Festival de Samba de Feira de Santana

Feira de Santana terá seu primeiro Festival de Samba

O Coletivo Unidos Pelo Samba promove entre os dias 2 e 9 de dezembro o I Festival de Samba de Feira de Santana. O evento visa promover diálogos e experiências de valorização e reconhecimento do samba na cidade, além de comemorar o Dia do Samba (2 de dezembro). Pela primeira vez receberá esse tipo de evento, reunindo experiências e vivências de compositores, sambistas e admiradores do samba com o público em geral. Na programação, rodas de samba e rodas de conversa que acontecerão no Mercado de Arte Popular (MAP) e em outros pontos da cidade. De acordo com o cantor

Feira Noise Festival

Feira Noise começa nesta quinta

Começa nesta quinta-feira (24) e prossegue até o próximo domingo (26), a sétima edição do Festival Feira Noise. O evento é promovido pelo Feira Coletivo Cultural e contará com apresentações musicais de artistas de todo o Brasil,  além de espetáculos de dança, rodas de conversa, intervenções de artes visuais e outras atividades. Maior festival independente da Bahia, o Feira Noise será aberto na quinta, às 19 horas, no teatro do Centro de Cultura Amélio Amorim, com a palestra Delírios Utópicos, proferida pelo teórico da contracultura e pensador contemporâneo Cláudio Prado, colunista da Mídia Ninja. Também teremos no primeiro dia do

Roberto Kuelho

Roberto Kuelho ganha Prêmio Palco MP3 com CD Sense Bulir

Um ano após o lançamento do CD Sense Bulir, o cantor Roberto Kuelho colhe frutos de seu trabalho. O artista baiano, e feirense, é um dos ganhadores do Prêmio Palco MP3 na categoria “Word Music”. O prêmio é uma realização do Palco MP3, o maior portal de música independente do Brasil. Entre as músicas em destaque no site estão “Nem precisa ser amor” e “Bem no Auge”, que foi ouvida mais de 115 mil vezes. “Esse prêmio nos deixa feliz por ser os primeiros resultado de um trabalho feito com carinho. Mostra que nosso som está encontrando as pessoas certas”,

Ciro Gomes

A palestra completa de Ciro Gomes em Feira de Santana

O presidenciável, ex-ministro dos governos Itamar Franco, Lula e Dilma, um dos criadores do Plano Real e ex-Governador do Ceará, Ciro Gomes, esteve em Feira de Santana no dia 1 de novembro, palestrando na Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS). Na oportunidade, respondeu a perguntas de alunos e professores da Universidade. Veja o evento na íntegra:  

Homicídios em Feira de Santana

Homicídios mais que dobraram em 20 anos em Feira

No dia 05 de julho de 1997 o extinto jornal Feira Hoje, diário que circulava aqui na Feira de Santana, divulgou um balanço da violência no primeiro semestre daquele ano. Comparando com o ano anterior, houve elevação: foram 77 homicídios e três latrocínios na primeira metade do ano; em 1996, os números foram mais favoráveis: 67 homicídios e quatro latrocínios. Na soma, 80 mortes violentas no primeiro semestre de 1997 e 71 no mesmo período do ano anterior. O levantamento também informava sobre as mortes em supostos confrontos com a polícia: foram 29 em 1996 e, no ano seguinte, o

Por que a atual seca em Feira de Santana é uma das mais graves dos últimos anos

Quem vive na Zona Urbana de Feira de Santana, nas últimas semanas, tem buscado formas de amenizar o calor: utilizando ventiladores e condicionadores de ar, vestindo-se de maneira mais leve, consumindo produtos refrescantes (picolés, sorvete e afins) e por aí vai. Essas são opções viáveis para quem tem água encanada e renda para dirigir-se ao supermercado mais próximo e comprar alimentos frescos e refrigerados, mesmo com os preços um tanto mais caros. Infelizmente, quando se trata da Zona Rural de Feira de Santana, o problema é muito, muito mais complexo.

Em recente matéria no Acorda Cidade, os repórteres Ney Silva e Rachel Pinto mostraram os desafios de quem vive nas imediações do Distrito de Maria Quitéria (São José). Há dificuldades de encontrar água para beber, cozinhar e lavar. Um relato de uma entrevistada: “Passamos muitas dificuldades principalmente com as crianças e com os idosos. Não temos água encanada e nem outros reservatórios. As crianças ficam nuas porque não suportam o calor e não há água para tomar banho toda hora. A única água que temos é a que vamos buscar no Rio Jacuípe. Uma água de coloração verde. Passamos com essa água para fazer nossas coisas”.

Leia aqui a matéria do Acorda Cidade!

A seca em Feira de Santana nos últimos anos

Observando a incidência da seca em Feira de Santana nos últimos anos, constatamos que o município está enfrentando uma situação muito grave, em relação aos dois anos anteriores. A seguir, os mapas da seca na região, fornecidos pelo Monitor de Secas do Nordeste do Brasil, da Agência Nacional de Águas:

A seca em Feira de Santana

Os mapas mostram que, em dezembro de 2014, Feira de Santana não registrou seca. Em 2015, tivemos uma seca de intensidade grave. Em 2016, a intensidade da seca foi classificada como extrema. Isso significa que há grandes perdas de cultura e pastagem, além de escassez de água generalizada.

Situação de Emergência

Desde agosto de 2016 que o município de Feira de Santana está em situação de emergência por conta da seca. Trata-se de uma medida legal adotada em situação anormal, que embora não exceda a capacidade inicial de resposta do município, requer
auxílio complementar do estado ou da União para ações de socorro e de recuperação.

O secretário de Agricultura de Feira de Santana, Joedilson Machado, em recente declaração, afirmou que o abastecimento de água em áreas da zona rural onde o problema é mais grave está sendo realizado com 12 caminhões, entre da frota própria, locados e da Defesa Civil.

Joedilson Machado ainda afirmou que técnicos do Exército recentemente estiveram no município e fizeram uma pesquisa no campo e observaram a situação. A visita pode aumentar a frota de caminhões-pipa cedidos pelo Exército.

Já o Secretário de Desenvolvimento Rural da Bahia, Gerônimo Rodrigues, prometeu, em recente visita à cidade um mutirão para reduzir os efeitos da seca em Feira e outros municípios baianos.

Que a chuva caia, e que as autoridades dêem o apoio necessário ao nosso “povo da roça”!


Sobre o (a) autor (a):