Festival de Samba de Feira de Santana

Feira de Santana terá seu primeiro Festival de Samba

O Coletivo Unidos Pelo Samba promove entre os dias 2 e 9 de dezembro o I Festival de Samba de Feira de Santana. O evento visa promover diálogos e experiências de valorização e reconhecimento do samba na cidade, além de comemorar o Dia do Samba (2 de dezembro). Pela primeira vez receberá esse tipo de evento, reunindo experiências e vivências de compositores, sambistas e admiradores do samba com o público em geral. Na programação, rodas de samba e rodas de conversa que acontecerão no Mercado de Arte Popular (MAP) e em outros pontos da cidade. De acordo com o cantor

Feira Noise Festival

Feira Noise começa nesta quinta

Começa nesta quinta-feira (24) e prossegue até o próximo domingo (26), a sétima edição do Festival Feira Noise. O evento é promovido pelo Feira Coletivo Cultural e contará com apresentações musicais de artistas de todo o Brasil,  além de espetáculos de dança, rodas de conversa, intervenções de artes visuais e outras atividades. Maior festival independente da Bahia, o Feira Noise será aberto na quinta, às 19 horas, no teatro do Centro de Cultura Amélio Amorim, com a palestra Delírios Utópicos, proferida pelo teórico da contracultura e pensador contemporâneo Cláudio Prado, colunista da Mídia Ninja. Também teremos no primeiro dia do

Roberto Kuelho

Roberto Kuelho ganha Prêmio Palco MP3 com CD Sense Bulir

Um ano após o lançamento do CD Sense Bulir, o cantor Roberto Kuelho colhe frutos de seu trabalho. O artista baiano, e feirense, é um dos ganhadores do Prêmio Palco MP3 na categoria “Word Music”. O prêmio é uma realização do Palco MP3, o maior portal de música independente do Brasil. Entre as músicas em destaque no site estão “Nem precisa ser amor” e “Bem no Auge”, que foi ouvida mais de 115 mil vezes. “Esse prêmio nos deixa feliz por ser os primeiros resultado de um trabalho feito com carinho. Mostra que nosso som está encontrando as pessoas certas”,

Ciro Gomes

A palestra completa de Ciro Gomes em Feira de Santana

O presidenciável, ex-ministro dos governos Itamar Franco, Lula e Dilma, um dos criadores do Plano Real e ex-Governador do Ceará, Ciro Gomes, esteve em Feira de Santana no dia 1 de novembro, palestrando na Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS). Na oportunidade, respondeu a perguntas de alunos e professores da Universidade. Veja o evento na íntegra:  

Homicídios em Feira de Santana

Homicídios mais que dobraram em 20 anos em Feira

No dia 05 de julho de 1997 o extinto jornal Feira Hoje, diário que circulava aqui na Feira de Santana, divulgou um balanço da violência no primeiro semestre daquele ano. Comparando com o ano anterior, houve elevação: foram 77 homicídios e três latrocínios na primeira metade do ano; em 1996, os números foram mais favoráveis: 67 homicídios e quatro latrocínios. Na soma, 80 mortes violentas no primeiro semestre de 1997 e 71 no mesmo período do ano anterior. O levantamento também informava sobre as mortes em supostos confrontos com a polícia: foram 29 em 1996 e, no ano seguinte, o

Políticas para Feira se inspirar #1: como Sevilla tornou-se cidade ciclística

O Feirenses tem se caracterizado, entre outros fatores, por resgatar alguns elementos histórico-culturais importantes para Feira de Santana, tornando-se um repositório de informações para aqueles que buscam conhecer as raízes da cidade, sem precisar tornar-se um acadêmico ou historiador. Com a boa receptividade nesse sentido, resolvemos preencher outra lacuna importante: a que diz respeito às políticas públicas que podem ser desenvolvidas no município, gerando mais bem-estar, criatividade, cidadania, paz pública e harmonia comunitária.

Para isso, vamos apresentar ao leitor do Feirenses políticas desenvolvidas em outras cidades do Brasil e do mundo, que poderiam ser perfeitamente adaptadas à nossa realidade. Essa é uma forma de qualificar o debate sobre determinado tema, garantindo acesso a um exemplo real, sem precisar se aprofundar teoricamente. A série de artigos se chamará “Políticas para Feira se inspirar”, e começa a partir de hoje.

Como Sevilla tornou-se cidade ciclística

Sevilla é uma cidade espanhola com cerca de 700 mil habitantes, capital da Província de mesmo nome. Famosa pelas touradas que realiza, e pelo Sevilla Futebol Clube, onde atualmente joga o brasileiro Paulo Henrique Ganso, a cidade também ficou conhecida nos últimos anos pelo sucesso das políticas de mobilidade urbana, em especial na priorização da bicicleta como meio de transporte.

Nos últimos 10 anos, o fomento ao uso da bicicleta como meio de transporte se apresentou como um eixo fundamental e diretor da transformação do sistema de mobilidade na cidade.

Uma rede completa de ciclovias de mais de 80km foi criada em apenas um ano, uma infraestrutura que está presente em grandes ruas e avenidas. Além disso, nas áreas residenciais e ruas do centro histórico tem se adotado uma política de coexistência das bicicletas e automóveis na via pública, com diminuição da velocidade máxima dos veículos motorizados ou, em alguns casos, proibição de circulação.

SEVICI

Estação do SEVICI – Serviço de aluguel de bicicletas públicas em Sevilla

Todas as ações partiram de um plano, onde estão previstas, além das intervenções estruturais, diferentes ações complementares como oficinas educativas e campanhas. Há um escritório técnico dedicado à bicicleta na cidade, para cuidar e coordenar todas as ações relativas ao tema.

Foi criado um serviço público de bicicletas pioneiro na Espanha, o SEVici. Inaugurado em 2007, ele permite aos usuários alugar bicicletas públicas, que estão distribuídas em cerca de 260 estações em toda a cidade (atualmente são aproximadamente 2.600 bicicletas, e cerca de 39.000 usuários do serviço). É possível alugar as bicicletas por dias seguidos ou por apenas algumas horas.

Após a implantação dessas políticas, entre 2006 e 2008, Sevilla teve um incremento no uso diário da bicicleta de 670%.

Onde implantar ciclovias?

Ciclovia em Sevilla

Um dado importante: 85% do espaço para essa infraestrutura de ciclovias veio da remoção de área de estacionamento nas ruas ou de pistas para os automóveis; 15% veio do espaço dos pedestres, que foi compensado pela prefeitura com abertura de novos espaços em outras áreas.

Todos os relatos divulgados pela imprensa espanhola indicam que, no início, havia muita resistência e críticas à ação da Prefeitura, que foi se dissipando ao tempo em que a população aderiu à nova realidade. Enquanto em toda a Espanha apenas 1,6% da população utiliza a bicicleta como meio de transporte, em Sevilla esse número é próximo dos 10%.

Bom tema para ser discutido em Feira de Santana!

 


Sobre o (a) autor (a):