantes. Em Salvador, são 22 habitantes para cada motocicleta. Em Aracaju, para cada motocicleta, há 10 habitantes. Em Feira de Santana, são apenas 6 habitantes por motocicletas. A quantidade de motonetas, motos dirigidas pelo condutor em posição sentada, em Feira de Santana chama ainda mais a atenção. No ranking nacional, de acordo com dados do DENATRAN (2016), Feira fica atrás apenas de seis capitais na quantidade de motonetas. Estamos à frente de metrópoles como Belo Horizonte, Porto Alegre, Salvador e Fortaleza. São mais de 18 mil motonetas contabilizadas no município. Para

Maryzélia no Encontro

Cantora feirense Maryzélia participa do Encontro com Fátima [vídeos]

A sambista feirense Maryzélia conquistou mais um degrau de visibilidade nacional nesta terça, com a participação no programa Encontro com Fátima Bernardes, da Rede Globo. Maryzélia cantou com Pretinho da Serrinha, cantor, compositor, instrumentista que tem parcerias em sua carreira com grandes nomes da MPB, a exemplo de Beth Carvalho, Arlindo Cruz, Seu Jorge, Marisa Monte, Lulu Santos, Dona Ivone Lara, Caetano Veloso e Teresa Cristina. Veja alguns momentos da participação de Maryzélia:  

Teatro em feira: mais uma etapa do Palco Giratório

Há alguns anos, notamos alguns outdoors feirenses anunciarem, periodicamente, espetáculos de dança e teatro do projeto Palco Giratório. É uma pena que a divulgação ainda seja tímida o suficiente para muita gente ainda se perguntar “o que é esse tal Palco Giratório, afinal?”, mesmo o projeto já correndo estradas brasileiras há 18 anos.

Pois bem… O que é esse tal Palco Giratório, afinal?

O Palco Giratório é um projeto da Rede SESC de Intercâmbio e Difusão de Artes Cênicas, que nasceu para difundir as artes cênicas brasileiras para além do eixo sul-sudeste, levando a cultura para onde o teatro puder chegar.

Como funciona? Os espetáculos se repetem a cada ano?

O projeto tem em seu alicerce uma rede de 33 curadores, que são profissionais residentes em todos os estados brasileiros. Todo ano, “cada curador apresenta um número determinado de produções do seu estado e o coletivo analisa o conjunto de indicações”. Um conjunto que é um “mosaico rico e desafiador, como a contemporaneidade”.

Os espetáculos não se repetem, visto que o propósito é difundir, mostrar vários trabalhos que vêm sendo feitos pelo Brasil. Então, anualmente, alguns grupos são selecionados e chegam a percorrer 50 cidades num tempo de 3 meses ininterruptos (além de passarem por outras etapas ao longo do ano).

Quais foram os grupos escolhidos deste ano de 2015?

Nesta 18ª edição, foram contempladas 823 apresentações artísticas, que têm dado seus giros nos palcos de 154 cidades brasileiras.

E onde fica Feira nisso?

No primeiro semestre deste ano, Feira recebeu dois espetáculos, que integraram a Mostra SESC de Artes – Aldeia Olhos D’Água: “O Som das Cores” (MG) e “O Silêncio e o Caos” (PE).

Hoje (26/08) e amanhã (27/08) será a vez de mais dois outros espetáculos:

PLURAL (CIA DE TEATRO NU ESCURO – GO)

Plural é a trama tecida pelas histórias de uma menina chamada Maria. Suas primeiras recordações remetem aos seus sete anos, quando se distraía brincando com uma boneca de milho no terreiro de sua casa enquanto sua avó cozinhava no fogão à lenha e lhe falava pela janela. A narrativa segue costurando memória em memória, fiando do universo rural ao urbano, bordando histórias vividas e sentidas, com seus encantos, medos, violências, coragens, lamentos e alegrias. Uma trama sempre tensionada entre o drama e a poesia, o trágico e o humor. Inspirada nas histórias reais das mães dos integrantes da Cia. de Teatro Nu Escuro.

26/08 (qua) / 19h30 / R$10 e R$5 / Teatro da CDL (Praça da Matriz)

Classificação: 10 anos

Duração: 55min.

Palco Giratório

Cena do espetáculo “Plural”. Foto: Divulgação.

O CABRA QUE MATOU AS CABRAS (CIA DE TEATRO NU ESCURO – GO)

Um advogado vigarista, que sobrevive dando pequenos golpes em seus clientes, vê-se envolvido em um caso de assassinatos de cabras e bodes. Uma trama cheia de traições, trapaças e reviravoltas, na qual uma esposa maliciosa engana seu marido advogado, que engana um comerciante ganancioso, que engana seu empregado, que engana um juiz, que quer enganar todo mundo. Uma comédia visceral que lida com as relações de poder e hierarquia implícitas no cotidiano das pessoas e traz o riso como força reveladora e de libertação, um riso festivo que não forja dogmas nem é autoritário e que exorciza os nossos medos e as nossas angústias.

27/08 (qui) / 16h / Gratuito / Praça do Tomba
Classificação: 12 anos
Duração: 1h

Palco Giratório em Feira

Cena do espetáculo “O cabra que matou as cabras”. Foto: Divulgação.

Não sai por aí dizendo que “não vem teatro pra Feira” não. Inclusive, daqui a pouquinho falaremos sobre as companhias feirenses.

Mais informações sobre o Palco Giratório no site do SESC.

Telefone da CDL: 75 3602-3636


Sobre o (a) autor (a):