Rio Jacuípe

O Feirenses vai voltar!

O Feirenses vai voltar!

Desde quando iniciamos, em maio de 2015, sabíamos que fazer o Feirenses seria desafiador. Uma iniciativa completamente independente, sem vínculos com quaisquer organizações (públicas ou privadas) e ambiciosa: criatividade, inovação, profundidade, originalidade, democracia e coletividade foram algumas palavras-chave que os/as fundadores/as entusiasticamente pronunciavam em cada conversa pré e pós-produção dos conteúdos. Três anos após a primeira publicação, podemos dizer com orgulho que contribuímos para o ambiente de publicações em Feira de Santana, e que tudo estaria bem se continuássemos hibernando – como ocorre há quase um ano. Importante dizer que essa suspensão das atividades do Feirenses deu-se pela própria natureza

Festival de Samba de Feira de Santana

Feira de Santana terá seu primeiro Festival de Samba

O Coletivo Unidos Pelo Samba promove entre os dias 2 e 9 de dezembro o I Festival de Samba de Feira de Santana. O evento visa promover diálogos e experiências de valorização e reconhecimento do samba na cidade, além de comemorar o Dia do Samba (2 de dezembro). Pela primeira vez receberá esse tipo de evento, reunindo experiências e vivências de compositores, sambistas e admiradores do samba com o público em geral. Na programação, rodas de samba e rodas de conversa que acontecerão no Mercado de Arte Popular (MAP) e em outros pontos da cidade. De acordo com o cantor

Feira Noise Festival

Feira Noise começa nesta quinta

Começa nesta quinta-feira (24) e prossegue até o próximo domingo (26), a sétima edição do Festival Feira Noise. O evento é promovido pelo Feira Coletivo Cultural e contará com apresentações musicais de artistas de todo o Brasil,  além de espetáculos de dança, rodas de conversa, intervenções de artes visuais e outras atividades. Maior festival independente da Bahia, o Feira Noise será aberto na quinta, às 19 horas, no teatro do Centro de Cultura Amélio Amorim, com a palestra Delírios Utópicos, proferida pelo teórico da contracultura e pensador contemporâneo Cláudio Prado, colunista da Mídia Ninja. Também teremos no primeiro dia do

Roberto Kuelho

Roberto Kuelho ganha Prêmio Palco MP3 com CD Sense Bulir

Um ano após o lançamento do CD Sense Bulir, o cantor Roberto Kuelho colhe frutos de seu trabalho. O artista baiano, e feirense, é um dos ganhadores do Prêmio Palco MP3 na categoria “Word Music”. O prêmio é uma realização do Palco MP3, o maior portal de música independente do Brasil. Entre as músicas em destaque no site estão “Nem precisa ser amor” e “Bem no Auge”, que foi ouvida mais de 115 mil vezes. “Esse prêmio nos deixa feliz por ser os primeiros resultado de um trabalho feito com carinho. Mostra que nosso som está encontrando as pessoas certas”,

Ciro Gomes

A palestra completa de Ciro Gomes em Feira de Santana

O presidenciável, ex-ministro dos governos Itamar Franco, Lula e Dilma, um dos criadores do Plano Real e ex-Governador do Ceará, Ciro Gomes, esteve em Feira de Santana no dia 1 de novembro, palestrando na Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS). Na oportunidade, respondeu a perguntas de alunos e professores da Universidade. Veja o evento na íntegra:  

O “pagotrance”, e muito mais, do feirense Lerry

Feira de Santana é uma cidade de encontros e passagens, e dela não é conveniente exigir muitas fixações. Aqui somos o Forró, o Samba, o Axé, o Jazz, Techno… uma diversidade de cores, ritmos, nichos e manifestações. Essa abertura traz o risco do bizarro (e ele se manifesta aqui e ali), mas é um espaço único para a explosão do criativo com múltiplos referenciais. É assim que podemos compreender iniciativas feirenses brilhantes como Uyatã Rayra e a Ira de Rá, a Africania, o Clube de Patifes e o Roça Sound (entre outras).

Todos são da Feira que vai e vem, com ruídos de pechincha, aboios de vaqueiro e ranger de dentes de carros possantes. Uma miscelânea de sentidos que não é possível cristalizar em um único conceito. Ao tempo em que esses artistas são filhos desse universo, ajudam-nos a compreendê-lo melhor, em suas mutações e adaptações.

Entra nessa constelação o novo disco do multi-instrumentista e produtor musical feirense Lerry, que será lançado no próximo dia 24 de fevereiro (sexta-feira), em pleno Carnaval.

Influenciado pelos mais diversos tipos de música, tais como Reggae, Pagodão, Trap, Metal, Jazz, entre outros, Lerry especializou-se no gênero eletrônico Psytrance, quando em 2014 passou a assinar pela gravadora Olotropo Records, uma referência do estilo no Brasil.

Lerry

Lerry diz que, por sua natureza inquieta, sente necessidade de expressar sua musicalidade de uma forma livre, sem se prender a rótulos ou a um único estilo, por isso adotou o nome de Lerry (no lugar do nome de batismo, Pedro Lucas), buscando unir elementos das distintas influências, vivências musicais e experiências acumuladas ao longo de sua vida, além de fazer parceria com diversos artistas.

Lerry conseguiu enxergar o potencial da união de estilos musicais com grande inserção na Bahia, sobretudo entre os jovens – o popular “Pagodão”, com o Psytrance ou Transe Psicodélico. O resultado dessa pesquisa atenta foi o nascimento do que ele chama de “Pagotrance”.

O disco TaBatenu

TaBatenu - Lerry

O primeiro disco de Lerry é surpreendente. Uma manifestação do espírito da nova geração da música baiana, que vai conquistando o Brasil através de iniciativas como o Baiana System, do também feirense, Russo Passapusso.

TaBatenu busca tecer uma conexão e estabelecer uma importante permuta multicultural entre a riqueza musical presente nas manifestações populares do nosso estado, com destaque para os ritmos percussivos, em diálogo com gêneros musicais do Brasil e do Mundo, a exemplo do Hip Hop, Trap e Rock.

Formado por 6 faixas, conta com a participação de artistas baianos de diferentes gêneros musicais, utilizando recursos da música eletrônica, que tem lugar privilegiado no processo de composição, causando um elo sonoro entre o ancestral e o tecnológico.

Neste EP Lerry destaca a difusão do “Pagotrance”, perspectiva que busca romper com uma visão preconceituosa, observada em algumas concepções musicais e ainda estimula os jovens a conhecerem suas raízes culturais, sem perder de vista o que está sendo produzido atualmente no mundo.

Aqui no Feirenses, gostamos muito do que ouvimos antecipadamente. Na próxima sexta, 24, publicaremos aqui no site os links para o TaBatenu. Até lá!

Tags:

Sobre o (a) autor (a):